Arminianos, Reformados e a expiação limitada

49
602
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

TulipasPor Leonardo Gonçalves
Esta semana li um texto onde o autor afirma que a doutrina reformada da expiação particular ou limitada é uma petulância teológica. Neste texto gostaria de defender a ideia de que o autor, embora arminiano, também crê em uma expiação limitada. Isso porque a doutrina da expiação, seja ela arminiana ou reformada, sempre compreende uma expiação limitada. Senão, vejamos:
Arminianos pregam uma expiação limitada pela vontade humana. Segundo eles, o alcance da expiação é limitado pela vontade humana, de querer ou rejeitar o Senhor. Não parece óbvio que, dentro do sistema arminiano também existe um limite para a expiação? A diferença é que este limite é estabelecido pelo homem.
Os reformados também creem numa expiação limitada. No entanto, afirmam que a única coisa que pode limitar Deus é Sua própria vontade. Não cremos em um Deus cuja vontade possa ser limitada pelo homem. Exaltamos a soberania de Deus sobre os assuntos humanos e cremos que Deus não pode ser limitado por qualquer coisa fora dele. Tal limitação seria uma diminuição do atributo da Onipotencia divina, um pecado que não desejamos cometer.
No arminianismo, o homem limita Deus. Para o reformado, Deus limita Deus (isto é, Deus não pode ser limitado por nada além de si mesmo. O único “limite” em Deus é a sua própria vontade). Por isso, quando os arminianos dizem que a expiação pregada por eles não é “limitada”, caem em óbvia contradição, pois ao dizer que Deus está condicionado pela vontade humana, limitam o poder de Deus para salvar. Segundo este raciocínio, Deus não pode salvar a quem ele quer. Ele está condicionado (limitado!) aos caprichos da humanidade.
Não sou inimigo dos arminianos. Encontro crentes devotos entre eles. Muitos dos meus amigos são arminianos. O que me assombra é inquisição teológica e o profundo preconceito que muitos arminianos – que são maioria na América Latina, devido à forte influencia pentecostal na evangelização do sul do nosso continente – demonstram com respeito aos reformados, calvinistas, atacando as doutrinas da graça quando sequer fizeram um esforço sincero de entendê-las. Assim, vão ferindo a lógica, as Escrituras e diminuindo Deus, limitando-o aqui e ali, recusando-se a submeter-se à vontade de um Deus que é totalmente soberano.
Não é incrível que aqueles que acusam os calvinistas de pregar uma expiação limitada também preguem um conceito limitado de expiação? Isso me faz lembrar aquela velha história do macaco sentado no próprio rabo e implicando com o rabo alheio.
A expiação, como pregada pelos reformados exalta Deus. A visão apresentada é de um Deus glorioso que não conhece limitações fora de si mesmo. Um Deus Onipontente, robusto, cheio de glória. A expiação pregada pelo arminiano diminui o Soberano, limita seu poder à vontade das suas criaturas. Não é em vão que essa forma de pensamento foi chamada de semi-pelagianismo. Ela representa um passo em direção à Roma. Não é um catolicismo, admito. Mas representa um passo em direção ao romanismo e seu antropocentrismo medieval.
Muitos falam em reavivamento reformado. O movimento chamado “Novo Calvinismo” tem apresentado uma nova cara da fé reformada, um “calvinismo carismático-continuísta”, digamos assim. No entanto, a pós-modernidade, com seu total desprezo pelas autoridades e um desejo de emancipação, de viver “livre” e fazer o que bem se entende, não querendo submeter-se a nada nem a ninguém, cria um cenário perfeito para a proliferação do Arminianismo, uma doutrina que coloca o homem no centro do universo e faz com que todas as ações divinas se centralizem em nós.
Do mesmo modo, um Deus que busca a própria glória e faz todas as coisas pelo beneplácito da sua vontade, que governa soberanamente, endurecendo a quem quer e quebrantando a quem quer; que reina sobre a vontade dos homens e rege o curso dos astros, certamente será desprezado por uma geração ensimesmada e cheia de desejos de auto-glorificação.
Soli Deo Gloria.
***
Leonardo Gonçalves é um pecador alcançado pela graça de Deus

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

49 COMENTÁRIOS

  1. Fala, Leo! Mano, agora você foi no PONTO.

    Essa é uma das grandes discussões que tenho com amigos arminianos sobre os 5 pontos do calvinismo. Só é possível imaginar uma expiação se essa for limitada. Se a expiação for ilimitada, implica dizer que toda a humanidade está salva, assim, não haverá condenação.

    A morte de Cristo foi, segundo Paulo o preço pago pelos nossos pecados para comprar-nos da morte e trazer-nos para a vida. Entende-se então, que Cristo morreu por aqueles a quem Deus quis comprar.

    Não entendo porque essa necessidade de fazer Deus parecer um velhinho bonzinho que não condena ninguém.

    Parabéns pelo texto, meu amigo.

    SOLI DEO GLORIA

  2. Meus irmãos em Cristo, essa discursão entre calvinistas e arminianos é uma das mais tolas envolvendo o meio cristão. Tirando as 5 solas, tudo pensamento filosófico, mais nada.

  3. Sou Batista por formação e desde a muito tornei-me um calvinista confesso…gostei a beça de sua exposição!!!

    Compartilho da mesma opinião: embora muitos dos que admiro tenham pensamentos arminianos (minha própria esposa), é difícil não deixar de falar, quando me é indagado, acerca da Maravilhsa Graça sob ótica daquele que me elegeu…sendo eu esse miserável pecador!!!

    Abço!

  4. O Léo,

    Me parece que você prossegue cometendo os mesmo erros de muitos calvinistas desavisados da teologia arminiana, principalmente o arminianismo classico.

    Você disse: "No arminianismo, o homem limita Deus. Para o reformado, Deus limita Deus."

    Na verdade no arminianismo Deus limita a sua vontade soberana para não violentar a vontade humana. E se ele faz isso segundo a sua vontade, quem é o homem para questionar.

    Quando você diz que Deus limita Deus não está aderindo conseitos do teísmo aberto?

    Eu vejo você falar do arminianismo e fico um pouco assustado. Mas vamos lá.

    Expiação ilimitada ensinada pelo Arminianismo não diminui a soberania de Deus, de maneira alguma. O fato de Deus limitar a sua vontade segundo a sua vontade para que o homem pela graça livre do pecado possa escolher livremente, não dimiunui a soberania de Deus.
    Isso mostra um Deus amoroso que deseja salvar a todos, mas que respeita (segundo a vontade dEle) a vondade humana.

    O problema de muitos não aceitarem o calvinismo é o fato dessa doutrina dizer que Jesus ao limitar a sua expiação para os escolhidos, dizem que os outros que não foram escolhidos foi porque Deus quis manda-los para inferno. Violentando a própria vontade desses para que esses não aceitassem o evangelho quano pregado. E isso é um absurdo.

    Vou ficar por aqui.

    Jean Patrik

  5. Muito esclarecedor o comentário do irmão Leonardo. Quando Deus abriu meu entendimento para a Graça Soberana, pude entender vária coisas que acontecem em minha vida. Posso ver Deus em tudo aquilo que faço. É Deus que salva é a salvação é de Deus do início ao fim. Isso não isenta a responsabilidade humana. O homem crê, mas se ele creu, é porque é um escolhido. Acredito que nossa visão, para glória de Deus, é Teocentrica! SOLI DEO GLORIA!

  6. Leonardo,arminianos também sofrem preconceito.
    Quantas vezes não somos chamados de hereges por calvinistas mais extremados?
    muitas vezes.
    uma vez li um texto do Rev. Steven Houck sobre o que ele acha ser arminianismo, e eu só pude sentir nojo e "vergonha alheia".
    Você também repetiu velhos clichês.
    Existem extremistas arrogantes dos dois lados,que não querem entender o ponto de vista do outro.

    Nenhum debate digno pode ser travado enquanto ambas as partes admitirem que nem o calvinismo,nem o arminianismo ou molinismo podem ser chamados de sinônimos de evangelho.

    Qual homem pode dizer que sistematizou o evangelho?
    nenhum.

  7. Concordo com grande parte do texto, porém achei que houve um certo exagero e até erro de sua parte ao dizer: "… Para o reformado, Deus limita Deus.". Não seria mais sensato dizer:"… Para o reformado, Deus limita o homem.", uma vez que a salvação esta condicionada ao que Ele fez por nós, não por nossos próprios méritos. "
    Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos;
    Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;
    Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.
    (2 Timóteo 2:11-13)

  8. Marcos,

    O que quis dizer é que o único limite que Deus conhece é a sua própria vontade. Não se trata de um limite no "ser", mas um limite em sua "ação". Certamente Deus não agirá contra sua vontade.

    Abraço fraterno.

  9. Meu mano Jean,

    Ao dizer que "Deus escolheu soberanamente limitar sua vontade para não violar a vontade humana", é você que está a um passo do teísmo aberto. Aliás, o teísmo aberto nada mais é do que o arminianismo levado às últimas consequências. Tipo, "Deus, por ser amor, decidiu não interferir, e só assim o homem pode ser totalmente livre". Qualquer semelhança entre pressupostos não é mera coincidencia.

    Abraço.

  10. Alguém Ja leu romanos 9:19-23? ou no salmo 115 onde diz :"o meu Deus está no céu e faz tudo que lhe apraz"? O Deus descrito na Biblia é amoroso e soberano ,não há contradição nisso . O cuidado de Deus nos cerca nos minimos detalhes, e é por isso que o busco .Foi pela vontade dele que fui salvo e assim permaneço .
    E é o conhecimento de romanos 8:30 que me mantém feliz nele ,vivendo sempre a alegria da salvação e a humildade daquele publicano que batia no peito clamando por Misericordia! Cristianismo sem certeza de salvação é Blasfêmea ! é diminuir a Deus e chamar a obra da salvação de "Meia boca".

  11. E a história se repete…

    a 2000 anos:

    E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo.

    Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis;

    porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens?

    Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens?

    Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um?
    1 Coríntios 3:1-5

    e agora em 2012,…

    E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo.

    Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis;

    porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens?

    Porque, dizendo um: Eu sou de CALVINO; e outro: Eu de ARMINIUS; não sois apenas homens?

    Pois, que é CALVINO, e que é ARMINIUS, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um?
    1 Coríntios 3:1-5

    – As crianças não querem crescer!

  12. Paz a todos.
    "O que me assombra é inquisição teológica e o profundo preconceito que muitos arminianos – que são maioria na América Latina, devido à forte influencia pentecostal na evangelização do sul do nosso continente "_ Que me desculpe o autor do blog, mas isto depende da orientação teológica dos sites que se lê, pois cansei de ler calvinistas falando sobre arminianos" negam a soberania de Deus, semipelagianos,… etc.
    Deus não necessita em nenhum momento do ser humano, então não faz sentido ter o ser humano o amando de uma maneira forçosamente condicionada. Assim sendo, sua soberania não é diminuída ou violada quando oferece ao ser humano a possibilidade de aceitá-lo ou rejeitá-lo, pois esta possibilidade não parte do ser humano, mas Dele próprio. Foi Deus Filho que tomou sobre Si nossas dores e não nós mesmos. Criticamos o Deus emotivo e fraco do teísmo aberto, mas em alguns momentos, o Deus dos calvinistas ao criar o homem parece ter sofrido da síndrome de um possível abandono e então resolveu antecipadamente eleger, salvar redimir e condicionar alguns que creriam e outros que não creriam. Jesus morreu por todos, pelo menos é o que eu entendo conforme "Jo.12:32 E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim."_ a não ser que todos sejam os contidos nos limites da expiação.

  13. Léo,

    Não fui eu que disse que Deus se limita, dizer que Deus se limita, coloca todos os seus atributos em jogo.

    Mas como você disse que o arminianismo levado até as últimas consequencias adere a Teologia Relacional, gostaria que me falasse como isso se dá. De preferencia faça isso em uma artigo mais detalhado, e ai veremos se é fato o que falas.

    Um abraço!

  14. Quase esqueci desse detalhe que para mim é pior que os conceitos do teísmo aberto. Esse negócio de você dizer que Deus é soberano e faz tudo acontecer, faz dele o autor do pecado e do mal.

    Não acredito que Deus use a sua soberania para fazer o mal ou criar o mal.

    Esse é o calvinismo levado até as últimas consequecias.

    Jean Patrik

  15. E a história se repete…. gostei desse comentário do Adilson. Agora o que me impressiona é o primeiro cometário! Será que o defensor do calvinismo já parou pra pensar que ele pode ser uma dos tais que Deus não quis comprar? Acreditar que Deus que é amor, e a propria palavra afirma que ele o é amor, resolveu por questões pessoais que mesmo que uma pessoa, e vamos tratar aqui esta pessoa como sendo o "Joãozinho". Será que Deus disse já de antemão que, mesmo que o Joãozinho queira, deseje e busque a salvação em Jesus com toda as suas forças, ele não a terá, pois já está definido que ele não foi comprado, ou seja ele não faz parte dos escolhidos. Esta idéia é assustadora voces não acham?. Creio sim em uma Presdestinação como tão bem defende o reverendo Nicodemus, em que consiste na resposta ao chamado para a salvação, ou seja todos os predestinados precisam responder com um sim a esta predestinação. Deus escolheu tal pessoa para a salvação, mas ela precisa aceitar esta salvação, caso contrário estará fora.

  16. Léo José, nós temos que entender que o "homem natural", não regenerado pelo Espirito Santo, está morto para as coisas de Deus! Morto é Morto! Não há meio termo! Se você crê em Jesus Cristo, você, mesmo indigno, merecendo o inferno, foi alcançado pela Graça Soberana! Não que você decidiu por Ele! Ele que é o Deus e não nós!

    Glória Somente a Deus!

  17. E sendo uma vez Deus o criador do mal, o incentivador no endurecimento do coração e o motivador do pecador em pecar, como culpar o homem visto que não houve por parte do homem vontade deliberada para isso ?
    Incorreria do homem perguntar, "mas fui "forçado" a isso, não tive escolha, como posso ser culpado?".
    Em todo caso, a doutrina calvinista me atrai em partes, assim como partes da doutrinas arminianas, mas acabo ficando com a afirmação de um calvinista famoso, Augustus Nicodemos Lopes ao perguntado como conciliar as duas
    "Eu não sei!".

  18. Ah, e desculpem de novo, mas sobre o já manjado argumento "eu seu de Calvino, eu sou de Armínio"… Gente, por favor, não vamos violentar nem a passagem bíblica nem o contexto histórico do Sínodo de Dort. Isso é subestimar nossa inteligência.

  19. E sobre o argumento "já pensou se você, defensor do calvinismo, não for um eleito"… Eu poderia explanar melhor sobre como a Graça de Deus opera, mas responderei na mesma linha: "arminiano, já pensou se você peca, cai da graça, sai na rua, se acidenta e morre sem ter tempo de se arrepender?" – a lógica é a mesma!

  20. valeu Adilson, o resto é conversa pra boi dormir, digo, crente dormir, porque enquanto discutem bobagem, por que não vão orar ou ler mais a Bíblia ou ainda melhor, evangelizar? ah, vão se catar…

  21. O comentário mais sensato desse debate. Parabéns irmão Adilson!
    Essa discussão é uma das mais tolas que eu conheço. Já ouvi um pastor dizer que o avivamento no Brasil só virá através da visão calvinista… Uma besteira sem tamanho!
    Estão fazendo como a igreja(?) de Roma: querendo definir limites de ser considerado um cristão.

  22. Leonardo

    Basicamente o argumento calvinista é: Se ouver algum outro ser livre no universo, a não ser Deus, então Deus é diminuido.

    É um argumento estranho. Significa que um Deus capaz de criar seres livres é inferior a um Deus que só é capaz de criar robôs. A mim parece justamente o contrário.

    Quanto ao que você conta sobre arminianos que são agressivos e descaridosos, isso me choca. Mas confesso que, pelo que tenho visto na internet, é justamente o contrário. Já ví muita agressão aos arminianos por parte de ALGUNS calvinistas.

    Finalmente, a imensa maioria dos arminianos acredita que Deus conduz o pecador ao arrependimento e fé, conforme ensina a Bíblia. É o que Wesley chamou de graça preveniente. É descabida a acusação de semipelagianismo aos arminianos.

    A única diferença é que os arminianos não acreditam que essa graça (prevenianete) seja irresistível. De qualquer forma, graça irresistível é um conceito que surgiu muito tardiamente no cristianismo. Durante muitos séculos nunca se falou nisso.

  23. Pedro Araújo,

    Baseado em seu texto posso dizer que você nunca foi arminiano e não entende completamente nada de arminianismo [não se preocupe, até bem pouco tempo atrás eu era como você]. As igrejas neo-pentecostais são pelagianas [ou no máximo semi-pelagianas].Você não se tornou calvinista porque passou a orar, fazer devocional, anotar e se aconselhar com os mais experientes. Você se tornou calvinista porque conheceu as doutrinas da graça, as quais o arminianismo também crê. Você literalmente se libertou do jugo da escravidão da lei.

    Você perguntou: “se Deus não viola a vontade do homem (mesmo que tenha decidido isso em Sua soberania), porque nem todas as pessoas têm a mesma oportunidade – seja ao longo da história da humanidade, seja nos mais variados contextos atuais – de “ter contanto EFETIVO com o Evangelho”, ser alcançado por ele, pois, no mínimo o que os fatos mostram é que nem todos sequer ouvem, então nem todos poderão se decidir por crer e serem salvos?”

    Eu respondo: Esse problema não é somente arminiano, mas calvinista também. Um calvinista poderia responder que o evangelho não chegou em determinado local porque não tinha nenhum eleito lá. Um arminiano poderia responder que Deus, por sua pré ciência, saberia que ninguém responderia positivamente ao chamado naquele local. Mais isso seria fugir da responsabilidade da pregação do evangelho. Eu (e mais alguns calvinistas e arminianos) penso que há a possibilidade de Deus ter se revelado de uma forma especial aos inalcançados, mas não há como ter certeza.

    Você disse: “Desisti do arminianismo pois cheguei à conclusão de que ele é nada mais que um universalismo frustrado! Fiquem na Paz!”
    Gostaria de convidá-lo a estudar melhor o arminianismo para não atacá-lo sem conhecimento. No mais, fique na paz do Senhor.

  24. PEDRO, NEM DE LONGE É A MESMA LÓGICA, POIS NESTE CASO EU PEQUEI, E SEI QUE PEQUEI, COMETÍ UMA INFRAÇÃO, E DEVO ME ARREPENDER, E ESTE ARREPENDIMENTO DEVE SER DE IMEDIATO, NÃO PODE SER DEIXADO PARA AMANHÃ.AGORA SABER OU NÃO SABER SE ESTAMOS DENTRO DESTA GRAÇA COMO ALGUNS COLOCAM É OUTRA COISA.QUANDO FALO ESTAR FORA DA GRAÇA ESTOU FALANDO COM BASE NAQUELE ARGUMANTO QUE: DEUS ESCOLHEU ALGUNS PARA SER SALVOS E OUTROS PARA IR PARA O INFERNO(e isso é pouco provável) SE LEVARMOS EM CONTA A DESCRIÇÃO DO GRANDE AMOR DE DEUS EXPLICITO NAS ESCRITURAS SAGRADAS.A TEOLOGIA DA PREDESTINAÇÃO NÃO PODE SER ACEITA(PENSO EU) SE ELA NÃO ESTIVER LIGIDA DIRETAMENTE A RESPOSTA AFIRMATIVA PARA ESTE CHAMADO(PREDESTINAÇÃO).NO MEU DIMINUTO ENTENDIMENTO TODOS SÃO PREDESTINADOS, MAS SÓ RECEBEM AQUELES QUE RESPONDEREM COM UM SIM PARA ESTE CHAMADO A PREDESTINAÇÃO.CASO CONTRÁRIO ENTÃO NOSSO PREGAÇÃO É VÃ.

  25. Então, Samuel, eu reconheço que é um tema complexo, e que realmente posso ter escorregado em algumas colocações contra o arminianismo, mas quando você diz "um arminiano poderia responder que Deus, por Sua pré-ciência, saberia que ninguém responderia positivamente ao chamado naquele local", isso tá mais pra visão molinista do que arminiana (é só uma nota minha sobre o assunto mesmo). Agora, sinceramente, você me confirmou aquilo que eu desconfiava, e me deixou tranquilo em ter saído da igreja onde eu estava: a igreja que eu frequentava era de semi-pelagiana a pelagiana mesmo, mas eu não queria chegar a tal extremo – com todo respeito, antes fosse arminiana (mas, como comentei com o pastor da IPIB que comecei a frequentar agora, é difícil achar hoje igrejas realmente arminianas, e eu, embora debata contundentemente, respeito muitos arminianos, mas o problema é que hoje a maioria dos arminianos que conheço é, de fato, pelagiano).

  26. Pedro Araujo

    Simplemente não conheço arminiano algum que afirme (nem jamais li em qualquer coisa escrita por algum arminiano) que haja alguma possibilidade de alguém jamais ter pecado. Todos os arminianos que eu conheço ou dos quais eu tenha alguma notícia afirmam o que a Bíblia afirma: "Todos pecaram". A minha vida inteira eu convivi principalmente com crentes arminianos, e um ponto central das pregações evangelísticas sempre foi que O OUVINTE, QUALQUER QUE FOSSE ELE, ERA UM PECADOR, PORQUE A BÍBLIA AFIRMA ISSO. Simplesmemte m]ap emtrei em contato com essa suposta "conseqüencia da crença arminiana" que o irmão afirma.

    Você afirma também: "A base da doutrina calvinista não contempla o embate de força entre a liberdade de Deus e a do homem, mas, acima de tudo, reconhece a soberania de Deus, pois Deus é “muito mais livre” que o homem, e, pela simples lógica, no fim das contas é o desejo da livre vontade de Deus que prevalece, até mesmo sobre a liberdade que Ele concede ao homem".
    Até onde sei, fora os calvinistas assim chamados "compatibilistas", todos os outros acreditam que o homem não tem liberdade alguma. A questão não é de opor a força da liberdade de Deus com a do homem, porque todos os verdadeiros arminianos acreditam que Deus é infinitamente mais forte que o homem. Mas a lógica me conduz a crer que o verdadeiro calvinismo é incompativel com qualquer forma de liberdade de qualquer ser. Porque se todos os eventos do universo, em todo e qualquer momento, foram ordenados por decreto de Deus, então é certo que nenhum outro ser goza nenhum grau de liberdade. Já os verdadeiros arminianos não creem que o homem tenha uma liberdade ilimitada, apenas creem que ele tenha certo grau de liberdade, estritamente permitida por Deus.

    Uma das graves contradições entre o calvinismo e a Bíblia é que aquele faz de Deus o autor de todo pecado (ainda que os calvinistas, contradidóriamente, não acreditem nisso). Mas isso contradiz frontalmente a Bíblia que nos ordena "ninguém diga, de Deus sou tentado, porque Deus a ninguém tenta…".

    Mas poderá ser também que eu não tenha entendido o calvinismo, ou os calvinistas que conheci na internet tenham defeito de fabricação. Se for esse o caso, perdoe-me a falha.

  27. Recomendo a leitura deste artigo:

    Estudo sobre "predestinação" (com respostas a algumas objeções) – http://pedro-araujo.com/v6/?p=937

    No mesmo artigo tem links pra outros textos relacionados.

    E também indico a leitura do livro "Calvinismo e arminianismo evangélico", de John Girardeau, publicado em português em 2011 pela Livraria Primícias.

    Seria interessante que um arminiano indicasse a leitura também de um bom livro que comparasse as duas doutrinas, tal qual indiquei acima.

  28. então a salvação não está no sacrifício de Cristo, ou não está totalmente no sacrifício de Cristo, mas no seu mérito de se arrepender após ter pecado.
    Esta sua premissa é equivocada.
    Mesmo que voce jamais tenha pecado em sua conduta, voce vai morrer pecador, porque voce tem o pecado original.
    O arrependimento para o que é salvo é automático, ainda que inconsciente, ainda que não expresso. Faz parte de sua personalidade.
    O arrependimento não é condição do salvo, mas consequencia da salvação.
    Definitivamente, quem assim pensa, não cre na suficiencia do sacrifício vicário de cristo para redenção dos pecados.

  29. Para o comentário do Menandro. Bom então sendo alcançado pelo sacrificio de Cristo não há como escapar da salvação, embora eu possa pecar e não me arrepender, ou que sendo eleito eu não consigo mais pecar, e nem querer me arrepender, pois essa condição é automática, mesmo que eu não queira, eu interiormente vou me arrepender?. Muito boa essa, e alías á melhor de todas que já vi. Quer dizer então que apocalipse 3:3 não se aplica para quem está em pecado? Na parabola das 10 virgens 5 não eram predestinadas e por isso não tinham o azeite, né? As outras 5 tinham não porque eram vigilantes, mas porque eram eleitas.Quando Jesus disse que é para arrepender-se eu não consigo saber para quem era esta palavra, visto que os eleitos já estavam eleitos, e mesmo que não se arrependesse, isso aconteceria naturalmente e automaticamente, sem nenhuma necessidade de confissão de pecado.É de rir esta teoria.Meu caro todos crentes em Jesus sabe que a salvação é pela graça e consequentemente um sacrificio unico de Jesus e que só Ele poderia fazer isso, todavia achar que não há como sair fora dessa graça cometendo pecado e que ainda que se cometa pecado não há necessidade de se arrepender, pois isso é automático já para os eleitos é muito perigoso.Será que voce defende a tese de uma vez salvo, salvo para sempre. Caracas, é muito bom ser cristão assim é bem mais fácil, todavia o lado ruin é não estar dentro dessa eleição(que deve ser só para alguns especiais).

  30. Creio na graça soberana de Deus, creio num Deus que não limita sua redenção mas que respeita o livre arbítrio. Respeito muito os calvinistas, e tem muito da teologia calvinista que me chama atenção. Escuto muitas pregações reformadas e leio também livros reformados, porém creio num Deus que salva aquele que se arrepende e tratando de arrependimento tem que ser feito pelo homem, pois Deus não pode se arrepender por nós e não nos obriga a nos arrependermos, pois sendo assim este não seria sincero, porém toda ação vem de Deus, o homem só responde a esta ação e se endurece o coração não há como ser alcançado, a expiação chega a ele, mas a dureza de coração impede de ele ser conduzido ao arrependimento e assim receber a graça salvadora de Cristo. Logo a expiação é ilimitada, porém a aceitação é limitada, nem todos quebrantarão seus corações em arrependimento. Um Deus que não respeita o livre arbítrio e escolhe na base do "une dune te" não é o Deus da bíblia, a soberania de Deus não anula seu amor, se em João 3:16 diz que Ele amou o mundo, logo deveria salvar todo o mundo, mas ai sua justiça seria negada, logo o arrependimento é a chave que conduz ao perdão e este a vida eterna, tudo isso operado é claro pelo Espírito Santo!

    Abraço

  31. 1 – Te respondendo (se me for permitido): O Outro Lado do Calvinismo, de Laurence Vance. Um ataque certeiro ao calvinismo, tanto na parte histórica quanto na teológica.

    Quer outros bons livros? Pegue as obras dos arminianos das antigas: Arminius, Goodwin,. Fletcher…

    Aliás, mil perdões, mas sabe como é, são anos de perseguição (desde que Gomarus dizia que Arminius lambia as botas do Papa) impediram uma teologia decente bem-escrita por arminianos.

    E nós somos bem mais práticos que os calvinistas – basta ver quantos se convertem em igrejas arminianas (as de verdade, e não as 'alabaxaracaparatacavarabababatacatá', OK?) , e quantos calvinistas perdem tempo em blogs escrevendo sempre sobre a mesma coisa sem cessar… Em vez de falar do calvinismo, só sabem atacar o arminianismo, e isso sem sequer pegar um livro pra dizer 'é, eu li e analisei o arminianismo a fundo, e eu não concordo com ele'. Ah, falar 'eu vim de uma igreja arminiana' não te ajuda, tá? Existem poucas igrejas arminianas de verdade no Brasil – só algumas batistas e a Metodista.

    2 – Uma resposta a esse artigo está quase pronta!

    3 – Que tal fazer um vídeo no meio de uma praça contando a parábola da cadeia calvinista? Vamos ver como se evangeliza contando aquilo!

  32. Aliás, Pedro, vejo que você manja bastante de arminianismo. Que tal um debate, lá no meu blog, o credulo.wordpress.com ?

    Mesmo eu estando um tanto ocupado, acho que vai ser interessante. Queria comentar alguns textos de seu blog, mas ele não permite comentários fora do Facebook…

  33. arrependimento ( no sentido bíblico é abandono do prazer do pecado); renuncia; perdão; comunhão, misericordia, são efeitos inatos ( naturais ) e indissocipaveis da graça salvífica na vida de um cristao.
    Quem ama o pecado, não conhece a redenção.
    Quem diz que foi salvo e não se arrepende intencionalmente, por obvio, este jasmais conheceu a Cristo.
    A salvação foi muito cara, paga a preço de sangue. É por isso que ela não é temporária, aleatória e não perece como poeira ao vento.
    A salvação foi o instrumento divino para que o pecado não seja ao salvo, imputado como penalidade.
    É por isso que a salvação não pode ser destruída pelo pecado, pois o pecado ( em seus efeitos) é que é por ela aniquilado.
    Aceitar que o pecado destrói a salvação, é crer que o plano de salvação falhou.

  34. De um lado eu não sei como Deus pode responsabilizar o homem por ser pecador e condená-lo eternamente, sendo que ele não tem poder para mudar de lado, uma vez que apenas os eleitos serão salvos. Por outro lado não vejo como uma pessoa "aceita" a salvação sem que seja pelos próprios méritos, coisa que a bíblia refuta. Por que uma pessoa é salva e outra não? O que faz dela melhor? Como isso não traz glória para ela? Se é pela graça de Deus no anúncio do Evangelho então por que o Evangelho produz efeito em alguns e em outros não? Mesmo que Deus tenha visto no futuro que essa pessoa aceitaria a pregação do Evangelho, o que fez com que essa pessoa aceitasse? A inteligência dela? Talvez o discernimento? Um dom especial? Seja lá o que for como dizer que não foi Deus quem deu este dom para a pessoa? E se Ele criou o ser humano e dotou-o de tal capacidade, por que não deu capacidades iguais de aceitação para todos?

    Mesmo com essas dúvidas eu vou caminhando na vida cristã, sabendo que o Evangelho precisa ser pregado para os não cristãos e vivido pelos cristãos. Quem sabe um dia eu obtenho estas respostas. Enquanto isso a caminhada continua.

  35. De um lado eu não sei como Deus pode responsabilizar o homem por ser pecador e condená-lo eternamente, sendo que ele não tem poder para mudar de lado, uma vez que apenas os eleitos serão salvos.

    Isto não está em discussão. O que se questiona é se os reprovados tiveram alguma chance de serem aprovados, e se isto é condizente com o caráter de Deus.

    O que os calvinistas não entendem, de fato, é que qualquer cristão – e não apenas eles – sabe que Deus não tem obrigação alguma de salvar quem quer que seja. Não é necessário ser calvinista para crer na depravação humana – mas é um ensino calvinista de que a depravação humana implica uma graça irresistível, ou como vai tentar dizer um calvinista, 'uma regeneração anterior à fé'.

    Por outro lado não vejo como uma pessoa “aceita” a salvação sem que seja pelos próprios méritos, coisa que a bíblia refuta.

    A Bíblia refuta a ideia de que o homem fez algo meritório para salvar-se – em resumo, guardar a lei moral de maneira tão perfeita quanto Jesus Cristo. Salvação por mérito é excluída neste princípio. Mas, confiar em Jesus Cristo não é mérito de nada.

    Na verdade, o conceito de fé no calvinismo é bastante estranho: a fé é uma habilidade, um poder especial que Deus injeta no 'eleito'. Nesse sentido é que eles lançam acusações toscas contra seus discordantes (em especial os 'jovens ensimesmados'): Deus tem que causar a fé, para que alguém infalivelmente creia. Novamente, tudo gira em torno da graça irresistível.

    Por que uma pessoa é salva e outra não? O que faz dela melhor? Como isso não traz glória para ela? Se é pela graça de Deus no anúncio do Evangelho então por que o Evangelho produz efeito em alguns e em outros não? Mesmo que Deus tenha visto no futuro que essa pessoa aceitaria a pregação do Evangelho, o que fez com que essa pessoa aceitasse?

    Perguntas demais. A resposta calvinista? Oras, a pessoa era uma daquelas que estavam fora da lista negra de Deus. Simples assim!

    A inteligência dela? Talvez o discernimento? Um dom especial? Seja lá o que for como dizer que não foi Deus quem deu este dom para a pessoa? E se Ele criou o ser humano e dotou-o de tal capacidade, por que não deu capacidades iguais de aceitação para todos?

    Irrelevante. A salvação não ocorre por alguma habilidade inerente – isto é simplesmente uma pressuposição tosca de determinismo. Numa teologia não-determinista, tais perguntas não tem sentido algum.

    "Se você podia escolher de outro modo, o que foi que te obrigou a escolher deste modo?" é uma pergunta que só faz sentido em um panorama determinista. E eu não estou inclinado a abraçar tal axioma. Ainda mais sem prova alguma…

    Mesmo com essas dúvidas eu vou caminhando na vida cristã, sabendo que o Evangelho precisa ser pregado para os não cristãos e vivido pelos cristãos. Quem sabe um dia eu obtenho estas respostas. Enquanto isso a caminhada continua.

    Bem, pelo menos nisso todos concordam. Acho…

  36. Concordo plenamente contigo irmão Rony! Não consigo entender por que as pessoas ainda teimam em insistir numa discussão "medieval"(sim,isso sim poderia ser considerado como tal)? Não consigo entender por que o ser humano ainda quer ser DEUS! Querendo desvendar coisas que Ele simplesmente declara em sua palavra e devem ser aceitas e não discutidas! Não "Teologigizadas"! Preocupam-se mais em um embate filosófico onde o que realmente importa é mostrar quem é o melhor, quem tem a melhor interpretação, tudo pra dizer no final das contas: Eu te falei que estava certo!
    Abandonemos de lado nosso orgulho denominacional e fiquemos com a PALAVRA DE DEUS! Por favor, não me venha nenhum Calvinista me dizer que Calvinismo é o próprio Evangelho! Por favor amados irmãos Calvinistas, deixem de ser calvinistas e sejam mais CRISTÃOS! E poe fim; por favor, não me taxem de arminiano só porque não sou calvinista!

  37. Gostaria de ver mais "Calvinistas", com essa moderação que você menciona! Mas pelo que vejo, por mais que "façam a caveira" dos "Arminianos", encontro muito mais "Arminianos" equilibrados do que "Calvinistas" equilibrados!
    Muitos que se dizem "Os Portadores da Verdade de Deus", promovem mais confusão e divisão ao Corpo de Cristo do que qualquer outro considerado "herege"!

  38. Apoiado irmão! Grande besteira essa discussão! Ainda anseio o dia no qual poderei navegar pela blogosfera cristã sem me deparar com artigos como este, que não trazem edificação espiritual alguma, senão dissensão e discórdia!

  39. plenamente de acordo, prestem mais atenção no que Jesus disse e deixem de ficar presos a interpretações de homens.,calvino e armínio, tem mais autoridade que Jesus!?

    apocalipse 22:17 O Espírito e a noiva dizem: vem! Aquele que que ouve, diga:vem! Aquele que tem sede venha,e QUEM QUISER receba de graça a água da vida.

    estes estudos se baseiam no que Paulo disse,estaria Paulo contrariando o ensino de Jesus? ou estão a entender errado os ensinos dele como sempre aconteceu? 2Pedro 3:16.

    se um Rei oferece um presente e este é recusado por um súdito, ele deixa de ser Rei por isso? e o súdito passa a ser alguma coisa por isso? sejamos racionais.

    a Bíblia está repleta de advertências para não abandonarmos o caminho,e há várias evidências de que podemos abandoná-lo,então,não me digam que Deus escolhe,mas, não tem o poder de manter o homem no caminho…

    ou seja Ele é forte para atrair, mas não é para manter.

    desculpem mas essas correntes teológicas mais confundem do que contribuem só servem para alimentar egos.

  40. poderia agora se tornar um Cristão, já que julgas como um incrédulo, muito infeliz sua colocação, e digo não sou a nem b, sou Cristão, a Biblia diz falem todos a mesma coisa por que isso não ocorre? cada qual com seu ego.

    é mais erudito defender uma verdade confusa que a verdade clara e simples…na igreja primitiva também havia o culto ao "conhecimento"

  41. o que salva o homem? não é a morte de Jesus na cruz? e como dizem que é a escolha de Deus? então o calvinista tem que explicar essa trama toda, Deus deixa os que não são escolhidos nascer,pra quê? não seria melhor nascer apenas escolhidos? há muita contradição.

    então Deus na verdade não "amou o mundo de tal maneira" e sim, os escolhidos dele.

    valeu teologos mas fico com a Biblia.

  42. Então leia bem a Bíblia. Vc quer razões e lógicas humanas para compreender a soberania de Deus.

    Leia Romanos 9, Efésios 2, leia toda a Bíblia… Procure alguma passagem em que o homem escolheu a Deus sem que Deus o tivesse o chamado primeiro. Caso encontre, volta aqui e cita ok?

    Paz e Luz

  43. é claro que Deus chama através do Evangelho, e em alguns casos chamou pessoalmente para um fim especifico,preste atenção no que eu falo, "o fato de aceitar um auxílio não torna ninguém superior a quem ofereceu esta ajuda" se alguém rejeita um convite de casamento, por acaso toma o lugar do noivo? ninguém é superior a Deus.

    o fato de chamar, está implícito atender ou não atender.

    independente do que o homem faça, Deus é o que é.

    se vcs dizem que Deus se torna menor ou tem arranhada sua imagem por mera rebeldia de um homem em não se render a ele, a contradição está com vocês…

    estude sobre as alianças e os termos da aliança,Deus sempre tratou por meio das alianças

    vocês ignoram o sentido da graça, não compreendem o fato de que Deus dá oportunidade ao homem de escolher, sem que este mereça fazer esta escolha,tendo Deus poder para fazer tudo novamente,não está aí a graça?

    vocês defendem a soberania de Deus, e que sua vontade não pode ser resistida, fato.

    Deus não quer que o homem peque,fato.

    mas,o homem peca,fato

    então,a vontade de Deus pode ser contrariada,fato,os homens pecaram.

    e agora,como é isso? se Deus preparou tudo de antemão,e não suporta o pecado, e o homem pecou, então ele planejou tudo isso, o que é absurdo pensar! não é sensato crer que ele criou um ser com vontades,que toma decisões?!

    observo que as pessoas querem entender Deus numa linguagem humana,agora pensem, Deus não está condicionado a presente ,passado e futuro, como nós.

    então, quando vocês dizem que Deus escolheu alguém antes da fundação do mundo,você pensa,passado,mas, Deus pode estar aceitando no presente alguém que se rende a ele através do Evangelho de Jesus Cristo.

  44. Uma discussão inútil, que não levará a lugar nenhum. Entre as ideias de Arminio e Calvino, prefiro o evangelho puro e simples, a sã doutrina que deve ser pregada sem acréscimo nem subtração alguma.
    Mas agora do que adianta ficarem digladiando sobre qual ponto de vista doutrinário está mais próximo de se assemelhar com o evangelho de Cristo ?
    Ah por favor parem com isso !!
    Um abraço à todos e fiquem na paz de Nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo !!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui