‘Grupos de louvores viraram entretenimento; louvor é na igreja’, defende DJ Alpiste

23
83
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

DJ Alpiste, presente no evento do Salão Internacional Gospel, fala do seu trabalho para ganhar vidas para Jesus em entrevista ao The Christian Post e aponta que bandas de louvor agora existem para ganhar dinheiro.
Convertido no início de 1992, DJ Alpiste contou que começou na época em que se converteu na Renascer, sendo alcançado através da música, quando grupos faziam evangelismo pela música, num evento onde a banda Kadoshi tocava.
Na época, em que ele foi um dos fundadores do rap no Brasil, e já era do movimento hip hop, ele conheceu pessoas que queriam fazer o rap cristão. A oportunidade de introduzir o então rap cristão veio através da banda Kadoshi quando foi convidado a tocar com a banda.
Louvor, mercado, evangelismo
DJ Alpiste, que diz ter seu foco no evangelismo, colocou em questão a profundidade das letras das músicas gospel e como é utilizada para o Reino de Deus, afirmando que hoje há é uma inversão de valores.
“O público que consome música se acostumou a consumir a música que se ouve no culto de domingo.”
“Hoje você tem grupos de louvor fazendo shows. Grupos de louvor que faziam parte de ministérios de louvor da igreja que cantavam no culto de domingo. Hoje eles gravam CDs e fazem shows.”
Ele alega que a música que era para ser cultivada e congregada no culto de domingo, “virou atração, virou entretenimento”, ficando de lado as músicas alternativas utilizadas para o evangelismo.
“Agora as bandas que usavam a música para evangelismo, como as de rock, de rap e de samba, que são os estilos de música alternativos, essas bandas ficaram em segundo planos. Eles não tem espaços em eventos”.
O DJ sustenta que as músicas de louvor são hoje “uma redundância”, comparando com bandas como a Kadoshi de 20 anos atrás.
“Há uma diferença muito grande de criatividade e unção”. E completa, “Hoje em dia, as pessoas fazem música para ganhar dinheiro”.
Tratando-se de mercado, as bandas alternativas para ele não tem chance. Ele dá exemplos de pessoas que conseguem contrato em gravadoras, a partir de brincadeiras que viram sucessos.
“Ninguém está preocupado com unção com talento”, reclama, defendendo que a música de adoração deve ser feita dentro da igreja.
Ele analisa o que se gasta em shows de bandas de louvor e diz que “Se pegássemos essa estrutura de divulgação, de grana, de evento, de iluminação, de som, de espaço, e fizer isso para ganhar vidas para Jesus, teria um propósito muito legal”.
“Estamos perdendo o foco, e perdendo a essência”, diz ele, ressaltando novamente que a música feita para adorar a Deus deve ser dentro da igreja.
“Vamos pegar a música que prega o evangelho na rua, nos eventos, dentro dos ginásios, para que você possa ter um fruto. A vamos deixar a música para adorar a Deus dentro da igreja”.
DJ Alpiste confirma que faz música porque tem um chamado e que independemente de ganhar dinheiro ou não, o seu foco é: evangelismo de rua, tirar as pessoas das drogas, entre outros.
“A gente vai e canta na rua, em cima do caminhão, na porta das favelas. A gente vai para esses lugares e as vidas são salvas. Meu foco é evangelismo de rua, pregar nas praças, tirar as pessoas das drogas, através do rap através do meu testemunho, independente se eu ganho dinheiro ou não”.
“Não é o dinheiro que me move. (…) O que me move hoje é ser instrumento para resgatar a vida de alguém”.
***
Faça desse post mais um debate interessante deixando a sua opinião. Fonte: Christianpost. Divulgação: Púlpito Cristão.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

23 COMENTÁRIOS

  1. Boa análise do DJ Alpiste, mas tenho que discordar em um ponto: a música de adoração deve ser feita dentro da igreja. Ela pode até ser produzida dentro da igreja, mas deve ser tocada aos 4 ventos! Adoração genuína também é uma forma de evangelismo e não apenas as de rock, de rap e de samba, que são os estilos de música alternativos. Eu não me converti por causa de rock, de rap e de samba evangélico, minha experiência foi com uma atmosfera de pura adoração. Portanto, não vejo inconsistência em se divulgar a adoração com a mesma intensidade que se divulga outros estilos. De fato, a igreja deve sair das quatro paredes e expor ao mundo tudo o que ela tem de melhor.

  2. Totalmente verdade,apesar de o estilo(musical) do Alpiste não me agradar,a crítica dele é posaitiva e muito válida,e eu ainda acrescentaria,quem sustenta esse mercado somos nós,já notaram que se um ministério famoso,lança uma música com um tema,todo munso compõe sobre aquilo,há uns anos atrás o Brasil estava inundado d etanta chuva,hoje é que Deus noa ama,falta inspiração e busca na palavra..saudaddes da banda Gerd,Denise Cerqueira gente criativa,e inspirada por Deus.

  3. O interessante que ele fala que se converteu? bem e aonde fica Malaquia 3;18 Então verei outra vez a direfença de quem serve a DEUS e que não serve. a Face de quem é convertido brilhar me desculpe, irmão mais dj? vai se converter meu Jesus não é menino não Ele é bem claro vinde como estais mais não diz permaneças como estais não tome vergonha na cara e vá viver o evangelho verdadeiro não esse aew que o povo ta vivendo do oba, oba não.

  4. Só acho muito questionável esse tipo de gosto musical sem falar na falta de originalidade e imitação dos americanos.

    Existem sim muitos louvores inspirados atualmente.
    Só não discerne quem está andando na carne e não no Espírito.

    E aí eu vejo um bando de cantores anônimos e alguns até invejosos, que cantam umas músicas sem graça e sem unção, tipo bossa nova e as vezes não falam nem de Jesus que ficam criticando os louvores atuais. Por isso que vão continuar no anonimato.

  5. Não é somente a música que virou um espetaculo de entretenimento, a fé, as curas, os milagres, os cultos e por ai vai. A igreja se secularizou, e isso é notorio.

    As letras das músicas que tocam nas emissoras de rádio, nas ruas, nas igrejas…Mostram muito bem o tipo de evangelho que estamos vivemos, que estamos pregando…músicas batidas com tematicas batidas, eu quero poder, unção, Vitoria!!! Eu determino a cura, a conquista, a quebra da suposta "maldição" hereditaria. Eu profetizo. E por ai vai.

    A música que tocamos hoje, retrata um triste momento historico da igreja cristã no país, o momento laodiceia de ser igreja!!!

  6. Talvez esse comentário não vá ao ar. Não sei.

    Eu prefiro me manter anonimo para evitar maiores confusões.

    O que o Alpiste falou é verdade, mas ele não tem moral pra falar sobre isso, ele fecha com a Renascer e só quem é mais próximo sabe das "barbaridades" teológicas que ele "prega" por ai, inclusive a Teologia da Prosperidade.

    Todos sabem que o Alpiste não é e nunca foi exemplo de cristão, ele se defende atrás de um rótulo de "pioneiro" mas deopis de tantos anos no evangelho não se vê muitas mudanças em sua vida. Sempre quer sair na mão com quem vai contra os seus pensamentos. Infelizmente.

    Quem não te conhece que te compra.

  7. "Ser ou não ser? Ter ou não ter razão?" Falou e disse DJ Alpiste. Tá com toda a razão. Algo tem que voltar a mudar em nosso coração.
    Sigo esse irmão desde a banda Kadoshi (saudades daquele tempo…) e já usei seu estilo para evangelizar.

  8. Esse rapaz fala que os grupos querem ganhar dinheiro ,mas ele me cobrou para ir na minha igreja ,dizer que o foco dele e evangelismo, ele mudou , porque nao era .

  9. Concordo com as palavras do DJ Alpiste, mas a era dos DJs de "God" também é alternativamente lucrativo e consonante com as "tendências". Já não há grandes diferenças.

    Que o digam os maestros voluntários que quase não encontram espaço para cultivar música e valores.

  10. Esse cara é uma PIADA…se comparar ele com aqueles povos que serviam deuses antigos, até se confundiria…
    OS HOMENS EXPÕEM O QUE ESTÁ CHEIO O CORAÇÃO….

  11. E complicado hoje o mercantilismo tomou conta da maioria do cenário.
    Só que o DJ esta reclamando de algo que ele mesmo já desfrutou achar que vale tudo para evangelizar não bem por ai, a mensagem de Cristo não deve ser ofuscada pelo estrelismo de alguns cantores, ele mesmo já se intitulou como gang star gospel, era de uma gravadora que abusava do estrelismo e se gabava por ser a melhor.
    Quem deseja realizar uma música que tem Cristo como foco, tem que se acostumar a não ter o brilho dos holofotes, e sim o brilho da humildade de Deus.
    Esses mercenários musicais só aumentam, porque o povo e pouco seletivo,os músicos que eram exclusivos da igreja,forma influenciados por esses músicos ditos alternativos,que foi gerando uma bola de neve ao ponto de não haver diferença entre eles,e só olhar algumas igrejas que hoje já possuem um sistema de som e luz de uma casa de show.

  12. eu conheço djalpiste ja toquei com ele já trouxe ele aqui em salvador e tudo que ele ta dizendo ae é mentira ele é um grande hipócrita liga pra ele pra fazer um evangelismo e ver qual tipo de conversa que se vai ter.

  13. Esse cara é mentiroso ele tem que se converter. Ai Alpiste tem um evangelismo aqui em salvador na minha quebrada não tem passagem nem hospedagem, Tem muitos drogados aqui querendo te ouvir e ai??? Para de ser hipócrita mão. Veja quantos comentarios tem te escaldando vc está queimado em todo canto do Brasil rapaz

  14. Amigos,

    Quando a música é boa, é boa para quem a ouve.

    Agora quem disse que adoração à Deus é cantar? Adoração é bater palmas? Adoração são ritmos de musica? É dançar? O que é adoração?

    Poxa! Será que Jesus disse: cante a Deus e ao seu próximo?

    Ele disse: ame a Deus e ao seu próximo!

    Logo, adorar a Deus é fazer o que Ele pede e ser fiel no que Ele pede.

    Será que isso é simples demais? Tem que inventar outras coisas?

    O proféta Isaias escreveu:

    Dos confins da terra ouvimos cantar: Glória ao justo. Mas eu disse: Emagreço, emagreço, ai de mim! Os pérfidos têm tratado perfidamente; sim, os pérfidos têm tratado perfidamente.
    Isaías 24:16

    Pérfido = adj. Desleal, que falta à fé jurada; traidor, infiel, desleal.

  15. Sinceramente, não entendi a finalidade dessa dicotomia entre "música para adorar a Deus na igreja e música para pregar o evangelho nas ruas"… para mim se não serve para ser ouvida na igreja, muito menos servirá para evangelizar. Então, a música que comunica o testemunho de vida do irmão não serve para a igreja?? Entendi mal? Aprendi que é Deus quem move os corações das pessoas ao ouvir uma música e as tira da servidão do pecado. Isso pode ocorrer em qualquer lugar, igreja, rua, no som do seu carro, na escola, etc…

  16. Pode se ver a diferença naquele que canta pra engradecer a si mesmo e naquele que canta com o propósito de evangelizar, concordo plenamente com Dj Alpiste.

  17. Já curtí muito as músicas do Dj quando eu era novo convertido! Hoje, já não consigo digerir esse evangelho sem mudança de vida. O que mais me chamou atenção, foi ele dizer que não faz música pra ganhar dinheiro! (?????) Eu nunca recebí nenhum CD dele de graça!!! Aliás, os CD's evangélicos são bem mais caros que os de artistas seculares, e muitas vezes com bem menos conteúdo! (Quem lê entenda!)Realmente existe diferença entre música e louvor! E o que vemos hoje em dia é puro comércio!

  18. Entendo o dj Alpiste. Também acho que devemos que separar louvor de entretenimento.
    A música tem várias funções na vida do ser humano, entre as quais a de servir como forma de lazer. O crente tem sim o direito a essa forma de lazer que é ir a um bom show de música. se essa música falar de Deus e veicular valores positivos, melhor ainda.
    O que não se pode é misturar as coisas, entretenimento é entretenimento ainda que a música seja cristã e sirva para mudar com sua mensagem a vida de alguém. Adoração é adoração e jamais deve estar ligado a dinheiro ou à obtenção de lucro. Ou seja, o adorador jamais adorará em troca do vil metal, enquanto o artista pode sim cobrar pelo show.
    Chego a dar risada quando penso nesses cantores do gospel hodierno que cobram cachês, muitas vezes altíssimos, para comparecerem em eventos e adorarem a Deus com o povo.
    Reafirmo que é necessário separar o adorador do artista. eles até podem coexistir na mesma pessoa mas cada um em seu momento. Por exemplo: quando um irmão que é cantor se levanta na igreja para louvar a Deus, é o adorador que está ali, mas esse irmão pode ser tb um artista e viver da sua arte fazendo shows com música cristã e povo pagando para consumir a sua arte sem a ilusão de que aquilo é um ato de adoração a Deus.
    A confusão entre adoração e entretenimento é uma hipocrisia que atende a diversos interesses dentro do meio evangélico e serve a cantores e líderes que ganham dinheiro e pretígio, fazem marketing e controlam pessoas através dessa enganação.
    É interessante para os cantores porquem assim eles mantém um público cativo que consome até mesmo música muito ruim, porque afinal é para adoras a Deus.
    É interessante para os pastores porque se o evento é tido como sendo de adoração não foge do controle dos mesmos, ao contrário do que aconteceria se os crentes soubessem q estão indo a um evento de entretenimento onde se tocará música cristã (embora em muitos casos a música que é tocada nesses eventos nem pode ser considerada cristã, visto que destoa e até contraria princípios da fé cristã).

  19. Seu comentário é muito verdadeiro, uma cois aque me irrita é qnd no meio de um show gospel o músico vem com aquela ministração no meio da música, inclusive a música prevê a parada da ministração, é uma piada de mau gosto com os que querem apenas ouvir uma boa música.
    Outra coisa, rap, rock ou qualquer vertente musical alternativa cantada como música cristã é uma piada, não costumam ser nem um bom louvor nem uma boa música, por isso qd quero ser entretido vou direto aos artistas seculares que são infinitamente superiores a estes artistas gospel, letra vazia por letra vazia fico com as com melhor musicalidade.

  20. Desculpe meu irmão, mas Jesus nunca ensinou que evangélico precisa de usar uniforme de crente, ser cristão é ter vida de cristão e não parecer cristão, de aparências o mundo está cheio, quero ver ter exemplo de vida… Se não conhece o irmão não o julgue pela aparência. Leia Mateus 23, que você vai entender o que quero dizer pelas palavras de Jesus.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui