O problema da Língua Nervosa

59
2360
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

línguas estranhasPor Antognoni Misael
Este texto aborda o velho problema das línguas chamadas línguas estranhas. O fato é que desde que me conheço por gente encontro pessoas declamando verdadeiras frases esquisitas afirmando ser um momento de unção espiritual. Esta semana, de dentro do meu quarto ouvia uma pregação ocorrida em via pública cujo ministrante externando veemência e vigor tentava construir frases evangelísticas, mas que no meio delas, aparentando ser interrompido por uma “força divina”, inseria frases tipo “shek-la-ba-cânta-lá-su-ru-ma-naia” (aproveitando este parêntese, alguém já conseguiu decifrar o significado do “cânta-lá”, visto que parece ser um dialeto comum nos ritos (neo)pentecostais?) Ops!! – Aqui já reconheço que a Teologia não desenvolveu um departamento de linguística espiritual para desvendar e/ou interpretar certas expressões.
O que acontece sem sombra de dúvidas é que quando uma pessoa expressa tal dom (ou habilidade, para os que não crêem na contemporaneidade dos dons) na maioria das vezes ela perde a racionalidade do culto (Rm 12:1) e praticamente rasga os ensinamentos bíblicos. Ou seja: – a Bíblia que se vire! O que vale é que apareça o meu “espetacular dom de línguas”!
Para muitos, o falar em línguas representa um toque especial de espiritualidade, mas para o apóstolo Paulo, não. Ao escrever para a igreja de Coríntios – uma igreja de carisma e sem caráter – advertiu que ainda que ele falasse a língua dos anjos, de nada valeria, além de afirmar que preferia falar cinco palavras compreensíveis para instruir os outros a falar dez mil palavras desconhecidas.(1 Co 14:19); afinal muitos dos cristãos de corinto comumente exibiam seus domínios de línguas pátrias a frente da igreja, lendo e orando em outras línguas, porém sem que a Eclésia compreendesse.
Em nenhum momento das escrituras vejo Jesus dando um sermão recheado de expressões estranhas; em nenhum momento vejo João, Pedro ou Paulo dando demonstrações de espiritualidade através de frases sem nexo algum. Quando me interrogam sobre o falar em línguas estranhas, sempre respondo, sei um pouquíssimo de inglês porque fiz um curso intensivo, contudo reconheço que Deus não me presenteou falar em mandarim através de uma iluminação instantânea. Não tenho este dom. Reconheço.
Mas estou cansado dessa hierarquização espiritual. Quem não fala em línguas não é cheio do Espírito? Aonde tem isso na Bíblia? Chega de tanta invenção! O maior exemplo desse exibicionismo sem sentido ocorreu dentro na igreja de Corintos, então me respondam por que ainda se comete este mesmo erro hoje?
Línguas Estranhas não é vídeo game ou karaokê pra ninguém sair por aí “cantalabailando” o Evangelho de Deus.
Veja que Paulo:
1) disse que quem fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus (1 Co 14:2-4). – Portanto desligue a língua nervosa quando não estiver edificando ninguém, caso contrário estará confundindo o culto;
2) aconselha que bem melhor que falar o idioma estranho é pregar a palavra, pois o dom de profecias é bem maior do que o de línguas (1 Co 14:5). – Isto quebra a noção hierárquica de que se tem que falar línguas para crescer espiritualmente.
3) adverte que se use a língua para pronunciar palavras inteligíveis, visto que como se entenderá o que se diz? (1 Coríntios 14:9) – Falar palavras estranhas seria como falar ao ar.
4) adverte que todo dom precisa ser para edificação da igreja (1 Co 14:12). – Que se acabe o exibicionismo!
5) ratificou que o ato de orar, adorar ou cantar precisa ser feito com entendimento para que o próximo possa concordar (1 Co 14:14-15). – Como dirão amém se as línguas estranhas tomarem conta do recinto?
6) prefere falar cinco palavras inteligíveis, portanto, por que fazer um show de “unção” lingüística que ninguém compreende? (1Co 14:18-19) – Não sejam egoísta, falem de Jesus de forma clara e objetiva!
7) não usava a língua nervosa inconseqüente, além de afirmar que aplicada de forma incorreta provocará escândalo. (1 Co 14:23) – Portanto é bom fazer o uso correto do microfone, principalmente em cultos de rua. Chega de tanto “shek-la-ba-cânta-lá-su-ru-ma-naia” pra endoidar os descrente!!
8) enfatizou outra coisa importantíssima: se for falar em língua desconhecida, deve-se falar no máximo duas ou três pessoas, e por favor… sem intérprete não dá né? (1Co 14:27-28) – Ôh thurma das línguas, controle a língua nervosa, e caso não encontre um poliglota para interpretar, não desobedeça a palavra: Cale-se!
9 ) ainda ratificou que os espíritos dos profetas estão sujeitos a estes, e não vice-versa (1Co 14:32) – Não me venham com a desculpa de que entrou em transe e falou em várias línguas sem perceber.
10) não proibiu o uso das línguas desconhecidas, assim como não é isto que estou dizendo no texto. (1 Co 14.39-40) – Mas se realmente você tem esse dom, use dentro das ressalvas bíblicas e observe se tal língua é útil para edificação da igreja.

***
Antognoni Misael é editor do Arte de Chocar e colunista no Púlpito Cristão

Assine o Blesss
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

59 COMENTÁRIOS

  1. Não é só no meio neo e pentecostal que existe o falar de linguas estranhas, já ouvi testemunho de batista, presbiteriano que fora contemplado com esse dom enquanto orava a Deus, também vi em alguns ritos umbandistas, pois fui de lá e quando Jesus me chamou, foi na condição de feiticeiro,babalorixá candomblecista, e no inicio da madrugada veio sobre mim o Espírito de paz e moveu meus lábios a dizer palavras estranhas a mim, meus braços se ergueram aos céus e por ultimo veio palavras em português que diziam "Jesus","verdade"; sabia que o acontecera não era de um espírito conhecido por mim, busquei a igreja para saber o que era "a verdade", pois "Jesus" sabia que era coisa de "crente", bem… Jesus me libertou; acontece que muitos usam tal dom para deixar a impressão de serem mais espirituais, outros por repetição, outros por desconhecimento de como usar tal dom, outros por não buscarem conhecimento do evangelho e não saberem se expressar com dialogo compreensível das escrituras (não falo aqui de ignorantes quanto a cultura escolar, mas sim quanto ao discernimento espiritual do evangelho e a exegese e hermenêutica nos seus contextos) e finalmente outros por não terem espaço ou serem visíveis no culto, chamando a atenção para si como filhos que pedem a atenção de seus pais, fazendo gracinhas; sem contar ainda que há algumas manifestações diabólicas dentro das igrejas usando pessoas e tais estão "falando em línguas estranhas", e para isso precisamos de outro dom: o do discernimento de espírito. fico a favor da matéria, mas não proíbo a manifestação, contando que sigam as orientações bíblicas como já exposto na matéria. A Paz JCristo

  2. Perfeito meu irmao! Biblico ate' a raiz! Acontece que as igrejas tidas como pentecostais viraram travestis, isto e', se travestiram de "igreja de corinto", mesmo com as criticas e as orientacoes de Paulo, clarissimas, elas tomaram o mesmo caminho da igreja Corinthiana. Para parecerem mais espirituais que as coutras e depois isso acabou virando competicao entre elas e, por vezes, entre os irmaos da propria congregacao pra ver quem e mais "espiritual". Uma pena!

  3. Muito boa as colocações…
    Infelizmente eles fazem uma pressão para que se fale linguas estranhas.E como você bem falou,se a gente não falar…Eu não sou de Deus.Triste isso.E acima de todos estes está o dom do AMOR.Acima até do dom de profecias.
    Abraço

  4. Esclarecedor!
    Também pensava assim até porque quando acontece de eu orar em línguas não fico falando alto isso na igreja pois não traz edificação das pessoas e sim para mim própria.
    Obrigada!

  5. Falar essas linguas inteligiveis não é dom, é um estado espiritual. Não creio que essa prerrogativa, essa caracteristica, seja algo que Deus nos dá como parte de nós. Os dons são coisas relacionadas aquilo que Jesus pregou e viveu, e essas podem fazer parte de nós.
    O crente é muito cobrado, principalmente quando batizado, que externe este "dom" mas eu não creio nisso. Dons como sabedoria, inteligencia, conselho, piedade etc, são caracteristicas a nós dadas pelo espirito para cumprir a vontade de Deus. Paulo deixa claro isso no que escreve, ele na minha opinião não quiz polemizar com o pessoal da igreja, e não disse que era contra, nem fez criticas, mas fica implicito que ele deu um valor tão pequeno a essa manifestação que perdeu totalmente seu significado.
    NO ENTANTO, em considerando ser um estado espiritual, eu creio que o Espirito de Deus ao nos visitar, pode em determinado momento se manifestar em lingua a nós desconhecida, NO ENTANTO, não creio que isso seja algo digamos público, algo que se externe no sentido de simplesmente chamar a atenção ou "prestigiar" esse ou aquele, ou ainda destoar do ensino e da palavra pregada.
    As experiencias que tive com o Espirito me causaram, um desejo imenso de louvar, outra vez me causou muita euforia interior, e uma outra me causou muita alegria e vontade de rir, mas não houve nada relativo a linguas, já pessoa da minha confiança me contou manifestação do Espirito, em momento fora de igreja ou de oração, onde tombando ao chão falou por longo tempo uma lingua que ela não destinguia.
    Esses arabásteria cantarái da vida, pra mim é manifestação de arrogancia religiosa ou de imaturadade religiosa, nada mais, eu não conheço ninguém que chore pelo evangelho, ficar com esas bobagens.

  6. O que me aborrece é que para escrever e querer agradar a um meia duzia de blogueiros, se faz com falta de respeito, e com uma pobreza teológica de dar dó, quanto a superficialidade até entendo, mas o texto jocoso e zombador não entendo. é só mais um zombando dos pentecostais…o coisa chata!

  7. Paz!! Interessante o texto, apesar de eu discordar em alguns pontos, vejo pontos relevantes.

    Vale ressaltar que como citado no texto "aproveitando este parêntese, alguém já conseguiu decifrar o significado do “cânta-lá”, visto que parece ser um dialeto comum nos ritos (neo)pentecostais?)" não é tradução e sim interpretação… Por óbvio que existem pessoas que se aproveitam disto, sim, existem, e o Ap. Paulo nos ensina sim em ter ordem, a oração em línguas, realmente é para a edificação pessoal, é como nós nos preparamos para as batalhas que vivemos que não vimos, pois tem sua origem de forma espiritual e aí fica claro que o intelecto não compreende… em Atos temos relatos de pessoas falando em novas línguas e claro não pode ser excluído pq o Ap. Paulo cita… agora… por favor… não se fala em línguas em transe, Dom é algo que Deus dá… se eu te dar uma xícara, você vai tomar quando o café nela? Quando eu deixar… o dom espiritual é um presente que Deus nos dá e devemos ter sabedoria, pois o principal disto é salientar que DOM ESPIRITUAL É PARA A EDIFICAÇÃO DA IGREJA e não para nossa ostentação.

    Deus abençoe.

  8. Corrigindo acentuação:

    Paz!! Interessante o texto, apesar de eu discordar em alguns pontos, vejo pontos relevantes.
    Vale ressaltar que como citado no texto “aproveitando este parêntese, alguém já conseguiu decifrar o significado do “cânta-lá”, visto que parece ser um dialeto comum nos ritos (neo)pentecostais?)” não é tradução de línguas e sim interpretação de línguas… Por óbvio que existem pessoas que se aproveitam disto, sim, existem, e o Ap. Paulo nos ensina sim em ter ordem, a oração em línguas, realmente é para a edificação pessoal, é como nós nos preparamos para as batalhas que vivemos que não vimos, pois tem sua origem de forma espiritual e aí fica claro que o intelecto não compreende… em Atos temos relatos de pessoas falando em novas línguas e claro não pode ser excluído pq o Ap. Paulo cita… agora… por favor… não se fala em línguas em transe, você não sai de si… Dom é algo que Deus dá… se eu te dar uma xícara, você vai tomar quando o café nela? Quando eu deixar?… o dom espiritual é um presente que Deus nos dá e devemos ter sabedoria, pois o principal disto é salientar que DOM ESPIRITUAL É PARA A EDIFICAÇÃO DA IGREJA e não para nossa ostentação.
    Deus abençoe.

  9. Falar em "linguas" em 99,99999% dos casos é exibicionismo "pseudo-espititual". Nunca ví ninguém interpretar e servir de exemplo para corrigir ou edificar alguém.

    Outra coisa é no momento da oração "zilhões" de vozes competindo entre sí e que tiram a concentração de quem sempre orou em silêncio. Você acaba entrando no "vai da valsa" , senão não consegue orar.

    Falta é leitura bíblica, ou será que que na bíblia deles não existe as palavras de Jesus sobre oração. Não leram Mateus 6 : 5-7 ?

  10. parabens pelo texto,sou um pentecostal, mas ja estou cheio ,desseS crentes acharem que falar linguas estranhas,eLE E mais poderoso do que o outro irmao,sou capelao e pastor evangelico,infelismente a palavra esta desaparecendo no nosso meio ,e a priori ,e louvores,coreografias,teatros,linguas estranhas,interessante,que esses irmaos na hora da palavra sao os primeiros a se levantar e ir embora do templo,o que sera de nos TUDO PASSA MAS A PALAVRA PERMANECEPOSSO SER UM SUPER HOMEN ,MAS SE NAO TIVER AMOR O QUE ADIANTARA ,DEUS NOS AJUDE

  11. A bíblia menciona as "línguas" como um dom. Questionar isso é ir contra a bíblia.

    Você pode discordar do modo como este dom é exercido (como o autor do post está fazendo), e até mesmo questionar se ele é evidencia de uma vida cheia do Espírito (como o autor também faz), mas não pode simplesmente dizer que as línguas não são um dom.

    Vamos argumentar, mas com o devido respeito pelo texto bíblico.

    Abraço.

  12. O autor do blog sabe que sou um protestante conservador, e já tivemos algumas trocas de emails enfatizando nossos pontos de vistas paradoxos; pois, o autor é um protestante renovacionista.
    Portanto, não aceitamos a interpretação particular de que há o Dom de Línguas Hoje, pois, isto equivaleria em que Deus continua entregando a Sua Palavra
    Estes Dons de Revelações sempre trouxeram coisas novas dentro de suas manifestações; e sempre andaram juntos com os Dons Dinâmicos, ou seja, Pertinentes à Força: Poderes Delegados, manifestos no: Eu Ordeno, Eu Mando,…
    Concordo com a matéria acima, e discordo somente no ponto em que o autor dela ainda admite o falar línguas hoje como manifestação genuína do Espírito Santo.
    Mostra-me um versículo fora da Bíblia produzido por uma língua estranha ou profetismo pentecostal, renovacionista ou carismático, ou seja lá o que for!
    Somente um pequeno exercício:
    Onde Paulo escreveu a Epístola aos Romanos?
    Por que ele não mencionou o Dom de Línguas nela?
    Se você fosse um crente em Corinto, lugar onde a Romanos fôra lida pela primeira vez, dotado do Dom de Línguas, como se sentiria ao ver a ausência deste Dom e outros com manifestações dinâmicas, em Romanos?
    O Sinal das Línguas Estrangeiras, é isto que era o Dom de Línguas, foi dado a Israel como , da Sua Ira no Velho Testamento, e da Sua Graça no Novo Testamento. Aqui enfatizando a Sua transição Histórica na adesão dos gentios na Sua Aliança (Nova). Serviu para confirmar a Nova Revelação e cessou com o término do NT.
    Leiam o texto de Robert G. Gromacki em MOVIMENTO MODERNO DE LÍNGUAS (JUERP). Estudem o assunto no site Há vocês tem a Bíblia? Testemunhas de Jeová também já medisseram o mesmo.
    Não Proibais falar Línguas, disse Paulo. Imagine se ele tivesse dito o contrário! Ficaria assim: Proibais receberem a Nova Revelação, isto o Novo Testamento.

  13. Sinal da Transição Histórica de Deus, da Sua Ira (VT), do privativismo judaico (VT) para gracioso a todas as nações (NT).
    Um site que retrata muito bem este assunto tem sido

  14. Sim Leonardo, a biblia diz ser um dom as linguas, e ele é, pois em pentecostes milhares se converteram através do dom dado aos apostolos de se expressar nas linguas de origem dos que os assistam, entender uma deterniada lingua é também um dom, mas a lingua falada pelo espirito, aquela que falamos a Deus, é um estado espiritual nos concedido por ele.
    Paulo pede interprete para a lingua,mas não há interprete neste no caso onde o espirito se manifesta.
    Então existe duas sutuações distintas e biblicas quando o assunto é linguas, aquelas que Deus permite que se fale e permiti que se entenda, e aquela cujo falar é mover do espirito e pessoal, pois segundo Paulo edifica a quem fala. Então até que aja algum argumento que seja merecedor de analise mais cuidadosa, e estou sempre abertor a eles, as linguas tratadas aqui continuam sendo para mim um estado espiritual e não um dom.

  15. aproveitando a oportunidade de conversarmos. Desejo a voce e sua familia, assim como aos demais coordenadores e participantes do blog, muita, mas muita paz em Cristo neste 2012
    abraço

  16. Totalmente bíblico o texto. Excelente. O dom de línguas é para a edificação espiritual individual, em pouquíssimos casos edifica o próximo: quando há interpretação ou se fala nalguma língua pátria de algum estrangeiro presente, por exemplo. Deus o concede para caras carnais como eu, q precisam se edificar. Portanto, penso q não indica superioridade espiritual, pelo contrário, indica debilidade e necessidade de mta misericórdia. Obrigado, Senhor!

  17. Há muitos anos fui em uma oração de uma AD. Houve uma grande manifestação do Espírito no nosso meio – assim pensavam as irmãzinhas, até que um ministro se levantou para pregar, e ele gostava de manusear a bíblia – ele fez um longo estudo bíblico. As irmãzinhas da liderança foram as primeiras a cair no cochilo. Muitos ficaram sonolentíssimos, e o pregador só na coça de bíblia – ele já tinha percebido tudo. rs rs rs

  18. nao vi nada de jocozo como vc disse o texto é muito bom e com boas referencias biblicas e alem do mais nao sao meia duzia de bloqueiros que vao ficar contentes e sim todos os que prezam pela verdade

  19. Temos que saber diferenciar "falar em línguas" como evidência do batismo e "variedade de línguas" como dom. A maior parte dos casos de batismos no Espírito Santo registrados em atos dos apóstolos mostram uma manifestação exterior, ou registra literalmente em outras línguas. Paulo fala para não proibir a língua estranha na igreja e também que não fale língua estranha se não tiver interpretação, como podemos unir estas duas colocações do apóstolo dos gentios? Simples, eu não posso falar em língua estranha atrapalhando o culto ou falando parando o culto como se eu fosse entregar algo para a igreja ser edificada, mas falo baixo comigo mesmo glorificando a Deus numa língua que só Ele entende!

    Abraços!

  20. O interessante é que muitos inventam palavras como uvarebachuriame, o que significa isso? Imagine que quando eu era criança (tenho hoje 65) os padres falavam em latim e de costas.Hoje se v\~e os inventores de linguas estranha. Acredito que querem se referir a Torre de Babel. quando eu comecei na Congregação Batista eu usei o slogan: NÃO VIM AQUI PARA SER MARIONETE NEM FAZER MIZANSEM. Isto que vemos é muita mentira e invenção MAU inventada.
    Áureo – Recife – PE

  21. A paz JCristo amado!
    já ouvi varias vezes as "linguas" serem interpretadas, profecias, exortações para a igreja, para algumas pessoas,ou pessoal, o momento é muito espiritual; também comigo aconteceu assim: era membro e fui em um encontro missionário da AD, durante o louvor uma irmã já senhora, que nunca vi, começou a falar em "linguas" e derrepente comecei a ouvi-la em portugues, sendo que ela ainda estava falando em "linguas", tive toda a interpretação e ela contava uma história, que se passou com o meu ex-pastor, o que deveria ser feito, como apoia-lo e quem ele era naquele momento, e isso para mim foi estonteante e maravilhoso, pois precisava ouvir tudo aquilo; agora já faz um bom tempo que não ouço ninguem interpretando e nem sendo batizado pelo Espírito Santo.

  22. Creio no DOM de linguas, e justamente por ser um DOM não esta disponivel a todos, infelizmente algumas denominação colocam o falar em linguas como princpal bandeira de seu evangelho e agem como se isso fosse uma ordenança de Jesus.
    Chegam ao ponto de só consagrarem obreiros e pastores que tenham sido "batizados com o Espirito Santo"

  23. Os dons
    (I Co 12:8-10):
    Palavra da sabedoria
    Palavra do conhecimento

    Dons de curar
    Operação de maravilhas
    Profecia
    Discernimento de espíritos
    Variedade de línguas
    Interpretação de línguas
    Todos são para bençãos e edificações, para entendimento, para exercicio, para multiplicação, ou seja são dons de propagação e testemunho.

    (I Co 14:22)
    De sorte que as línguas são um sinal, não para os fieis, mas para os infiéis, e a profecia não é sinal para os infiéis mas para os fieis

    (I Co 14:26)

    Que fareis, pois irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem Salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação

    (I Co 14:32-33)
    E os espiritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.
    Porque Deus não é Deus de confusão, seão de paz como em todas as igrejas dos santos

    (I Co 14:27):
    E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois ou três, e por sua vez, e haja intérprete.

    Esses e os versiculos que são sequencia nos demostra que Paulo tenta fazer uma especie de classificação de importancia nos dons, mas fala sobre duas categorias de falar linguas, a variedade de linguas e as linguas estranhas, e nas estranhas ele deixa claro sua inutilidade naquilo que os dons devem produzir, ou seja, variedade de linguas é um dom, lingua estranha é inutil. Bem, existe dons inuteis? Nâo. Então o falar linguas estranhas é um estado, um momento espiritual individial,uma vez que a interpretação só existe em linguas inteligiveis cujo ouvinte ou interprete não tem ciencia previa. Então no meu entender não há como classificar lingua estranha na mesma categoria dos outros 7 ou 9 dons descritos por Paulo, além disso como Paulo poderia considerar tumultuosa, e desejar disciplinar a manifestação de um dom? Mesmo sendo apostolo que autoridade Paulo teria para disciplinar o mover do Espirito Santo? Mas ele não faz isso, e sim disciplina a externalização de um "dom" de uso individual, pessoal, que considero, diante do que está escrito, ser uma experiencia, um estado espitiritual reservado que se manifesta, quando genuino, através do Espitiro Santo, para edificação individual.
    To errado? Quem quiser fique a vontade…

  24. Eu até concordo que o "dom" de línguas usualmente "usado" não é "dom" é frescurite, mas que o dom de línguas é Bíblico isso com toda a certeza é. O que quero dizer é o que já foi dito há muito, existe o dom de línguas bíblico e real e essas línguas estranhas que muitas falam e nem sabem o que estão falando.

  25. Irmão, se vc não acredita nos dons espirituais, tudo bem, a gente até entende a dificuldade de interpretação dessas passagens, mas não generaliza.

    Eu falo em línguas na igreja, mas falo comigo mesmo e com Deus, quando não há interprete, como o Apóstolo Paulo ensina. Acontece não vejo problema nenhum em o pregador no meio da palavra, de vez em quando soltar umas linguas estranhas. O que importa é que ele esteja no ambiente próprio para aquilo. Na igreja, quase todos sabem o que isso significa, na rua fica complicado. A bíblia ensina que quem fala em línguas edifica a si mesmo. Qual o problema em o pregador, no meio da pregação, se encher do poder de Deus, em momentos intercalados com a palavra?(mas lógico só quando essas línguas forem inspiradas pelo Espírito Santo, pois quem fala em línguas estranhas sabe muito bem o momento que o Espírito Santo nos renova em línguas, se quisermos imitar imitamos, mas não é correto, penso eu, aí sim queremos nos mostrar)

    E é lógico que Jesus não falava em línguas estranhas, esse é o sinal do batismo com o Espírito Santo, que é uma promessa feita por Ele que só se concretizaria após sua ascensão.

    O Apóstolo Paulo disse que prefere, mas não disse que não falava em línguas estranhas. Aliás, se as línguas estranhas fossem apenas línguas estrangeiras, não seriam sinal para os incrédulos que pensariam que estariam os crentes loucos, como descritas por Paulo, ao dizer que as profecias são sinais para nós.

    Em um culto onde alguém está pregando no microfone, não há problemas em se falar em línguas estranhas numa altura que não atrapalhe o culto. Nessas condições estarei falando com Deus.

    E porque muitos fazem trapalhadas, irmão, não generalize os pentecostais, pois em nenhum momento do texto o irmão citou que existe um lado saudável no pentecostalismo.

    Agora, no meu ver, o que faz o crente ser capaz de fazer a obra (visão da Assembleia de Deus para consagração de obreiros) é ser batizado com Espírito Santo, ser um homem de testemunho e manejar bem a palavra da verdade.

    Quando o revestimento de poder veio sobre os apóstolos, todos falaram em línguas estranhas, então cremos que este é um dos sinais do batismo, mas nao é um sinal que possa ser excluído.

  26. 1) disse que quem fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus (1 Co 14:2-4). É muito importante essa reflexão, pois uma lágrima pode ser estranha para o outro, mas é a Deus que ela é dirigida.

    Por isso, concordo com o texto e é a Deus que devemos nos dirigir.

    Por falar em intérpretes, onde eles estão, pois realmente vejo muitos falando e poucos verdadeiramente interpretando. Ademais, está aí o grande enfoque da língua: edificar a si e não trazer confusão aos demais.

  27. Falar em linguas é dom, por favor amigos e irmãos menos beeeeeeeeem menos ai nos comentários ok!!!
    Vamos parar de demonizar manifestações espirituais.
    Não é porque tem um monte de gente atrapalhada cometendo ereziar que nós vamos cometer também para contra argumentar

    1 – EU JÁ VI LINGUAS ESTRANHAS SENDO INTERPRETADAS

    2 – CONVIVO COM CRISTÃOS MENTALMENTE SAUDÁVEIS QUE NÃO SAEM POR AI FALANDO DE FORMA DELIBERADA E MUITAS VEZES SEM SER DE DEUS, por isso estou falando para ir com calma
    o texto está bom o que mata são alguns comentários.

    Ninguem vai para um parte mais privilegiada do ceu por falar em linguas, nem para o inferno se não falar #FATO

  28. Que texto maravilhoso e muito bem explicativo.

    Nao aceito falar em linguas porque Deus nao e Deus de confusao.

    Sejamos sóbrio no nosso falar mas se voce acha que fala em linguar va para o seu quart fecha a pota e conversa com Deus, mas eu acho que nem ele entenderá

    Eu falo Ingles e Alemao, portanto posso dizer que falo lingas.

    E uma pena que os pentecostais acham que so podem ser pastores ou lidered sómente aquelem que falam em linguas.

    Deus abençoe a todos.

  29. Para nós weslleyanos, a evidência do batismo no Espírito Santo não está no falar em línguas, mas em evidenciar os frutos do Espírito descritos em Gálatas.
    Cremos no dom de línguas, mas o problema é que se exige que o cara espiritual fale em línguas estranhas.
    Conheço uma grande denominação que para ser pastor é necessário o falar em línguas estranhas.
    Não podemos generalizar, existe SIM o falar em outras línguas, também já vi interpretando, que o Senhor nos dê o discernimento de espíritos, para não cairmos no engano de satanás, pois existem religiões que não são evangélicas que tb falam em outras línguas.Façamos a obra e busquemos a santidade sem a qual ninguém verá a Deus.
    Graça e Paz!

  30. Manifestação de línguas: Se Deus não é Deus de confusão, e ele deu aos homens dons para aplicarem em sua obra, o que seria o dom de línguas, senão falar em um idioma diferente (MAIS CONHECIDO) do seu?.

    Usar seu "dom" (se é que eles o tem) para evangelizar alguém que não fala o português eles não o fazem… na boa; serve somente como a crista do galo ou o rabo do pavão: para chamar atenção para si

  31. sou um pentecostal, creio absolutamente no dom de linguas o próprio apòstolo paulo ensinando acerca da ordem no culto, falou que se não houvesse intèrprete na igreja que ficassem calados falando consigo mesmo e com Deus.È interessante notarmos que a interpretação nesse caso é um "dom" algo que não se aprende numa universidade!Eu perguto que nexo teria, falar sobre a interpretação como um dom e o falar em outras linguas como algo inteligível que se pode entender conhecendo outros idiomas? criticar os pentecostais ou neo-pentecostais por acreditarem no batismo com o Espirito Santo com evidençia de falar em outras linguas, é a mesma coisa de nos darem a prerrogativa de criticarmos aqueles que defendem o pedobatismo como doutrina bíblica.

  32. Uma boa interpretação do texto biblico, porém não podemos falar do que não temos conhecimento e nem vivenciado o tal tema citado a cima.
    Como Cristão e servo de DEUS penso e acredito que a vida espiritual é como um rio, não se sabe o que vai encontrar lá em baixo das aguas escuras deste rio, só se sabe, se mergulhar no desconhecido e viver o falar em linguas estranhas e ter esta experiencias com DEUS.

  33. Nosso artigo corrobora para que o dom de línguas, esteja relacionado as línguas pátrias. Espero q tenha compreendido. No mais, com as fontes citadas por você, e vendo q já tem uma boa experiência no tema, sugiro q compartilhe também sua visão com textos, artigos, certamente enriquecerá muito nosso debate.

    No mais,

    a paz, dEele!

    antognoni22

  34. VC disse: "línguas estranhas-> esse é o sinal do batismo com o Espírito Santo"

    -Onde tem dizendo na Bíblia q falar em línguas é um sinal do batismo com o Espírito Santo??

    Não falei só dos pentecostais,mas dos Neopentecostais, que por sinal abrange até denominações tradicionais estão bastante híbridas. Eu costumo crer na Palavra e não nas experiências, aliás, acredito, e espero q concordes, a grande maioria q lida com as línguas estranhas, o faz sem as ressalvas q Paulo admoestou e que discuti e citei no texto. Confronte elas, e não a mim.

    Abraço, e paz em Cristo. Aquele o qual nos faz um apesar das diferenças.

  35. Acho na boa que pegaram o dom de linguas e transformaram ele em doutrina, ao invés de utilizarem o mesmo como fator de confirmação aos infiéis como a Bíblia diz (mostrar pra quem não acredita em coisas incriveis de Deus que ele as faz). Na realidade é aquela velha historia de que sempre leio nos blogs, o povo perece porque tem preguiça de ESTUDAR (não somente ler) a palavra e confrontar com o que seus pastores e lideres falam, também temos que parar de importar coisas de americanos e outros por ai. Ta dificil ser Cristão nesse Brasil doido viu!!!

  36. Os pentecostais estão atentos ao blog!
    Também fui pentecostal desde o berço até meus 25 anos. Professor de EBD, estudioso dos textos do movimento, diretor da EBD, pregador no programa de rádio pentecostal (assembléia de deus), enfim. Ressalto estes fatos para deixar evidente que não sou leigo quanto as doutrinas pentecostais. E, assim como nos meios protestantes há muitos de nossos irmãos ignorantes quanto a Palavra de Deus, nos meios pentecostais igualmente são imensos os números dos que desconhecem como o pentecostalismo pensa, e leigos quanto a forma de interpretação da Bíblia Sagrada. Por vezes, vomitam suas sujidades heréticas e atribuem como produto do Espírito Santo, "porque é Ele que lhes dão a Palavra", explicam.
    Como ex-pentecostal entendo os pentecostais nesta mania de querer resolver assuntos bíblicos através de "arrepios", frenesi, colocando a suposta experiência como fator decisivo em assuntos bíblicos. Esta forma de "arrepios" torna-se um vício temeroso que chega ser quase impossível falar ao pentecostal assuntos que contrarie suas interpretações particulares da Bíblia Sagrada.
    Prestem atenção!

    1. Em parte alguma da Bíblia há que para ser ministros tinham que terem falado línguas!
    2. Batismo no Espírito Santo é uma das -> 33 formas – que a Bíblia usa para explicar o fenômeno da regeneração.

    As vezes, é provável que, quem nunca leu o texto de Frederick Dale Bruner, intitulado TEOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO, editado pela Vida Nova, ainda não entendeu bem este assunto acerca do Batismo no Espírito Santo!

    Vá até a fonte! Pesquise! Examine tudo e retenha o que for bom! As vezes decidimos questões bíblicas baseado no princípio da "primeira impressão": Fui instruido desde o princípio nisto, então deve ser o original. Muitas vezes alguns já vieram de outros lugares heréticos, e decididamente não querem contestar a sua nova religião, porque descobriram as heresias que viviam através das verdades nesta última, enfim.
    Em questões bíblicas nunca devemos baixar a guarda, e estarmos atentos ao entendimento da Palavra de Deus. O Espírito Santo nos guia em toda a verdade, mas podemos suplantar a Sua orientação pelos nossos estreitismos. Eu sou um exemplo de como passei por situações embaraçosas quando me prendia ao dominacionalismo.
    As vezes somos tão hipócritas em dizermos que julgamos nosos líderes, mas na verdade não passando de vaquinhas de presépio, onde tudo o que o líder fala só fazemos é balançar as cabeças concordando.
    Os pentecostais querem que todos os ouvem e devem por outro lado se calarem. Enquanto que são eles que devem ouvir cuidadosamente os protestantes ortodoxos.
    Quem quiser saber mais sobre batismo no Espírito Santo escreva-me pedindo a matéria sobre este assunto (gilson_koine@hotmail.com)

  37. Vc está dizendo q o único dom de línguas q existe é oq foi manifestado no dia de Pentecostes (línguas pátrias)? Pq Paulo falaria, então, do dom de línguas para a edificação pessoal? Ou seja, as línguas q ninguém entende, nem mesmo quem está falando, mas q edificam o espírito, q o próprio Paulo falou q orava assim bem mais q todos os de Corinto. Se vc está dizendo q este segundo exemplo não existe, vc está reasgando uma pequena parte da bíblia e desprezando um DOM dado por Deus para a nossa caminhada. E a palavra é clara: DOM, não ESTADO ESPIRITUAL. Vamos pára de inventar coisa gente.

  38. Eu vejo mta falta de entendimento e conhecimento aki quando se trata de dons, talvez pelo fato de a maioria do público do site ser de igrejas q não adimitem ou não vivem a realidade dos dons. É claro q o foco da nossa vida cristã não deve ser os dons (erro q é cometido por mtos pentecostais) a não ser o dom do amor. Mas, eu penso q não podemos menosprezar e ignorar oq é santo, oq Deus nos concede pela sua graça para q prossigamos na nossa caminhada e para q auxiliemos outros a caminharem. Se eu não vivo a realidade dos dons não posso dizer simplesmente q não existem, se eu ensino e não oro em variedade de línguas não posso dizer q não existem variedades de línguas e simplesmente debochar e menosprezar tal dom. Paulo em I Co. com certeza minorizou a questão dos dons frente ao amor, q é o dom maior, mas ele não aboliu os dons, pois eles são de Deus para o seu Corpo. Paulo mesmo adimitou falar em várias línguas muito mais q todos e não proibiu q falassem em línguas em nenhum momento, como hj alguns querem proibir? Não fecho meus olhos para a banalização q está havendo, tal como foi no tempo Paulo, mtos agem como a igreja de Corinto se sentindo superiores por possuirem dons, mas a nós q temos o dom do ensino, da sabedoria, do conhecimento, da ciência podemos instruir a estes em amor e tbm buscar mais e melhores dons para edificação do Corpo de Cristo e para a glória de Deus e testemunho de seu poder.
    I Co. 12-31/b Portanto, buscai com zelo os melhores dons
    […]

  39. é meu irmão…quando pedro explicou o dom de linguas em atos 2,ele disse que se tratava de algo espiritual.naquela ocasião pessoas que não falavam grego ou aramaico se converteram…hoje vemos apenas um shecalabachandalabalaia que só escandaliza o evangelho e que não edifica ninguém.o dom serve para sinal dos incrédulos.ou seja,vc é inglês e não conhece o evangelho,então eu brasileiro sem saber sua língua prego e vc entende.é só isso…nada mais.assim vc reconhece deus na vida do pregador e se converte.hoje com as escolas de idiomas não se vê mais isso…se esse dom é corriqueiro como vc deve pensar,porque alguém que vai ser missionário num pais estranho tem que aprender o idioma de tal país?não seria mais fácil ele ir na cara e na coragem e deus manifestar esse dom?o mais engraçado é que se fala língua dos anjos e muito estranhas(risos)mas quando tem que pregar para um chinês o "profeta iluminado cheio do espírito"não consegue falar com o indivíduo.vamos crescer e entender a bíblia pelo amor de deus.se existe eangélicos hoje,deve-se a martinho lutero que inspirado por deus se levantou e procurou a verdade.ele não falava em línguas"muito estranhas"(risos de novo),será que não foi obra do espírito santo o que ele fez se levantando e procurando a verdade?se não foi obra do espírito santo,então foi abra de quem?do diabo?sendo assimtodas as igrejas evangélicas seriam obra do diabo,uma vez que martinho lutero nunca falou em línguas muito estranhas?(gargalhadas)…

  40. Não havia "dois dons de línguas", mas somente um Dom fora dado na era apostólica. Note que o Dom de Línguas era com a "seta" voltada para cima, isto é, era a pessoa falando com Deus (Cf Atos 2; 1Coríntios 14). Não era pregação "para incrédulos", mas sinal, sinal para o judeu incrédulo. Depois que houve as manifestações de línguas é que Pedro pregou. Paulo diz em 1Coríntios 14 que as línguas confundiam os incrédulos e levava eles a taxarem os cristãos de loucos. (Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos? 1 Coríntios 14:23).
    Todas aquelas regras do uso e no uso de línguas serviram para uma orientação sadia no discernimento deste e doutros dons do Espírito Santo, principalmente aqueles, como o dom de línguas que foram próprios dos dias apostolicos. Assim, pois, o dom de conhecimento que teve dois aspectos, bem como muitos outros dons, no fato de atuarem sob o fenômeno da inspiração e agora sob o fenômeno da iluminação. Este não foi o caso do dom de línguias, pois quando ele atuou nos dias em que o NT estava sendo escrito, foi somente sob o fenômeno da inspiração.
    Não era sinal de batismo no Espírito Santo. Todos pois são batizados no Espírito Santo quando na regeneração. Mas, nem todos falavam línguas. Deus, quando concedeu o Espírito Santo na regeneração, em alguns casos manifestou igualmente o dom de línguas, cumprindo assim duas profecias em um mesmo momento.
    Como dom de inspiração, cessou quando este fenômeno cessou de entregar Canon Sagrado (Escrever Bíblia Sagrada).
    Alguém diz que não tinha o peso das Escrituras, porque, para estes tais, há sombra de variação em Deus: Em parte Ele é toda autoridade e em parte é um "coitado" – sem muita autoridade. Assim, quando neste aspecto não tinham o direito de escrever o que Deus dizia. Mas, como entendem aqueles que conhecem o Deus que adoram, não pode haver este tipo de desníveis em Deus.
    Crescei no conhecimento da Palavra de Deus.
    (Obs. Estou lutando para ver se consigo reaver o meu email – gilson_koine@hotmail.com – pois, além de distribuirem pornografias em meu email e através dele, rakearamn o mesmo mudando minha senha).

  41. Eu estava analisar este caso e cheguei a uma conclusão: Aquele foi um momento Em-quê foi distribuído os IDIOMAS, para depois Deus saber o seguinte, este dei a ele o dom de falar a língua Portuguesa, este a Língua Inglesa, este a Língua Francesa etc, e sempre quê cada um orar Na sua língua Deus vai lê percebe.

  42. O que me incomoda é que no início falava-se árabe, latim sem aprender estes idiomas, agora são somente língua dos anjos, isto aí alguém pode falar uma sílaba qualquer. E por que os outros dons estão desaparecendo??? Dom de língua não incomoda ninguém, quero ver uma cura incontestável ou uma profecia incontestável.

  43. Todoas as seitas e religiões cristãs apresentam milagres "incontestáveis" como prova de suas autenticidades. "Profetadas", sempre digo: Se eu tivesse uma máfia do tamanho do pentecostalismo, cumpriria qualquer "profetada", desde que podendo fazê-la acontecer, e por outro lado, Satanás tem feito muitas "profetadas" se cumprirem para enmganar seus adéptos. Satanás veio para matar, roubar e destruir vidas. Curas milagrosas, todas as seitas tem seus testemunhos. Deus tem curado crentes e ateus, e isto segundo os Seus Desígnios, em Sua presciência Ele já havia determinado que tal pessoa não morreria daquela doênca, assim, não é uma questão de contexto teológico, mas, em muitois casos está envolvido a preservação daquela pessoa para propósitos outros.
    Não é uma querstão de "milagres" ou qualquer espetáculo religioso, mas a TEOLOGIA, a REVELAÇÃO DIVINA. O fundamental é a Revelação que nos foi dada. Os milagres e dons, tanto de Revelação, ou pertinentes`as força, ou seja, de poderes delegados, que foram credenciais dos apóstolos (2Corintios 12.12), assim quais os dons de sopro, inspiração, atuaram na entrega do Cânon Sagrado e Cessaram. Cabendo nós hoje entendermos esta Revelação que nos foi dada na forma de Cânon Sagrado – Bíblia Sagrada, através da iluminação do Espírito Santo.
    Leia de John F. MacArthur Jr., OS CARISMÁTICOS, editora FIEL. Leia Atos dos Apóstolos e veja quem operou milagres. As excessões ali, Estevão, Filipe, Ananias e Barnabé não foram "porteiras abertas" para justificar um "ministério de milagres por todo ou qualquer crente"; mas, estiveram envolvidos a Revelação especial de Deus na compreensão de um Evangelho Universal – Que se estende à todos os povos, e não uma facção à mais dentro do judaísmo. Por iosso as excessões.
    (gilson_koine@hotmail.com gilson_calvinista@hotmail.com)

  44. Gilson Gonçalves de Oliveira, ai de mim, hoje em dia, se eu fosse contar com cessacionistas, eu estaria perdido ou provavelmente sem salvação. O diabo também cura(no caso as seitas), falso profeta se reconhece são pelos frutos e não pelos sinais, Mateus 7:15-20, o justo viverá pela fé e santificação e não por teologia da academia, Habacuque 2:4; 1 Timóteo 1:5, e mais, não somos nós pentecostais que sempre nos prostituímos historicamente com a maçonaria.

  45. 1- Dom de linguas não é sinal de batismo com o espirito santo.(em ICo 12:7 diz q o dom é repartido a cada um pelo espirito da forma q ele deseja)
    2- Paulo logo mais adiante coloca o dom de linguas em ultimo lugar em grau de importância.
    3- Em I Co 13 quando Paulo relata sobre a lingua dos anjos ele faz uma suposição, ele usa uma figura de linguagem para exaltar a importância do amor, se não teríamos q colocar nosso corpo para ser queimado para sermos cristãos e tbm dar tds nossos bens aos pobres, coisa q não é verdade.
    4- A igreja de Corinto estava em colapso, usando os dons erroneamente, paulo faz uma exortação aquela igreja.
    5- As liguas faladas em Atos eram idiomas humanos, como tbm aconteceu na casa de Cornélio, quando as pessoas receberam o mesmo dom q pedro recebeu no dia de pentecostes(o dom de idiomas). A palavra "estranhas" não está no original da bíblia, e no termo grego a palavra lingua=glossais q significa idiomas na tradução original.
    6- Não podemos usar apenas um versículo (ICo 14:2) para embasar td uma doutrina pq é claro q uma pessoa q não fala a minha lingua ninguém vai entender só Deus e isso sem dúvida é um mistério, e logo mais a frente do texto Paulo diz q não nenhuma, ouviram, nenhuma espécie de vozes no mundo sem significação, tds devem ter um sentido, coisa q não vemos hj, apenas linguás estáticas (glossolalia), e Paulo ainda afirma nesse texto q as linguas é um sinal não para os crentes, mas para os descrentes, os seja, não é algo para dentro da igreja, para me algo elevar, é para fazer alguém q não crer em Jesus passe a crer, coisa q não vemos hj, naquela época o evangelho precisava ser propagado, como q pessoas simples q mal sabiam falar o proprio idioma da forma correta ia pregar aos confins da terra como Jesus ordenou, através de um dom sobrenatural, o dom de variedades de línguas.
    "Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos."
    1 Coríntios 14:20 e 33

  46. alex vander…
    Se o diabo também cura, então João cometeu erro ao conclamar a cura como princípio decisivo no testemunho da originalidade espiritual de Jesus na cura do cego de nascença (João 9. Pode um demônio abrir os olhos de um cego?). Satanás não cura genuinamente, mas aprorpiasse da obra divina e atribui aos seus feitos, e, por outro lado, seus sinais são com todo o engano e mentiras (2Tessalonicenses 2.7,9-12). Não quero navegar por linhas de blasfêmias, porque percebo que tem muita gente que não está preparada para tais argumentos, senão descambar para palavras que não edificam. Se vocês prestarem muita atenção em meus comentários, notarão que há muito temor em minhas exposições; posto que, procuro definir minha forma de julgamentos criteriosos pela Palavra de Deus. Desafios são feitos, e exigem uma resposta criteriosa. Mas, quando as dão, são mais confusas do que seus próprios testemunhos de crença no fenômeno.
    No VT não havia o Dom de Línguas, senão, línguas (idiomas estrangeiros)como sinal da transição de Deus, o que foi a natureza do Dom de Línguas no NT: Sinal da transição de Deus do privativismo judaico para gracioiso a todas as nações; sinal para o judeu estreitista, incrédulo quanto a Nova Revelação em Cristo Jesus.
    Não havia exorcismos, expulsão de demônios no VT, e outros tantos milages de sinais, embora tenha ocorrido outros fenômenos milagrosos e sobrenaturais.
    Dizer que a ausência de milagres extraordinários, é estar perdido e sem salvação, é fatalmente desastroso! Judas Iscariotes não só conviveu com um ministério de milagres, bem como, provavelmente, tenha operado alguns (Mateus 10.1,4); entretanto, isto não foi para ele salvação.
    Tenho muito o que dizer sobre este assunto, mas, não tenho tempo e nem espaço. Por isso, repito, se alguém tem interesse procure alex vander acerca do mesmo em fontes sadias e fidedignas, como os textos já citados por mim acima. O texto de Frederick Dale Bruner, TEOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO, foi reeditado, agora, através da editora Cultura Cristã. Leiam de Jonh F. MacArthur Jr., OS CARISMÁTICOS, editora FIEL.
    A Bíblia não apela para ter "fé nos sinais" e nem "fé na fé", mas, fé em Cristo Jesus.
    Milagres de Sinais foram credenciais de apóstolos (2Coríntios 12.12). Este é um assunto muito bem ressaltado no site solascriptura-tt.

  47. Quero ressaltar aqui, colocando um ponto final em certas falácias religiosas concernente este assunto, sobre o tal de "usar Deus". Quando alguém interpreta que Paulo corrigiu o "mal uso dos dons espirituais" em Corinto, tal pessoa está demonstrando profunda ignorância na interpretação da Palavra de Deus.
    Preste bem atenção! Está o Espírito Santo corrigindo o próprio Espírito Santo?! Pois, os dons foram e são manifestações do Espírito Santo. Portanto, Ele distribuiu como lhe apraz, manifestou-se segundo seu poder; por isso nenhuma profecia foi produzida segundo a vontade do homem, mas por Deus.
    Assim, o Espírito Santo não é uma marionete que alguém manipula segundo seu bem querer. O que não é o Espírito Santo, em manifestações espirituais, ou é "frescura" humana, ou é espíritos de enganos. O engano, a mentira, não são próprios do Espírito Santo; logo, o que ocorria em Corínto e que Paulo corrigiu, não poderia, de forma alguma, ser o Espírito Santo.
    Portanto, a passagem sobre o dom de línguas (1Co 14) está repleta de ironia. Pois, ali Paulo, de forma irônica, exige-se dos corintios que haja interpretação naquelas manifestações. De forma que, fica assim: "Da mesma sorte, se as coisas inanimadas, que fazem som, seja flauta, seja cítara, não formarem sons distintos, como se conhecerá o que se toca com a flauta ou com a cítara?"(1 Coríntios 14:7). Se vocês derem grunhidos, que haja interpretação. Todos podeis grunhir, desde que interprete o que grunhis. Portanto, tudo bem que vocês digam que estão manifestando o dom do Espírito Santo! Mas, então interpreteis.
    Notou bem? Se Deus falou em Hebraico/Aramaico e Grego; qualquer um pode ir lá e Traduzir para o português; entretanto, mesmo com as dificuldades de uma língua para outra, o povo da Tradução, levanta seu Texto e diz: Palavra de Deus. Tomam de seu Texto escrevem em paredes de seus templos, em adesivos de carros, e dizem: Palavra de Deus. Mesmo que não estejam sendo inspirados ao escreverem.
    Agora, querem me convencer de que Deus esteja falando pessoalmente em minha própria língua, sem os problemas de sintaxe de um idioma para outro, e mesmo assim, não tem o peso de nossas Traduções?! Mesmo falando em português, supostamente, por inspiração?! Pois, foi isto mesmo que era os dons de "sopro" – inspiração divina.
    Esperei três meses para que alguém mais pudesse expressar algo convincente em contraposição a minha posição; mas, como houve silêncio absoluto, tomei a decisão de expor mais estas observações.

  48. Quanto a suposto batismo do Espirito Santo "subsequente" a regeneraçao, foi uma invencionice que alguns hereticos criaram. A obra regeneradora esta ligada a entrada na Nova Aliança (Jr. 31.31-34; Ez 36.25-27), que só pode acontecer através do derramamento do sangue de Cristo Jesus (Mt 26.27-28). Mesmo que os disvipulos temham operado milagres no ministério de Jesus, notando assim uma manifestação esporádica do Espírito, se Jesus Cristo não lhes enviasse o Espírito depois de sua ascensão, eles ficariam órfãos. Isto não era uma situação de quem supostamente já tinha "certa medida" do Espírito Santo (Jo 14.3, 16-18). Eles não estavam ligsdos à Jesus numa união mística pelo Espírito (Jo 12.24); logo, estavam antes do estado que se encontra o crente depois da Cruz/Pentecostes (Rm 5). Foi lhes dado somente quando realmente creram (Jo 7.37-39; At 11.15-17. "Quando cremos…). Pedro e João oraram para que os samaritanos recebessem – o – Espírito Santo e não "mais" Espírito Santo; "porquanto não havia descido sonre nenhum deles (At 8.15-1616).

  49. Quanto a suposto batismo do Espirito Santo "subsequente" a regeneraçao, foi uma invencionice que alguns hereticos criaram. A obra regeneradora esta ligada a entrada na Nova Aliança (Jr. 31.31-34; Ez 36.25-27), que só pode acontecer através do derramamento do sangue de Cristo Jesus (Mt 26.27-28). Mesmo que os disvipulos temham operado milagres no ministério de Jesus, notando assim uma manifestação esporádica do Espírito, se Jesus Cristo não lhes enviasse o Espírito depois de sua ascensão, eles ficariam órfãos. Isto não era uma situação de quem supostamente já tinha "certa medida" do Espírito Santo (Jo 14.3, 16-18). Eles não estavam ligsdos à Jesus numa união mística pelo Espírito (Jo 12.24); logo, estavam antes do estado que se encontra o crente depois da Cruz/Pentecostes (Rm 5). Foi lhes dado somente quando realmente creram (Jo 7.37-39; At 11.15-17. "Quando cremos…). Pedro e João oraram para que os samaritanos recebessem – o – Espírito Santo e não "mais" Espírito Santo; "porquanto não havia descido sonre nenhum deles (At 8.15-16). Cornélio não precisava de suposto batismo subseqüênte do Espírito, mas ouvir palavras que o tornaria salvo ele esua casa (At 11.13-14); Paulo não perguntou aos discípulos em Éfeso: Recebestes um batismo sunseqüente, mas: Recebestes vós – o – Espírito Santo quando crestes? (At 19.2). Eles ainda viviam uma espectativa antes do pentecostes, didcípulos da escola de João Batista, e não membros da Igreja.

  50. O Espírito Santo habitava "com" (companhia) eles (na pessoa de Jesus/o próprio Jesus), mas, futuramente, certamente, a partir do Pentecostes, estaria 'neles" (Jo 14.17).
    Atos dos Apóstolos revela tão somente isto: Quem não tinha o Espírito Santo recebendo o Espírito Santo.
    Ser cheio do Espírito não é colocar "mais" Espírito em nós, mas nós deixar sermos dominados pelo Espírito que já está em nós – ricamente/abundantemente – e não pobremente (At 4.31; Ef 5.18; Tt 3.5-6).

  51. Hó! Meu irmão! Pelo contrário. É que eu, aproveitando o tema "pentecostalismo", postei comentários ali também. Sou um protestante conservador calvinista.
    Graça e paz da parte de Deus em Cristo Jesus.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui