A roupa nova do imperador e a igreja brasileira

6
566
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

roupanovadorei-002
Por Antônio Pereira Jr.
“Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra: os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam de mãos dadas com eles; e é o que deseja o meu povo. Porém, que fareis quando estas coisas chegarem ao seu fim?” Jeremias 5.30-31. Leia ainda Jeremias 23.9-33; 28.1-4; Ezequiel 13 e 14.
Você já ouviu falar de Hans Christian Andersen (1805 – 1875), autor de inúmeros contos infanto-juvenis? Não? Ele escreveu “A Roupa Nova do Imperador”, você lembra dessa história? Não? Tudo bem, eu sei que faz tempo que você deixou de ler histórias infantis. Vou tentar refrescar a sua memória. A história é mais ou menos esta:
Há muitos anos havia um Imperador que era apaixonado por roupas novas e gastava todo o dinheiro que possuía com elas. Tinha um traje para cada hora do dia. Certo dia chegou a sua província dois vigaristas. Fingiram-se de tecelões e disseram que possuíam um tecido especial. Esse tecido possuía a qualidade de ser invisível a todos que não seriam capazes de exercer as suas funções. Como também, distinguia os tolos dos inteligentes. Logo, o imperador entregou-lhes muitas sedas e ouro para a confecção do traje. Os vigaristas guardavam todo o material e sempre pediam mais ao monarca. No entanto, nem um só fio era colocado no tear, embora eles fingissem continuar trabalhando apressadamente. O Imperador mandou súditos para examinarem a roupa, e ele, embora não vendo nada, temiam relatar o que estava acontecendo, para não serem tachados de tolos e incapazes de exercerem as suas funções.
Sempre diziam: “Que traje maravilhoso, é de uma beleza fenomenal”. Quando ficou pronta o imperador foi participar de um cortejo onde queria exibir sua mais nova roupa – já que em toda a província a fama do suposto tecido havia se espalhado. De repente, alguém grita: “O imperador está sem roupa!” Houve o maior frisson no império. Só ai o monarca percebeu o quão tolo havia sido.
Mas o que isso tem a ver com a igreja brasileira? Há muito que aprender com esse conto. Muitas das inovações no seio da eclesiologia brasileira não passam de histórias fantasiosas. Seria até cômica se não fossem trágicas. Há muitas heresias e “espiritualismo” travestido de roupa nova. Vigaristas da fé estão espalhados aos borbotões. Pessoas, até mesmo sinceras, dizem estar vendo algo que não existe. Prega-se uma “espiritualidade sensitiva”, onde o sentir é mais importante que o saber. Isso é espantoso, é horrendo.
Jó disse: “bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. – 42.2. Bem sei (hb yada‘), ou seja, conhecer por experiência, perceber, ver, descobrir e discernir. Infelizmente, os cristãos, hoje, não querem saber, querem sentir. Muitos, a semelhança dos súditos, continuam dizendo: “Que traje maravilhoso, é de uma beleza fenomenal”. O povo quer espetáculo? Vamos dá espetáculo! Como nos diria Jeremias: “… profetizam falsamente”. Prometem o que não podem cumprir.
Precisamos usar de honestidade ministerial. As tentações para transformar o nosso culto em “roupas novas” são muitas. Afinal, “… é o que deseja o meu povo”; diz o Senhor. Precisamos parar de ver espiritualidade onde, na realidade, só há carnalidade e culto narcisista. Deus é o único que merece toda a nossa honra, glória, louvor e adoração.
Quando Ele mandar, falemos, mas, se não mandar, é melhor ficar calado, pois seria muito perigoso desobedecer ao Senhor. Lembrem-se, somos embaixadores e como tal não podemos falar o que não nos foi ordenado – 2Co 5.20. Prefiro ser sincero com Deus e com as pessoas ao invés de “ver” o que os “sábios” e “inteligentes” querem. Não proclamemos o que Deus não mandou. “Disse-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos; por isso o vosso pecado permanece”. – Jo 9.41. Finalmente, o Senhor nos alerta: “… que fareis quando estas coisas chegarem ao seu fim?” Sola Gratia!
***
Fonte: NAPEC. Divulgação: Púlpito Cristão.

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

6 COMENTÁRIOS

  1. Mas este post tocou em cima da ferida da igreja brasileira, ou melhor, da igreja de Cristo em geral.
    Afinal, o que fala mais alto em nossos cultos é o sentimento, e nao o conhecimento.

    Eu fico penalizada, quando por meio do YouTube, eu assisto pseudos pastores e pregadores solapando a Igreja de Cristo com meia duzia de versículos tirados de seu contexto e entao "misturados" com frases de efeitos e misticismo…

    Que Deus dê discernimento ao seu povo e os guarde.

    +Nilma Boston Rio

  2. Certissimo! Mas o "povo" tambem nao vai gostar dessa comparacao, vao dizer que isso e' heresia e, como de costume, escomungarao o escritor.
    Tempo de densas trevas!

  3. Usar de honestidade ministerial é necessário, desde que deixemos de ser fracos e aceitemos as demências que regem os estatutos de hospícios gospel.
    Do jeito que as coisas andam, qualquer dia teremos poly dance nos cultos, que jamais foram para Deus, mas a arrecadação desenfreada de bens materiais impostas pelos cafetões da fé.
    Uma mentirada que não tem mais fim, um verdadeiro antro de ladroagem, uma catástrofe em termos de evangelho.
    Cada um querendo mais que outro.
    Política e igreja tendo um caso de amor ilícito e explícito, trazendo as mais criminosas consequências aos seres humanos, pois já não se encontra mais a dignidade entre pessoas que deveriam pregar o evangelho da salvação e não da rebelião contra Espírito Santo de Deus.

  4. Vestes Velhas= Pecado e morte
    Vestes novas= Cristo e sua Palavra
    Adereços= Espírito Santo e seu fruto.
    A graça de Deus sobre todos que assim se encontram, porém Misericórdia para aqueles que ainda estão correndo atrás de roupagens que não sejam estas.
    Em Cristo que nos ama muito, Forte abraço a todos.
    Guto.

  5. Tenho que discordar do autor!Afinal,onde foi que começou estas mudanças eclesiásticas?Eu afirmo que foi dentro das igrejas tradicionais.Em meados dos anos 80,as igrejas tradicionais estavam muito preocupadas com o crescimento das pentecostais,principalmente da neo-pentecostal Universal do reino de Deus.Foi quando surgiu um livro de Don Gosset,chamado Há Poder em Suas Palavras.A editora era tradicional,e um grande número de pastores viu a possibilidade de mergulhar no desconhecido (para os tradicionais)mundo dos pentecostais,sem o ridículo atribuído a eles.(nós)Ao mesmo tempo poderiam fazer frente à Universal,sem incorrer em reprovação pelas convenções.É muito fácil afirmar que basta pronunciar palavras que elas viram profecia!Uma profecia só existe quando Deus falou primeiro,pois profeta é quem fala em nome de outro.Muitos pastores tradicionais usaram exatamente os termos que se usam hoje,"temos que contextualizar".Só que de forma errada.Não estavam contextualizando nada mas, procurando impedir a evasão de seus templos.Eu vi isto com meus olhos,eu estava lá nos bancos,vi a transformação.Agora querem se eximir da culpa ao invés de se arrepender.E acusam s Pentecostais de promover o que eles fizeram.Os pentecostais só foram atrás por causa da ignorância formal dos pastores,muitos sem seminário.De fato hoje quase não há lugares onde a ganancia não reine nos púlpitos.Os cantores se venderam também,nesta mesma cobiça que vemos aí.Não se pode negar o sobrenatural de Deus,substituindo-o por um entendimento meramente intelectual da Palavra.Foi um falso entendimento que originou este caos .Busquemos a Verdade sem mutilar o Espírito Santo!!A paz!!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui