Crianças cristãs são usadas ​​em atentados suicidas por radicais islâmicos

0
90
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Um desses ataques aconteceu no dia 13 de janeiro na cidade de Madagali no estado de Adamawa, quando duas mulheres passaram por um posto de controle policial como “mães carregando seus bebês”. As mulheres jihadistas suicidas usaram dois bebês roubados, e 4 outros atentados foram feitos do mesmo modo, quando descobriram que obtiveram “sucesso”, disseram as autoridades.

Duas outras mulheres-bomba que não carregavam crianças, foram detidas no posto de controle, onde elas detonaram seus dispositivos. Boko Haram tem realizado ataques terroristas na Nigéria desde 2009 com o objetivo de expulsar todos os cristãos no país, também tem usado meninas como terroristas sequestradas no passado.
O medo aumentou quando Boko Haram em dezembro de 2014 sequestraram mais de 200 meninas numa escola cristã na cidade de Chibok.
Um ataque suicida em dezembro deixou 56 pessoas mortas em Maiduguri, e o grupo de vigilância International Christian Concern informou que dois jovens adolescentes utilizados no ataque poderia ter vindo da floresta próxima Sambisa, onde ainda estão muitas das meninas Chibok. Acredita-se que ainda estão em cativeiro.
“Não seria um exagero supor que poderia ser uma das meninas Chibok, ou outras meninas cristãs capturadas e doutrinadas pelo grupo terrorista islâmico. É evidente que as meninas são consideradas descartáveis. Mais de 100 garotas têm sido utilizados por Boko Haram para matar e, no processo, também morrem “, escreveu IPC no tempo.
“Oramos para as muitas famílias na Nigéria, que ainda aguardam notícias sobre suas filhas sequestradas e vivem com medo de que uma delas seja usada suicida”, acrescentou o grupo.
Mulheres e meninas que escaparam Boko Haram contam suas terríveis experiências nas mãos dos jihadistas. Conhecida pelo pseudônimo de Amina, agoracom 20 anos, disse ao Daily Mirror que ela foi sequestrada com 15 anos e logo se viu no interior da floresta Sambisa com mais 200 mulheres.
Durante os cinco anos em cativeiro, Amina foi casada com três militantes diferentes, estupradas e obrigada a engravidar para cada um dos homens. E, embora eu não estava obrigada a realizar ataques suicidas, disse que, outras meninas sim. Amina foi capaz de escapar com seus três filhos, mas apenas dois de seus filhos sobreviveram.
***
Consciência Cristã
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui