Onde Jesus esteve entre os 13 e 30 anos?

16
1006
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Por Augustus Nicodemus Lopes
A revista Aventuras na História da Editora Abril publicou uma matéria onde requenta a velha teoria de que Jesus, dos 13 aos 30 anos, viveu em países estrangeiros aprendendo mágica, filosofia e alquimia, antes de se apresentar em Israel como o esperado Messias dos judeus. Vários evangelhos apócrifos são mencionados como fonte para esta especulação.
A matéria é entediante, além de revelar a mais completa ignorância dos estudos bíblicos e arqueológicos relacionados com a vida de Jesus Cristo. É igual às outras publicações sensacionalistas de fim de ano, que se aproveitam do Natal todo ano para interessar os curiosos e ignorantes tecendo teorias absurdas sobre a vida de Jesus.
A razão pela qual os Evangelhos não nos dizem nada sobre Jesus dos 13 aos 30 anos é por que os Evangelhos não são biografias no sentido moderno do termo, onde se conta toda a história da vida do biografado, desde seu nascimento até a sua morte, dando detalhes da sua infância, adolescência, mocidade, vida adulta e velhice. Os Evangelhos, como o nome já diz, foram escritos para evangelizar, isto é, para anunciar as boas novas da salvação mediante a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Portanto, o que da vida de Jesus interessa aos Evangelhos é seu nascimento sobrenatural, para estabelecer de saída a sua divindade, seu ministério público a partir dos 30 anos, quando fez sinais e prodígios e ensinou às multidões, e sua morte e ressurreição que são a base da salvação que ele oferece. Não há qualquer interesse biográfico na adolescência e mocidade de Jesus, pois nesta época, viveu e cresceu como um rapaz normal.
Assim mesmo, algumas informações dos Evangelhos canônicos – Mateus, Marcos, Lucas e João – nos deixam reconstruir este tempo da vida de Jesus, que passa sem registro direto. Lemos que quando Jesus começou a fazer milagres e a ensinar em sua própria cidade, Nazaré, os moradores estranharam muito pelo fato de que eles conheciam Jesus desde a infância:
“E, chegando à sua terra, ensinava-os na sinagoga, de tal sorte que se maravilhavam e diziam: Donde lhe vêm esta sabedoria e estes poderes miraculosos? Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas? Não vivem entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe vem, pois, tudo isto? E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, senão na sua terra e na sua casa. E não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles”. (Mat 13:54-58 ARA)
Percebe-se pela passagem acima que os moradores da cidade conheciam Jesus e toda a sua família. Se Jesus tivesse passado estes 27 anos fora da cidade, certamente não haveria esta reação.
Além do mais, o ensino de Jesus acerca da Lei, dos mandamentos, do Reino de Deus , as suas parábolas e suas ilustrações são todas tiradas do Judaísmo, das Escrituras do Antigo Testamento e das terras da Palestina. Ele está familiarizado com a agricultura, o cuidado de ovelhas, o mercado, o sistema financeiro e legal da Palestina. Estas coisas teriam sido impossíveis se ele tivesse passado todos estes anos recebendo treinamento teológico e místico em outro país, outra cultura, outra religião. Não há absolutamente nada no ensino de Jesus que tenha se originado na religião egípcia, persa, mesopotâmica do da índia, todas elas politeístas, cheias de deuses e totalmente panteístas. O ensino de Jesus, ao contrário é monoteísta e criacionista.
Estas lendas bobas da sua infância são tiradas de “evangelhos” apócrifos e espúrios, cuja análise já fiz e ofereci aos meus leitores aqui.
É impressionante, todavia, que ainda estão dando importância a este fragmento de um suposto “evangelho da esposa de Jesus” mesmo após autoridades em manuscritologia e papirólogos terem rejeitado sua importância e mesmo sua autenticidade. Escrevi aqui sobre o tal fragmento.
No fundo, a razão para todas estas especulações é a rejeição do quadro simples e claro que os Evangelhos nos pintam acerca de Jesus, como verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que nasceu, viveu e morreu para que pudéssemos ter o perdão de pecados e a vida eterna.
***
Fonte: O Tempora! O Mores!

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

16 COMENTÁRIOS

  1. Olá irmãos. Acredito que todos os Cristãos antes de mais nada, é obvio, deveriam buscar uma comunhão espiritual com Deus. Após isso, busquemos a história e fatos que corroborem ou enfraqueçam nossa fé. Com novos achados de vários manuscritos e a própria saga de constantino oficializando os atuais evangelhos como verdadeiros, e os demais achados como falsos, apócrifos é um assunto polêmico que somente para aqueles que já comem feijão podem suportá-lo. Aceitar o fato de Maria Madalena ter sido amante de Cristo, para nós, é um escândalo, pois aprendemos um Cristo eternamente virgem. Pensem agora, Cristo tendo relações sexuais com Maria, hum. Sexo é pecado? Logo Cristo não poderia fazer. Então Cristo era eunuco? Porque os outros evangelhos são falsos? Pela fé! A adolescencia e juventude de Cristo devem ter sido normais até porque ele não tinha honra em sua própria terra. Imagine você saindo na sua rua dizendo que é Jesus Cristo, vão dizer quem você hahaha. Outro problema é o paganismo, que envolve a mitologia grega – Cristo, menino deus. Soa algo parecido como os semideuses da mitologia não soa? O Deus envia o gilho ao mundo para ajudar os mortais, pura mitologia? Cristo foi mito? Temos medo de termos provas cabais que mudem toda crença que temos em Cristo ensinado, o caso, virgem que não se sujou com mulher – mas mulher não suja homem! mas se Cristo tivesse uma seria sujo certo? Ou não passam de manuscristos inventados e criados pelo satanás para tentar enganar os santos? Meus irmãos ai depende da sua experiência com Deus, esse Deus judeu, e talvez não universal, que tem um povo escolhido, e não o mundo? Duras são as palavras.
    Alessandro Ribeiro – Cristão – alessandrovivo@bol.com.br

  2. É interessante que, mesmo um ateu ou agnóstico, se for honesto, facilmente chegará à conclusão de que os quatro evangelhos canônicos são muito superiores, em termos de comprovação histórica, coerência interna, e narrativa coerente do judaísmo da época. O Jesus mostrado nos quatro evangelhos é marcadamente judeu, em tudo o que diz e faz. O "Jesus" dos apócrifos, é muito mais grego, parece um mestre das religiões de mistério.

    Tem gente desonesta que tenta ligar a aceitação dos 4 evangelhos canônicos a Constantino "esquecendo" sua imensa aprovação e difusão na Igreja primitiva, que era perseguida pelo Império. O truque politico posterior de Constantino, de oficializar o cristianismo, por acaso poderia influir no fato comprovadíssimo anterior, dos cristãos perseguidos adotarem esses evangelhos? Nem percepção cronológica algumas pessoas teem…

    Além disso, seria muito mais fácil os gregos e romanos (que eram em parte imitadores da cultura grega) aceitarem um "Jesus" grego, mestre de uma religião de mistérios, mostrado nos "evangelhos" apócrifos, do que um Jesus marcadamente judeu, mostrados nos verdadeiros evangelhos. Os romanos tinham certo preconceito contra os judeus, e os gregos tinham verdadeira ojeriza ao judaísmo, e os europeus "cristãos" posteriores também. O Jesus dos evangelhos, rabino conhecedor do estado dos debates das principais questões do judaísmo, o Profeta previsto por Moisés, o Ungido previsto por Isaías, o Rei justo descedente de Davi, jamais seria o preferído pelos gregos e romanos e europeus em geral. Eles prefeririam muito mais o mestre ds mistérios parecido com os mestres das religiões de mistério. Se o Jesus verdadeiro, um mestre judeu, foi a imagem que prevaleceu, contra todas as expectativas e conveniências, é porque as provas a respeito dele eram esmagadoras.

  3. ola; com tanta teoria e tanto conhecimento nos devemos ficar na presença do todo poderosao, pois disse a palavra de Deus por aumentar o conhecimento, o amor de muintos se isfriaria. Amigos e irmão nos últimos dias o conhecimento de muintos estão muinto alem do que podemos imaginar eu fico com a palavra pura e jenuina.

  4. Todo final de ano a mesma coisa. Documentários e mais documentários acerca da historicidade de Jesus. O interessante e que os "Teólogos" excluem descaradamente os evangelhos canônicos, que de fato trazem a verdadeira historia de Jesus, e se enveredam por caminhos apócrifos, dizendo que Jesus não nasceu em Belem, teve um romance com Maria Madalena, não fez milagres e outros teoria mirabolantes de documentários a La Discovery, recheados de comentários de "teólogos" liberais ou agnósticos.Muito oportuno o texto do Reverendo e também muito elucidativo.

  5. É INTERESSANTE QUE TODA VEZ QUE UM HISTORIADOR E OU PESQUISADOR SECULAR TENTA SE AVENTURAR DE TEÓLOGO, LOGO AS SUAS "DESCOBERTAS", SE REVELAM EM CONCLUSÕES ESDRÚXULAS COMO ESTAS QUE O REVERENDO COMENTOU NO ARTIGO. MAS, O QUE MAIS ME IMPRESSIONA É QUE MUITOS QUE COLOCAM EM DÚVIDA O CONTEÚDO DOS EVANGELHOS, RAPIDAMENTE LEVANTAM A BANDEIRA DEFENDENDO ESSAS TEORIAS ,QUE MAIS PARECEM FÁBULAS INFANTIS. E COMO O APÓSTOLO PAULO ADVERTIU O JOVEM PASTOR TIMÓTEO QUE OS HOMENS…DESVIARÃO OS OUVIDOS DA VERDADE, VOLTANDO ÀS FÁBULAS.(II TIM-2:4). FIQUEM NA PAZ

  6. Graça e Paz!

    Apesar dos evangelhos não falarem isso diretamente, podemos deduzir que Jesus vivei doz 13 aos 30 como qualquer judeu de sua época que foi instruído para ser chamado de "Rabi" (mestre).
    Não era qualquer judeu que era assim chamado. Era um reconhecimento para aqueles que foram instruídos na Lei e nos profetas e Jesus foi reconhecido assim não apenas pelos discípulos, mas também pelos próprios fariseus, escribas e saduceus (João 3:1,2; Mateus 8:19; 12:38 e 22:24).

    Assim não é difícil entender onde Jesus esteve durante este tempo.

    Abraços e feliz Natal!

  7. O que esses teólogos idiotas pensam que são, salvos???
    Sim, poorque tem que ser muito cretino em pensar que essas idiotíces vão acrescentar alguma mudança espiritual na vida de alguém. Teólogos safados comoos que conheço, alguns americanos casados com macumbeiras brasileiras e depois de se sujarem em seus países vem para o Brasil abrir igreja e ganhar dinheiro fácil dos bundões que de convertidos não tem nada.
    Porqeu não se convertem e deixam de ser mafiosos a ponto de levar milhões de almas pro inferno?
    Amaioria desses teologos adoram dinheiro fácil das igrejas e detestam trabalho, alguns mandam suas mulheres abrirem lojas no centor da cidade pra esquentar deinheiro e promover a lavagem do que entra de dízimos e ofertas uma vez que não declaram o que recebem em seus cultos nefastos e horrorosos.
    Deveriamos recorrer a homens como o presidente do supremo para que a polícia federal descobrisse de onde vem tanta grana com a igreja q não da a paz do Senhor em Vitória-ES e tá toda a corja na cadeia.
    Crente covarde só serve de combustível pro inferno.

  8. Os evangelhos não citam este período da história de Jesus,mas há fortes indicações que Ele passou esse tempo em Nazaré onde era conhecido como filho do carpinteiro,talves a única carpintaria na cidade de propriedade de José seu pai adotivo,e vamos em frente que atrás vem gente, tito from brasília.

  9. Só uma breve correção: onde está escrito "27 anos", o certo é "17 anos", da subtração de 30 por 13. Fora isso, a matéria do Pr. Augustus Nicodemus, como sempre sempre carregada de sensatez e verdade, mais uma vez vem para abençoar os leitores desta casa.

    Soli Deo gloria!

  10. Jesus dos 12 aos 30 estava sendo lapidado por Deus. Começou aos 30 por uma questão de idade natural para um homem feito, nada mais.
    Se Jesus teve ou não teve relações com madalena ou com qualquer outra, pra mim não faz a menor diferença.
    Fato comcreto e satisfatório é, o que Jesus disse é verdade, o que ele pregou acontece, é experimentavel, é palpavel é sentido, ele não mentiu.
    O que ele ensinou é a verdade, a única verdade.
    Se o verbo se fez carne a carne precisava de preparo, do contrário nenhum ser humano, mesmo nascido do espirito precisaria de preparo, pois o espirito não está pronto de que serve a carne a não ser para ser domada?
    Um homem que sabendo seu destino e depois pregado na cruz não muda nem um milimetro sua fala, sua atitude, deve ser levado muito a sério. Um homem que sofreu e nos mostrou que viveu na prática o que ele disse e triunfou.
    Estas conjecturas de gente fora dos eixos são fruto da insatisfação humana, da nossa burrice e descrença ou crenças equivocadas.
    Jesus pra mim é tudo é maximo é filho de Deus, e eu não sou tolo de avalia-lo por pormenores humanos, mas por tudo que eu já experimentei de suas palavras e promessas.
    Viva Jesus, o único e verdadeiro Rei.

  11. Quando eu era novo convertido,eu queria saber tudo o que pudesse sobre Jesus.Até esse assunto sobre os anos entre a infância e o ministério.Mas tive a felicidade de ouvir pregações sobre a pessoa de jesus.A partir daí fui conhecendo-o de outra maneira,como disse o Sales,experimentando-o,e deixei de me ocupar com esse assunto.São preocupações de quem não desenvolveu uma comunhão íntima com Jesus.Fica tudo limitado pelo intelecto,sem nunca chegar ao coração,como aquelas mulherinhas que aprendem sempre sem nunca chegar ao conhecimento de Deus. 2TM 3:6-7.Para quem está procurando saber sobre a vida de cristo de maneira histórica pode ser bom,se procurar uma igreja séria.Se preferir se aventurar sozinho pode cair em ciladas teológicas,que só bons professores podem ajudar,ou Deus mostrar o caminho através de alguém .Melhor mesmo,caso não tenha boa escola dominical,é um curso básico de teologia,esclarece muita coisa.A paz!

  12. Pastor Leonardo Gonçalves
    A paz do Senhor
    – Um dos meus irmãos, católico, conversava comigo sobre a família de Jesus, e me disse que as irmãs e irmãos de Jesus, citados na Bíblia, na verdade são primas e primos dele. Segundo ele, o hebraico não tem palavra que indique prima, primo, e por isso foi traduzido erradamente como irmãs e irmãos.
    – Nós sabemos que a verdade não é esta, mas eu não conheço hebraico, e também para não criar polêmica, eu preferi apenas citar Mateus 1:25, onde nos mostra claramente que, depois do nascimento de Jesus, José e Maria tiveram relações sexuais.
    – E eu te peço uma orientação: Como refutar essa defesa do catolicismo de que em hebraico não existe a palavra prima/primo?
    – Aguardo uma orientação tua.
    – Deus te abençoe. Um Feliz 2013!
    – Um afetuoso abraço.
    Izoton
    Vila Velha-ES

  13. Morosini, o pior é que o seu amigo católico está certo. Jesus nunca teve irmãos. O Filho de Deus foi unigênito. Quanto ao texto de Mateus 1,25, o texto não diz claramente como vc diz que Maria teve relações sexuais com José, falou que ele, José, fez aquilo que o anjo tinha mandando, receber: a jovenzinha na casa dele. Só isso.

  14. http://spartacusemproldaliberdade.blogspot.com.br/2010/12/saiu-o-misterio-revelado-jesus-dos-13.html

    O Mistério Revelado – 2010
    (15 x 21 cm – 128 páginas)

    Dentre as histórias e lendas que envolvem o cristianismo, sobretudo na figura do próprio Cristo, os chamados 'anos perdidos', dos 13 aos 30 anos, vem fascinando e intrigando gerações após gerações.
    A unanimidade da excelência de Cristo somente reforça o interesse pelos detalhes de sua biografia, ainda mais os 'mistérios ocultos' pelo texto bíblico. Mas será que a Bíblia silencia mesmo sobre esse episódio da vida de Jesus? Há motivos para esconder alguma passagem da vida do rabi da Galiléia? Esteve o Cristo entre os mestres indianos durante a sua adolescência e mocidade?
    O Mistério Revelado trata desses e outros questionamentos de forma clara, objetiva e séria e convida você a se aventurar na descoberta sobre esse período da vida de Jesus, o Cristo.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui