A Máquina do tempo e a visita de uma "cantora gospel" brasileira ao Tabernáculo Metropolitano de Spurgeon

7
502
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

maquina do tempoPor Renato Vargens
Não é que a máquina do tempo voltou a funcionar?
Pois é, uma famosa “cantora gospel” brasileira entrou na Máquina do tempo e aportou em Londres no ano de 1870.
Na ocasião ela foi recebida por Charles Spurgeon, o pastor Batista do Tabernáculo Metropolitano.
Spurgeon, muito educadamente lhe disse: – Seja bem vinda amada irmã. Estamos felizes com a sua visita. Particularmente possuo alguns amigos que servem ao Senhor na área da música, dentre estes posso destacar Sankey, que é compositor de grande qualidade.
A cantora gospel tupiniquim respondeu dizendo: – Que bênção pastor! Preciso conhece-lo. Ele está debaixo da cobertura de que apóstolo?
Spurgeon sem entender o que a cantora brasileira estava a dizer perguntou: – Como assim? Apostolo? Com o senso de humor que lhe era peculiar, o pregador inglês completou: -Por acaso ele viu a Jesus?
– Claro que não, replicou a cantora.
– Voltando ao cantor, qual é o nome dele mesmo, perguntou a brasileira. -Sankey, respondeu Spurgeon.
Isso mesmo, Sankey, agora, por favor me tire uma dúvida: Quanto ele cobra para cantar? Qual é o valor do seu cachê?
Perplexo com a pergunta Spurgeon respondeu: – Cachê? Ele não cobra nada!
-Que absurdo! Replicou a cantora! –Será que ele não entende que tudo aquilo que Jesus conquistou na Cruz é direito nosso, é nossa herança? Ele precisa conversar com o meu apostolo, até porque, pelo que vejo somente desta forma, ele entenderá a visão.
– Outra coisa, continuou a cantora não permitindo com que Spurgeon falasse.
– O fã clube dele é grande?
-Fã o que? respondeu Spurgeon.
– Fã clube, ora bolas. Vai me dizer que você não sabe o que é isso? Eita pastorzinho burro, pensou a cantora gospel.
– Fã clube é a junção de inúmeras pessoas que idolatram, (ops,) respeitam seus artistas preferidos.
-Como é que é? Respondeu o pastor. Artistas?
– Claro que sim. Artistas! Nós somos artistas gospel. Deus nos chamou para aliviar a carga dos crentes. A vida deles é muito difícil, eles precisam de alegria, além é claro de bom entretenimento. Outra coisa: Nossa música é tão boa que o povo nem sente falta da pregação da Palavra. Poderoso isso não é verdade?
Spurgeon, continuou a cantora, o senhor precisa conhecer nossas baladas gospel. Como é bom ver os jovens dançando nossas músicas e festejando as bênçãos do Senhor. uhhhuuu!
Spurgeon, triste com o que ouviu e percebendo que o evangelho anunciado pela cantora afrontava as verdades ensinadas pelas Escrituras disse: Senhora: O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir a igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganha-las para Cristo
Deixa de ser careta Spurgeon. Pare com esse papo conservador e fundamentalista. Aliás, sabe de uma coisa? Eu vou embora! Não dá pra conversar com pessoas tão ultrapassadas e chatas como você, mesmo porque, tempo é dinheiro, e eu preciso ganhar o meu fazendo shows gospel no Brasil.

Sem se despedir a cantora entrou na máquina do tempo e voltou para os braços dos seus fãs no Brasil.

Assine o Blesss

***

Fonte: Blog do Renato Vargens. Divulgação: Púlpito Cristão.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

7 COMENTÁRIOS

  1. Pagaria em parte cantando. Como artista, musico ou cantor. Não vejo nada demais ser cantor pura e simplesmente.
    Só que o meio artístico mexe muito com os princípios de uma vida mais centrada no espiritual, pois sucesso representa falta de liberdade, bombardeio no ego, vaidade e habito pelo glamour. Mesmo que se resista a se evite, o sucesso na medida que aumenta agrega tudo isso e muito mais. Por isso o gospel tem causado grandes problemas para as pessoas e trás tantas atitudes com meias verdades ou justificativas pouco válidas na pratica.
    Muito complexo. Qual vale mais, um homem que passa a madrugada compondo na mesa de um bar ou um gospel empacotado cheio de aparências? Acho que nenhum dos dois apesar de ser possível ver mais sinceridade no coração do primeiro. Como bom senso e moderação sempre são aconselháveis, eu acredito que se a situação não for muito bem resolvida e conduzida, pessoas do meio cristão não deveria fazer de sua atividade artística sua atividade principal.
    Gosto de musico cristã que produz reflexão, mas o que está ai na sua grande maioria é estrutura e resultados seculares distorcendo a doutrina e conceitos que não deveriam ser negociados.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui