É Possível que o Cristão idolatre a Bíblia?

0
55
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Por Tom Olson
Alguns meses atrás, li o seguinte em um artigo por um autor que se auto-identifica como um evangelical: “Embora a Bíblia seja um guia importante e autoritativo para a fé e prática Cristã, ela não é o fundamento ou centro da nossa fé – Jesus é… Estudar as Escrituras é valioso, mas nem de longe tão valioso quanto cultivar um relacionamento diário com o Deus encarnado”.

Este autor tem várias visões que o fazem um ponto fora da curva no movimento evangélico como tem sido tradicionalmente definido. Entretanto, tenho percebido que sua visão das escrituras está se tornando cada vez mais comum. Cada vez mais eu ouço sentimentos na Igreja como:
  • “Muitos cristãos estão colocando ênfase demais na Bíblia em vez de em Cristo e o Espírito Santo.”
  • “A Trindade não é Pai, Filho e Escritura Santa.”
  • “Cuidado para não fazer da Bíblia um ídolo.”
  • Daí a questão: É possível ao cristão idolatar a Bíblia?

A Importância da Pergunta
Não devemos dispensar esta pergunta rápido demais. Me parece que quem expressa os sentimentos acima tem tido uma experiência ruim com a igreja ou com cristãos quando o assunto é a Bíblia. Eles encontraram vários cristãos que, embora conheçam bem a Bíblia, parecem “inflados” pelo seu conhecimento, tendo pouco amor por Cristo ou pelo próximo. A preocupação é que colocar tanto foco na Bíblia apenas repita estas experiências.

A Escritura diz que há um tipo de conhecimento que “infla” (1 Coríntios 8.1) mas outro tipo que é intimamente entrelaçado com o amor (Filipenses 1.9). Então, precisamos testar a nós mesmos: O meu estudo das Escrituras está gerando o Fruto do Espírito ou o fruto da arrogância? A Bíblia tem sido amplamente mal usada ao longo da história, então certamente devemos tomar cuidado para não a usarmos mal, nós mesmos, tornando-a em um veículo para o orgulho sobre quanto nós sabemos, em vez de sermos corretamente desafiados por ela a uma vida amável e humilde de serviço a Deus e ao próximo.

Além disso, Cristo repreendeu os fariseus em João 5.39-40 por conhecer as escrituras e ainda assim não recebê-lo e crer nele como o Cristo. Então, novamente, precisamos testar a nós mesmos: O meu estudo das Escrituras é meramente acúmulo de conhecimento, como estudar um livro qualquer, ou está me ajudando a seguir Cristo como meu Senhor e amá-lo como meu Salvador? Em outras palavras, devemos compreender que é possível conhecer as Escrituras e ainda assim ignorar Jesus. Temos ainda que admitir que muitos cristãos têm tido interações com crentes e igrejas que tratam a Bíblia exatamente como os fariseus faziam.
Não devemos ficar surpresos com essa pergunta, mas devemos ser desafiados e ajudados por ela.
A Imprecisão da Pergunta
Ainda assim, tão importante e desafiador quanto a pergunta possa ser, ela está enraizada em um entendimento impreciso das Escrituras. Considere as descrições primárias da Escritura a partir da própria Bíblia:
“Toda a escritura é inspirada por Deus…” (2 Timóteo 3:16)
“porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.” (2 Pedro 1:21)
Acrescente a isso que um dos nomes favoritos de Jesus Cristo é “O Verbo”, e você tem um testemunho trinitário de que a Bíblia não é divorciada da Trindade, mas é a obra tangível do Trino Deus em perfeita harmonia falando conosco.
Colocando de maneira simples, a Bíblia é a voz de Deus. O Pai inspira (sopra) a Palavra. O Filho é o Verbo encarnado. O Espírito Santo moveu os autores bíblicos para que eles falassem “da parte de Deus”. A Bíblia é a voz de Deus – não apenas as letras vermelhas – toda a Bíblia. Assim, a pergunta “É possível ao cristão idolatrar a Bíblia?” é imprecisa, porque ela nos leva a uma falsa dicotomia entre Deus e sua voz. Priorizar a voz de Deus é priorizar Deus, portanto priorizar sua voz não pode ser visto como idolatria.
Por favor, saiba, eu compreendo. As Escrituras e Jesus Cristo são entidades diferentes. A Bíblia e o Espírito são distintos um do outro. Mas isso não significa que nós possamos tratá-los assim, divorciando-os um do outro.
A Ilustração da Pergunta
Considere seu melhor amigo. Como, precisamente, você se relaciona com ele ou ela? Vocês podem trabalhar juntos, e ter hobbies em comum mas, primariamente, você conhece seu amigo por meio das palavras dele. Suas conversas e todas as interações verbais são essenciais para sua amizade.
Claro, tem muito mais a respeito dele que é não verbal – seu caráter, talentos personalidades – mas ainda assim, a maior parte do que você conhece sobre seu caráter, talentos e personalidade é conhecido por você por causa do que ele tem dito a você ao longo dos anos.
Você não tentaria separar seu amigo das palavras dele. Eles são entidades distintas, sim. Mas eles vêm juntos.
A Importância da Pergunta, Revisitada
Então voltamos à pergunta, “É possível idolatrar a Bíblia?” A resposta é um ressonante “Não”. Priorizar a Bíblia em nossas vidas está longe da idolatria. Priorizar a Bíblia é priorizar a voz de Deus para nós, e assim priorizar o próprio Deus.
Você pode usar mal a Bíblia, como descrevemos antes, mas se a Bíblia se descreve de maneira precisa, ela é a voz de Deus falando conosco. Conhecer a Bíblia é conhecer Deus – sua voz, seu caráter, seus atributos, seu reino, seu plano para nos salvar!

Aqui eu gostaria de perguntar ao autor da questão anterior: Como você e eu “cultivamos um relacionamento diário com o Deus encarnado” separados das Escrituras? Como podemos separar Cristo e sua voz de tal forma que nós possamos colocar um contra o outro ou clamar que ouvir sua voz pode tornar-se um ídolo? Se a Bíblia é como Jesus fala conosco, como podemos crescer num relacionamento com Cristo sem enfatizar ouvi-lo por meio de sua própria Palavra?

É aqui que eu acho a pergunta e os sentimentos descritos no começo bem perigosos. Na melhor das hipóteses, esses sentimentos nos avisam do mal uso, como nós vimos. Mas na pior hipótese, esses sentimentos nos dão uma razão massiva para nos afastarmos das Escrituras, assim nos distanciando da voz de Deus falando em nossas vidas.
A Bíblia não pode ser suficientemente enfatizada em nossas vidas, em nossos grupos pequenos, em nossas igrejas, pois ela é como nós ouvimos a própria voz de Deus falando conosco! Para cultivar um relacionamento diário com o Deus encarnado, precisamos ouvir sua voz. Que bizarro seria se preocupar com uma priorização excessiva com as palavras do seu melhor amigo? Se você quer conhecer seu melhor amigo, você vai ouvir as palavras dele.
Não perca a encorajadora verdade no meio desta discussão: Se a Bíblia é a voz de Deus, isso significa que você pode ouvir de Deus!
Então, amigo, vamos atender ao importante desafio que vem com essa pergunta, “É possível idolatrar a Bíblia?”. Vamos ser cristãos que crescem em amor e fé por meio das Escrituras. Mas não vamos nos confundir: Deus tem falado conosco por meio das Escrituras, então se nós formos realmente conhecê-lo e amá-lo, devemos fazer com que ouvi-lo seja uma prioridade apaixonada em nossas vidas.
***
Traduzido por Daniel TC no Reforma21
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui