Existem apóstolos nos dias de hoje? – Renato Vargens

11
244
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

ReformaAgoraTrecho do livro “Reforma Agora – o antídoto para a confusão evangélica no Brasil”, lançamento de setembro da Editora Fiel. Cadastre seu e-mail até o dia 13 de setembro e receba o link para o desconto de 50%. Faça parte da Comunidade Fiel! (Promoção válida até o dia 13/09).

Cadastre-se para receber o Informativo

Nunca se viu tantos apóstolos como neste início de século. Em cada canto, esquina e cidade encontramos alguém reivindicando o direito de ser chamado apóstolo.

Assine o Blesss

Entendendo o movimento de restauração e o movimento apostólico:

O chamado movimento de restauração defende a tese de que Deus está restaurando a igreja. Para estes, após a morte dos primeiros apóstolos, a igreja de Cristo paulatinamente experimentou um processo de declínio espiritual culminando com a apostasia vivenciada pelos seus adeptos no período da idade média.
Com o advento da Reforma Protestante, os defensores desta teologia afirmam que Deus começou a restaurar a saúde da igreja. Segundo estes, Lutero foi responsável pela redescoberta da salvação pela graça, e agora no século XXI, estamos vivendo a restauração do ministério apostólico. Os teólogos desta linha de pensamento afirmam que a restauração dos apóstolos é uma das últimas coisas a serem feitas pelo Senhor, antes de sua vinda. Para os adeptos desta linha de pensamento, os apóstolos de hoje possuem, em alguns casos, maior autoridade do que os apóstolos do primeiro século, até porque, para os defensores desta corrente teológica a glória da segunda casa será maior do que a primeira.
Para estes o ministério apostólico não acabou. Na verdade, tais teólogos advogam que o ministério apostólico é perpétuo e que o livro de Atos ainda continua a ser escrito por santos homens de Deus, os quais, mediante a sua autoridade apostólica, agem em nome do Senhor.
Este movimento tem suas semelhanças com o surgimento dos mórmons e a Igreja dos Santos dos Últimos Dias, que ensina que o corpo de escritos inspirados por Deus não se fechou e que Deus tem muita coisa nova para dizer e para revelar aos seus santos através de seus apóstolos.
Infelizmente, assim como os mórmons, os adeptos do movimento apostólico consideram a Bíblia uma fonte importante, mas não única para a fé. Para os apóstolos deste tempo, Deus, através de seus profetas, pode revelar coisas novas, ainda que isso se contraponha a sua Palavra. Basta olharmos para as doutrinas hodiernas que chegaremos à conclusão que os apóstolos do século XXI, acreditam que suas revelações são absolutamente diretivas, normativas e inquestionáveis.

Segundo a bíblia quais deveriam ser as credenciais de um apóstolo?

1. O apóstolo teria de ser testemunha do Senhor ressurreto. Em Atos vemos os apóstolos reunidos no cenáculo, conversando sobre quem substituiria Judas. Em Atos 1.21-22 lemos: “É necessário pois, que, dos homens que nos acompanham todo o tempo que o Senhor Jesus andou entre nós, começando no batismo de João, até ao dia em que dentre vós foi levado às alturas, um destes se torne testemunha conosco da sua ressurreição”. Paulo diz que viu Jesus ressurreto: “Não sou, porventura livre? Não sou apóstolo? Não vi a Jesus, Nosso Senhor?” (1Co 9.1)
2. O apóstolo tinha de ter um chamado especial da parte de Cristo para exercer este ministério. As Escrituras são absolutamente claras em nos mostrar que os apóstolos, incluindo Paulo, foram chamados por Cristo (Mt 10.2-4; Gl 1.11-24).
3. O apóstolo era alguém a quem foi dada autoridade para operar milagres. Isso fica bem claro em 2Coríntios 12.12: “Pois as credenciais do meu apostolado foram manifestadas no meio de vós com toda a persistência, por sinais prodígios e poderes miraculosos”. Era como se ele dissesse: “Como vocês podem questionar meu ofício de apóstolo, se as minhas credenciais foram apresentadas claramente entre vós”. Sinais, milagres e prodígios maravilhosos.
4. O apóstolo tinha autoridade para ensinar e definir a doutrina firmando as pessoas na verdade.
5. Os apóstolos tiveram autoridade para estabelecer a ordem nas igrejas. Nomeavam os presbíteros, decidiam questões disciplinares e questões doutrinárias, e falavam com autoridade do próprio Jesus.
Será que diante destas questões os “apóstolos” da modernidade podem de fato reivindicar o título de apóstolo de Cristo? Por acaso, algum deles viu o Senhor ressurreto?
Foram eles comissionados por Cristo a exercerem o ministério apostólico? Quantos dos apóstolos brasileiros ressuscitaram mortos? E suas doutrinas? Possuem elas autoridade para se contraporem aos ensinamentos bíblicos?
Pois é, infelizmente os “apóstolos” do nosso tempo não possuem respostas a estas perguntas.
O posicionamento da ortodoxia evangélica entende que o ministério apostólico cessou com a morte dos apóstolos no primeiro século. Sem a menor sombra de dúvidas, considero a utilização do título “apóstolo” por parte dos pastores como uma apropriação indevida de um ministério, o qual não existe mais nos moldes que vemos no Novo Testamento.
Por: Renato Vargens
Trecho do livro “Reforma Agora – o antídoto para a confusão evangélica no Brasil”, lançamento da Editora Fiel para o mês de setembro.
***

Fonte: Voltemos.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

11 COMENTÁRIOS

  1. HOJE as pessoas esta dentro das igreja em busca de titulo e não estão, preocupada, com as ovelhas e sim com $$ titulo não vai levar a nada se não seguir a Palavra. de Deus

  2. Se então somente se, aparecer alguém com as credenciais de Paulo, ou parte dela, ai sim eim! Este poderá ser chamado de Apostolo, sem tais, quem reclama este titulo, reclama por vaidade e deveras, ter eloquência na pregação não é credencial para ninguém, pois bem treinada até uma criança prega.
    O Texto é consistente, mas finaliza como se o autor foce dono da verdade absoluta.

  3. É desanimador a forma como entendemos Deus aqui da terra.
    Quem viaja de avião já pôde ver acima das nuvens. É uma visão infinita e sem "paredes". Somos pequenos demais para entender muita coisa.
    A reforma de Lutero pressupôs a libertação de um jugo politico-religioso de um Estado monárquico e opressor, que habitava o poder através da religião e ainda o representa assim (poderoso) através da igreja católica em muitos aspectos, porém por herança e muito menos por prática explicita.
    Lutero nem ninguém reinventou o evangelho, cristãos não passaram a ser cristão por causa dele, enganadores não deixaram de ser enganadores por causa dele, nem a religião deixou de ser Estado e poder por causa dele.
    Protestantes foram, da opressão que impedia o pleno exercício dos ensinos e o direito a liberdade e direcionamento livre da Fé.
    A reforma pressupôs também a guerra, o confronto, como consequência de toda ação modificadora desse porte.
    Em estados de direito isso tudo não existe. Em estados constitucionais de liberdade isso tudo não existe. Não se pode pregar regras nas portas das igrejas mais, nem corremos o risco de ter nossos pescoços cortados por declaramos nossa fé em Cristo e tão somente nele. Não podemos destituir "autoridades" religiosas, representantes de suas congregações seja ela grande ou pequena porque assim deve ser.
    No entanto há certa similaridade no tempo de hoje com aquele tempo de reforma, ou seja, os acadêmicos. Se observarmos o núcleo das criticas que o sistema religioso cristão promove, veremos que grande parte vem do meio acadêmico teológico, até porque o pastoreio cristão está e cada dia mais intelectualizado e internado nos cursos de formação superior, contraditório, pois onde se mais estuda as escrituras é justamente de onde mais sai gente herética.
    A teologia acadêmica pode se tornar circulo vicioso de conjecturas e ideias pouco produtivas, e não digo isso para o senhor Vargens, mas para o sistema como um todo.
    Os profetas, Jesus e os Apóstolos, combateram tudo que está ai para ser combatido desde sempre e sofreram por isso. Antes de bater em tecla de reforma, ideia tecnicamente sem o menos fundamento no século 21, seria melhor só e tão somente para começar, a simples coragem de anunciar a verdade a quem tem ouvidos para ouvi-la.

  4. Graça e paz a todos. Pessoalmente acredito que este titulo de apóstolos foge do proposito original, que é ser um enviado para cumprir um proposito no reino de Deus. e sou totalmente contra o status que estes supostos apóstolos tentam obter.

    Para mim apostolo é todo aquele que é enviado para uma missão, seja abrir uma igreja, administrar várias igrejas etc… Podemos ver isto bem claro quando o Senhor enviou os doze com os setenta e quando voltaram se tornaram apóstolos.

    Discordo do autor do artigo quando ele diz que não existe mais apóstolos, pois, o próprio apóstolo Paulo nos deixa em Efésios 04: 11 a base para que se edifique uma igreja com os cinco ministérios, onde esta incluído o função de apóstolo.

    Porem devemos deixar claro que ser apóstolo não um titulo para se ter vantagens, posição social, porque acima de tudo na tradução original apostolo é um enviado, e acredito que muitos destes "apóstolos" de plantão nunca foram enviados a lugar nenhum,por isso se torna questionável estas credenciais.

    Sou Pastor Uilton Gomes bacharel em teologia e mestre e esta é minha opinião.

  5. Paz do Senhor meus irmãos!
    Em Apocalipse 21:14 está escrito: "O muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles estavam os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro". Copiei o versículo apenas para enfatizar que sao apenas 12 apóstolos que existem, existiram e encontraremos com eles na eternidade. Entendo que qualquer um que se auto proclama apostolo hoje pelo menos nao leu a descrição de onde pretende morar na eternidade! Imaginem só, se chegar lá 13 apóstolos, 1 fica de fora nao é? Espero que isso possa ajudar para esclarecer um pouco como o ministério apostólico hoje é um absurdo!
    Deus abençoe a todos!

  6. Pastor paz do Senhor! Em apocalipse 21:14 está claro que há apenas 12 apóstolos. Qualquer pessoa que apresente sinais e etc. hoje, nao é apóstolo, ja que os doze sabemos o nome deles, inclusive do substituto de Judas que os onze apóstolos elegeram Matias, porém Deus escolheu Paulo, sendo o ultimo que assume o ministério apostólico.
    Deus abencoe!
    Jefferson

  7. Apóstolos já estão na eternidade, esses que ai estão são lobos em peles de cordeiros, são chupins do dinheiro dos membros, praticam orgias com obreiras, casam com diversas esposas, são empresários e macumbeiros gospel, não tem parte com Deus.

  8. o autor desse comentario esta certissimo,,,pois nao existe apóstolos e muito menos o titulo de pastor ,,o que existe é o dom de pastor mas apostolo nao existe,,,e todos os que se dizem apostolos sao falsos profetas e anti cristos ,,pois p´regam contrario aos ensinamentos de JESUS CRISTO

  9. uitom ,,,ninguem nesta tem chamado de apostolo,e nem tampouco pastor,,o que DEUS deu aos homens foi o DOM e nao o titulo,,pois é muito facil dizer que é pastor fazendo um cursinho de teologia e sair por ai pregando sem ter recebido o dom de DEUS,,,pastor so tem um ,,o nosso senhor e salvador JESUS CRISTO,,os outros sao mercenarios(trabalham por dinheiro) e quem se diz ser pastor e quer ser salvo ,,seja OVELHA do verdadeiro pastor..

  10. A paz amados gostei muito das postagens porém gostaria de perguntar uma coisa eu li em um dos comentários que está escrito no livro do apocalipse que são doze os apóstolos correto? Porém temos um problema, onde fica Matias nesta história ou Paulo temos um problema aí amados pois Matias foi escolhido, e Paulo também!! E agora???? Sabe concordo plenamente que o apostolado como o pastor hoje não são títulos e sim dons!! Mais vamos rever nossas conceitos teológicos para não pecar contra o Espírito Santo pois a Bíblia diz que o Espírito Santo é que faz estas coisas ok abraços amados!!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui