Temer recebe bispos da Assembleia de Deus presidida por suspeito de lavagem de dinheiro

0
7764
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), recebeu na última quinta-feira (1º), no Palácio do Planalto, bispos da Assembleia de Deus Ministério de Madureira, cujo presidente-executivo, bispo Samuel Ferreira, é investigado na Operação Lava Jato por lavagem de dinheiro para o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso em Curitiba.

Segundo denúncia da PGR (Procuradoria-Geral da República) acatada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em maio do ano passado, Cunha teria usado uma conta da igreja para lavar R$ 250 mil com o apoio dos então lobistas Júlio Camargo e Fernando Soares, mais conhecido como Fernando Baiano. Ambos viraram delatores na Lava Jato.

Assine o Blesss

O montante seria parte dos US$ 5 milhões que Cunha supostamente recebeu de propina pela contratação de dois navios-sonda da Petrobras. O processo contra Samuel Ferreira está sob responsabilidade do juiz federal Sergio Moro, que cuida dos processos da Lava Jato em primeira instância.

Ao final do encontro com Temer, o presidente emérito da congregação e pai de Samuel, Manoel Ferreira, disse que a audiência foi “excelente”. “Viemos para fazer uma oração por ele e dizer que estamos orando e acompanhando o governo com as nossas orações. […] O sucesso dele é o sucesso de todos nós.”

Questionado pela reportagem do UOL em relação ao envolvimento da igreja com Eduardo Cunha, Manoel Ferreira falou que “isso é de cada pessoa”.
“Pessoa física, cada um cuida de si. Nós não cuidamos disso. Cuidamos de dirigir a igreja no Brasil. Não trato desse assunto. Sou bispo da igreja e trato da parte espiritual da igreja. Com relação à pessoa física, cada um responde por si próprio”, argumentou.

O advogado de Samuel Ferreira, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou ao UOL que o caso dele é “supertranquilo e que, até por isso, não está tendo maior evolução”.

Além de Manoel e cerca de 25 bispos, outros integrantes da comitiva na visita a Temer foram o ministro do Trabalho e pastor da Assembleia de Deus, Ronaldo Nogueira, e o presidente do PSC, pastor Everaldo.

A audiência não estava prevista na agenda diária de Temer divulgada no site do Planalto. No entanto, a assessoria de Temer avisou sobre o evento cerca de meia hora antes do encontro. No site do Planalto, até às 18h30, a reunião de Temer com os religiosos ainda não estava incluída na agenda.

Amigos há mais de 35 anos

Segundo o próprio Temer durante culto na igreja quando ainda era vice-presidente da República, ele é amigo da família há pelo menos 35 anos.

“Há 35 anos atrás, Deus me deu a alegria de conhecer o bispo Manoel Ferreira”, falou, ao lado de Eduardo Cunha, a quem chamou de “nosso grande representante”.

“Tenho com Cunha um auxílio extraordinário na Câmara Federal. […] Se quiser dar uma tarefa das mais complicadas para o deputado federal Eduardo Cunha, ele as simplifica porque trabalha muito”, acrescentou Temer na ocasião.

Na última quinta, Manoel Ferreira afirmou que cultiva uma relação próxima com Temer desde quando eram parlamentares. “Estivemos sempre juntos aqui.”

Outros amigos políticos dos Ferreira incluem o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), o ministro de Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD), e o ministro do STF Alexandre de Moraes.

 

Com informações Folha Gospel
Imagem:reprodução

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui