Avaliando com a Bíblia a visita e pronunciamentos do Papa Francisco

30
583
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Por Solano Portela
Nota: Sermão pregado na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro em 28.07.2013, baseado em um texto meu anteriormente postado no BLOG, atualizado para o contexto da visita do Papa ao Brasil, no final de julho de 2013.
Leitura: Mateus 9.35-38
E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades. Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor. E, então, se dirigiu a seus discípulos: A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.
Introdução:
Certamente temos visto multidões, idosos e jovens, enfrentando a chuva, a lama, o frio, a ausência de transporte, a insegurança das cidades, para ver o Papa em sua visita ao Brasil, que começou na segunda-feira, 22.07.2013, e se estende até o último domingo do mês. A mídia tem divulgado a visita com tanta intensidade, que se você estava neste planeta, nestas últimas semanas, não pode ter ignorado a presença do Papa no Brasil. Por exemplo, a revista semanal de maior circulação e repercussão (VEJA) trouxe reportagens de capa sobre o acontecimento em duas semanas seguidas. Como avaliar a pessoa do Papa, a sua visita e os seus pronunciamentos? Como entender as expressões de fé e devoção encontradas nos olhares das multidões? O texto de Mateus 9.35-38 fala de multidões às quais não faltava religiosidade! Ao lado da curiosidade, havia devoção, ensino dogmático, religião, mas eram ovelhas “que não tinham pastor”! A sinceridade, mesmo presente, não era passaporte para a verdade! E o pastor de que se fala no texto, é um só – Cristo Jesus, fora do qual não há salvação. Quem é o Papa atual?
O cardeal argentino, Jorge Mario Bergoglio foi escolhido Papa (e assumiu o nome de Francisco) em um dia considerado por muitos “cabalístico” (13.03.13). Havia uma expectativa em muitas pessoas e na mídia de que o novo líder da Igreja Católica fosse um Papa “progressista”. Estes se espantaram com a sua posição em relação à união de gays; à questão do homossexualismo, que hoje em dia é propagada como “apenas” uma opção sexual; e sobre o aborto. Ele é contra, ponto final! Alguns católicos se espantaram porque ele não colocou, de início, o envolvimento social como prioridade máxima da Igreja. Em vez disso, contrariou a mensagem que tem soado renitentemente ao longo das quatro últimas décadas, especialmente em terras brasileiras, proclamada pelos politizados “teólogos da libertação”, ou da natimorta “teologia pública”. Ele aparentou priorizar as questões espirituais!
Desde o início do seu “Papado” certas declarações chamaram a atenção, também, dos evangélicos. Por exemplo, ele disse que a missão da Igreja é difundir a mensagem de Jesus Cristo pelo mundo. Na realidade, ele foi mais enfático ainda e afirmou que se esse não for o foco principal, a Instituição da Igreja Católica Romana tende a se transformar em uma “ONG beneficente”, mas sem relevância maior à saúde espiritual das pessoas! Depois, o viés mudou um pouco, especialmente nesta visita ao Brasil. A ênfase passou para uma postura de vida ascética e humilde, demonstrando uma frugalidade que, em uma era de opulência, corrupção, apropriação de valores alheios e desprezo pelos valores reais da vida, também soa saudável e pertinente!
Ei! Disseram alguns evangélicos – essa é a nossa mensagem!!
Bom, não seria a primeira vez na história que um prelado católico reconhece que a Igreja tem estado equivocada em seus caminhos e mensagem. Já houve um monge agostiniano que, estudando a Bíblia, verificou que tinha que retornar às bases das Escrituras e reavivar a missão da igreja na proclamação do evangelho, libertando-a de penduricalhos humanos absorvidos através de séculos de tradição. Estes possuíam apenas características místicas, mas nenhuma contribuição espiritual e de vida que fosse real às pessoas. Assim foi disparado o movimento que ficou conhecido na história como a Reforma do Século 16, com as mensagens, escritos e ações de Martinho Lutero, em 1517. Lutero foi seguido por muitos outros reformadores, que se apegaram à Bíblia como regra de fé e prática.
Será que estamos testemunhando uma “segunda reforma” dentro da Igreja Católica? Se algumas dessas declarações do Papa Francisco forem levadas a sério, por ele próprio e por seus seguidores, vai ser uma revolução. Mas é importante lembrar, entretanto, que proclamar a mensagem de Jesus Cristo é algo bem abrangente e sério. Existem implicações definidas e explícitas nessa frase. E a questão que não quer calar é: será que a Igreja Católica está disposta a se definir com coragem em pelo menos nessas cinco áreas cruciais? Examinemos uma a uma.
1. AS ESCRITURAS: Rejeitar apêndices aos livros inspirados das Escrituras. Ou seja, assumir lealdade apenas às Escrituras Sagradas, rejeitando os chamados livros apócrifos. Proclamar as palavras de Jesus, nesta área, é aceitar tão somente o que ele aceitou. Em Lucas 24.44, Jesus referiu-se às Escrituras disponíveis antes dos livros do Novo Testamento, como “A Lei de Moisés, Os Profetas e Os Salmos” – essa era exatamente a forma da época de se referir às Escrituras que formam o Antigo Testamento, em três divisões específicas (Pentateuco, livros históricos e proféticos e livros poéticos) compreendendo, no total, 39 livros. Representam os livros inspirados aceitos até hoje pelo cristianismo histórico, abraçado pelos evangélicos, bem como pelos Judeus de então e da atualidade. Ou seja, nenhuma menção ou aceitação dos livros apócrifos, não inspirados, que foram inseridos 400 anos depois de Cristo, quando Jerônimo editou a tradução em Latim da Bíblia – a Vulgata Latina[1]. Evangélicos e católicos concordam quanto aos 27 livros do Novo Testamento, mas essas adições à Palavra são responsáveis pela introdução de diversas doutrinas estranhas, que nunca foram ensinadas ou abraçadas por Jesus e pelos apóstolos. Além disso, na Igreja Católica, a própria TRADIÇÃO tem força normativa igual à Bíblia. Proclamar a palavra de Jesus ao mundo começa com a aceitação das Escrituras do Antigo e Novo Testamento, e elas somente, como fonte de conhecimento religioso e regra de fé e prática. Se não nos atemos a conhecer as Escrituras verdadeiras, caímos em erro, como alerta Jesus a alguns religiosos do seu tempo, que apesar de citarem as Escrituras, se apegavam mais às tradições do que à Palavra de Deus: “Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?” (Marcos 12.24). O livro do Apocalipse, no final da Bíblia, traz palavras duras tanto para subtrações como para ADIÇÕES às Escrituras: (22.18) “Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; (22.19) e, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro”.
2. A MEDIAÇÃO COM DEUS: Rejeitar a mediação de qualquer outro (ou outra) entre Deus e as Pessoas, que não seja o próprio Cristo. Não acatar a mediação de Maria, e muito menos a designação dela como co-redentora, lembrando que o ensino da palavra é o de que “há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (1 Timóteo 2.5). Na realidade, a Igreja precisa obedecer até à própria Maria, que ensinou: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (João 2.5); e Ele nos diz: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao pai, senão por mim” (João 14.6). Foi um momento revelador da dificuldade que o Papa tem na aderência a essa mensagem da Bíblia, observar sua homilia pública (angelus) de 17.03.2013. Após falar várias coisas importantes e bíblicas sobre perdão e misericórdia divina, finalizou dizendo: “procuremos a intercessão de Maria”… Ouvimos as próprias palavras do Papa: “No dia seguinte à minha eleição como Bispo de Roma fui visitar a Basílica de Santa Maria Maior, para confiar a Nossa Senhora o meu ministério de Sucessor de Pedro”.[2] Em Aparecida, nesta visita ao Brasil, ele também disse: “Hoje, eu quis vir aqui para suplicar à Maria, nossa Mãe, o bom êxito da Jornada Mundial da Juventude e colocar aos seus pés a vida do povo latino-americano”. “Que Deus os abençoe e Nossa Senhora Aparecida cuide de você”. Não é assim que irá proclamar a palavra de Jesus ao mundo, pois precisa apresentá-lo como único e exclusivo mediador; nosso advogado; aquele que pleiteia e defende a nossa causa perante o tribunal divino. Para o Papa, “a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria”, mas o Povo de Deus sabe, que a igreja verdadeira segue a vontade de Deus, expressa em Sua Palavra.
3. O CULTO ÀS IMAGENS: Rejeitar as imagens e o panteão de santos composto por vários personagens que também são alvo de adoração e devoção devidas somente a Cristo. Essa característica da Igreja Católica está relacionada com a utilização de imagens de escultura, como objeto de adoração e veneração; e também precisaria ser rejeitada.[3] Ela contraria o segundo mandamento e desvia os olhos dos fiéis daquele que é o “autor e consumador da fé – Jesus” (Hebreus 12.2). Proclamar a palavra de Jesus ao mundo significa abandonar a prática espúria e humana da canonização de mortais comuns, pecadores como eu e você, em complexos, mas inúteis processos eclesiásticos, que não têm o poder de aferir ou atribuir poderes especiais a esses santos. Proclamar a mensagem de Jesus, seria abandonar a adoração e devoção à “Nossa Senhora Aparecida” e a tantas outras “Nossas Senhoras” e ídolos que integram a religião Católico-Romana. Vejam o que nos diz a Bíblia:
Salmo: 115.3 No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada. 115.4 Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens. 115.5 Têm boca e não falam; têm olhos e não vêem; 115.6 têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram. 115.7 Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta. 115.8 Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e quantos neles confiam. 115.9 Israel confia no SENHOR; ele é o seu amparo e o seu escudo.
Habacuque: 2.18 Que aproveita o ídolo, visto que o seu artífice o esculpiu? E a imagem de fundição, mestra de mentiras, para que o artífice confie na obra, fazendo ídolos mudos?
Jeremias: 10.3 Porque os costumes dos povos são vaidade; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado; 10.4 com prata e ouro o enfeitam, com pregos e martelos o fixam, para que não oscile. 10.5 Os ídolos são como um espantalho em pepinal e não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, e não está neles o fazer o bem.
4. O DESTINO DAS PESSOAS: Rejeitar o ensino de que existe um estado pós-morte que proporciona uma “segunda chance” às pessoas. A doutrina do purgatório não tem base bíblica e surgiu exatamente dos livros conhecidos como apócrifos (em 2 Macabeus 12.45), sendo formalizada apenas nos Concílios de Lyon e Florença, em 1439. Mas Jesus e a Bíblia ensinam que existem apenas dois destinos que esperam as pessoas, após a morte: Estar na glória com o Criador – salvos pela graça infinita de Deus (Lucas 23.43 – “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” – e Atos 15.11 – “fomos salvos pela graça do Senhor Jesus”), ou na morte eterna (Mateus 23.33 – “Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?”), como consequência dos nossos próprios pecados. Proclamar a palavra de Jesus ao mundo é alertar as pessoas sobre a inevitabilidade da morte eterna, pregando o evangelho do arrependimento e a boa nova da salvação através de Cristo, sem iludir os fiéis com falsos destinos.
5. AS REZAS: Rejeitar os “mantras” religiosos, que são proferidos como se tivessem validade intrínseca, como fortalecimento progressivo pela repetibilidade. É o próprio Jesus que nos ensinou, em Mateus 6.7: “… orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos”. É simplesmente incrível como a ficha não tem caído na Igreja Católica, ao longo dos séculos e, mesmo com uma declaração tão clara contra as repetições, da parte de Cristo, as rezas, rosários, novenas, sinais da cruz etc. são promovidos e apresentados como sinais de espiritualidade ou motivadores de ação divina àqueles que os repetem. Proclamar a palavra de Jesus ao mundo é dirigir-se ao Pai como ele ensina, em nome do próprio Jesus, no poder do Espírito Santo, abrindo o nosso coração perante o trono de graça (Filipenses 4.6: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças”).
Conclusão:
Assim, enquanto acompanhamos a visita, é verdade que podemos admirar a coragem deste homem, Jorge Bergoglio, que tem se pronunciado claramente contra alguns pecados aberrantes que estão destruindo a família e a sociedade. No entanto, muito falta para que a Palavra de Deus e os ensinamentos de Jesus façam parte real de sua mensagem e de uma igreja transformada pelo poder do Espírito Santo – como vimos em cada uma dessas áreas mencionadas (e em outras, também).
Em toda essa situação, podemos aprender algumas coisas: (1) Pedir a Deus que dê forças às nossas lideranças evangélicas, e a nós mesmos, para termos intrepidez no interpelar de governantes e da mídia, quando promovem leis e comportamentos que contradizem totalmente os princípios que Deus delineia em Sua Palavra. Estes princípios sempre são os melhores para o bem da humanidade, na qual o povo de Deus (incluindo nossos filhos e netos) está inserido. (2) Exercitar cautela em nossa apreciação e entusiasmo das ações e palavras do Papa – a idolatria e diminuição da intermediação de Cristo continuam bem presentes em sua visão religiosa e na Igreja que o tem como líder. Envolvimentos de evangélicos nessas celebrações são totalmente desprovidas de base bíblica – representam um descaso por essas profundas diferenças doutrinárias que representam a diferença entre a vida e a morte espiritual das pessoas. (3) Clamar a Deus por misericórdia e salvação real para o nosso povo e para a nossa terra. Como é triste em ver tantos olhos e esperanças fixados em santos, mitos, misticismo e na pessoa humana, em vez de no Deus único soberano. O Deus da Bíblia é a esperança de nossas vidas. É ele que nos alcança e nos fala em Cristo Jesus, pelo poder do Espírito Santo. Esse nosso Deus é real e eterno e não temporal como o Papa.
Solano Portela
Notas:
[1] A Vulgata Latina (382 – 402 d.C.), tradução para o latim, da Bíblia, contém 73 livros (e não 66) além de adições de capítulos em alguns livros do Antigo Testamento, que não constam dos textos hebraicos, nem da Septuaginta (tradução para o Grego, do Antigo Testamento, realizada em torno de 280 a.C.). Estes livros adicionais são chamados de livros apócrifos (duvidosos, fabulosos, falsos). O próprio Jerônimo colocou notas de advertências, quanto à canonicidade e validade dessas adições, mas essa cautela foi suprimida nos séculos à frente. Sua aceitação como escritura canônica, no seio da Igreja Católica, foi formalizada pelo Concílio de Trento, em 1546 d.C. Desapareceu, assim, a compreensão de que aqueles livros estavam ali colocados por “seu valor histórico” ou devocional. É possível que se Jerônimo soubesse, que na posteridade seriam considerados parte integral da Bíblia, provavelmente não os teria incluído em seu trabalho.
[2] Todas essas citações foram extraídas da Homilia no Santuário da Aparecida, proferida em 24.07.2013. http://www.news.va/pt/news/santuario-da-aparecida-homilia-do-Papa-24-julho-20 , acessado em 26.07.2013.
[3] Na mesma homilia já referida, o Papa disse: “A história deste Santuário serve de exemplo: três pescadores, depois de um dia sem conseguir apanhar peixes, nas águas do Rio Parnaíba, encontram algo inesperado: uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Quem poderia imaginar que o lugar de uma pesca infrutífera, tornar-se-ia o lugar onde todos os brasileiros podem se sentir filhos de uma mesma Mãe”?
***
Fonte: O Tempora! O Mores! Divulgação: Púlpito Cristão.

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

30 COMENTÁRIOS

  1. É exatamente essa postura que a igreja evangélica defende sem exceções.Não podemos tirar uma só vírgula da Palavra,como o próprio Jesus falou.Quanto á comunhão em adoração com católicos,é impossível,contudo a convivência não é nada de mais.Mas não tem como alguém conhecer Jesus e admitir outra pessoa como meio de graça.é como a luz do sol que não dá pra esconder,é impossível comparar ou fingir que não discerne.Por isso Jesus disse que quem não nasce da água e do Espírito não vê o Reino e não pode entrar nele,é coisa operada pelo Espírito Santo.E o Espírito Santo só opera o que é de Jesus"..Ele vos dará do que é Meu…",Maria e nem ninguém pode ser nomeado como autoridade legítima diante de Deus pai.

  2. "…muito falta para que a Palavra de Deus e os ensinamentos de Jesus façam parte real de sua mensagem e de uma igreja transformada pelo poder do Espírito Santo.."

    Penso que sentenças assim traduzem a velha e indigesta presunção dos evangélicos.
    Eu amei esse Papa, amei suas palavras, seu jeito, suas atitudes. Eu vejo Jesus nele.
    Ouviria e conversaria com ele por horas, mas não consigo ouvir caras como Malafaia, Caio Fábio, Feliciano e outras figuras do gênero por um minuto.
    O Papa Francisco cumpre – e com muita propriedade – o maior dos mandamentos: Amar o próximo como a si mesmo.
    Isto nada tem a ver com riqueza, com opulência, com prosperidade, com arrogância, com discursos inflamados de ódio contra as diferenças. Amar o próximo como a si mesmo não condiz com viver buscando apenas nossos próprios interesses e nunca se sensibilizar com o problema de alguém. Não condiz com jatinhos particulares e construção de templos faraônicos. Não condiz com inércia e indiferença em meio a tantas pessoas sofrendo tão perto de nós. Não condiz com pagar R$ 100,00 para ver um artista góspel cantar músicas de letras cada vez mais absurdas (mas idólatras são os católicos!), enquanto existem milhões de pessoas ao nosso redor que não possuem aquela quantia para viver em um mês.
    É sempre assim. Os evangélicos (nem todos!) têm seus ídolos, pregam prosperidade, todos os dias saem de seus confortáveis carros e passam indiferentes por um mendingo na rua, mas são rápidos em disparar sua língua ácida para julgar e condenar os católicos ao inferno.

  3. Voce tá misturando as coisas.

    Quem disse que Malafaia, Feliciano e cia, representam os verdadeiros cristãos nesse Brasil?

    E mais, um erro não justifica o outro.

  4. "Eu vejo Jesus nele".
    Cara Fanne Oliveira, você conseguiria ver Jesus beijando um ídolo ou consagrando seu ministério a um ídolo? Se sim, sinto muito em lhe informar, mas o seu Jesus não é o Filho do Deus Vivo.
    Não justifico aqui a conduta de pastores supra-citados, mas é impossível amar a Deus e continuar fazendo aquilo que o Senhor abomina!
    Soli Deo Gloria!!!

  5. Parabéns pela exposição. Equilibrada. Consistente.
    Realmente, como pude ver pelos comentários, máxime o do i. Clévison, não há que falar em fidelidade do romanismo às Sagradas Escrituras, como já admitido inclusive por tantos teólogos católicos romanos ao longo dos séculos.
    A igreja católica não cederá nem um milímetro em seu magistério e não está, sequer através do atual papa, interessada em salvação de almas pelo Evangelho.
    Continua, portanto, a mesma infiel de sempre, manchada de sangue e no momento está estrategicamente estudando e efetivando medidas para o aumento de seu domínio terreno.
    Riquíssima, poderosíssima, extremamente influente, latifundiária, extremamente podre, como não poderia ser mesmo diferente para uma instituição que se auto intitula única igreja (todas as demais para ela não passam de seitas) mas que persiste decididamente infiel às Sagradas Escrituras.
    Antes que católicos romanos se enraiveçam (sem razão) aproveito para registrar que tristemente não vejo muita diferença com a igreja dita evangélica cuja "cara" vem aparecendo ao longo destes últimos anos, talvez ainda mais prostituta que a romana.
    Sim, amados, o que temos hoje, ao menos a nível tupiniquim, é uma igreja que de evangélica só tem o nome.
    Nisto nos identificamos com o romanismo – o abandono paulatino das Escrituras Sagradas, a terrível prostituição espiritual.
    Destarte, o artigo em tela é bem oportuno, rico, a fim de que ninguém se engane com este papa ou qualquer outro (o anterior desistiu apavorado …), tampouco com a pseudo igreja e menos ainda com a dita igreja evangélica brasileira atual, pois não estão debaixo da autoridade bíblica mas seguindo cada qual ensimesmada, orgulhosa, com seus líderes mercadores da Palavra, verdadeiros "vendilhões do templo", seguidos por um sem número de idólatras, multidões de egoístas desejosos das bênçãos mas não da proposta do abençoador – fé que nega a si mesmo, toma sua cruz e segue ao Único e Suficiente Senhor e Salvador Jesus Cristo, Único Caminho, Verdade e Vida.
    A igreja fiel, que não possui placa, ouro e prata, continua firme em sua marcha, vencendo a batalha contra as forças infernais, no poder do sangue do Cordeiro.
    Enfim, tenhamos certeza de que se o papa fosse sincero e conhecesse realmente a Verdade, a primeira coisa que faria seria adotar os "cinco solas". Como não o faz, caminha para o buraco, cego que é, levando os demais cegos que o adoram.
    Maranata. Amém.

  6. Essa deificação de Maria e o apego a estátuas de gesso idolatradas foram alguns dos fatores que me levaram a sair da igreja católica, ainda jovem.

    A figura de Deus não tem gênero masculino ou feminino, de modo que não há espaço feminino a ser preenchido. Deus é completo, como Pai, Filho e Espírito Santo. Não há mãe de Deus, avó de Deus ou tia de Deus. O que há são filhos e filhas de Deus. Todas essas, por mais que tenham sido boas antes de morrer (sim, morreram), são criaturas, e nada podem criar por si mesmas. Não possuem a dignidade necessária para sentar-se ao lado Dele e nem para ser corredentora (termo absurdo).

    Fui uma vez a Aparecida do Norte, e lá pude ver pessoas sofrendo, mutilando-se, carregando pesados objetos, submetendo-se a um jugo que Deus já tirou dos nossos ombros, tentando, em vão, agradá-Lo, talvez por ignorar a dimensão do sacrifício de Cristo na cruz, que nos dispensa dessas simbologias tolas. Já vi pessoas se desesperando quando suas estátuas de gesso se quebraram, escravas da superstição dos maus presságios.

    Os tais santos católicos, pessoas presumivelmente boas, viveram e morreram. Só Jesus ressuscitou. Só diante Dele dobrarei os meus joelhos. Não converso com pessoas mortas – para usar um jargão da modernidade: os mortos não me representam. Os apóstolos cansaram de dizer isso, mas por uma estranha conveniência, séculos depois, alguns religiosos transformaram Maria num ídolo. O termo “veneração” é apenas uma figura de linguagem, que mal disfarça a prática real, que é a idolatria que as escrituras vedam. Duvido que ela quisesse tamanho e equivocado fardo.

    Maria foi um exemplo de mãe, esposa e mulher, a escolhida de Deus para a especialíssima missão de gestar o Filho de Deus. Nessa condição ela jamais é negada por qualquer cristão com o mínimo de consciência. Mas Jesus, o único mediador, não determinou e nem sequer insinuou que nos reportássemos a ela, nem colocou diante de si um intermediário. Antes, Ele disse: EU sou o caminho, A Verdade e A Vida, ninguém vai ao Pai, senão por Mim.

    Portanto, todo respeito à figura histórica de Maria, mas só há um mediador, não existe corredentora. E não há qualquer dado nos evangelhos que respalde essa idolatria, esse acréscimo ilegítimo à Trindade.

    Assim, respeito os indivíduos católicos, muitos deles são meus amigos fieis. Mas não me canso de responder a eles de forma muito tranquila: Só o Senhor é Deus. A Ele, toda honra e toda glória. Não gostou? Reclame para “São longuinho”.

  7. O seu papa se importa com os pobres?Então porque s bispos moram em um palacete no RJ?Porque sua igreja não abre mão de grandes propriedades de terra,já que é a maior latifundiária do Brasil?E o vaticano é casa de pobre?Porque não devolvem os bens dos judeus,que foram depositados pelos nazistas no banco Ambrosiano,bens roubados com a anuência do seu papa?E quem forneceu passaportes diplomáticos aos criminosos nazistas,para se esconderem na Argentina?Não foi o seu papa?E os evangélicos é que são presunçosos?E voce ainda vê Jesus nele? Que Jesus??

  8. IGREJA EVANGELICA APRESENTA IMAGEM DE ESCULTURA DO BEBÊ DEUS.
    “Ele chora. Ele faz manha. Ele salva o mundo.” É com este humor honesto, que a ChurchAds deseja lembrar a Grã-Bretanha do verdadeiro significado do Natal deste ano.
    site: christmasstarts.com

  9. -—–PROTESTANTES PRESTANDO HONRA AOS MORTOS——-
    HOMENAGEM AOS HOMENS DA REFORMA (HOMENS QUE ESTÃO MORTOS) PROTESTANTES COM IMAGENS DE ESCULTURAS GIGANTESCAS. O pastor Philippe Reymond faz culto em comemorações do 5° centenário de Calvino, à frente do muro dos reformadores em Genebra. Salvatore di Nolfi, Keystone.
    imagem no site cai a farsa

  10. -—–PROTESTANTES PRESTANDO HONRA AOS MORTOS——-
    HOMENAGEM AOS HOMENS DA REFORMA (HOMENS QUE ESTÃO MORTOS) PROTESTANTES COM IMAGENS DE ESCULTURAS GIGANTESCAS. O pastor Philippe Reymond faz culto em comemorações do 5° centenário de Calvino, à frente do muro dos reformadores em Genebra. Salvatore di Nolfi, Keystone.
    imagem no site cai a farsa

  11. Lutero –
    Sobre Jesus Cristo, afirma que "cometeu adultério com a samaritana no poço de Jacó, com a mulher adúltera que perdoou…, e com Madalena…".

    Morte de Lutero – suicídio -um belo exemplo de cristão

  12. Lutero
    Sobre Deus: "Certamente Deus é muito grande e poderoso, bom e misericordioso…, mas é muito estúpido; é um tirano".

    deve ter escrito isso em uma de suas bebedeiras.

    Como a igreja de Deus nasce disso?

  13. Lutero parecia ter-se convertido. Mas não. Sempre perturbado e contraditório, ele se declara réu confesso em uma prédica em 1529: "Eu fui monge, eu queria seriamente ser piedoso. Ao invés, eu me afundava sempre mais: eu era um grande trapaceiro e homicida" (WAW, 29, 50, 18). E um discurso transcrito por Veit Dietrich, afirma: "Eu me tornei monge por um desígnio especial de Deus, a fim de que não me prendessem; o que teria sido muito fácil. Mas não puderam porque a Ordem se ocupava de mim" (isto é, os superiores do Convento o protegiam) (WA Tr 1, 134, 32). Portanto, Lutero foi réu de um homicídio que cometeu quando era estudante em Erfurt. E segundo os seus biógrafos, o motivo teria sido despeito por ter o seu colega obtido melhor nota nos exames.

    "A lei do asilo", fugiu e pediu abrigo na igreja e uma vez lá não podia ser preso. (Igreja Católica)

  14. Lutero

    Sobre a oração dizia: "Eu não posso rezar, mas posso amaldiçoar. Em lugar de dizer 'santificado seja o vosso nome', direi: 'maldito e injuriado seja o nome dos papistas…, que o papado seja maldito, condenado e exterminado'. Na verdade é assim que rezo todos os dias sem descanso".

  15. Sobre os mandamentos, dizia: "Todo o Decálogo deve ser apagado de nossos olhos, de nossa alma e de nos outros tão perseguidos pelo diabo… Deves beber com mais abundância, e cometer algum pecado por ódio e para molestar ao demônio…". Lutero não só afirmava que as boas obras nada valem para a salvação como as amaldiçoava.

  16. Tirando, obviamente, os seus argumentos ad hominem, quer dizer, então, que, segundo o seu "pensamento" Deus abandonou sua Igreja por 1483 anos, para depois um assassino e suicida trazê-la de volta? Ou, então, que Deus a abandonou e esse mesmo assassino e suicida precisou reformá-la? E, se Deus não a abandonou, porque teria necessitado de reforma, por acaso o Divino Espírito Santo precisou de reforma?

    Ainda, se Deus abandonou a igreja, então a promessa de Nosso Senhor falhou, quando disse que "as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt. XVI, 18). Precisaria, pois, também Nosso Senhor de reforma?

  17. “Ó Calvino! Ó Lutero! Como ousais vós riscar, trancar e mutilar tantas nobres partes do texto sagrado da Bíblia?
    Tirastes Baruc, Tobias, Judite, o Eclesiástico, a Sabedoria e os Macabeus. Por que alterastes dessa forma a Sagrada Escritura? Confessai francamente que só o fizestes para contradizer a Igreja…
    Incomoda -vos Macabeus por neles verdes afirmada a intercessão dos santos e a oração pelos defuntos; o Eclesiástico porque atesta o livre arbítrio e a honra devida às relíquias dos santos. Antes de inclinar a vossa fronte para venerar as escrituras violastes a integridade dela para acomodá-la aos vossos erros e às vossas paixões.Suprimistes a santa palavra para que ela não refreasse as vossas fantasias. Como vos justificareis deste sacrilégio diante de Deus?” (São Francisco de Sales)

    Mt 8,11 “Por isso, eu vos declaro que multidões VIRÃO DO ORIENTE E DO OCIDENTE e se assentarão no Reino dos céus com Abraão, Isaac e Jacó,”
    Onde vem essa referencia?
    Br 4,37. Olha! Eis que voltam os filhos que viras partir. CHEGAM DO ORIENTE E DO OCIDENTE, à voz do

  18. O costume de segurar um crucifixo diante de uma pessoa que esteja morrendo tem mantido muitos na comunidade Cristã e permitiu-lhes morrer com uma Fé confiante no Cristo crucificado”.
    (Sermão sobre João, Capítulos 1-4, 1539; LW, Vol. XXII, 147)

    “Foi uma prática boa segurar um crucifixo de madeira diante dos olhos dos moribundos ou pressionar nas mãos deles. Isto trouxe o sofrimento e a morte de Cristo a mente, e confortava os moribundos. Mas para os outros, que arrogantemente se basearam em suas boas obras, entraram num céu que continha um fogo crepitante. Pois eles foram afastados de Cristo e falharam em impressionar a Paixão e morte vivificante de Jesus, em seus corações”.
    (Sermão sobre João, Capítulo 6-8, 1532; LW, Vol. XXIII, 360)

    Lutero sobre imagens e crucifixos
    “Quando eu escuto falar de Cristo, uma imagem de um homem pendurado
    numa cruz toma meu coração, assim como o reflexo de meu rosto aparece naturalmente na água quando eu olho nela. Se não é pecado, mas sim bom
    em ter uma imagem de Cristo em meu coração, porque deveria ser um pecado
    de tê-lo em meus olhos? “
    (Contra os Profetas Celestiais, 1525; LW, Vol. 40, 99-100)

  19. lutero sobre imagens e santos

    agora, nós não pedimos mais do que gentileza em considerar um crucifixo ou a imagem de um santo, como testemunha, para a lembrança, como um sinal, assim como foi lembrado à imagem de César. (Contra os Profetas Celestiais, 1525; LW, Vol. 40, 96)

    “E eu digo desde já que de acordo com a lei de Moises, nenhuma outra imagem é proibida, do que uma imagem de Deus no qual se adora. Um crucifixo, por outro lado, ou qualquer outra imagem santa não é proibida”.
    (Ibid., 85-86)

    “Onde, porém, imagens ou estatuas são produzidas sem idolatria, então a fabricação delas não é proibida”.
    “Meus confinadores devem também deixar-me ter, usar, e olhar para um crucifixo ou uma Madonna… Contanto que eu não os adore, mas apenas os tenha como memoriais”.
    (Ibid., 86,88)

    “Porém, imagens para memoriais e testemunho, como crucifixos e imagens de santos, são para ser tolerados…E não são apenas para ser tolerados, mas por causa do memorial e testemunho eles são louváveis e honrados…”.
    (Ibid., 91)

  20. Lutero e o sinal da cruz:

    Oração da Manhã

    De manhã, quando você levantar, faça o sinal da santa cruz e diga:

    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém…

    À noite, quando fores dormir, faça o sinal da santa cruz e diga:

    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém”.
    (Pequeno Catecismo, 1529, Seção II: Como o Chefe da Família Deve Ensinar a
    Sua Família a Orar Pela Manha e Noite, 22-23)

    Assim se originou e continua entre nós o costume de dizer a graça e
    retornando graças às refeições, e outras orações de manhã e à noite.
    Da mesma fonte veio a prática com crianças de benzer-se a visão ou audição
    de ocorrências aterrorizantes…
    (Grande Catecismo, 1529, O Segundo Mandamento, seção 31, p.57)

    “Se o diabo coloca na sua cabeça que em você falta a santidade, a piedade e

    o merecimento de Davi e por essa razão não podem ter certeza que Deus escutará você, faça o sinal da cruz e diga a si mesmo: “ Deixe ser
    piedosos e dignos aqueles que serão!! Eu sei com certeza que eu sou uma criatura do mesmo Deus que criou Davi. E Davi, independente de sua santidade, não tem um Deus nem melhor nem maior do que eu.”
    (Salmo 118, LW, Vol. XIV, 61)

    “Se você tiver um poltergeist ou espírito tocando em sua casa, não vá e discuta sobre isso aqui e ali, mas saiba que não existe um espírito bom ao qual não procede de Deus. Faça o sinal da cruz quietamente e confie em sua fé”.
    (Sermão do Festival da Epifania, LW, Vol. 52, 178-79)

  21. Fontes sobre Lutero

    Grande Catecismo, 1529, traduzido por John Nicholas Lenker, Mineapolis: Augsburg Publishing House, 1935.

    Os Trabalhos de Lutero (LW-Luther’s Work), Edição Americana, editado por Jaroslav Pelikan (volumes 1-30) e Helmut T. Lehmann (volumes 31-55), São Luis: Concordia Pub House (volumes 1-30); Filadelfia: Fortress Press (volumes 31-55), 1955.

  22. Já esperava respostas enfurecidas contra o meu comentário.
    O "A Cardoso", especialmente, quase teve um AVC.
    Afinal, é um absurdo para a maioria dos evangélicos a afirmação de que Deus pode habitar em um não evangélico, principalmente, um católico. Só que eu não tenho o poder de julgar, só o Senhor sonda os corações e a sua Graça é para todos. O que eu disse é que vejo muito de Cristo nesse Papa, no que concerne à simplicidade, à humildade, à mansidão, às palavras de amor e paz. Mas, aparentemente, eu disse uma heresia monstruosa e devo ser queimada na fogueira pelos Defensores da Igreja Evangélica Unidos Contra os Católicos.

    Eduardo Nascimento, em momento algum eu disse que Malafaia, Feliciano e cia representam os verdadeiros cristãos brasileiros. Apenas disse que não consigo ouví-los por um minuto. Outrossim, se eu admiro o Papa Francisco, não estou cometendo um erro, se é isso que você quis dizer quando disse que "um erro não justifica outro". Se eu entendi errado, por favor, me explique.

    Prezados, deixemos esse discurso raivoso contra os católicos. A idolatria é pecado sim e pronto. Mas, ao invés de ficar repetindo isso e tecendo inúmeras críticas à Igreja Católica, critiquemos a nós mesmos e busquemos aprender com o que a Igreja Católica pode ensinar.

    A propósito, o meu Jesus é aquele Rei que foi crucificado por falar de amor. E que é o único detentor da lista daqueles que estarão na eternidade com Ele.

  23. ÔOOOO,peraí!!Tobias,Baruc,Judite,Macabeus agora são livros sagrados?Em que filme?Todo mundo sabe que velho testamento já estava completo quando Jesus nasceu.E mais, o V.T. pertence aos judeus e não a ICAR. Mais ainda, Jesus nunca citou nenhuma passagem destes livros,mas citou os livros reconhecidos pelos judeus.Voce está mentindo sobre isto.E intercessão de mortos é condenado na bíblia.Também foi dito pelo Senhor Jesus:"A NINGUÉM CHAMEIS POR PAI porque UM SÓ É O VOSSO PAI",contudo voces chamam um homem de pai(papa)e ainda blasfemam dizendo ser ele O SUBSTITUTO do FILHO DE DEUS!Quer uma blasfêmia maior que essa??E se Lutero não condenou a heresia das imagens,não legitima este erro.Isso sem falar nos assassinatos de milhares durante passar dos séculos,como na noite de "são Bartolomeu"em que mais de 100.000 almas foram assassinadas pelo seu "santo padre".Como disse Jesus "…vós sois filhos do diabo,ele foi homicida desde o princípio…"E voce não tolera que as suas imundícies sejam jogadas nos seus rostos por um blog como este,que peleja com a palavra de deus na mão.Não vão vencer,pois a sua destruição não dorme.

  24. voce não conhece história, somente a que estudou na escola, uma pena, milhares, quem matou foi a igreja protestante, porque durante os 4 séculos da inquisição católica, havia, paralelamente, uma coisa chamada inquisição civil, até mesmo porque, foi graças à inquisição católica que surgiu uma coisa muito comum hoje em dia, o direito á defesa, enquanto, pela inquisição civil (traduzindo: o rei ou o senhor feudal decidia quem morria e quem vivia) não havia o direito de defesa. Procure os estudos que onde os historiadores foram atrás da verdade acerca da inquisição e verá que das pouquíssimas condenações á morte, isso mesmo, em 4 séculos, pouco mais de 300 condenações pela igreja, algumas foram até simbólicas, uma vez que o réu foi julgado a revelia (não foi localizado), ao contrário, para você ter ideia, só Calvino, matou com as próprias mãos ou mandou matar 47 pessoas que ele acusou de heresia. Uma coisa que todo protestante esquece, a Bíblia foi criada por católicos, isso mesmo, foi a Igreja católica depois de vários séculos e depois de vários hereges chegou ao cânon ( ao livros que compõe a bíblia) e Lutero, não sei se vc sabe, nem foi o primeiro a traduzir a bíblia para o alemão, pois já havia tradução, claro, que naquela época, a imprensa não era como hoje e ter um livro, que hoje é caro, imagina, portanto, se a igreja católica organizou a bíblia, quem te disse que aqueles livros são ou não sagrados? com certeza não pode ter sido o bêbado, assassino e fornicador Lutero. são bartolomeu matou 100.000? hã, mais do URSS? kkkkkk Vocês são engraçados, acham qua a igreja de vocês é que é a santa igreja de Deus, assim deve ser a do pastor que ensina a tirar o máximo de dinheiro do povo ( Bispo, kkk, bisbo E Macedo) ou a da pastora (deve ser ungida mesmo, pelo demõnio, para aceitar aberrações) lanna Holder e dos viados e lésbicas, fora as outras atrocidades cometidas pelos "ungidos", kkkk a mentira só leva á mentira, não há luz onde há trevas. estude primeiro história e dpois comente alguma coisa.

  25. A. Cardoso e Anderson, vcs são do mesmo time. Jogam do mesmo lado. Acaso não é Jesus (Mitra) o Salvador de vcs?? Acaso os dois não seguem homens e estão sob autoridade destes?? ( padres, pastores, bispos e etc). Vcs são uma piada. Parece a história do maciço que senta no ramo e ri do ramo do outro. Kkk
    Ah, vc citou que o diabo foi homicida desde o princípio; ué, ele não era um anjo de luz??? Aff

    Fuja do ensino de homens e estude as escrituras a fundo.

  26. A falta de "unidade" nas Igrejas Evangélicas está criando um grande problema para o Cristianismo. Basta sintonizar as rádios e emissoras de tv's para comprovar. Estão comercializando Jesus Cristo, oferecendo em troca milagres e prosperidades (riqueza). Não entendo como a REDE SUPER vende espaço para igrejas evangélicas sem escrúpulos, que em "nome de Jesus" prometem aos seus milhares de seguidores uma vida fácil, milagrosa e muito prospera (carros, casas, muito dinheiro) da mesma forma que as casas lotéricas fazem suas apostas. Na verdade, os pastores evangélicos que realmente pregava o Cristianismo corretamente são poucos. Isso é a triste realidade das novas igrejas evangélicas. Não vejo motivo para comemorar o crescimento evangélico visto que são "enganados" e pouco evangelizados. Comprove o eu digo assista aos programas evangélicos e conte quantos realmente evangelizam e quantos apenas comercializam Jesus Cristo.

  27. Lutero ? uma divisão do Cristianismo. Nada para comemorar!
    A falta de "unidade" nas Igrejas Evangélicas está criando um grande problema para o Cristianismo. Basta sintonizar as rádios e emissoras de tv's para comprovar. Estão comercializando Jesus Cristo, oferecendo em troca milagres e prosperidades (riqueza). Não entendo como a REDE SUPER vende espaço para igrejas evangélicas sem escrúpulos, que em "nome de Jesus" prometem aos seus milhares de seguidores uma vida fácil, milagrosa e muito prospera (carros, casas, muito dinheiro) da mesma forma que as casas lotéricas fazem suas apostas. Na verdade, os pastores evangélicos que realmente pregava o Cristianismo corretamente são poucos. Isso é a triste realidade das novas igrejas evangélicas. Não vejo motivo para comemorar o crescimento evangélico visto que são "enganados" e pouco evangelizados. Comprove o digo assistam aos programas evangélicos e conte quantos realmente evangelizam e quantos apenas comercializam Jesus Cristo.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui