Conselhos para quem deseja ter um blog/site cristão apologético

7
412
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Ruy Marinho
Estes são alguns conselhos para quem almeja ter (e quem já tem) um blog Cristão na internet, principalmente de cunho apologético:

Antes de tudo, analise como está a sua vida cristã fazendo as seguintes perguntas: você conhece e pratica o que se propõe a defender? Você está aliançado em uma igreja local e sob discipulado? Se a resposta for não, nem abra um blog! Como você vai defender o evangelho sem ao menos, de fato, viver o cristianismo e ter comunhão com o corpo de Cristo? A centralidade bíblica sempre vai apontar para a aliança e comunhão com outros irmãos em Cristo. Se você anda sozinho, sua apologia se transformará em uma falácia contra o próprio evangelho! Resolva a sua vida eclesiástica primeiro para depois desenvolver algum trabalho produtivo para a obra de Deus.

Assine o Blesss

Aprenda o que é apologética cristã, para que serve, para quem é direcionada, porque e como deve ser aplicada. Vejo que a realidade democrática e gratuita da internet possibilitou a abertura de alguns blogs onde seus autores não demonstraram este conhecimento básico, talvez pelo anseio de expressar suas mágoas contraídas de experiências eclesiásticas negativas e pela necessidade urgente de denunciar algum erro. Isto causou a negligência de alguns no aspecto ético e prático. É preciso ter muita responsabilidade com a Palavra de Deus, buscando a orientação e preparação adequada antes de qualquer atitude que envolva o evangelho, inclusive na internet.

Compreenda que a base fundamental e o objetivo final da apologética cristã é o evangelho. A apologética é uma ponte que conduz ao caminho do verdadeiro evangelho de Cristo. O objetivo da apologética é ser um agente facilitador para o evangelismo e/ou correção para as questões que ferem as doutrinas cristãs fundamentais, mostrando o caminho correto, com o comportamento correto e expondo a mensagem Bíblica correta. Como eu costumo analogicamente frisar: “A apologética cristã deve ser semelhante a criação de filhos: devemos repreender os erros e mostrar o caminho certo.” Não adianta você repreender os erros doutrinários ou a incredulidade de um não-cristão sem apontar o caminho para o evangelho. Não se esqueça: a nossa obrigação é pregar a Palavra, mas o convencimento no coração de um pecador é obra exclusiva do Espírito Santo, segundo a vontade soberana de Deus.

Entenda que o amor cristão é a base de todo e qualquer serviço. A apologética cristã não tem sentido quando este amor não é exprimido em seus textos e ações. Não há espaço para sarcasmo, orgulho, ofensas e vaidades pessoais, mas sim para mansidão e temor, além da esperança de que Deus será glorificado através do arrependimento de quem recebe a mensagem apologética. Como você espera ser usado para trazer alguém para a fé cristã utilizando de tom agressivo e humilhante? A apologética não é um time de competição que visa a vitória nos argumentos para satisfazer vaidades pessoais, mas sim um facilitador para conduzir o pecador ao evangelho.

A ética cristã é consequência do amor transformador de Deus que é transbordado em nós através do Espírito Santo pelo conhecimento de Sua Palavra. É impossível desenvolver uma defesa do evangelho sem piedade. O Apóstolo Pedro foi categórico quanto a isto: “antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo” (1Pe 3:15-16, negrito meu). Note que uma vida em santidade e oração é fundamental, além do preparo adequado e um testemunho íntegro. Ter sabedoria para dialogar corretamente é um ponto importante para todo cristão: “Portai-vos com sabedoria para com os que estão de fora; aproveitai as oportunidades. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.” (Cl 4:6; leia também Tiago 3), pois o espírito contencioso do orgulho não pode fazer parte do comportamento de um Cristão (Pv 13:10).

Prepare-se com afinco, dedicando-se exaustivamente aos estudos para adquirir maturidade e experiência teológica suficiente, ao ponto de fazer uma exposição bíblica coerente, correta e equilibrada. Procure ler bons livros de autores confiáveis (algumas indicações aqui), faça cursos de capacitação teológica e se possível comece um seminário teológico.

A igreja brasileira passa por um período de várias ameaças liberais, tais como: o relativismo teológico, o teísmo aberto, a teologia da libertação, a teologia gay, a teologia feminista, o “evangelho progressista” e suas ideologias marxistas, o aborto, a liberação das drogas, o casamento gay etc., além do neo-ateísmo, neopentecostalismo, das seitas e heresias clássicas e contemporâneas.

Portanto, é imprescindível preparar-se para defender a fé. “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” (2Tm 2:15)

Basicamente é o que eu enxergo de forma resumida. Claro que os pontos apresentados podem e devem ser aprofundados.

Soli Deo Gloria!

***
– Ruy Marinho é editor do Blog Bereianos e colunista do Púlpito Cristão.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

7 COMENTÁRIOS

  1. Irmão Ruy,sei que na teoria vc tem razão ,mas na prática não é assim.Se todos forem ponderar todas estas coisas,ninguém escreve nada.Não dá pra ser cirúrgico com palavras,pois sempre haverá quem não entenda.Também tem aqueles que não suportam ser contraditados,mas aguentam pra não desfigurar a imagem,enfim,perfeição com letras não dá.Falta o som original de tal forma que uma ironia saudável e engraçada pode ser entendida como ofensa.Uma observação sobre u tópico pode ser tido como deboche e também tem aqueles que te rotulam só porque não vêem um literato de porte universitário.É impossível não levar pedra sem se posicionar,ter um caminho isento de choque verdadeiro ou não,é jogar pedra na lua.às vezes um blog pode ter serventia para uma determinada ocasião,provisória mesmo.Outra coisa,pode também ser um meio de edificação em conhecimento bíblico teológico para o povo de Deus.Não precisa ser voltado para as seitas,basta apresentar s tópicos comuns da Palavra.Tem gente que escreve cada coisa!Alguns são bem intencionados e um blog com tópicos doutrinários pode ser bem útil a muitos.O jeito é ir meio "simplesmente ir,mas sem saber"(o futuro).A paz!!

  2. IRMÃO RUY, DESCULPE NÃO CONCORDAR PLENAMENTE EM SEU TEXTO, POIS A COMUNHÃO COM IRMÃOS PODE ACONTECER DE VÁRIOS FORMATOS SEM QUE PRECISAMOS ESTAR EM UMA COMUNIDADE, ONDE DAS QUAIS DEUS ESTÁ BEM LONGE! PORQUE ENTÃO HÁ BLOGUEIROS PARA SEREM INSUBMISSO A SEUS LIDERES, NÃO SERIA O BLOG UMA FORMA DENUNCIAR OS RISCOS DO PERIGO DE ESTARMOS EM UMA "COMUNIDADE" COM LÍDERES HEREGES?

    DESCULPE ENTÃO JOÃO BATISTA NUNCA PODERIA SER UM BLOGUEIRO!

  3. Caro Edson,

    Eu entendo perfeitamente a sua preocupação.

    Como eu afirmei no artigo, a centralidade bíblica sempre vai apontar para a aliança e comunhão com outros irmãos em Cristo. Não tem como ocultar esta realidade. Não importa se você vai se aliançar em uma "igreja física institucional" ou uma "comunidade", em ambos os lugares haverá cristãos em comunhão. O único formato bíblico de igreja (Ekklésia, propriamente dita) é a comunhão com outros cristãos. Não tem como andar sozinho! É este o ponto.

    Não podemos generalizar e dizer que "todas" as comunidades estão longe de Deus. Embora exista muitas denominações heréticas que se afastaram das doutrinas fundamentais do cristianismo, Deus nunca vai desistir da Igreja.

    A necessidade de denunciar os riscos e perigos de uma comunidade com líderes hereges é necessária, porém isto não isenta o denunciante de congregar em comunhão com outros cristãos. Para quem "ainda" está em uma comunidade herética é aconselhável que; ou ela exponha os erros à liderança e demais irmãos e tente repreendê-los para lutar pela sua congregação, ou que procure outra comunidade.

    Não se esqueça de que, embora João Batista tenha repreendido os fariseus e saduceus, ele não andou sozinho quando começou o seu ministério.

    Grande abraço, em Cristo!

  4. As vezes leio esses blogs tanto evangélico como católico ex.,A VOZ DA IGREJA e fico é com dúvidas em alguns pontos é como vc diz o Espirito Santo é quem convense.

  5. Amado! Parabéns pelo artigo, muito bom, eu tenho tido dificuldades em escreve artigos e tenho buscado aprender mais cada dia, e você tem razão em dizer que temos que esta preparados, este e meu objetivo,, está buscando conhecimento de Deus em sua Sagrada Escrituras!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui