{Palavrantiga}: reinventando a música para a igreja e para o mundo “Sobre o mesmo chão”

21
628
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

“Toda criação neste nosso horizonte temporal, aqui, neste chão empoeirado onde nós pisamos, é feita a partir de algo já pronto, portanto; criar é tecer com os fios coloridos da dádiva!” (Marcos Almeida)

Por Antognoni Misael
O mais novo trabalho da banda de Rock brasileira (que nem é secular, nem gospel, mas que toca no mundo e na igreja) assim como o anterior, novamente me surpreendeu. Intitulado de “Sobre o mesmo chão”, o disco é como um livro sonoro que precisa ser bem lido, apreciado e aproveitado.
Por trás de toda versatilidade poética de Marcos Almeida, líder da banda, se encontra o que ele mesmo chama de “os fios coloridos da dádiva”. Certo de que toda inspiração para arte vem do Pai das Luzes (Tg 1.17), Almeida dá pistas de que a cosmovisão da banda é uma mescla de Evangelho descomplicado, Rock in Roll, MPB, Filosofia, Literatura e uma pitada pessoal do jeito de ser de cada integrante do grupo.
Para mim, e acredito que para tantos, a canção “Rookmaaker” do disco anterior e regravada novamente em “Sobre o mesmo chão” tornou-se uma espécie de apresentação pessoal da banda ante os desafios da arte cristã na contemporaneidade. O pensamento do crítico holandês (Rookmaaker) parece bem compreendido pela música do {Palavrantiga}, que por sinal reverbera um discurso de interação com o mundo sem dicotomias, tecendo na diversidade, olhando por cima de rótulos religiosos e desdenhando da obrigação de justificar a sua própria arte.
Diante da ascensão do mercado Gospel, da popularização da música dita Gospel, dos intensos debates e segmentações a respeito do rumo da música evangélica no Brasil, ao que me parece, {Palavrantiga} passeia na liberdade de fazer arte, pensamento, forma e conteúdo. Portanto, talvez o desnecessário vício de estandardizar padrões musicais ainda vigore diante dessa época de disparidades, banalização, “fogo amigo”, ou o que quer que se pense por aí. Contudo a sensação que sinto no “Palavra…” é a liberdade de se espalhar sem o mínimo de reserva ou peso religioso a Boa Nova de Jesus por tudo que for lugar.
Como uma banda de Rock, e não um ministério de Levitas, não vejo melhor forma de viver o ofício do que esta: passeando o amor e a vida “Sobre o mesmo chão”, sobre o mundo.
Por fim, como toda criação é feita a partir de algo já pronto, como bem frisou Almeida no texto inicial, aqui vai uma breve tecelagem do que ouvi em “Sobre o mesmo chão” e minhas rápidas sensações, por assim dizer, poéticas:
“Sobre o mesmo chão está o Muro, e o Lado de lá, que você esqueceu” {Palavrantiga}. Pois, vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte (Mt 5:14.)
“E a gora tanto faz o que é sagrado. Nada importa se isso tudo não for antes santificado bem no interior do meu peito deserto” {Palavrantiga}. Pois, “para um homem que vive para Deus nada é secular, tudo é sagrado” (C.H. Spurgeon).
“Branca, a pele tão branca não esconde a pureza da alma. É claro, só mostra essa força que salta e inspira a gente a caminhar {Palavrantiga}. Mas é preciso ter manha, é preciso ter graça, é preciso ter sonho sempre. Quem traz na pele essa marca possui a estranha mania De ter fé na vida. (Milton Nascimento)
“Já faz um tempo que eu me apego naquele livro que anuncia minha liberdade” {Palavrantiga}. Pois se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.(Jesus em João 8:36)
“Ela saiu sozinha, longe de casa está. Mal se despiu ao mundo, vejo o medo no seu olhar” {Palavrantiga}. E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? (Jesus em João 8:10)
“Deixa eu viver a boa nova. Deixa eu me encontrar com esse amor todos os dias” {Palavrantiga}. Pois a felicidade é uma porta que sempre se abre pra fora. Quem forçá-la para dentro ordena que o amor vá embora. (Kierkegaard em Jorge Camargo)
“Meu lar feito sobre a rocha. É casa aberta pra gente ficar. É canto que eu vi, bem antes de estar. É perto do Pai. Meu rumo, meu cais” {Palavrantiga} Pois, Lá está o meu tesouro, lá onde não há choro. Onde todos cantaremos juntos hinos de louvor ao Senhor (Vencedores Por Cristo).

***
Antognoni Misael é historiador,  músico e editor do blog Arte de Chocar. É co-editor do Púlpito Cristão, amante da boa música e dependente total da graça de Deus. Fonte: Arte de Chocar. Divulgação: Púlpito Cristão.

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

21 COMENTÁRIOS

  1. UAL! Tudo que eu tanto esperava! Realmente ansiosa pra conhecer mais e mais dessa banda maravilhosa, que me convenceu a ouvir música cristã depois de tantas outras que me repudiaram para o silêncio( muito mais apreciativo nestes casos).

  2. Comecei a ouvir mas não entendi muita coisa não, olhando essas frases de forma isolada faz até sentido, porém ao ouvir músicas como "Branca" e "Rio torto" me senti deslocado: Manja aquela velha história da roupa nova do imperador? Seria eu o único cego ou essas letras não fazem sentido pra mas ninguém? Bom, espero estar errado, até porque curto o som dos caras e torço por eles: Se alguém entender a parada compartilha comigo depois hein!

    Que Deus esteja convosco

  3. Legal!A banda é muito boa,só que caminha no fio da navalha!Certamente vão alcançar fama nacional,até porque a música gospel já chamou a atenção das grandes gravadoras.Quando isso acontecer,será que manterão a mesma postura?O dinheiro traz tudo que o velho homem gosta.Vemos muitos passarem pela prova do sofrimento,mas caírem quando fazem sucesso,é muito comum!Mesclar filosofia e escritura sem pender para um lado ou outro só funciona na teoria!Tomara que consigam!!!

  4. Joana isso não é uma propaganda, que tem função de fazer comprar, e sim uma critica sobre o trabalho deles. Cabe a você querer ouvir ou não. E esse site não tem denominação e é muito menos uma empresa.

  5. Gente, a Joana estourou a bola!Depois de escrever sobre igreja show,ficou um pouco esquisito mesmo este post.Já é o segundo falando dos caras.Eles são bons,sem dúvida,mas ela percebeu uma quase contradição.Eu disse quase.A paz!

  6. Se criticamos o que é ruim e não indicarmos o que é bom viveremos a sensação que nada presta.
    O site (blog) deve continuar desvendando os olhos dos leitores a fim de que vejam (e repudiem) o evangeliquêz idiota e mostrando que nem tudo está perdido.
    Parabéns ao site, parabéns ao {Palavrantiga}!

  7. rs pensei a mesma coisa.. amei a música "branca", achei até engraçada, mas sinceramente, não entendi NADA da letra, e olha que me esforcei para compreender a mensagem! mas não deu.. então , por favor, nos expliquem!

  8. Na perspectiva de arte do Marcos Ameida noto algo ligado a expressões do Mordernismo brasileio. Neste viés, dá pra imaginar pintura dentro da música? Cinema, literatura? Pois bem, o modernismo busca quebrar com o formato de arte tradicional, e isso tmb serve no âmbito musical.

    Palavrantiga não usa a música para evagelização, muito embora isso possa ocorrer em algum instante. Mas usam o discurso artístico na perspectiva de Francis Shaeffer, como busca do belo, em forma, e em conteúdo.

    A canção Branca é bela. Ou não? Vc nao entende-a? Nem parcialmente? É como um quadro expressionista subjetivo. Eu entendo um lado, o outro, alguém entende. Mas, "Branca" seria uma canção secular num disco cristão? – Talvez não. Nem a música é secular, nem o disco é cristão. Apenas a canção Branca, não é tão clara como o branco costuma ser.

  9. Bruno, a música branca foi feita para esposa do cara. Ele compôs para a esposa. Certamente que trata de questões internas do relacionamento deles: me espera branca, não espera branca….solta ou não solta o cabelo……rsrs

  10. Olha , não entendi ! Palavrantiga é uma banda Gospel ou não ? Se for uma Banda secular que continue , pois não podem estar em cima do muro ! Agora se for uma banda Gospel que vejam bem o que estão fazendo. Deus não divide a sua gloria com ninguém. Devem escolher a Gloria para Deus ou para eles !

  11. eu e três amigos meus estamos querendo forma uma banda tbm.
    com o mesmo som,
    fazendo: arte, musica e poesia como vc6
    curto muito o jeito d vc6 fazerem musica é d +++mais

  12. p palavraantiga é uma banda de rock nacional, de formação cristã que utiliza a arte da musica para expressar a universalidade de Deus em toda natureza. traduzindo eles estão saindo do clichê de que tem que se ter um nome GOSPEL, ou secular pra definir uma pessoa que ama e serve a Deus . procure le algo sobre rookmaaker!! abços

  13. Acredito muito no trabalho dessa banda estão arrebentado e mostrando o evangelho de um modo universal e como as pessoas podem se chegar a Deus muito sucesso Parabéns

  14. A música Branca com certeza fala da esposa dele.

    AMO todas as músicas deste CD, é difícil tecer uma lista de mais referidas, até porque ela muda a cada dia. Agora está assim:
    – Partiu
    – Menina
    – De manhã

  15. Beleza… A sonoridade ta mt top nesse album, ms eu curtia mais as letras do primeiro album, q deixavam Deus mais claro em tudo.. Pronto, falei rs

  16. Pessoal a Música Branca faz sentido pra quem já assistiu o Filme Branca de Neve e o Caçador, é uma História de superação! Simples assim!

  17. Graças a Deus eles não são Gospel. E não ser Gospel, não significa nem de longe não assumir sua fé em Cristo, mas assumi-la para além de rotulos de mercado que desfiguram a imagem universal de Jesus. Ser Gospel ao meu ver não passa de uma criação mercadológica da fé, rotulo de produção e consumo. Assumir ser uma banda de Rock Nacional, ao meu ver parace ser um confronto à discriminação religiosa que existe por trás da rotulação GOSPEL. Tem muita gente que canta MPB e fala da fé umbandista, contudo não é rotulado de "músicas religiosa de umbanda", mas MPB, tem artista que canta quimbanda em ritmo de Samba, mas rotulado a sua arte é o Samba e não "música religiosa de quimbanda". Só que com quem é de fé evangelica, um vez que canta qualquer ritmo que seja, sempre será considerado GOSPEL. Vendo por esse lado, vejo uma impossibilidade com o GOSPEL, de se envolver e influênciar a cultura brasileira. O Palavrantiga vem quebrando esse paradigma de dois mundos sendo um "A cultura brasileira" e o outro "o mundo GOSPEL". Estamos sobre o mesmo chão, apesar de dois lados estarem em guerra, esse mundo é o nosso chão. A gente é fermento que tem de ser introduzido na massa. Os rotulos nos separam desse proposito. Graças a Deus foi dado um tiro no meio do coração da tirânia GOSPEL.

  18. Os caras me despertaram para uma fé com conteúdo. Fui conhecer um pouco sobre as obras de Hans Rookmaaker. Nossa geração não valoriza a história cristã e falo isso como de mim mesmo, que só apartir do ano passado fui me importar com a despreoculpação do mundo evangelico-atual com sua história, e isso reflete na infantilidade que a gente vê hoje em alguns seguimentos do mundo evangelico. Gente que considera o que emociona e desvaloriza o racional, um vez que a fé vem pelo ouvir(compreender e não sentir) a palavra de Deus.

  19. Eu acredito que a "Branca" refere-se a Igreja… seria Deus parafraseando sobre a espera e a atitude da igreja… solta o cabelo, talvez seria a forma de dizer… se solta igreja… vamos agir com liberdade e com Deus no coração. Liberdade # liberalidade.
    Abraços!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui