Jesus odeia a religião? Augustus Nicodemus afirma que não

25
1161
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Augustus Nicodemus
Muitos cristãos levantam a bandeira de que Jesus odeia religião, uma frase que tem sido pregada não só por líderes, mas também por membros de igrejas diversas que acreditam que a maior verdade da Bíblia é não pregar uma religião.
Mas para o reverendo Augustus Nicodemus Lopes esse tipo de ensinamento é errado e ele apresenta quatro motivos para refutar esse tipo de frase que tem sido propagada no Brasil.
Um motivos para provar que Jesus não odeia a religião é mostrar que enquanto esteve na Terra, Ele lutou contra o judaísmo legalista e farisaico de sua época. Na visão do reverendo da Igreja Presbiteriana do Brasil, Jesus lutou contra a distorção que fizeram da religião que Deus havia revelado para Israel.
Outro motivo seria o fato de Jesus ter participado do que era certo da religião de seus dias. “Ele foi circuncidado, aceitou ser batizado por João, foi ao templo nas festas religiosas, orou, deu esmolas, mandou gente que ele curou mostrar-se ao sacerdote”, escreveu Nicodemus Lopes.
Um dos movimentos que mais chamam a atenção é o “Mais Jesus, menos religião”, o vídeo traduzido para o português já foi visto mais de 75 mil vezes com o título de “Porque odeia a religião, mas amo Jesus”. O vídeo oficial ultrapassou 21 milhões de visualizações.
Recentemente o bispo Edir Macedo escreveu em seu blog que a “Religião é a porta do inferno” fazendo com que muitas pessoas questionassem qual é a diferença entre seguir a Cristo e ter uma religião.
Veja os motivos apresentados por Augustus Nicodemus para refutar esses pensamentos:
Eu acho que frases de efeito como “Jesus é maior do que religião”, ou ainda “Jesus odeia religião”, ou mesmo “Eu sigo a Jesus; cristianismo é religião” não ajudam muito. Elas precisam de algumas definições para fazer sentido.
(1) A religião que Jesus “odiou” foi o judaísmo legalista e farisaico de sua época, que era uma DISTORÇÃO da religião que Deus havia revelado a Israel e pela qual os profetas tanto lutaram. Logo, não se pode dizer que Jesus é contra a religião em si, mas contra aquelas que são legalistas, meritórias e contrárias à palavra de Deus;
(2) Jesus participou daquilo que era certo na religião de seus dias: foi circuncidado, aceitou ser batizado por João, foi ao templo nas festas religiosas, orou, deu esmolas, mandou gente que ele curou mostrar-se ao sacerdote;
(3) Seus seguidores, os apóstolos, logo se organizaram em comunidades, elegeram líderes, elaboraram declarações de fé, escreveram livros que virariam Escritura, recolhiam ofertas, tinham locais (casas) para se reunir – ou seja, tudo que uma religião tem. Logo, não devíamos dizer que o cristianismo não é uma religião;
(4) É verdade que o Cristianismo através dos séculos se corrompeu em muitos lugares e épocas. Mas, todas as vezes em que isto ocorreu, deixou de ser a religião verdadeira para ser uma religião falsa. Portanto o correto é dizer que Jesus odeia o legalismo religioso, inclusive dentro do cristianismo. Mas é injusto e falso colocar Jesus contra toda e qualquer forma de cristianismo.
***
Augustus Nicodemus é pastor e Chanceler da Universidade Mackenzie. Fonte Gospel Prime.

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

25 COMENTÁRIOS

  1. Tiago descreveu a religião verdadeira no capítulo 1:27, nesta eu acredito. Mas aquela que só manipula, engana e cauteriza a consciência é tão somente uma seita feita para extorquir os fracos na fé.
    Não sou contra a religião, sou contra a manipulação.
    Acho que deveríamos pregar o evangelho não denominações. Pregar a Cristo ao invés do cristianismo.

  2. Bem,há outras considerações e há controvérsia no escrito do Rev.Augustus Nicodemos.As três maiores religiões do mundo atual,todas estão envolvidas em conflitos e massacres e nenhuma delas está sendo bênção para a humanidade – cristianismo,judaísmo e islamismo.Dizer que Jesus não odeia as religiões é controverso,como tb dizer que Ele ama,é pior ainda.Gandhi disse certa ocasião que com Jesus não havia nenhum problema,mas com os seus seguidores sim.Se uma farmácia fechar num determinado bairro,fará falta e diferença; se uma igreja-religiosa fechar não fará falta alguma.Então,qual é a religião de Deus? Tiago tem a resposta.tito from brasília.

  3. Tudo é uma questao de palavras:

    Por um lado, temos a definiçao etimologica de religiao (do latim "religare"), segundo a qual podemos afirmar que Cristo é nossa religiao, pois nos ligou de novo à Deus.

    De outro lado, está a definição sociologica de religião, que é "a busca do homem pelo transcendente" e seu desejo (eu diria até necessidade) de propiciar a Deus, comprando-lhe o favor. Imagino que este nao é o conceito de religiao que Deus desenhou para nós, não é mesmo?

    Penso que esta é uma polemica conceitual, um duelo entre "semantica" e "sociologia". Infelizmente, penso que a palavra religiao nao significa, para a maioria das pessoas, aquilo que semanticamente ela representa.

    Augustus acertou? Sim. Erra quem diz odiar religiao? Penso que nao. E nao se trata de relativismo, mas de dois sentidos para uma mesma palavra.

    Na Paz de Cristo,

    Leonardo.

  4. Bem,ia esquecendo.Respeito a opinião do Rev. Augustus Nicodemos,mas não posso ignorar a sua formação teológica ultra-conservadora,e sua cosmo-visão teológica é totalmente pró ocidental,com tempero de judaízante.Jesus profetizou a destruição do grande templo,sede da religião judaica,e até hoje não foi reconstruído.O que é isso é amor ou ódio?
    tito from brasília.

  5. Iolanda vc está certissima! Para o autor do texto e muitos outros ai se a religião acabar eles vão ficar sem emprego então fazem seus discursos para defender seu ganha pão.

    Veja o que Tiago diz apartir do vers. 19:

    Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.

    Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.

    Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas.

    E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.

    Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural;

    Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era.

    Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.

    Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã.

    A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.
    Tiago 1:19-27

    atente para:
    … enganando-vos com falsos discursos.

  6. Augustus acertou? Hummmm, nao estaria tao certo disso. Eu quase que repetiria: Nicodemus, necessario vos e'… Porque a escritura nao diz que Jesus praticou exatamente o judaismo, nem o "odiava", o que ele odiava era a pratica corrupta da religiao, como ha hoje,(pode ate ter praticado, mas nao esta registrado isso em lugar nenhum) ele simplesmente acompanhava os pais nas suas peregrinacoes a Jerusalem, mas nao consta que ele tenha feito essas peregrinacoes depois de adulto. Como todo judeu ele, foi circuncidado, sim, celebrava as festas, tanto que celebrou a ceia como ultimo evento antes da cruz.
    Os seus seguidores nao escreveram livros (pelo amor de Deus!), eles escreveram cartas, simples cartas, pessoais, com relatos pessoais, pedidos pessoais, onde ate dizem "escrevo eu", ou, "digo eu", e que os lideres religiosos desde sempre, juntaram, formaram o que se chama Novo Testamento, excluiram o que nao interessava (algumas cartas), juntaram isso ao que Jesus chamava de Escritura e deranm o nome de Biblia. Nosso livro Sagrado. Alterado ao longo dos seculos segundo as necessidades das denominacoes. E pra finalizar, o cristianismo corrompido, e sempre que corrompido, nunca se tornou uma religiao falsa, mas, o mesmo e velho "ismo" de sempre, e como sempre corrompivel, por homens sem escrupulo e diabolicos, como os ha' hoje, aos montes. Entao, posto isso, e com todo o respeito que tenho 'as ideias do irmao Augusto, eu que diria: Necessario vos e', estudar essa materia de novo.

  7. Distintos irmãos, graça e paz!
    Acreditamos que é fundamental separmos a "religião" da "Religião."
    A primeira, a nosso ver, conduz ao fanatismo, a intolerância, a guerra, enfim, ao derramamento de sangue.
    A outra, porém, leva-nos, desde que deixemos o Senhor ser o nosso Guia, a comportar-nos conforme a admoestação de Mateus 7.12.
    Que pena é vermos, infelizmente, fiéis, mas também líderes de denominações diversas, tachados de cristãos, digladiando-se, em nome da "religião."
    É bem verdade que Jesus reprovava a religiosidade hipócrita dos fariseus de sua época, no entanto, jamais odiou, nem o legalismo nem os seguidores. Pois se assim procedesse, certamente, estaria indo de encontro a sua mensagem de amor.
    Em Cristo,
    Tadeu de Araújo

  8. Dificil mudar o sentimento que uma palavra expressa em determinado contexto e lingua, principalmente quando a palavra se liga a uma ação e modo plenamente aceito.
    Quando perguntamos que religião tem determinada pessoa, de acordo com a resposta podemos definir uma série de parametros, ter compreensão e fazermos avalições imediatas daquele perfil, seja ele pre conceituoso ou não, pois na resposta há toda uma codificação interpretada em nossas mentes como cidadãos sociais.
    Ressalvadas as devidas proporções que cada religião define como padrão de conduta, doutrina, expressão, regras e comportamento previsivel , pre supõe, e corretamente, que aquele individuo faz parte de uma igreja, que ele cultua de acordo com as regras doutrinarias da interpretação do evangelho daquele segmento e que esta pessoa está vinculada a uma série de fatores normatizantes exigidos e aceitos no seu contexto religioso, ou seja, há toda uma complexidade envolvendo a palavra religião que necessáriamente não diz respeito ao evangelho enquanto manual de intruções para a vida.
    A religião pre supõe:
    Organização em grupo
    Intitucionalização
    Comando eminentemente institucional e pouco voluntarioso
    Supervalorização de condutas exteriores e individualismo em condutas interiores
    Exclusão ou pouca receptvidade no relacionamento com os ditos mundanos
    Total intolerancia a opiniões contrárias independente da base doutrinaria estar correta.
    Cumprimento de obrigações ritualizadas em detrimento do exercicio do amor que resulta da fé sincera em Cristo.
    Além disso há vários deuses no meio evengelicos, assim com há vários santos nos meio catolico, pois a igreja evangelica, a religião evangelica, tem em Jesus, várias perspectivas baseado em cada necessidade do dia a dia.
    Jesus não era contra, pelo menos a biblia não nos diz isso, as festas, comemorações, reuniões, cultos e os ritos inerentes a eles ou quaiquer outra atividade neste sentido, mas manifestava desagrado pelo alto grau de centralização que se tranformou a prática religiosa por tão somente ser assim, ou seja, religiosa e vazia de verdadeiro amor e compaixão.

    Poderia citar outras várias situações onde a palavra religião se destoa da prática libertária e transformadora resultante do chamado que o coração nos faz ouvir atraves do Espirito de Deus,mas sabemos quais são.
    Os Judeus tinham uma maneira mais prática e descomplicada de se reunir e conviver em religião, atraves da formação de sinagogas fruto da participação de uma dezena de familias, onde se exercia práticas de culto simples sem maiores problemas e foi nestas sinagogas que Jesus fez boa parte de seus ensinamentos, no entanto não quero aqui sugerir este tipo de formação, apenas exemplificar sua eficácia naqueles tempos, que por sinal é resultante de um contexto bem maior, pois havia uma unica doutrina, um unico ensino, uma unica pratica., mesmo assim houve desvirtualização do sentido original da lei.
    E isso não mudou, continuamos a ser religiosos de denominações, religiosos de cultos para nós mesmos, de interpretações biblicas lidas de forma diferente duzentas vezes, de canções que não louvam e nos emburrecem pois estamos a cada domingo no mesmissimo lugar pedindo na cantoria a mesma coisa da semana passada, qual seja, pra Deus entra na nossa vida, ou subindo na arvore pela miléssima vez para ver Jesus passar e passar, pois somos denominacionais, temos um chefe que é avaliado pelo número de comandados que consegui ajuntar, precisamos de um pai na fé, bem ao estilo romano, precisamos estar na religião, señao somos rebeldes e desviados para os homens, mas não esquecidos por Jesus, aquele que por nós morreu na cruz.

  9. Graça e paz irmãos!
    Parece que tem pessoas que comentam e nem sequer ler ou presta a atenção devida no texto. Nicodemos é bem claro quando distingue a "religião" da RELIGIÃO. Acho que todos que frequentam esse site odeia a falsa religião legalista que manipula e envergonha o evangelho, porém não podemos ser tão cabeças duras de disser que não exista praticas zelosas de verdadeiros cristãos que por Cristo ter resgatado-os da do pecado e da ira, levam suas vidas em uma pratica religiosa verdadeira assim como apóstolos e crentes históricos.

  10. " Jesus profetizou a destruição do grande templo,sede da religião judaica,e até hoje não foi reconstruído.O que é isso é amor ou ódio?"

    Na minha opinião nem um nem outro. Jesus apenas estabeleceu que o templo seria agora, em outro lugar, em nós.

    Se religião significa edifício, regras humanas, ritos, liturgias ( sem base bíblica é claro ! ) e tudo mais, pode ser que todos " não queiram ser religiosos". A comunhão precisa ser em algum lugar e com ordem. Quem leu (todas)as cartas do Ap. Paulo, sabe.

  11. o homem tem dentro de si a necessidade da busca pelo divino.basta olhar-mos para os povos durante a historia e verificaremos que todos tem um conceito do divino:uns a bem da verdade,totalmente distantes do Deus revelado nas escrituras.Deus é incompreensível,mas tb é conhecível.Ele se revela através da sua criação,na história e se revelou através do filho,que é a expressão exata do seu ser.Também creio que Jesus não odiava ou odeia a religião.O judaismo não é uma mera religião;é forma de vida.Jesus não era um mero praticante da religião judaica,ele era judeu.Vemos até algumas passagens onde ele manda que o os discilpulos sigam os ensinamentos dos fariseus(muito criticados por sinal).Obs que ele manda seguir os seus ensinamentos,não sua praticas hipócritas.Ou não havia fariseus piedosos?Será que devemos fazer de todos farinha do mesmo saco?

  12. Jesus demonstrou repúdio à religiosidade, à crendice religiosa e à soberba religiosa promovidas pelos vícios adquiridos a partir da cultura da instituição religiosa. Instituição esta, que muitos chamam, equivocadamente, de igreja, comunhão, irmandade.

  13. Gente,se Jesus veio cumprir a LEI,não tem como falar que Ele não seguia o judaísmo.Afinal Ele ainda é judeu(tá vivo né?)como parte de sua identidade.Não se pode separar isso Dele,"O Nazareno".Ele deu cumprimento total,em todas as dimensões humanas, ás exigências da LEI.Todo ritual simbolizava uma verdade do homem em perfeita adoração,que só Ele pôde cumprir.Os rituais passaram,e as crtas dos apóstolos foram chamadas de escrituras por Pedro,logo são ensino p/ nós.Nossos templos são apenas lugares de reunião,a liturgia é só um foco diferente de cada grupo.O resto é bobagem!Tudo o que vai além disto é invencionice de vigaristas em busca de dinheiro ou fama,estão mortos.

  14. Discutindo termos como se fossem conceitos? É o que me pareceu. Gente, Jesus ter cumprido o que mandava a religião não prova que Ele a tinha como regra de fé (até porque se tivesse não havia cometido tantos "escândalos"), mas apenas como algo necessário ao cumprimento das profecias. A religião judaica foi estabelecida como uma precursora daquilo que viria, que não seria uma outra religião, mas uma condição de vida, a qual obtemos quando entendemos a obra salvífica de Deus completada em Cristo. Ser cristão é ter uma condição de vida diferente.

    Jesus não foi contra a religião judaica, e sim contra a religiosidade criada pelo homem ao ponto de fazer de suas leis e tradições algo maior que o amor e a misericórdia divina, vejam em Oseias 6.6, Isaias 58, Mateus 23. Jesus também não pregou e nem incentivou o povo a seguir uma outra religião, pelo contrário, ele fez (através dos muitos "escandalos") com que o povo compreendesse que a religião (a lei) serviu, APENAS, de aio para a plenitude do relacionamento do homem para com Deus, alcançado em Jesus.

    A religiosidade que combatemos é a mesma que Jesus combateu, a que faz de ritos e tradições humanas critérios de santidade e salvação, sem que o sejam. Viver Jesus é ter princípios de vida, estes não são leis, mas sim Verdades imutáveis que abrangem toda a dimensão humana; emocional, orgânica, psíquica…

    O exemplo de Thiago 1:19-27 é uma tradução prática dos dois maiores mandamentos, isso não é lei, o autor usa o termo religião para "facilitar" seu ensino no entendimento dos religiosos, porém, o que ele e Jesus ensinam aqui são valores imutáveis da vida humana.

    Religiosos ensinam religiosidade, Jesus forma caráter!

    Se penso errado, peço desculpas e espero correção.

    Abraço e paz
    http://vitrine2009.blogspot.com
    http://pelocristo.blogspot.com

  15. Will

    Se entendi bem o que você disse, você acredita que devemos usar a palavra "religião" num sentido oposto àquela que Thiago usou? Uau! Desculpe, mas a mim parece que você forçou um pouquinho a barra.

  16. Vocês não entenderam o que o Bispo Macedo quer dizer quando fala sobre "Religião"? É simples: trata-se do culto ao partidarismo e hipocrisia que têm se infestado e alastrado em todas as ditas religiões. Que eu saiba ele prega a religião ou "religação" chamada Jesus Cristo. Não façam comentários levianos, partidários e "religiosos"!

  17. Entendo que pelo fato das pessoas usarem as palavras de forma equivocada(não observadando sua etimologia) não invalida o seu sentido original,se assim o fosse haveria uma infinidade de palavras que são usadas para denominar algo e que pelo seu mal emprego deveriam ser mudadas.Exemlo:"Cristão".

  18. Religião vem de religação, e a unica forma de religação para com Deus é em Jesus, então Jesus é a unica religião o resto são falacias, doutrinas mortas e pessoas com carater adoecido e cegas guiando outros iguas a este.

  19. NOCIDEMOS O SENHOR TA DE PARABENS POR ESSE MATERIA .

    QUEM GOSTA MUITO DA FRASE DEUS NÃO É RELIGÃO É GANDI DA HINDUISMO E FORAM VIRADAS UMA ESPECIE DE DITO POPULAR ENTRE O TRIO PARADA DURO RR SOARES VALDOMIRO SANTIAGO E EDY MACEDO
    QUE NO MEU ENTENDER ESSA É UMA FRASE TIPICA DE QUEM NÃO TEM RELIGIÃO NO CASO EU OU DE PESSOAS QUE TEM VERGUNHA DE DIZER QUE PERTENCEM AO CRISTIANISMO.
    SER UMA IGREJA QUE TEM LITURGIA ORAÇÃO E 1 DEUS NÃO FOR RELIGIÃO ENTÃO É O QUE ENTÃO UM MERCADO UM SHOW EU UMA FERA JA REUNIR TANTO GENTE ASSIM NUM SO PROPOSITO E IDEAL .

  20. NOCIDEMOS O SENHOR TA DE PARABENS POR ESSE MATERIA .
    QUEM GOSTA MUITO DA FRASE DEUS NÃO É RELIGÃO É GANDI DA HINDUISMO E FORAM VIRADAS UMA ESPECIE DE DITO POPULAR ENTRE O TRIO PARADA DURO RR SOARES VALDOMIRO SANTIAGO E EDY MACEDO
    QUE NO MEU ENTENDER ESSA É UMA FRASE TIPICA DE QUEM NÃO TEM RELIGIÃO NO CASO ATEU OU DE PESSOAS QUE TEM VERGUNHA DE DIZER QUE PERTENCEM AO CRISTIANISMO OU ECUMENICA.
    SER UMA IGREJA QUE TEM LITURGIA ORAÇÃO E 1 DEUS NÃO FOR RELIGIÃO ENTÃO É O QUE ENTÃO UM MERCADO UM SHOW EU UMA FERA JA REUNIR TANTO GENTE ASSIM NUM SO PROPOSITO E IDEAL .

    TEXTO CORRIGIDO

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui