Pastor pede que Dilma respeite os evangélicos: “Não somos gado”

5
326
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

geremias_vinacc1A polêmica sobre a participação de 16 cantoras e pastoras numa reunião de oração com a presidente continua. Geremias do Couto também comentou o assunto em seu blog. Num post intitulado “Não somos gado, Dilma Rousseff”. Além de ser pastor pela Assembleia de Deus também é, escritor, jornalista e conferencista. O tom de seu texto é pastoral, sem ignorar as questões politicas envolvidas no culto de oração realizado no Palácio do Planalto.
O pastor lembra que Dilma tem aberto seu gabinete para ouvir diversos grupos numa clara tentativa de minimizar os protestos que tomaram as ruas do país pedindo mais transparência por parte do governo.
O ponto de discórdia, segundo ele, é quando uma pessoa ou grupo de pessoas passa a ser identificado como “representante dos evangélicos”. Afinal “não temos nenhuma voz institucional com procuração para falar em nosso nome. Cada grupo fala, no máximo, representando o próprio grupo. Somos diversificados e as nossas lideranças não são ainda capazes de estar unidas em questões dessa monta”, argumenta.
A expectativa de Geremias, como certamente a da maioria dos lideres evangélicos, é que se aproveitasse a oportunidade para o que chamou de “exercício da voz profética”. Ou seja, segundo as informações da imprensa, o que ocorreu lá foram músicas, orações e palavras de apoio à Dilma. Segundo se sabe, não havia uma agenda, foi meramente uma visita amigável.
Na mesma linha de Silas Malafaia, concordou que se aproveitasse a oportunidade para a oração, mas Geremias parece se identificar mais com Marco Feliciano, pois classificou como “negligência” o fato de as cantoras e pastoras não quiseram “discutir uma pauta definida que contemple os anseios da população e confronte os erros do governante com suas medidas injustas, opressivas e destruidoras dos valores que sustentam a sociedade”.
Por isso, classificou o evento como “uma estratégia eleitoral para engabelar os cristãos”, mas o pastor não acredita que a presidente deve olhar para os evangélicos como “mero curral eleitoral”, mas sim como “voz profética que tem muito a oferecer para a construção de um país mais justo e mais próspero”.
Ele lamentou a oportunidade perdida e lembrou que no passado muitos evangélicos que eram homens públicos fizeram grande diferença na sociedade em seu tempo, como Abraham Kuyper (primeiro-ministro holandês), William Wilberforce (político que conseguiu proibir a escravidão no Reino Unido) e, no Brasil, o caso de Guaracy Silveira.
A frustração do pastor Geremias, exposta em suas palavras, parece ser a mesma de muitos pastores que mostraram sobretudo nas redes sociais que gostariam que algo de concreto tivesse saído dessa reunião e não apenas uma sucessão de afagos mútuos entre lideres políticos e lideres religiosos.
***
Fonte: Gospel Prime. Divulgação: Púlpito Cristão.

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

5 COMENTÁRIOS

  1. Uma das convidadas foi a apóstola Valnicie Milhomem, não sei o que ela foi fazer lá e se foi o que fez e falou,será que ele amarelou e não "profetizou"? Com sal e com pimenta Tito from Brasília.

  2. Perfeito Pastor Geremias do Couto.A Presença daquelas moças diante da Dilma,foi algo extremamente comercial.Deveriam ter levado Cds e Dvds para vender lá no Planalto.Foram lá desfilar suas roupas e bolsas de grife.Socorrer a "Náufraga Dilma"

    O que está me encafifando é o Silencio do Silas Malafaia neste episodio.

  3. nao adianta chorar, o proprio marcos felciano disse que foi chamado e nao foi.
    se for chamar por representaçoes evangelicas. vao ter 24 reunioes por dia.
    e agora fazer o que?

  4. O povo que faz parte da nação governada por Deus só tem um representante Jesus Cristo e cada um que busque sabedoria vinda do Espírito de Deus para agir da melhor maneira possível para não envergonhar e não ser vergonha.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui