O ESCÂNDALO DOS SEMI-IGREJADOS

19
809
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

semiPor Renato Vargens
Tenho conversado com alguns pastores que compartilham de uma preocupação relacionado a frequência dos membros de suas igrejas em seus cultos.
Na verdade, ouso afirmar que esse é um problema eminentemente OCIDENTAL que se manifesta em praticamente todas as Igrejas Brasileira.
Por acaso você já percebeu que existem inúmeros irmãos quem faltam dois, três cultos e aparecem esporadicamente? Pois é, complicado não é mesmo?
Confesso que ultimamente tenho pensado muito nisso tentando descobrir o que fazer para corrigir esse tipo de comportamento.
Bom, Kevin De Young, um jovem pastor americano escreveu um texto brilhante que acredito possa nos ajudar nessa reflexão. De Young chama esse grupo de irmãos de “SEMI-IGREJADOS”.
O texto foi traduzido por Josaías Junior e foi publicado pelo Reforma 21.
Vale a pena ler até o final!
Renato Vargens
___
“Este é um daqueles posts que queria escrever há algum tempo, mas não tinha certeza de como dizer o que acho que precisa ser dito. O perigo do legalismo e da falsa culpa é muito real. Mas, o perigo da desobediência e do autoengano também é.
Eu quero falar sobre os membros de igreja que frequentam sua igreja com grande irregularidade. Eles não são desigrejados, desviados ou sub-igrejados. Eles são semi-igrejados. Eles aparecem algumas vezes, mas não toda semana. Eles estão dentro e fora, estão ligados e desligados, um domingo aqui e dois sumidos. Este é o escândalo dos semi-igrejados. Na verdade, Thom Rainer defende que a razão principal para o declínio de comparecimento à igreja é que os membros não vão tanto à igreja quanto costumavam.
Nós temos cristãos que só aparecem no Natal e na Páscoa provavelmente desde que temos Natal e Páscoa. Algumas pessoas sempre serão intermitentes em relação à sua presença na igreja. Eu não estou falando sobre cristão nominais que aparecem na igreja uma ou duas vezes ao ano. Estou falando sobre pessoas que passam por todo o processo de fazer parte de uma igreja, não têm qualquer problema com a igreja, mas, ainda assim, só entram por suas portas uma ou duas vezes ao mês. Se há igrejas com róis de membro muito maiores que a frequência média de domingo, ou seus sub-pastores abandonaram suas obrigações, ou há membros infiéis em seu meio, ou os dois.
Eu sei que não vamos à igreja, nós somos a igreja (blá, blá, blá), mas ser preciosista com nosso vocabulário não muda a exortação de Hebreus 10.25: Não devemos deixar de congregar-nos, como é costume de alguns. Reunir-se a cada Dia do Senhor com a nossa família da igreja é um dos pilares do cristianismo maduro.
Então, faça a si mesmo algumas perguntas.
1. Você estabeleceu a presença na igreja como um hábito inviolável em sua família?
Sabe quando você acorda de manhã e pensa: “talvez eu dê uma corridinha hoje” ou “acho que vou fazer torradas esta manhã”? Não é assim que o comparecimento à igreja deveria ser. Não deveria ser uma proposição “se eu sentir vontade”. Eu sempre serei grato por meus pais tratarem a presença na igreja (de manhã e de noite) como um padrão inalterável. Não estava aberto a discussão. Não era baseado em circunstância extenuantes. Nunca foi um talvez. Nós íamos à igreja. Era isso que fazíamos. Isso tornava a decisão de todo domingo uma decisão simples, porque não havia realmente decisão. Exceto por doenças desesperadoras, nós sempre íamos. Dar à sua família o mesmo tipo de hábito é um dom que eles não apreciarão agora, mas normalmente te agradecerão depois.
2. Você planeja adiantado no sábado para que a igreja seja uma prioridade no domingo?
Todos nós somos ocupados; por isso, pode ser difícil ir para igreja, especialmente com uma casa cheia de crianças. Nunca aproveitaremos o máximo dos nossos domingos se não nos prepararmos para eles no sábado. Isso provavelmente significa terminar o dever de casa, ir para cama na hora e abdicar de um pouco do futebol. Se a igreja só é lembrada mais tarde, você não pensará nela até que seja muito tarde.
3. Você organiza seus planos de viagem de maneira a minimizar a ausência no domingo?
Eu não quero ser legalista com essa pergunta. Eu já viajei no domingo antes (embora tente evitar). Eu tiro férias e recesso para estudos, e perco 8 ou 9 domingos da minha igreja por ano. Eu entendo que vivemos em uma cultura móvel. Eu entendo que as pessoas querem visitar seus filhos e netos no final de semana (e como sou grato quando os nossos vêm e visitam). A época em que as pessoas estavam na cidade por 50 a 52 semanas por ano é passado. Viajar é muito fácil. Nossas famílias estão muito dispersas. Mas, escute: isso não significa que não podemos nos esforçar um pouco para estar por lá no domingo. Talvez você possa tirar a sexta para visitar as crianças e poder retornar na noite de sábado. Talvez você precise pensar duas vezes sobre investir numa chácara que te afastará da igreja por várias semanas durante o ano. Talvez você possa reavaliar sua suposição de que o período entre sexta à noite e domingo à noite é seu para fazer o que você quiser. É quase impossível crescer em amor por sua igreja e servir efetivamente na sua igreja se você está regularmente ausente.
4. Você está disposto a fazer sacrifícios para reunir-se com o povo de Deus para adorar a cada domingo?
“Mas você não espera que eu cancele meus planos para sábado à noite, certo? Sem chance de reorganizar minha agenda de trabalho. Este emprego exige que eu trabalhe todo domingo – eu teria que arrumar um novo emprego se quisesse estar regularmente na igreja. Domingos são meus dias de recarregar. Eu não cuidarei de tudo na casa se eu for para a igreja toda semana. Meus filhos não poderão jogar futebol se não formos nos jogos de domingo. Se eu tiver que terminar meu dever de casa antes do domingo, não poderei descansar na sexta à noite e o sábado todo. É claro que Deus não quer que eu sacrifique tanto só para poder aparecer na igreja!”. Não é exatamente o caminho da cruz, é?
5. Você já considerou que talvez você possa não ser um cristão?
Quem sabe quantas pessoas Deus salva “como pelo fogo” (1 Co 3.15)? Ir à igreja toda semana te torna um cristão? Absolutamente não. Perder 35 domingos por ano te torna um não-cristão? Isso já dá o que pensar. O povo de Deus ama estar com o povo de Deus. Eles amam cantar louvores. Eles amam comer à Mesa. Eles amam ser alimentados com a Escritura. Falta de frequência à igreja – ou seja, andar sem rumo – é, na melhor das hipóteses, sinal de imaturidade e, na pior, incredulidade. Sempre que Deus chama pessoas das trevas, ele as chama para a igreja. Se o culto de domingo é a comunidade dos redimidos, o que seu padrão semanal sugere a Deus sobre do que você realmente faz parte?”
Kevin De Young
***
Fonte: Blog do Rento Vargens.

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

19 COMENTÁRIOS

  1. Os pastores preocupam mais com a presença dos membros ao culto do que com a sua espiritualidade.

    É por isso que a "igreja" virou uma instituição falida.

  2. Olá irmão. É preocupante tal fato. O mesmo não acontece com os Adventista que se dirigem á igreja todos os sábados e são sempre lembrados em seus programas de TV, rádios e nos cultos normais.
    Precisamos que o Novo Testamento de torne cada vez mais vivo em nossos corações.
    Entender a Palavra de Deus como nunca antes.
    Abraços.
    Em Cristo!

  3. Embora eu acrescentaria o aspecto da "convocação", Deus chama o seu povo para o encontrá-lo e adorá-lo, mas o artigo realmente nos chama à clara responsabilidade das Escrituras quanto nosso dever de se juntar ao povo de Deus.

  4. Vocês são muito interessantes. Defendem a bíblia a todo custo e a trazem acima de qualquer coisa, por vezes acima até de Jesus.
    Com a bíblia criam doutrinas, fazem de relatos culturais verdades divinas, mas não tiram do coração, ou raro o fazer, respostas para suas perguntas.
    O que é a igreja para vocês?
    Autoridade pastoral sobre membros.
    Submissão de membros.
    Pregações que trazem muito mais visão pessoal que evangelho.
    Enquanto Jesus ensinava, você fazem sermões.
    Enquanto Jesus era pratico e fácil, vocês usam palavras que a grande maioria das pessoas não sabe seu significado.
    São muito ansiosos pela manutenção do templo.
    Seus cultos são frios e impositivos, sempre um grupinho tocando, depois pastor com suas anotações, pois o sermão é mental e não espiritual.
    Se não é assim, pode ser na base do "fogo vai descer" meus irmão, segura ai que hoje é só revelação, ou então o culto não passa de uma escola bíblica dominical que por vezes é bem melhor que o que vocês chamam de culto.
    Colocam a moral acima do amor, as regras acima do amor e suas posições acima do amor.
    Porque vocês não descem do elevado e deixam seu raciocino humano um pouco de lado e vem ensinar as pessoas, vem ouvi-las, abraça-las, responder a suas duvidas?
    Um textinho pra gente pensar com o coração.
    38 Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado onde certa mulher chamada Marta o recebeu em sua casa.

    39 Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo a sua palavra.

    40 Marta, porém, estava ocupada com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: "Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!"

    41 Respondeu o Senhor: "Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas;

    42 todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada".

  5. O problema é que o domingo virou "O Monte onde se deve Adorar", lá da mulher samaritana, virou a festa dos tabernáculos, onde a própria família de Jesus o indaga: "você não sobe à festa?" Não importa as motivações, não importa a maneira como você vive, esteja no domingo, é sagrado, é obrigatório, mesmo que não faça nenhum sentido estar lá, com a temperatura em 30º ir de terno, ou ter a classe dominical para jovens ás 8h da manha de domingo, com os cultos de sábado acabando a meia noite. Não estamos dispostos a pensar, foi assim, assim é, e assim sempre será,aqui não é a igreja/pessoas que decide celebrar a comunhão e cultuar a Deus biblicamente, mais a agenda religiosa é que da as ordens.

  6. O " problema " do semi ou do desigrejado talvez seja os que estão dentro da igreja, e não do Domingo "ocupado". Há muitos "donos" do templo, Caifazes modernos, prontos para dizer o que os outros devem fazer porque só ele sabe "tocar a obra de Deus", determinar idéias, opiniões e comportamentos. Existe muita cobrança por isso ou por aquilo. Você não veio na reunião ? Não participou do ensaio do coral ? Não se apresentou como voluntário no evento da igreja ?

    Igreja virou sinônimo de obrigação corporativa e não local onde pessoas são acolhidas, ouvidas, entendidas, amadas, integradas e importantes na composição sinérgica para o Ide, fazendo a vontade Deus, exalando o bom perfume de Cristo e sendo sal da terra e luz.

    Quantos, antes de agir, pensariam em " – O que faria Jesus no meu lugar ?" Muitos machucaram muitos, então o semi-desigrejado ou o desigrejado, talvez queiram manter certa distância,não de Deus ou de Jesus, mas de evitar a hipocrisia relacional de outros, ou de "pecar" dizendo amenidades e pensar nas verdades que gostaria de dizer.

    Crente é complicado, quando deve ser bíblico, não é.

  7. A questão é simples os semi-igrejados como estão dizendo são pessoas que buscam respostas junto a Deus e não ao homem que apenas sabe repetir o que está escrito na bíblia e viver e praticar é outra coisa se o próprio Deus disse não sobrará pedra sobre sobre pedra a igreja é o coração de cada um não me lembro de jesus e seus discípulos abrirem varias igrejas e exigir com imposição que os membros a sustentassem e na bíblia diz do trabalho de tuas mãos comerás e não do suor dos outros eu particularmente a um bom tempo tenho procurado um local para congregar mas tenho visto mais clubes sociais do que igrejas de cristo
    onde as pessoas são cristão so dentro da igreja vejo isso no meio de minha família se acham povo de Deus mas não tem uma palavra na boca que abençoe nem as pessoas da própria casa e depois quando as coisas dão errado a foi Deus que quis assim. servir a a Deus é com o coração e espirito fazem como Jesus ensinou não como as doutrinas que deixa o membro da igreja como se fosse patrimônio e gerador de lucro. é o que penso nesse momento e o que sinto no meu coração.

  8. Algumas perguntas aos pastores também:
    Voce já saiu com membros pela rua para ensiná-los a evangelizar.?Quantas vezes no ano?
    Voce já liderou um grupo de visita aos doentes da sua igreja,para ensinar aqueles que querem orar pelos enfermos?
    Voce já liderou um grupo de pessoas para ensinar a conduzir cultos nos lares dos membros?Quantas vezes no ano?
    Voce já levou sua igreja a contribuir com projetos sociais pessoalmente,ao invés de só dar dinheiro na sacola?
    Voce já levou pessoas aos hospitais para aprender a visitar e orar pelos enfermos e pregar a Salvação?
    Enfim,voce faz discípulos de Cristo?Ou só prega aos domingos e precisa de platéia?
    Depois pense nos semi-igrejados!

  9. Creio que o culto evangélico é extremamente chato, e por isso as pessoas acabam o evitando. Elas sentem ânsia de comunhão e de conhecer a Palavra de Deus, por isso às vezes ainda vão. Mas chegam lá e encontram a mesma pregação ruim, muitas vezes cheias de platitudes, às vezes cheias de "animação de auditório", às vezes cheias de "novidades" que só muito depois percebem que são desvios e falsidades.

    E o pior é que aqueles que criticam (inclusive os que deixam comentários aqui) criticam errado, não percebem o que realmente está errado. E o que está errado é que os pastores estudam o ensino de Jesus e de seus apóstolos fora do seu contexto. Estudam Jesus e os apóstolos como se eles fossem mestres gregos ou romanos, e por isso não entendem as palavras deles. A Igreja atual é em sua maior parte marcionita. Muitos não são marcionitas na cabeça, mas são marcionitas no coração. A igreja terá de deixar o seu marcionismo para entender Jesus e os apóstolos como JUDEUS que eram. Não para que nós nos tornemos judeus mas para que entendamos o ensino do JUDEU JESUS, e só depois de entender esse ensino JUDAICO, tenhamos conhecimento para compreende-lo universalmente, aplica-lo a goins como nós.

    Deus criou um povo, e dentro desse povo formou uma cultura, e dentro dessa cultura ensinou o evangelho. Uma pessoa que faz questão de não entender esse povo, essa cultura, esses debates dentro desse povo e dessa cultura, não entenderá o evangelho que é uma resposta às questões que o próprio Deus havia criado, dentre desse, povo e dessa cultura.

  10. Caro renato,só tem um probleminha:Não sei se é o seu caso,mas temos que ter cuidado para não nos tornarmos um simulacro de judeu.O próprio Jesus colocou o Evangelho acima da cultura judaica ou não.Só o fato D'ele impedir a sentença de morte que a lei prescreve para a prostituta já nos prova isto.Leis como comidas, dias santos,e até o ritual da páscoa foram abolidos como prática da piedade.São rudimentos,sombras de um conhecimento espiritual,que só foi dado depois da morte de Jesus,com a vinda do Espírito Santo.Nenhum ritual judaico pôde,e nunca poderá outorgar a bênção de Abraão(Salvação),muito menos a vã tentativa de cumprir a Lei.Afinal papel da Lei hoje,é ser testemunha da Divindade e Justiça de Cristo Jesus,O caminho,Verdade e Vida.A paz!!

  11. MATÉRIA INFELIZ.
    A IDEOLOGIA DO SECTARÍSTO PROSELITISTAL.
    A IMPORTANCIA GEOGRÁFICA DE ESTAR 'DENTRO' DA IGREJA DO HOMEM", TORNA-SE MAIS IMPORTANTE DO QUE SER PROPRIAMENTE A IGREJA DE CRISTO.
    O PROTESTANTISMO TRANSFORMOUI O CRISTIANISMO EM MAIS UMA IDEOLOGIA. O IMPORTANTE É A REPETIÇÃO DE VELHAS IDEIAS E CONCEITOS METÓDICOS, QUE LEVAM AO "CONVENCIMENTO" ATRAVÉS DE DOUTRINAÇÃO DE MASSA PELO ACOLHIMENTO DE ARGUMENTOS PRECONCEBIDOS.
    CRISTIANISMO NÃO É IDEIA, MAS VIVENCIA E PRÁTICA.
    ME REUNO TODOS OS DIAS COM O POVO DE DEUS NUM PROHJETO SOCIAL QUE CUIDO.
    ESTOU SEMPRE COM OS DESABRIGADOS, OS MISERÁVEIS, OS VICIADOS, AS PROSTITUTAS, OS PERDIDOS E OS INDESEJADOS SOCIAIS.
    ESSE É O POVO DE CRISTO, E FOI POR ELE, E POR TODOS NÓS QUE QUERENDO OU NÃO, ESTAMOS NAS MESMAS CONDIÇÕES DAQUELES, É QUE CRISTO VEIO.
    QUANTO AO ULTIMO PARÁGRAFO: SERÁ QUE VOCE QUE NÃO VAI A IGREJA É CRISTÃO? INVERTO O PARADIGMA: SERÁ QUE ESSAS IGREJAS QUE STÃO AI, VERDADEIRAMENTE, SÃO CRISTÃS?

  12. O problema é quando você faz o esforço para congregar querendo ouvir e aprender da palavra de Deus, e isso não acontece.Sei que não é exatamente isso que o post quer tratar, pois onde a palavra é pregada genuinamente talvez seja onde há menos presença dos membros.Não é atoa que as igrejas tradicionais tem apelado para campanhas, profetas e “me engana que eu gosto”, realizndo assim o fenômeno que citei acima.
    Morando em uma cidade pequena e sem opção, não há outra escolha a não ser desigrejar ou abraçar o “esquema” religioso e fingir que tá tudo bem.
    A paz.

  13. Cardoso

    Você se equivoca. Não defendo que os gentios sigam os ritos judaicos. Esse ritos foram criados para os judeus, não para os gentios, e isso foi bem estabelecido no concílio de Jerusalém. O que defendo é que os cristãos leiam a Bíblia dentro do contexto judaico. As palavras ensinadas por Jesus e seus apóstolos não foram tiradas da cartola, foram respostas a questões que haviam surgido dentro do contexto judaico. É péssimo estudar qualquer autor fora de seu contexto. Muito pior é estudar as palavras d'Aquele que é a verdade, e de seus emissários, sem atentar para o estado do debate. Ao conhecer o que se debatia na época, qual o significado que tinham as palavras, quais as linhas de pensamento das diversas escolas e grupos, quais as interpretações que já haviam sido propostas, as palavras de Jesus e de seus emissários não aparecem mais como que soltas no ar, mas respondem a fatos e interpretações da época, e o significado fica muito mais claro. Nota-se que os nosso pastores tem uma profunda dificuldade em relacionar as Escrituras dos Apóstolos (nosso Novo Testamento) com a Tanach e também com o que se havia estudado sobre a Tanach. Essa dificuldade intelectual de nossos pastores gera uma série de problemas:

    1. Muitas interpretações diferentes sobre os mesmos assuntos, geralmente incoerentes internamente, incoerentes dentro do NT, incoerentes com a Bíblia, incoerentes com a história.
    2. Uma tensão insuperável entre o AT e o NT, que faz muitos se tornarem marcionitas.
    3. A incoerência de suas respostas leva-os a darem respostas tão díspares e equivocadas aos do mundo, que estes não são convencidos do pecado e da fé.
    4. As tensões insuperáveis entre as muitas interpretações bíblicas leva à quebra de unidade dentro da Igreja. Falo aqui da unidade espiritual.
    5. Muitos mestres e pregadores, para não errar, passam a serem faladores de platitudes, e não alimentam as ovelhas com alimentos sólidos.
    6. Outros, aproveitando-se da falta de profundidade das ovelhas, fazem shows cheios de mentiras e sofismas.
    7. Outros ainda inventam novidades, interpretações as mais absurdas, que levam a ainda mais destruição.

    Concluo dizendo que, segundo me parece, o meu xará Renato Vargens centrou-se nos sintomas, mas não analisou profundamente as causas dos problemas.

    Li artigos aqui falando das heresias de Caio Fábio, Ricardo Gondim, Edir Macedo, etc. Esses falsos ensinadores são apenas sintoma. Se houvesse coerência, sabedoria e verdadeiro conhecimento espiritual nas ovelhas, elas jamais dariam ouvidos a tais ensinadores de erros.

  14. Amigo,não me equivoco porque não afirmei que voce faz isso.Eu disse "Não sei se é o seu caso".Faltou atenção para este detalhe,que condiciona todo o resto.Quanto ao contexto judaico da época,já vi argumentos afirmando exatamente o contrário do que Cristo ensinou,usando tais argumentos da Tanach e do Talmude.EX: a dieta alimentar.Quanto ao resto,as respostas se encontram nas cartas dos apóstolos,principalmente Paulo.Além disso alguns se prendem a costumes e crendices judaicas,há muito reprovadas como sombras da Aliança da morte;tornada obsoleta por Cristo.A carta aos Hebreus explica tudo,sem dúvida alguma. A paz.

  15. "Falida"? Onde que a igreja é uma instituição falida?!
    A Igreja era, é e sempre será a Casa de Oração dos que realmente adoram a Deus e se preocupam com sua espiritualidade. Pastor nenhum pode impedir o verdadeiro cristão de adorar a Deus. Pra mim, isso não passa de desculpas de quem está com problemas mas não quer admitir. Ou veste uma carapuça de crente mas já se afastou da Luz.

  16. Um dos piores argumentos aos semi-igrejados é o que diz que na igreja não há mais atividades interessantes, que o culto é muito monótono, que não ouvimos a voz dos bancos e blá, blá, blá… No NT a única preocupação dos apóstolos era ensinar a respeito da palavra de Deus. Não havia "gospel night", retiro disso ou daquilo. Eu creio que quando a pessoa se converte de verdade, que realmente toma da "Água da Vida", que come o "Pão da Vida", não precisa de subterfúgios para compartilhar da fé cristã ou frequentar uma igreja. O problema é que esquecemos o motivo de nos reunirmos aos domingos ou seja lá o dia que você vai a Igreja. Estamos ali para adorar o Deus verdadeiro e único! O Pai do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Mas ao invés disso, ficamos prestando atenção ao louvor desafinado, a roupa chamativa da irmã (irmão) e se o pregador fez seminário e fala fluentemente. Te desafio ao entrar na Igreja, a esquecer de você e dos outros e pensar só em Deus. Mesmo com o louvor desafinado, louve! Mesmo que o pregador não tenha um doutorado ou seja eloquente (contanto que não pregue nenhuma heresia), preste atenção na mensagem. Tente não se distrair com conversas tolas ou se levantar por motivos fúteis. Adore ao Pai das Luzes! Preste uma adoração Àquele que é digno de receber! Cultue ao Deus dos céus e da terra! E te garanto que você sentirá seu fôlego correndo dentro de ti e o Espírito Santo te revigorando. Graça e paz!

  17. Outro argumento incoerente é dizer que a igreja agora é muito institucionalizada, diferente da época dos apóstolos. Mentira! Que a igreja de hoje tem muita gente hipócrita, diferente dos tempos dos apóstolos. Mentira! Pra quem realmente conhece a bíblia, saberá identificar que a igreja de hoje tem os mesmo problemas da igreja do tempo dos apóstolos: falsidade, mentira, adultério, egoísmo, religiosos… mas também muita gente que vai prestar uma adoração sincera, que ama o próximo, é generoso e está sempre pronto a ajudar. Se prender a erros não irá te justificar no grande dia. Cada um dará conta de si mesmo, então, para de prestar atenção na vida dos outros e de justificar suas falhas nas falhas dos outros. Sempre existiu igreja e ela sempre existirá enquanto houver um cristão nessa terra! Então, deixe de bobagem e vá adorar a Deus em uma igreja, congregação, casa de oração ou seja lá como você se refere a assembléia dos santos. Deus te abençoe!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui