SILAS MALAFAIA REUNE LÍDERES EM ATO PATÉTICO PROFÉTICO EM BRASILIA

9
765
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Leonardo Gonçalves

Nesta quarta feira (01/06) o telepastor, vendedor de quinquilharias gospel e pregador de indulgencias modernas Silas Malafaia, seu fiel escudeiro Jabes de Alencar, junto com  vários líderes de diversas denominações evangélicas, além da trupe “levitas” Fernanda Brum, Eyshila, Fernandinho, Cassiane e Nani Azevedo, se reuniram em frente à esplanada dos ministérios em Brasília para a realização de mais um ato patético profético destes que não mudam nada mas que angariam seguidores e ajudam a ostentar o tamanho dos seus ministérios. 

Assine o Blesss

Receba nossos posts em seu e-mail

Informações relevantes sobre o cotidiano, segundo a ótica cristã. Insira seu email:

Delivered by FeedBurner

Seguidos por uma turba de religiosos do tipo que costuma comer qualquer sermão medíocre sem questionar, e que acatam comandos absurdos sob pretexto de não tocar no ungido, estes pastores (apóstolos, bispos, semi-deuses e pikachus das galáxias) se uniram para protestar contra a corrupção. Sim, foi isso mesmo que você leu: Os maiores mascates da fé, os caras que comercializam Cristo no atacado e varejo, unidos em um evento contra a corrupção. Brilhou por sua ausência o pai-póstolo nascido do útero profético da virgem maria dos crentes, Renê Terra Nova, mas explicaram que ele estava se preparando para uma conferência.

Dizem que a manifestação foi tão poderosa que já tem deputado, senador, ministro e ex-presidente querendo devolver a grana do mensalão e do petrolão. Eles ficaram tão sensibilizados pelo ato patético profético que já falam em restituir 4 vezes mais aos seus ofensores. Não, zuera! É claro que nada mudou após a profetança dos pastores em Brasilia, pois não é com artes mágicas que a gente muda o país, mas com a força do povo nas ruas em voz uníssona e exercendo conscientemente o direito do voto (Eita, fiquei patriota!), mas isso também é assunto para outro post. Voltemos então aos atos proféticos.
Por que é que eu implico tanto com os atos proféticos? O que há de tão errado com eles a ponto de provocar semelhante indignação e me fazer perder tão precioso tempo do meu dia escrevendo algo que provavelmente fará com que eu seja achincalhado de todos os pejorativos possíveis, além de ser taxado como carnal, perseguidor dos “ermãos” (sim, eles escrevem mal pacas!) e “crítico que não faz nada”? As razões de minha implicancia serão descritas à seguir:

Atos proféticos que não mudam nada


Em primeiro lugar, os atos proféticos estão construídos sobre uma exegese mediocre e imaginativa, e não em bases bíblicas sólidas. Em outras palavras, como diria o padre Quevedo, “iso non ecxisti”! Segundo o bam-bam-bam manauara ungido a patriarca pelo falso profeta Morris Cerulo, um ato profético é uma “linguagem profética que traz ao reino físico a existência do mundo espiritual”. Em outras palavras, segundo Renê Terra Nova o ato profético seria uma espécie de abracadabra que faz com que as coisas simplesmente apareçam do nada. É como se nossas palavras tivessem poder criativo. Mas será que elas tem mesmo?

Ora,  única palavra que tem poder criativo é a palavra de Deus. Ele tem o poder para criar mundos do nada e de trazer a existencia aquilo que ainda não existe. Mas esse poder é dele, e não nosso: Nenhum homem, por mais fé que tenha, pode acrescentar um côvado à sua estatura (palavras de Jesus!), nem tornar um fio de sua cabeça branco ou preto (de forma natural. Colorantes não contam!). Então não adianta espernear, chorar nem fazer beicinho: Não existe base bíblica para atos proféticos! Não dá pra mudar a realidade fazendo magia branca nem mandinga de crente. Mesmo que o Tiririca se converta e ainda que ele declare beleza com toda a fé do mundo, ele nunca vai ser o George Clooney, da mesma forma que o pseudônimo de “Dona Bela” repetido à exaustão não pôde dar atributos de beleza à saudosa atriz Zezé Macedo da Escolinha do Professor Raimundo (Coitada, morreu feia).

Atos proféticos não possuem base bíblica


A segunda razão porque odeio os atuais atos proféticos é porque eles não se assemelham aos verdadeiros atos proféticos da bíblia. Quando um profeta bíblico fazia algum tipo de representação/encenação profética, era para ilustrar uma realidade existente, e não para modificar, criar ou transformar aquilo que já existia. Um exemplo disso é o casamento do profeta Oséias com uma prostituta. A união tinha o propósito de ilustrar o fato de que a nação estava prostituída com falsos deuses. Tais encenações proféticas tinham a finalidade de ensinar, instruir, elucidar, e não de transformar. Toda a dramatização tinha uma finalidade pedagógica, e nunca foi usada como chave mística ou abracadabra para “desatar no mundo espiritual as bençãos de Deus sobre a vida dos fiéis”.

Atos proféticos ofuscam a Palavra 

Finalmente, eu realmente tenho ódio das lambanças proféticas neopentecostais porque entendo que elas tem substituído o verdadeiro ato profético da igreja. Ora, o que pode ser mais profético do que a pregação da Palavra de Deus? Aquele que quer ser profeta, deveria preocupar-se em falar as palavras do Senhor, pois este é o verdadeiro significado da profecia, mas infelizmente não é isso que vemos. Abundam atos proféticos esquisitos, falta pregação nos púlpitos das igrejas. Sobra espaço para misticismo, enquanto a verdadeira profecia inspirada (A Palavra de Deus dada a nós!) vem sendo relegada a um papel secundário, mero adorno de púlpito, apenas uma coadjuvante nesse imenso circo que a igreja evangélica brasileira se converteu.
Escrevo essas linhas em tom de desabafo, com a alma já calejada por 9 anos de incessantes posts de advertencia neste espaço. Aguardo agora os xingamentos eloquentes e o repetido jargão “crente não pode julgar” sendo digitado freneticamente na timeline da nossa fanpage. Mas a vida é feita de escolhas, e no dia que escolhemos criar esse espaço cibernético chamado Púlpito Cristão, eu já sabia que estaria na mira daqueles que dedicam a vida a “criticar os críticos e julgar os juízes”. Então, que comece o mimimi!

***
Redação Púlpito Cristão

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

9 COMENTÁRIOS

  1. Bem, acredito-me que palavras mágicas não vão mudar o Brasil, mas por traz desses "atos" tem algum interesse político. Primeiro Pr. Silas não vai tirar do bolso dele nem da sua igreja a despesa do movimento que ele encabeçou nem a passagem e cachê dos cantores que com certeza não foram de graça.
    Ai tem pode esperar.
    Sou um admirador das pregações do Pr. Silas, mas quando não só ele todos nós somos usados por Deus tudo vai bem

  2. estou enjoada, super cansada de ver tanta patifaria! Pessoas malignas manchando a imagem do Deus vivo, pois nada do que pregam se cumpre e, no final de algum empo aparecem os ateus, os denominados desviados , e um tanto de pessoas que se decepcionaram com deus por que acreditaram nas mentiras desses infelizes e o que disseram não aconteceu. Lamentavel. Vivemos corrupção na politica e muito mais na religião; na política a corrupção acontece na manipulação das leis e na religião, na cara dura, em nome de Deus. O nome de Deus, um versiculo biblica , o titulo de pasor, apostolo, missionario, obreiro, etc são ferramentas usadas para validar as mentiras que então, paeecerão verdades.

  3. Eu concordo com suas palavras, e peço que você continue levando o verdadeiro evangelho para muitos outros. E não se sinta intimidado com as críticas. Porque elas virão. Mas lembre-se, maior é aquele que habita em você do que aquele que se põe contra você. Seje firme irmão. E que Deus te abençoe.

  4. Abraço, Leo. Continuo gostando de você e também continuo não concordando com tudo que você escreve. Ahá! A ida a Brasília foi mesmo inoportuna. Quero dizer uma coisa: Você já pensou se Deus fosse procurar algo para criticar em nós, sobraria alguma coisa? Assim também, não vejo muito sentido em usar o nome Púlpito Cristão só para descer a lenha. Alguém tinha que fazer o contraponto neste post. Fi-lo, mas só para "te" irritar, e aproveitar para dizer que eu amo você, Jomara e o Ravi. Quando passar por SAMPA, avisa-me, para comermos um arroz com feijão juntos.

    Irmão João Cruzué

    .

  5. É triste de ler um texto como esse, carregado de ódio, preconceito. Quando a religião fala mais alto. Que mal têm um pastor reunir pessoas para orar? Isso mão é bíblico? Creio que esse site que já foi muito útil ao Reino de Deus, porem, hoje precisa repensar em seus valores cristãos.

  6. João Cruzue,
    Realmente não há sentido algum em usar o nome Púlpito Cristão "só para descer a lenha". Ainda bem que nós não usamos só para isso, não é mesmo?
    Obrigado pelo contraponto. Passando por aí, aviso sim!
    Um abraço,
    Leonardo.

  7. Porque eu não posso pensar biblicamente???

    O redator do post acima refutou biblicamente o que se chama hoje de ato profético. Porque será que ninguém analisou esta parte? Sua interpretação do texto a respeito do ATO PROFÉTICO está equivocada?
    Vamos então FAZER ESSE ATO SÓ POR QUE FOI O PASTOR QUERIDO DE VCS QUE FEZ, ainda que não seja bíblico? Vamos lá, vamos analisar o texto!
    A questão não é se reunir para orar. A questão é chamar isso de uma coisa que não é bíblica.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui