Justificação pela fé: o coração do evangelho

18
425
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Por Alderi Souza de Matos
Em nossos dias, a verdade bíblica da justificação pela fé é desconhecida ou mal-compreendida por muitos evangélicos. No entanto, ela foi a questão central levantada pela Reforma Protestante do século 16. Assim como o “sola Scriptura” foi denominado o “princípio formal” da Reforma, porque a Bíblia é a fonte de onde procedem todas as autênticas doutrinas cristãs, a justificação mediante a fé é o seu “princípio material”, porque envolve a própria substância ou essência do que se deve crer para a salvação.

João Calvino, o pai espiritual das igrejas reformadas, referiu-se a essa doutrina como “o principal ponto de apoio sobre o qual se articula a religião” (Institutas 3.11.1). Ele tratou desse conceito em uma das seções mais longas da sua obra principal (Livro III, Caps. XI-XIX), onde lhe deu a seguinte definição: “Interpretamos a justificação simplesmente como a aceitação pela qual Deus nos recebe em seu favor como homens justos, e dizemos que ela consiste na remissão dos pecados e na imputação da justiça de Cristo” (3.11.1).

Assine o Blesss

Thomas Cranmer, o arquiteto do anglicanismo, disse que a justificação pela fé era “a forte rocha e o fundamento da religião cristã” e Martinho Lutero afirmou que ela é “o tema principal do qual fluem todas as outras doutrinas”. Na realidade, a experiência religiosa fundamental de Lutero e as ênfases mais importantes da sua teologia e da sua obra como reformador pioneiro decorreram da descoberta dessa majestosa verdade bíblica.

A justificação é a resposta de Deus à mais importante de todas as questões humanas: Como uma pessoa pode se tornar aceitável diante de Deus? A resposta está clara no Novo Testamento, especialmente nos escritos de Paulo, como a passagem clássica de Romanos 3.21-25. Biblicamente, a justificação é um conceito jurídico ou forense, e tem o significado de “declarar justo”. É o ato de Deus mediante o qual ele, em sua graça, declara justo o pecador, isentando-o de qualquer condenação. Infelizmente, a palavra portuguesa “justificação”, originária do latim, dá a idéia de “tornar justo”, no sentido de produzir justiça no justificado. Mas o termo grego original dikaiosyne não se refere a uma mudança intrínseca no indivíduo, e sim a uma declaração feita por Deus. Visto que não temos justiça própria e somos culpados diante de Deus, ele nos declara justos com base na expiação de nossos pecados por Cristo e na sua justiça imputada a nós.

Pode-se dizer que a justificação está estreitamente relacionada com três princípios da Reforma: “sola gratia”, “sola fides” e “solo Christo”. Daí, James Montgomery Boyce a define como “um ato de Deus pelo qual ele declara os pecadores justos somente pela graça, somente por meio da fé, somente por causa de Cristo”. Assim, a fonte da justificação é a graça de Deus, o fundamento da justificação é a obra de Cristo e o meio da justificação é a fé. A fé é o canal através do qual a justificação é concedida ao pecador que crê; é o meio pelo qual ele toma posse das bênçãos obtidas por Cristo (como a paz com Deus, Rm 5.1). Ela não é uma boa obra, mas um dom de Deus, como Paulo ensina em Efésios 2.8-9. É o único meio de receber o que Deus fez por nós (“sola fides”), ficando excluídos todos os outros atos ou obras.

Isto significa que a justiça do crente é somente uma justiça imputada, atribuída a ele, sem incluir uma transformação moral e espiritual? Não, a justificação é seguida de uma justiça real e efetiva – tão de perto que, se não seguir, a pessoa não está justificada. Mas a justificação em si ainda não se refere a essa mudança. Deus nunca nos torna justos antes de nos declarar justos. Estando justificados pela graça e reconciliados com Deus mediante a fé, com base somente nos méritos de Cristo, estamos capacitados para crescer em santificação (Ef 2.10). Em suma, Deus não somente nos declara justos (justificação), mas posteriormente nos torna justos (santificação).

Tristemente, muitos evangélicos têm deixado de confessar de modo convicto essa verdade que está no coração do evangelho. Muitos líderes e movimentos têm voltado a insistir na prática de certas ações ou na exibição de determinadas virtudes como condição para que as pessoas sejam aceitas, perdoadas e abençoadas por Deus. Volta-se, assim, ao sistema de salvação pelas obras ou pelos méritos humanos contra o qual se insurgiram os reformadores. Com isso exalta-se o ser humano, suas escolhas, decisões e iniciativas, e se desvaloriza a Deus, sua graça, sua soberania, sua obra de expiação por meio de Cristo. Tenhamos a coragem e a coerência bíblica de reafirmar a verdade solene da justificação pela fé somente, que é, no dizer dos reformadores, o articulus stantis et cadentis ecclesiae, “o artigo pelo qual a igreja se sustenta ou cai”.

***

Fonte: Mackenzie

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

18 COMENTÁRIOS

  1. RUYMARINHO MUITO BOM O TEXTO, O MELHOR E O ASSUNTO QUE MAIS INTERESSA PARA AQUELE QUE SE DIZ CRISTAO.,.

    CONTINUAM TRAZENDO TEXTOS SERIOS, COM ARTIGOS QUE TRAZ CONHECIMENTO DAQUILO QUE CRISTO CONQUISTOU NA CRUZ POR NOS CRISTAOS..,

    GRAÇA E PAZ

  2. Desculpe-me senhor, mas a Fé NÃO é um sentimento de confiança, pois São Paulo nos ensina que Fé é conhecimento intelectual: "Fé é o fundamento das coisas que se esperam, e o argumento das coisas que não se vêem" (Hebreus 9:1).

    Portanto, a Fé é um conhecimento intelectual que assente as coisas que não se vê.

    Citando a carta de São Tiago: "Que aproveitará, irmãos meus, se alguém diz que tem fé, e não tem obras? Por ventura poderá salvá-lo tal Fé?" (Tiago, 2:14) Ora, a Fé, para ser verdadeira, então deve ter obras!

    E ainda: "Tu tens fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras" (Tiago, 2:18).

    E para provar o que dizia, São Tiago prossegue mais adiante:

    "Abraão, nosso pai, não foi ele justificado pelas obras, oferecendo o seu filho Isaac sobre o altar? Tu vês que a fé cooperava com as suas obras, e que a fé foi consumada por meio das obras." (Tiago, 2: 21-22)

    São Tiago diz diferente de vc: Abraão foi "justificado pelas obras" e que a fé dele "fé foi consumada por meio das obras".

    Ora, só somos salvos pelos méritos infinitos de Nosso Senhor Jesus Cristo, e nossas obras, sem Fé, são palha, são nada. Da mesma forma que a Fé sem obras não salvam, as obras sem Fé também não salvam. Portanto, somos justificados por nossa Fé e por nossas obras. O Concílio de Trento anatematiza a doutrina da salvação somente pelas obras:

    "811. Cân. 1. Se alguém disser que o homem pode ser justificado perante Deus pelas suas obras, feitas ou segundo as forças da natureza, ou segundo a doutrina da Lei, sem a graça divina [merecida] por Jesus Cristo — seja excomungado. [cfr. n° 793 s]."

    E também anatematiza a doutrina da salvação somente pela Fé:

    "819. Cân. 9. Se alguém disser que o ímpio é justificado somente pela fé, entendendo que nada mais se exige como cooperação para conseguir a graça da justificação, e que não é necessário por parte alguma que ele se prepare e disponha pela ação da sua vontade — seja excomungado [cfr. n° 798. 801, 804]."

    O Concílio de Trento, a propósito, anatematiza também àqueles que julgam que seja impossível ao homem justificado observar os preceitos de Deus (828. Cân. 18).

    Mas como você não consegue ver que as obras cooperam com a Fé e que Fé e obras nos levam à salvação neste texto de São Tiago? Isto é o cúmulo da contradição e da cegueira.

    Te peço que leia a Bíblia com mais cuidados, pois que a leitura da Bíblia sem ter quem a explique só pode o levar a mais erros e contradições como apresentado nessas suas enviesadas explicações que não explicam coisa alguma.

    Antes, rezo para que aceite a verdadeira Mestra e guia no entendimento das Escrituras, que é a Igreja Católica Apostólica Romana.

    São Tiago, rogai por nós.

  3. Eu não concordo nem com voce Wallysson, nem com o autor, no entanto não posso negar que o texto é bom, e edificador.
    Enquanto Paulo trabalhava seu texto contra o legalismo, Tiago o fazia contra modo de vida das pessoas, então são encaminhamentos diferentes para situações diferentes.
    A fé não pode ser intelectualizada pois ela é loucura para nós. Viver pela fé é viver uma loucura que só o coração pode entender.
    As obras do que tem fé em Cristo é o resultado visivel da dessa propria fé, traduzida em conduta, ações, caminhos retos, amor e esperança, além disso quem disposto está a viver no caminho de Jesus, recebe atenção do Espirito que o molda nos dons santos de Deus.
    Quanto ao texto onde há sitações aos reformadores, só posso dizer que Lutero desconcidera Tiago e faz criticas improprias e arrogantes a sua carta, mas isso não me interessa, afinal ele não era santo.
    Enfim, o texto edifica, e pra mim está valendo.

  4. Eu não ía nem comentar por causa desta discussão ser cansativa,e entre nós protestantes ser improdutiva,pois todos somos salvos em Jesus.No entanto esta já é a terceira vez em que CATÓLICOS invadem este blog,com a intenção espúria de contradizer matérias importantes.Parece que estão monitorando o blog para impedir algum leitor católico de romper as algemas do engano papal.Ora,se as obras também salvam,por que vc Wallysson não muda as suas obras?Voce mesmo crê nas obras,então porque não segue a escritura?Porque se submete ao sacerdócio humano para perdão de pecados?E a confissão aos padres,não é isso uma afronta aberta a CRISTO?Por que crê na intercessão dos mortos,invocando Tiago a rogar por vós?E porque invalida a palavra de JESUS,quando disse que a ninguém chameis por pai,porque UM só é vosso PAI?Onde estão as obras que testemunham a tua fé?Fora das escrituras?Não são todas estas coisas flagrantes delitos contra a santidade de Deus?Não sentes vergonha de praticando-as,vires te opor à sã doutrina bíblica?Por favor retira-te,se não queres aceitar a escritura cmo regra de fé e prática,nós somos servos do Senhor,não temos nenhuma pretensão de pertencer a uma organização reprovada pela história da humanidade.irmão Ruy parabéns pelo texto.

  5. Eu não pensei que fosse confrontado com deboche e arrogância,mas compreendo e me regozijo,isso me dá alegria!Nós PROTESTANTES,não reconhecemos o papado como autoridade de nada.Pra nós seu papá é apenas um louco,que pretende se passar por substituto de Cristo na terra,ou seja a maior blasfêmia do mundo.O diabo teve e tem tal pretensão.Pedro era casado e Paulo acusou os hereges de proibir o casamento 1Timóteo 4;2,3.A confissão foi instituída por Deus no Velho Testamento e Cristo a ratificou na oração do PAI NOSSO(esse Pai não era o papa)"perdoa as nossa dívidas"e "vós orareis ASSIM"Mateus 6:7 a 15.Quanto a perdoar pecados ,eu perdôo todos os dias,contra mim.E quanto aos outros,o próprio Pedro escreveu em sua primeira carta:cap 2 v. 4"Chegando-vos para ele,A PEDRA QUE VIVE,rejeitada,sim,pelos homens,mas para com Deus eleita e preciosa,também vós mesmos,como pedras que vivem,sois edificados casa espiritual para SERDES SACERDÓCIO santo,a fim de oferecerdes SACRIFÍCIOS ESPIRITUAIS agradáveis a Deus POR INTERMÉDIO DE JESUS CRISTO."A pedra é Cristo,o sacerdócio é universal para todos os crentes.quem anuncia a salvação já exerce o sacerdócio e perdão de pecados em Cristo(sacrifícios espirituais),não sacrifícios com elementos físicos ,como voces alegam fazer na abominação da missa.Outra coisa Macabeus é livro de história Judaica e não faz parte da literatura sagrada dos judeus até hoje.Foram voces que impuseram-no na bíblia para enganar os inocentes,a quem voces negavam o acesso às escrituras.Quanto as almas clamando,é uma figura de linguagem,pois em Gênesis o próprio Deus diz a Abel"A vz do sangue de teu irmão clama da terra a mim."Gn4:10.Acaso sangue fala?Claro que não.Além do mais se observarmos o clamor daquelas almas voces tem muito a temer,pois era justiça pela morte das testemunhas de Jesus.Roma e os pápás têm matado e roubado muitos mártires,ao longo dos séculos,como Savonarola,John Huss,e outros ,sem falar da matança na noite de SÃO BARTOLOMEU,na França,e o tribunal da SANTA inquisição.Ainda tem a fuga dos NAZISTAS com passaporte do vaticano,o roubo dos bens dos JUDEUS na @ GUERRA,que mais direi?O clamor das almas está sobre voces.Quanto a sua pirraça,estaremos prontos para responder à altura com argumentos históricos e bíblicos.

  6. Gente, uau.

    Sou evangélica, mas não há como comparar a missiva destes dois representantes aqui. O a.cardoso e o walyrsson.

    Enquanto o a.cardos faz um monte de acusações e liga a metralhadora, o wallyson responde a cada uma com um embasamento bíblico super direto e claro.

    Wallysson, onde aprendeu desta forma? Onde posso estudar para aprender mais?

  7. Aí,né Wallysson? Quando se fala de Inquisição voce foge,não é?Por que será?E 1 lugar quem disse que a pedra é Cristo foi o próprio Pedro a quem vc diz que obedece,incoerência sua ou desobediência aberta? 2 O fato de alguém "deixar"esposa e filhos por Cristo é de livre vonyade,e não compulsóri como s padres.Não existe padre casado como Pedro.Pedro mesmo prescreveu que os maridos vivessem a vida comum do lar,1 Pe 3:7;coisa que os padres não fazem.E deixe de mentir para justificar suas heresias,pois está escrito em 1 Coríntios cap 9 v4 e 5:"não temos nós o direito de comer e beber?E também o de fazer-nos acompanhar de UMA MULHER IRMÃ,como fazem os DEMAIS APÓSTOLOS,e os IRMÃOS DO SENHOR,E CEFAS?".Quem está mentindo ,o Apóstolo Paulo ou voce?A sua igreja não viu isso?Porque não se submete?3_No livro de atos,no cap 15 houve uma questão a ser resolvida pela igreja.Nesta questão a última palavra não foi de Pedro,mas sim de Tiago,que presidia a igreja de JERUSALÉM,(não Roma),Vers13 a 21.E não foi só isso!Na carta de Paulo aos Gálats cap 2 vrs 11 a 16,Pedro é repreendido por Paulo,NA PRESENÇA DE TODOS,porque transgrediu uma DOUTRINA FUNDAMENTAL,a de justificação pela fé em Cristo.Pedro errou,e o papa continua infalível?Com que exemplo?Tirado de onde?Não da bíblia por certo,visto Pedro ser censurado por Paulo.Ou então Paulo se enganou e voce tem uma nova revelação para a humanidade!!4-Quem decide o cânom do Velho Testamento são os JUDEUS,e não a igreja católica que surgiu em 313 dc,quando se uniu ao Império Romano.Macabeus é livro considerado não inspirado pelos JUDEUS.É só entrar em contato com a Hebraica para constatar isso.Quando eles querem adquirir uma cópia do V.T.eles compram uma bíblia evangélica,não católica.Mostre-me um só trecho destes livros não judaicos,citados POR CRISTO,e eu me desculparei aqui mesmo no blog pra todo mundo ver.Voce não tem nenhum texto de CRISTO falando sobre estes livros no evangelho,mas todos temos vários textos de Cristo citando es escrituras EVANGÉLICAS,portanto quem precisa de base Cristã é voce.Ah!Quando é que vamos falar sobre a INQUISIÇÃO mesmo?

  8. Voce é evangélica?E não reconhece a escritura quando a vê?Como pode ser evangélica sem conhecer a bíblia?Me desculpe,mas tenho dúvidas sobre sua conversão.

  9. a.cardoso, só esqueci de mais uma coisa que vc disse:

    "O fato de alguém “deixar”esposa e filhos por Cristo é de livre vonyade,e não compulsóri como s padres"

    Meu senhor, só é padre quem quer. Isto é de livre vontade. Ninguém é obrigado a ser padre, ou vc acha que alguém só descobre que não pode casar depois de anos de seminário?

    Pôxa, a.cardoso, essa foi mais uma das "demais" que vc "metralha". Péssima, né?!

  10. … e eu sobre a sua …

    você tem muitas dificuldades para argumentar através de sua redação. Faço idéia a dificuldade que tem para interpretar o que está escrito.

  11. Sr. Wallysson, adorei suas explicações. São muitíssimos esclarecedoras e, eu como evangélica, começo a rever muitos conceitos martelados que somos – evangélicos – programados a repetir sem, muitas vezes, procurar entender.

    Por gentileza, não me ficou muito claro a utilização pela Igreja do livreo de macabeus assim como os outros que vc cita como parte da bíblia dos setenta. O que é isso? Nunca me ensinaram a respeito.

    Obrigada pela aula que vem dando!

    a.cardoso, ainda temos que aprender muito!

  12. Letícia,voce não é evangélica!Logo se vê isso pela sua servilidade diante de alguém que vomita heresias.é claro que voce é católica se passando por evangélica,tentando influenciar outros que não leram os comentários anteriores.Não existe evangélicos que não saibam as doutrinas fundamentais da JUSTIFICAÇÃO PELA GRAÇA,POR MEIO DA FÉ,POR INTERMÉDIO DE CRISTO SOMENTE,SOB A PRESCRIÇÃO DA ESCRITURA.Visto a sua notória ignorância destes fatos,fica patente a minha conclusão: VOCE NÃO É EVANGÉLICA!!!

  13. Meu caro católico,

    Não creio que a igreja (protestante ou católica) seja a mãe da Escritura, mas sua guardiã. A igreja nao estabeleceu Canon algum, apenas reconheceu o que já era aceito, e você sabe disso. Os livros canonicos do NT já circulavam nas igrejas e eram citadas pelos "pais", de modo que o que aconteceu no Con­cílio de Cartago III nao foi uma edição, subtração, nem adição do conteúdo revelado, mas uma submissão e reconhecimento dele. A autoridade, portanto, não provinha dos padres reunidos, mas do texto que era reconhecido e crido em todas as igrejas. Isso foi muito diferente do que aconteceu em 1537, quando a Biblia foi estuprada pela igreja catolica, que com violencia impos os livros apocrifos ao texto, para validar suas doutrinas de vento e num intento vao de anular o canon protestante, fiel ao Canon de Jamnia (judaico) e de Cartago (cristão).

    Sobre seu argumento sobre terem encontrado parte de livros deuterocanicos (apocrifos!) em Qumran para validar o uso dos mesmos pela ICAR nao se justifica. Do contrario, teriamos que aceitar também o apócrifo do Gênesis, de Henoc, de Noé, de Lamec, do Livro dos Jubileus, os quais também foram encontrados entre os manuscritos de Qumran! Isso sem falar do Rolo do Templo, do Documento de Damasco, da Carta Halákica, da Regra da Guerra e outros escritos aceitos pela comunidade. Portanto, deixe de falacias!

    No entanto, se o católico estivesse certo em sua crença, isto é, se realmente a igreja fosse a mãe da Bíblia (e não sua serva, lugar que lhe cabe melhor), então poderíamos acusá-los não de uma, mas de duas incoerências, pois ao pregar heresias descabidas e inconsistentes com a Escritura (veneração dos santos mortos e crença na sua mediação – o que na melhor das hipóteses configura necromancia; veneração de Maria atribuindo a ela o poder de ouvir orações dos fiéis em todo mundo – atribuindo-lhe por consequência o atributo divino da onisciência, crença na infalibilidade papal – negando o testemunho das Escrituras e da consciência universal, que aforma que todos somos falíveis), vocês demonstram nao honrar nem as Escrituras, e nem a igreja que mediou a confirmação do Canon.

    Finalmente, este blog é um espaço moderado para opiniões, não é foro de debates. Por isso, primamos por moderar comentarios curtos, que possibilitem o dialogo, e nao os classicos "ctrl+v" de quem nao tem paciencia para ouvir o outro e quer enfiar a todo custo na cabeça das outras pessoas pensamentos copiados da internet que jamais foram examinados por si mesmo. Por isso, a partir deste momento, você deverá postar comentarios curtos. Do contrario, seus posts nao serao aprovados.

    Vai tumultuar outra freguesia, compadre.

    Solo Christus! Sola Scriptura!

    Leonardo Gonçalves
    Editor chefe do Púlpito Cristão.

  14. Prezado Leonardo, vejo que a dificuldade de interpretação não é só do a.cardoso, que dó!

    Acato, humildemente, seu pedido para que eu pare. Eu paro. A casa é sua e, piedosamente, acato sua súplica.

    Christus vincit!!!
    Christus regnat!!!
    Christus imperat!!!

  15. acho que sua colocação não foi legal leonardo. e estava gostando da argumentação desse sr.
    o que vc escreveu foi exatamente o q ele explicou, parece que vc nao leu.
    não sou catolico, mas acompannahdo esta discussao vi que ele se expressou e foi desafiado.
    o a.cardos foi quem motivou toda a conversa e a extençao do assunto.
    ele esta sendo tolido por ser catolico.
    pq ento vc publica coisas sobre a icar?
    nao faz sentido.
    essa é a minha opiniao

  16. O Wallyson está saindo porque não tem como refutar a palavra do Leonardo.Não pode acusá-lo de ignorante com fez comigo,visto ser ele um graduado em Teologia.Por isso o está acusando implicitamente de ser ditador,ou seja ,finge que foi expulso por expor verdades.Mais um ardil de um lobo,pensando iludir ovelhas de Cristo.Quanto ao rinaldi,não ser católico e dizer que o Leonardo não leu,e que "o que ele escreveu foi que voce explicou" só evidencia minhas desconfianças sobre invasão premeditada do blog,pois não é possível tanta cegueira assim.Isto é caso pensado,claro.è bom mesmo eles irem pra o próprio lugar preparado pra eles,desde a eternidade,onde o fogo não dorme.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui