Calvinista, graças a Deus!

67
2177
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Leonardo Gonçalves

Calvinismo é o nome que popularmente se dá à formulação teológica que se preocupa por enfatizar a glória de Deus e sua soberania sobre os assuntos humanos em toda a sistemática doutrinária. Recebe este nome por causa do reformador francês João Calvino, o primeiro grande sistematizador da teologia cristã protestante. O que muitos ignoram, no entanto, é que Calvino não foi o “inventor” do calvinismo. A doutrina que envolve a soberania de Deus sobre os assuntos humanos, a predestinação do homem para a salvação e, conseqüentemente, para a condenação, a total pecaminosidade do homem não-regenerado que o impede de dar qualquer passo em direção a Deus, a negação do livre-arbítrio como fator soteriológico, tudo isso já era pregado por Lutero e os outros reformadores. Esta doutrina também era ensinada pelos pais primitivos, e muito especialmente nos escritos de Agostinho, bispo de Hipona, depois canonizado pela igreja católica. Enfim, a doutrina calvinista sempre existiu, embora com outros nomes, porque ela é bíblica e encontra suas bases mais sólidas nas sublimes afirmações de Jesus e do apóstolo Paulo.

Assine o Blesss

Tal é a superioridade e o bibliocentrismo da teologia calvinista, que o grande pregador Charles Spurgeon chegou a afirmar que “calvinismo é apenas outro nome para evangelho”. De fato, nenhuma teologia posterior a ela conseguiu superá-la no que diz respeito à fidelidade doutrinária. Não é por casualidade que ela era crida e ensinada por grandes mentes do protestantismo, tais como Jonathan Edwards, Charles Haddon Spurgeon, e por célebres missionários como William Carey e Hudson Taylor. Ao longo dos anos a doutrina calvinista foi questionada, primeiro por James Armínio e seus discípulos, e ainda hoje é atacada por muitos, entre os quais se encontram principalmente os arminianos, os teólogos relacionais e liberais, mas jamais houve um momento da história eclesiástica esta doutrina deixou de ser crida e pregada.

Ainda me lembro do primeiro debate que tive com um calvinista. Naquela época eu tinha recém saído de um seminário pentecostal, onde havia sido bem instruído no arminianismo. Lá tinham me ensinado (sutilmente) que o calvinismo é uma grave heresia e uma desculpa para viver uma vida sem santidade ou temor. Lembro daqueles acalorados debates, dos quais eu sempre saia cheio de dúvidas (Dúvidas que pouco a pouco foram se convertendo em certezas opostas àquelas que eu tinha sustentado naqueles primeiros anos). Jamais me esquecerei do dia em que este amigo e debatedor me emprestou um exemplar em espanhol da “Carta de João Calvino ao Rei da França: Instituição da Igreja Cristã” . Que experiência maravilhosa ler aquele livro! Somente um livro despertou em mim mais prazer e curiosidade que aquele; a Bíblia Sagrada, no qual aquele volume estava respaldado.

Após isso voltei ao Brasil. Na viagem, eu lutava contra aquela “nova crença” que estava querendo brotar no meu coração. Ao chegar, me matriculei no curso de mestrado em teologia (livre). Para obter o título, escrevi uma tese de 200 páginas sobre aquilo que os filósofos chamam de “o problema do mal”. Em resumo, a tese se baseava no livre-arbítrio do homem, e era uma negação disfarçada do calvinismo, a grave heresia da qual me apaixonei na minha primeira estadia no país dos Incas. O problema é que quanto mais eu buscava pelo livre arbítrio, mas eu encontrava o designo de Deus. Terminei a dissertação, me graduei, mas o coração estava apertado, pois era a primeira vez que eu defendia uma crença incompatível com as minhas convicções.

Foi então que me falaram de um livro fantástico: “Eleitos, mas Livres”, do renomado apologista cristão Norman Geisler. Aparentemente, era tudo o que eu precisava naquele momento: Um argumento que conciliasse a liberdade humana absoluta e a eleição de Deus, cujo proponente era um dos maiores apologetas da atualidade. Mas a leitura deste livro foi um placebo, e seu efeito durou apenas alguns meses. Nessa época eu ensinava teologia sistemática no seminário da minha igreja, e pela primeira vez ensinei o calvinismo e o arminianismo ao mesmo tempo, incluindo no final da exposição aquilo que eu chamava de “cosmovisao conciliadora”. Que fiasco! Mais fácil me teria sido conciliar água e óleo.

Durante a leitura de “Eleitos, mas livres”, tive grande curiosidade de conhecer mais sobre o R.C. Sproul e o tal livro “Eleitos de Deus”, o qual Norman Geisler aparentemente refutava. Na verdade, a leitura daquele livro se impunha como uma questão de justiça: Eu precisava dar uma oportunidade também ao R.C. e o seu livro antes de tirar minhas conclusões. Até então, tudo o que eu tinha deste autor era um pequeno livro chamado “Filosofia para Iniciantes”, que ocupava um lugar secundário na minha parca biblioteca. Pois bem; bastou iniciar a leitura para o meu pesadelo recomeçar, porém agora o efeito que esta crença teria sobre mim seria decisivo. Acabei a leitura perplexo do “biblismo” do autor, o qual diferente de Norman Geisler, não apelava todo tempo para silogismos da razão humana, mas sempre recorria ao texto bíblico para elucidar suas questões. Ao terminar a leitura, eu estava “quase calvinista”.

Neste ponto, decidi trilhar meu próprio caminho. Separei um tempo para estudar sistematicamente a carta de Paulo aos Romanos, o maior tratado soteriológico já escrito. Decidi esvaziar ao máximo dos meus pressupostos, a fim de encarar o texto bíblico e as implicações a que ele me levasse. Em oração, passeei pelos primeiros capítulos e fiquei assombrado diante da total incapacidade humana. A frase “não há quem busque a Deus” ficou ecoando no meu coração durante muitos dias. Ali eu me vi morto em pecado, incapaz de buscar ao meu Senhor por mim mesmo, ou pelo meu livre arbítrio. Que terrível destruição causou o pecado! Os capítulos seguintes me conscientizaram da oferta gratuita de Deus, a salvação, a qual – agora eu entendia – era um bem eterno e irrevogável. Segui em meu estudo por alguns dias, e encontrei finalmente a visão da soberania de Deus, tanto sobre o destino das nações, quanto sobre os indivíduos. Um oleiro que tem absoluto poder sobre os vasos, inclusive para fazer uns para honra e exercer sobre eles misericórdia justa (estribada na justiça de Cristo); como para fazer outros para desonra e ira, e demonstrar sobre eles sua justiça penalizadora (estribada na sua santidade). Finalmente, entendi que “não depende de quem corre, mas de Deus que tem misericórdia”.

Após esta leitura fiz uma busca por toda bíblia, a qual sempre me dirigia a esta mesma verdade: A de que o homem nada pode fazer pela sua salvação, de que Deus os chama como um ato soberano e glorioso e de que o “livre-arbítrio” está dominado por uma perversa natureza que é incapaz de exercer impulso soteriológico positivo. Permanece, no entanto, alguns questionamentos de outrora. Na verdade, depois de algum tempo me dei conta de que algumas questões realmente não possuem explicação lógica. Entendi que o paradoxo é essencial ao cristianismo, uma vez que o cristianismo é um ato de fé. Mas não busco justificar a Deus por punir o pecado com um inferno eterno, tal como muitos pretensos apologistas fazem. Apenas repito ao meu coração que as ações de Deus são justas (como de fato, são) e toco o meu barco. Reconheço que o calvinismo, à principio, é uma doutrina amarga, principalmente para aqueles que foram instruídos no “melhor” do arminianismo e do pentecostalismo. No entanto, não me convém modificar uma doutrina bíblica apenas pelo sabor que ela proporciona ao meu paladar. Nem os meus gostos, nem meus preconceitos ou mesmo a minha justiça humana pode definir uma doutrina bíblica. “À lei e ao testemunho!”. Sola Scriptura!

Reconheço que meu calvinismo carece de mais robustez. No entanto, o conhecimento que hoje tenho dele não traz mais nenhum sabor amargo. Graças ao “calvinismo” (leia-se: sistematização do evangelho de Jesus), pude finalmente descansar na graça de Deus. Não fiquei mais pecador por isso. Não evangelizo menos depois que entendi que a salvação está ligada a uma eleição feita na eternidade. Não oro menos depois que descobri que “estou salvo para sempre”. Antes, a segurança da salvação me faz imensamente grato, e é esta gratidão e amor que me oferecem combustível para uma vida de temor e piedade. Desde que atribuí toda a glória a Deus por minha salvação, não confiando mais na “obra do meu arbítrio”, passei a ser mais humilde, pois entendi que tudo, absolutamente tudo de bom, é um presente de Deus.

Entendo que Deus tem interesse que seus filhos conheçam a verdade sobre a sua salvação, e que por isso ele mesmo me guiou neste processo. E cada vez que alguém questiona: “Você é calvinista?”, respondo com alegria: “Sou calvinista, GRAÇAS A DEUS”. Sim, graças a Deus!

Soli Deo Gloria.

***
Piura, Verão de 2011

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

67 COMENTÁRIOS

  1. Prezado irmão Leonardo Gonçalves,

    Com toda a humildade, sou obrigado a concordar que seu calvinismo necessita de maior robustez bíblica, assim como toda a doutrina calvinista.

    Seguem abaixo alguns links de uma pequena explanação hermenêutica do pastor Ciro Sanchez Zibordi do texto de Romanos 9, utilizado muitas vezes para "avalizar" as doutrinas calvinistas:

    http://cirozibordi.blogspot.com/2008/11/por-que-romanos-9-no-avaliza.html

    http://cirozibordi.blogspot.com/2008/11/por-que-romanos-9-no-avaliza_05.html

    Leiam sem pressupostos calvinistas, e tirem suas próprias conclusões.

    Ah, já ia me lembrando: Não sou calvinista nem arminiamo, sou cristão.

  2. Graça e Paz
    Leo Gonçalves,

    Inúmeras teologias vêm sendo levantadas por alguns lideres tentando menosprezar os ensinos calvinistas, mas não há como negar a sua “biblioriginalidade”, não sendo representadas apenas por textos isolados, mas sim por toda uma estrutura harmônica que se entende de Gênesis a Revelações.

    Agostinho de Hipona, um dos grandes influenciadores da teologia escrevera o seguinte “Se você acredita no que lhe agrada nos evangelhos e rejeita o que não gosta, não é nos evangelhos que você crê, mas em você.". Pensar em um deus fada madrinha, que premia os bons é negar a sua soberania e sua justiça para com a humanidade.

    Shalom!!!

  3. Leonardo,

    Este foi um dos melhores textos que li nos últimos tempos. E não digo isto por ser calvinista, mas pela sinceridade que brota dele. Vejo que não há um 'apologismo desafiador' nas suas palavras, tampouco soberba. É pura constatação bíblica a respeito da soberania de Deus.

    Eu, como antigo batista de uma igreja arminiana, fiquei durante anos ouvindo, não discutindo e aceitando um tal 'livre arbítrio'. A minha mente permanecia acomodada com aquela 'verdade' que elevava o homem em detrimento da soberania plena de Deus – algo como água e óleo, repetindo as suas palavras. Até que um dia, ao me deparar com Romanos 9, o meu livre arbítrio sofreu um quase nocaute, pois o Deus soberano que faz os seus vasos como lhe apraz, "uns para honra, outros para desonra; uns de ira, outros de misericórdia", não permite soteriologicamente que o homem tenha autonomia, pois se assim fosse o Evangelho seria mentiroso. Sofri muito, pois resistia a aceitar esse Deus "déspota". Até que o encontrei em sua grandeza e plenitude e descansei na sua autoridade, poder e grandeza!

    Enfim, não fui convencido por Calvino, Lutero, Agostinho e nem por qualquer outro doutrinador bíblico. Fui convencido da soberania de Deus pelo próprio Deus, através do Apóstolo Paulo. Hoje eu descanso inteiramente nesse Deus Grandioso e Soberano. Honra e Glóra a Ele, somente a Ele!

    Ricardo.

  4. Gostaria de solicitar ao Leo que postasse uma matéria a respeito do Processo Parlamentar que corre na Comissão de Ética do Congresso Nacional contra o Deputado Jair Bolsonaro, por "quebra do decoro parlamentar", vez que a OAB e mais vinte Deputados Federais o denunciaram por homofobia e racismo, por tecer comentários desfavoráveis aos homossexuais e aos negrosa, em entrevistas fora do âmbito da Câmara dos Deputados.

  5. Até Lutero clama que não se deixem influenciar por eles… Vejam…

    Sermão de Natal de 1522 (Martinho Lutero)

    "Ah! Se Deus permitisse que minha interpretação e a de todos os outros mestres desaparecessem, e que cada cristão pudesse chegar diretamente à Escritura apenas, e à pura Palavra de Deus! Percebe-se já por esta tagarelice minha, a incomensurável diferença entre a palavra de Deus e todas a palavras humanas e como homem algum pode, com todas as suas palavras, adequadamente alcançar e explicar uma única palavra de Deus. Trata-se de uma palavra eterna e deve ser compreendida e meditada com uma mente silenciosa. Ninguém é capaz de compreendê-la a não ser a mente que a contempla em silêncio. Para qualquer um capaz de fazê-lo sem comentário ou interpretação, meus comentários e os de todos os outros não seriam apenas inúteis, mas um estorvo. Vão para a própria Bíblia, caros cristãos, e não permitam que as minhas exposições e as de outros estudiosos sejam mais do que uma ferramenta que capacite a edificar de forma eficaz, de modo que sejamos capazes de compreender, experimentar e habitar a simples e pura Palavra de Deus, pois apenas Deus habita em Sião".

    Alfredo Pugliese

  6. Leonardo,

    quando vc diz que você é calvinista isso quer dizer o que exatamente:

    Você crê no batismo infantil (discordando de Spurgeon…)?

    Você está no lado de Stott ou de Lloyd-jones no que diz respeito ao batismo com o Espírito Santo?

    Você é supralapsariano ou infralapsariano?

    Você é complementarista ou igualitarista? (papel da mulher…)

    Você é amilenista ou tem outra posição escatológica?

    Você crê que Deus ama todo pecador que ouve o evangelho e nesse amor deseja a salvação de todo o pecador como defendido por Spurgeon e Ian Murray ou está do ao lado de David Engelsma em criticá-los duramente por essa posição?
    http://www.monergismo.com/textos/calvinismo/Hiper-Spurgeon_Engelsma.pdf

    Você é cessacionista ou crê na atualidade dos dons?

    Você, como alguns calvinistas radicais, considera ou não-calvinistas como hereges? Ou tem algum desprezo por eles? Ou sente aversão a quem se opõem a alguns conceitos calvinistas? Ou simplesmente trata com condescendência os pobres vermes ignorantes não-calvinistas…

    Você é determinista? Você ora…para que??

    Você realmente acredita que existe uma total correspondência entre calvinismo e evangelho?? Se não, então pode haver alguns erros no calvinismo… não é??

    Resumindo, o que é calvinismo afinal de contas… tirando o TULIP para mim parece que só sobra discordância entre os calvinistas.

    abs.

  7. Caro amigo e irmão:

    Por linhas diversas, meu caro Leo, trilhei a mesma estrada.Enfrentei os mesmos conflitos e, quanto mais buscava resposta, mais me convencia que a minha salvação dependia única e exclusivamente da graça de Deus e de nenhum mérito meu.

    Mas numa tentativa desesperada, cheguei a propor que entre a tese e a antítese haveria uma tese. Cheguei até a postar isso num comentário. Não encontrei. Como você disse, um fiasco!

    Por fim, sem descer aos pormenores, Romanos sossegou o meu coração. E não me tornei negligente por isso. Ao contrário, a graça me revigora de tal maneira que não preciso lutar contra o pecado – uma luta humana e inglória ("miserável homem que sou" – para não perder a salvação. A graça luta por mim através do gracioso Espírito Santo que habita em meu coração.

    Se a graça não nos basta, o que nos bastará?

    Oh, bendita e doce graça do Senhor!

  8. Lindo artigo! a alguns anos eu também criado no 'sub' mundo do neo-pentecostalismo a graça soberana me colocou em frente ao espelho Jesus Cristo e me derrubou 'do cavalo', passei vários dias tentando lutar contra essa "nova crença", mas quando compreendi a Maravilhosa Graça felizmente fui rendido.

    Sola Gratia!

  9. Olá! sou Luiz Rocha de Souza da cidade de Presidente Tancredo Neves, Bahia – Brasil. Bacharel em Teologia.

    Amei esse artigo, sei que não estou só, pois a uns três anos e meio tive minha atenção voltada para essa maravilhosa forma de compreender a graça de Deus. A Teologia calvinista tem mim encantado e mudou o meu olhar com realação a obra redentora de Cristo. já li alguns livros: Predestinação, de Samuel Falcão; Por quem Cristo Morreu, de John Owen e outros.

    Sou membro e obreiro de uma Igreja pentencostal e e as vezes mim sinto como um peixe fora d'agua em relação aos ensino. Não consigo mais enxergar as coisas de Deus visão Arminiana.

    Não dá para ser Calvinista e Arminiano ao mesmo tempo.

    A principio foi assustador para mim, chorei muito em minhas orações,pois conforme eu compreedia as coisas de Deus na visão calvinista, mais mim sentia impulsionado por Deus a buscar esse conhecimento.

    Hoje não mim sinto mais turbado, mas espero servir a Deus onde posso expressar e ensinar a palavra de dEle nessa visão maravilhasa "O Calvinismo", pois fiel é que mim chamou. Um Abraço!

  10. Por que quem diz "não sou calvinista nem arminiano, sou cristão", sempre é arminiano?

    Maravilhoso seu testemunho, Leo. A Bíblia enfatiza a responsabilidade do homem, não seu livre-arbítrio. Na verdade livre-arbítrio não existe. Porque nossas escolhas são influenciadas por algo que existe dentro de nós que nos leva a escolher, portanto, não somos livres.

    O homem escolhe o pecado porque é debaixo do pecado que ele nasceu. Quando ele nasce de novo escolhe a Cristo, pois foi debaixo do Espírito que ele nasceu. Então livre-arbítrio não pode existir.

    Existe capacidade de escolha, mas não pode existir liberdade de escolha. O homem é capaz de escolher, mas não é livre para escolher. Com relação à salvação, o homem não pode escolher outra coisa diferente daquilo de que é escravo.

  11. Texto muito sincero, porém com alguns problemas históricos.

    Muito do que Agostinho definia como predestinação se devem a duas coisas:

    – Ele era um excelente latinógrafo, mas um péssimo leitor em grego, o que fez com q ele interpretasse certos textos de forma, digamos, meio estranha (vide as interpretações do gênesis) ("Leia De Magisto e Cidade de Deus");
    – Ele usou a sua própria via como "prova" da predestinação (leia "Confissões");

    Quanto a Lutero, é compreensível que ele tenha "herdado" certos pontos de Agostinho, pois ele ela monge Agostiniano;

    A questão do Calvinismo (opinão minha) é muito simples: Na prática, é uma sistema teológico que talvez mais permita o legalismo, além de ser uma doutrina anti-filosófica e fatalista (lembremos do Jeová Cerol). As questões filosóficas e até mesmo vendo a história do Senhor Jesus no Seu ministério, fazem com que o Calvinismo seja uma doutrina questionável.

    Pretendo extender este debate para outro momento.

  12. Não podemos abrir mão da soberania de Deus, mas até que ponto, Será que este louco de Realengo foi um ato soberano de Deus?

    A Bíblia enfatiza a soberania de Deus, mas também existe a responsabilidade humana muito as vezes negada no extremo calvinismo.

    A salvação é pela graça e pela fé em Jesus Cristo. Mas também o homem é responsável pelo que ele faz (Então realengo seria mas um ato de Deus tirano?).

    o que podemos entender sobre isso?

    Infelizmente não tem como entende a soberania de Deus e a responsabilidade humana, força um sistema estamos colocando em caixa.

    Sem Cristo não há salvação, mas sem Calvino e Arminio sim podemos ser salvo.

    Estando em Cristo garantia da salvação fora Dele não há salvação.

    Fecha a bíblia em 5 ou 4 pontos é limitado demais para dimensão da Salvação.

    Polarizar os textos bíblicos é o mais grave.

    Palavras de Calvino são mais interressante do que os calvinistas ensinam

    “O acesso à salvação a ninguém é vetado, por mais graves e ultrajantes que sejam seus pecados”

    “O arrependimento não está no poder do homem”

    “… que esta seja a nossa regra sacra: não procurar saber nada mais senão o que a Escritura ensina. Onde o Senhor fecha seus próprios lábios, que nós igualmente impeçamos nossas mentes de avançar sequer um passo a mais”

    “Deus jamais exclui ou priva alguém de sua graça, exceto aquele que se torna totalmente réprobo. Para tal pessoa nada é deixado”

  13. Estudei em um seminário pentecostal é lá também defendiam o livre arbítrio. O irmão Leonardo deveria postar mais e mais sobre o calvinismo e arminianimo. Muitos nem sabem como vão se posicionar nesta questão teológica. Certos versículos parecem defender o livre arbítrio(outros, não) – exemplo de alguns deles:
    1) AP 3.20
    2) Mt 11.28 (O Senhor Jesus fala: TODOS)
    Os versículos acima não mostram que o homem tem livre arbítrio? E, agora? Como vamos entender estes versículos acima, a luz do calvinismo?
    (Nikita)

  14. Muito bom.
    Aconteceu o mesmo comigo, só que eu era neopentecostal da IURD.
    kÁ entre nós: " Misericordia."
    Muito bom o texto.
    Agora tentem imiginar a loucura que passei para sair da minha antiga igreja (IURD), a pressão é tão grande que pelo fato de vc crer realmente nas doutrinas biblicas as pessoas chegam a dizer q vc está possuido e etc. Detalhe, fui até obreiro da IURD.

    Ninguem merece.
    Paz e Graça para os irmãos.

  15. Por que quem diz "não sou calvinista nem arminiano, sou cristão", sempre é arminiano? (Esta frase soa arrogante, não acha irmão… Por acaso, os arminianos são de "classe inferior"…)

    Será que para ser cristão é necessário ser calvinista? Pelo visto, um dos maiores expoentes da doutrina reformada (John Piper) não participa desta conclusão precipitada.

    De uma coisa eu sei: Deus é soberano e somos salvos pela sua graça. Entretanto, a salvação é oferecida a todos, pois Deus "deseja que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade" (I Tim. 2:4). Negar a veracidade de João 3:16 e outros demais textos a fim de amoldá-los a determinada teologia é no mínimo lastimável.

    Se para ser calvinista ou arminiamo, for necessário negar afirmações contundentes da Palavra, prefiro não ser nem calvinista nem arminiamo. Prefiro ser cristão, crendo na inerrância das Escrituras, mesmo observando paradoxos como estes debatidos aqui. Mesmo não compreendendo como se relacionam a soberania de Deus e a responsabilidade humana, são verdades divinas difíceis de serem compreendidas.

  16. Você, como alguns calvinistas radicais, considera ou não-calvinistas como hereges? Ou tem algum desprezo por eles? Ou sente aversão a quem se opõem a alguns conceitos calvinistas? Ou simplesmente trata com condescendência os pobres vermes ignorantes não-calvinistas… (2)

    André, pelo que vi, esta sua afirmação nunca foi tão verdadeira…

  17. Devemos nos curva perante a soberania de Deus, mas negar a responsabilidade humana ao ponto de colocar tudo na conta de Jesus não é bíblico.

    Se o próprio calvino está do meu lado então que calvinismo é esse.

    “O acesso à salvação a ninguém é vetado, por mais graves e ultrajantes que sejam seus pecados” Calvino

  18. CARACA HEIN! Leonardo agora vc ascendeu essa eterna disputa! Minha pergunta é PARA QUE? Tá querendo convencer alguém do calvinismo?

    Para quem já estudou um pouco, isso é igual time de futebol… não se 'vira a casaca'. Mas boa sorte com os indecisos ou q não estudaram.

    De qualquer forma… 'a todos quanto os receceberam, deu-lhes o poder de serem chamados filhos de Deus.' E vamos todos pro céu juntos… sejamos Arminianos ou Calvinistas ou outra coisa…rsrsrs

  19. Um Deus que criou o tempo, e que esta fora e dentro do tempo,da maneira em que desejar estar; ao Mesmo que se diz humana-mente que é atemporal não se pode minimiza-lo em categorias temporais com se ELE estivesse limitado a aquilo que ELE mesmo criou…acho que foi nesse ponto em que Calvino e Armínio tropeçaram.Toda a Gloria a Um DEUS que não se pode entender mas que por aquilo que percebemos possamos adora-lo.Afinal tudo o que sabemos de DEUS não é DEUS de fato mas sim somente aquilo em que ELE mesmo se deixa ser descoberto para que não possamos ser consumidos por sua plenitude.

  20. "Jefferson disse…

    A predestinação fatalista da alma, como ensinada pelos calvinistas, bem como a dependente de obras humanas, propalada pelos arminianos, não têm apoio na Palavra de Deus. "

    hahaha… já pensou em ler a Bíblia?

  21. O problema de Leonardo Gonçalves em seus textos é a sua arrogância.

    Muito teologuês, pouco Evangelho, tô fora desse caminho.

    Como Jesus nunca produziu nenhuma teologia sistemática, apenas ensinou o Caminho da Vida com simplicidade que acolhe sábios e ignorantes.

    Prefiro o caminho da simplicidade do que ficar discutindo sexo dos anjos.

    Mauro Silva

  22. É pelo jeito eu não fui o único que sofreu pra saber seu lugar de vaso nas mãos do oleiro rsrsrs.

    Parabéns pelo texto, como disseram outros irmãos, bem que eu poderia tê-lo escrito.

    Só umas questões, não considero outros cristãos que declaram publicamente sua fé em Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas como hereges por adotarem uma teologia arminiana, contudo hoje creio que não foi por vontade deles que foram salvos, mas pela graça eficaz e indispensável de nosso Deus.

    Concluindo, engrosso o coro:

    Por que quem diz "não sou calvinista nem arminiano, sou cristão", sempre é arminiano? (4)

    O detalhe aqui é que eu engrosso esse coro porque quando eu dizia isso eu sempre partia de um pressuposto arminiano, embora não quisesse assumi-lo. Sei bem quantas vezes eu disse isso por mero preconceito contra a teologia calvinista(reformada).

    A graça e a paz de nosso Senhor Jesus,
    Ronaldo

  23. Bem,

    Jamais conseguiremos uma resposta plena para essa pergunta: Como funciona a onisciência de Deus?

    O problema que eu vejo é que o Calvinismo, para se satisfazer em uma resposta mais cômoda, afirma um Deus fatalista e pq não dizer, injusto, muito injusto.

    Pq injusto?

    A resposta é: Vc negociou sua vinda a este mundo com Deus? NÃO, o que me faz parecer uma grande injustiça um Deus que cria robôs mal-feitos para serem tostados, e escolher alguns para serem poupados. Sinceramente essa não é uma visão que foi vivida e muito menos pregada por Jesus para ser dita que é a "sistematização do evangelho de Jesus".

    De todos os problemas sérios do Calvinismo, a questão filosófica aplicada nele é quase nula, chegando ao nível do absurdo. Me desculpe, se eu sou escolhido e alguém que eu amo não é, na boa, precisaria ter uma mentalidade extremamente egoísta pra passar a eternidade com a consciência limpa, visto que a pessoa que eu amo está lá no inferno. Que céu de egoístas. Fatalismo total!

    Falaram de Agostinho (só não citaram seus poréns), Lutero (Sucessor direto do primeiro), Spurgeon, etc. mas não falaram de C. S. Lewis e John Wesley, Bem interessante.

  24. Concordo com o irmão sou um pentecostal que influenciado por homens e ruins teólogos pentecostais me levaram a fugir desta maravilhosa doutrina, hoje estudando numa universidade presbiteriana aprendi sobre o calvinismo o que suas respostas foram muito mais coerentes.
    Graça…

  25. Prezado Leonardo,

    Onde você observou problemas de autoestima nas entrelinhas dos meus comentários? Pelo visto, você anda escorregando nos princípios básicos de interpretação de textos!

    O respeito por opiniões contrárias a minha (ou à sua) é o mínimo que se espera de uma pessoa sensata.

    Meu intuito com os comentários que fiz foram tão somente o debate sadio das idéias. Pense nisso!

    Que o Senhor te abençoe e te guarde!

  26. Daniel Leal Souza,

    Você é meu amigo pessoal, e já conversamos amplamente sobre o tema "eleiçao/predestinaçao" via MSN. Muito do que eu penso sobre o tema já te disse, e suas opinioes já foram ouvidas por mim. Por esta razao, nao consigo entender o porquê de você vir aqui (duas vezes) para dizer que o calvinismo é "pobre filosoficamente".

    É possível que a razao da sua insistencia seja o fato de que este é um forúm aberto, e você realmente deseja que sua resposta fique visível, talvez para alertar às mentes "menos filosóficas", isto é, aos "desavisados", para que nao creiam no "engodo" calvinista (essa "filosofia pobre"!)

    Sendo assim, me vejo no direito de dar-lhe a única resposta que me vem à mente. Serei ultra sucinto contigo, porque desejo esclarecer os paradigmas aqui postos:

    Daniel,

    Se você deseja um sistema "filosófico", nao busque entender doutrinas bíblicas. Leia filosofia. A teologia (genuinamente) crista está baseada na Bíblia, e nao em filosofias ocas desenvolvidas por homens cujas mentes sao "aferidores da justiça", padrao da bondade e da maldade, e cujos pensamentos sao a representaçao exata daquilo que Deus deveria ser e de como ele deveria agir.

    No entanto, nao estamos perguntando se a doutrina da eleiçao é justa aos olhos humanas, e sim se ela é bíblicamente correta. Nao estamos perguntando se enviar um homem ao inferno é justo e palatável para ti, mas sim se as escrituras endossam tal cosmovisao.

    Em suma,

    Se você quiser discutir filosofias, busque um espaço "filosófico". Aqui estamos falando de doutrinas bíblicas. E só.

    Graça e paz, e um grande abraço do amigo,

    Leonardo.

  27. Disse Charles Spurgeon: "a graça de Deus não viola a vontade humana, mas triunfa docemente sobre ela". Portanto quem pensa que "escolheu" a Deus é bom repensar o conceito de Graça. Evangelho sem graça não é Evangelho, é isso que o Calvinismo vem nos trazer teologicamente.

    ____________________________________________
    Gente, sou um assíduo frequentador do púpito cristão. Meu blog é http://artedechocar.blogspot.com/ e o novo artigo é RENATO RUSSO E O SAGRADO CORAÇÃO.
    Espero que vcs dêem uma forcinha pois tenho tentado fomentar o debate sobre "música, arte e religião" nos grupos cristãos aqui da Paraíba. Abç, fiquem na paz!

  28. lendo os dois últimos comentários, ambos com ótimos argumentos (afinal, sempre achei q os dois lados têm ótimos argumentos) gostaria de fazer uma pergunta a qm quiser responder:

    A Bíblia é a PALAVRA DE DEUS. A forma que ele encontrou para se comunicar com o homem. De se revelar a ele. Logo Deus precisou traduzir em um código compreensível a nós sua infinita e incomensurável sabedoria, honra, glória, poder, graça, amor, bondade, etc.. E na sua Palavra, a Bíblia (código que compreensível ao homem) Ele diz de si mesmo que é BOM.

    Gostaria que alguém me explicasse como um Deus que se diz BOM e VERDADEIRO (e eu creio) pode condenar, sob a perspectiva humana antes do nascimento, alguém ao fogo da danação eterna.

  29. Sobre o questionamento/afirmação do Daniel Leal Souza: Deus é injusto?

    A resposta a esta antiga e recorrente pergunta nos é dada pelo apóstolo Paulo:

    "Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma.
    Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.
    Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece" (Romanos 9:14-16).

    O problema é quando se quer "julgar" a forma como Deus distribui a sua justiça. Ele está acima dos nossos padrões ético e morais, não há paradigma para Ele a ser buscado no tempo, porque Deus é Único, supremo e TRANSCENDENTE, ainda que relacionando com as suas Criaturas. Quando a mente humana – como a sua – quer fixar padrões de "justiça" a Deus (e lembre-se que a nossa justiça para Ele é trapo de imundície), contra as próprias afirmações bíblicas (o Oleiro faz do barro o que lhe apraz), está pois a construir outro deus – mais palatável e "justo".

    Eu, por meu turno, aceito inteiramente o Deus que está retratado e revelado nas Escrituras Sagradas, inclusive aquele soberano, que afirma fazer "vasos de honra e desonra, de ira e misericórdia"; uns para a salvação e outros para a condenação (Romanos 9), predestinando-os (Romanos 8:29-30), e completando a boa obra até a glorificação final. E, pasme, com tudo isso o homem ainda é inteiramente responsável pelas suas "escolhas". Por quê? Pelo simples motivo de que Deus diz que é. Como Ele faz isso? Não sei, mas desconfio que, se soubesse, seria Deus.

    Ps: o padrão de justiça de Deus é mais alto e "complexo", por isso não o compreendemos inteiramente, não o exaurimos. Assim, apenas descansamos confiadamente nEle.

    Ricardo.

  30. "Vinde a Mim todos …" O Senhor Jesus não estava convidando a todos para serem salvos por Ele? Vai quem quer. É isto que entendemos, não? Se há predestinação, não precisa perder tempo chamando todos.
    (Os testemunhas de Jeová(o que não vem ao caso), dizem que só serão salvos 144.000, então porque perder tanto tempo gastando sapatos na rua – já existem no mundo mais de 144.000 na Torre de Vigia)? Assim é a predestinação: se os salvos vão ser salvos mesmo, qual será a razão da igreja cumprir o ide se já está tudo planejado?
    (Nikita querendo saber. Quem explica?)

  31. Para que os Argumentos do Leonardo e de outros defensores do Calvinismo venha a encontrar respaldo na biblia, sugiro mudar o Texto de João 3:16 para: Porque Deus amou os predestinados de tal maneira, que deu seu unico filho, para que todos estes não pereçam, mais tenham a vida eterna. Meu Deus esta doutrina é assustadora, porque afirma que todos são salvos pela graça, e disso creio que ninguem duvida; Mas todos os que Deus predestinou é que são salvos pela graça, os demais, ainda que desejar não terão este direito.

  32. Me desculpe talvez eu seja mesmo ignorante, ou até mesmo simplista, mas "TUDO" isto faz mesmo tanta diferença? Isso vale mesmo a guerra entre nós? preguemos o evangelho em tempo e fora de tempo, vamos dar toda a honra e glória apenas a Deus, vamos cultuar a ele com amor e temor, crer que Ele está acima de tudo, o mais creio que não deve ocupar tanto nossas mentes, acho que era a isso que Paulo se referia quando falou que letra mata, agente fica se enchendo de um conhecimento que só leva a divisões e envaidece a carne.
    Deus é atemporal, Ele sabe, soube e saberá de tudo e isso inclui todos os que serão ou não salvos, mas isso não o impediu de falar em sua palavra que seu desejo era que nenhum se perdesse, isso também não o impediu de dar ao homem o livre arbítrio, a tempos esses "tormentos" já não povoam minha mente, o evangelho é simples até D+ graças a Deus que sabe que nossa mente é limitada.
    O evangelho é SIMPLES nunca nos esqueçamos disso.
    Deixo claro que admiro muito o Leo, não estou fazendo um critica pessoal a ele, ou a ninguém em particular.
    Mas é que para mim a tempos o evangelho se tornou algo simples, de vivencia pacifica e transformadora então não ha como ver de outra forma.
    Um Deus soberano que vai alem do meu entendimento, mas mesmo sabendo de todas as coisas nos ordena pregar em qualquer oportunidade, me parece um Deus que quer mesmo que não fiquemos a nos apegar a isso.
    Mas enfim que Deus tenha piedade de nós que não conseguimos viver apenas a olhar para sua glória sem ficar querendo "entender" o incapaz de se entender.

    E francamente todas essas coisas são "vividas" apenas pela cúpula intelectual da igreja, porque para a maioria dos meus amados irmãos todas essas dúvidas nem se quer existem, pois eles lêem a Bíblia se alimentam do evangelho e pronto.

    Como um irmão ali em cima falou não sou nem uma coisa nem outra, sou Cristã, graças a Deus.

  33. Caro Pr.Gonçalves,

    1-Não sou calvinista,e espero que não me considere menos cristão por isso.

    2-Não,não "ser" calvinista não é sinônimo de ser arminiano.

    3-sou cristão e tenho todo direito de discordar de você,de Charles Spurgeon e quem mais for.

    4-Discordo de Spurgeon quanto ao calvinismo ser sinônimo de evangelho.

    5-teologia se basea em conceitos filosóficos.

    6-Sei que muitos reformados pensam que não-calvinismo equivale a (semi)-pelagianismo.o que é uma afirmação preconceituosa baseada em um conceito falacioso.
    Mas acredito que não seja o seu caso.

    7-Obviamente não preciso ser calvinista para crer em um Deus soberano.

    Os advirto no intuito de preveni-los de pensmentos preconceituosos surjam em vossos corações,que é um mal que aparece mesmo nas mentes mais sábias.

    Desejo que faça um bom trabalho em Piura.

    Que a paz de Jesus esteja contigo,todos os dias.

    Do seu irmão em cristo,
    Marco Túlio.

  34. Fiuza,
    O problema não é ser ARMINIANISTA ou CALVINISTA, e sim, não assumir uma posição de forma expressa, quando esta está claramente ligada ao arminianismo, como no seu caso.
    Assuma meu rapaz!
    Quanto ao texto, é muito rico e coerente.
    O calvinismo como sistema teológico, de certo que terá pontos que possam despertar controversias à luz da biblia.
    No entanto, é o que mais dela se aproxima.

  35. Minha opinião sintetizada,
    O arminianismo relativiza a graça salvadora de Cristo, e daí, minimiza os efeitos do sacrifício da cruz.
    O arminianismo prega a salvação condicionada a obra humana, e perecível também por ela. Portanto, os salvos seriam uma espécie de COAUTORES DO PLANO DE SALVAÇAO JUNTO COM CRISTO.
    Nunca encontrei respaldo biblico para essa teologia, que não revoga questões secundárias da soteriologia, mas o seu ponto principal.
    Portanto, a doutrina de Jacob Arminius carece de suporte bíblico.

  36. Caro Ricardo Mamedes:

    Quando se fala de justiça divina, obviamente, a resposta e ampla, complexa e a questão de justiça humana, quando condiz com os ensinamentos de Cristo, são partes de algo bem maior, transcendente. Se vc me diz que a partir do momento que Cristo faz parte da minha vida estou predestinado a salvação, concordo com vc, do contrário discordo veemente!

    Acredito sim, num Deus justo, num Deus soberano e no que a bíblia diz quanto a ele, mas especificamente Jesus sobre o Pai, que Deus é bom. No que eu não acredito é num deus que predestina uns antes mesmo de nascer e outros manda pro fogo inferno, como se fosse uma espécie de projeto falido. Esse tipo de pensamento soa bem prepotente, principalmente para os "eleitos de Deus". Concordo que o Deus retratado na bíblia é transcendente, ou seja, superior a justiça humana, que e falha, não pior do que ela.

    Deus conhece os meus dias? Sim (quanto a isso o papo e mais complexo)
    Deus quer o melhor (desprezando o conceito da teologia da prosperidade) para nós? Sim
    Deus nos ama e é bom? Absolutamente, biblicamente falando (João 3:16, Mateus 5 e 6, etc.)

    Em síntese, o que o arminianismo tem de pouco profundo, o calvinismo tem de fatalista.

    Termino esse comentário com uma afirmação de Caio Fábio (o qual eu tbm possuo divergências): "tal visão é fatalista, perversa, elitista, jactante, e adoecida; não porque Deus não seja Quem Deus é; mas apenas porque o calvinismo não é revelação de Deus, sendo apenas um grande esforço humano para entender e sistematizar o insistematizável: o Deus que é; e que é Soberano."

    Abraços e a paz do Senhor
    Deus ama sua criação? Sim
    Deus

  37. Menandro,

    Embora discorde de algumas formulações elaboradas por ti, reconheço que sua abordagem foi interessante de ser avaliada.

    Vejamos primeiramente sua afirmação: "O calvinismo como sistema teológico, de certo que terá pontos que possam despertar controversias à luz da biblia. No entanto, é o que mais dela se aproxima."

    Observemos agora a afirmação do texto: "Charles Spurgeon chegou a afirmar que calvinismo é apenas outro nome para evangelho".

    Desta forma, chegamos à seguinte conclusão: Evangelho é uma coisa, Calvinismo é outra, tendo em vista que existem pontos no calvinismo que não encontram respaldo bíblico, se analisado de maneira imparcial. Aproximar-se das afirmativas do Evangelho é diferente de ser igual ao Evangelho.

    Entretanto, tenho observado que sua assertiva se faz de maneira respeitosa, com críticas tão somente à minha opinião e não à minha pessoa. Isso de certa forma contribui para um debate sadio entre irmãos em Cristo, pois é isto que somos.

    Outro detalhe que gostaria de acrescentar é: não sou arminiamo! Se tivesse que possuir algum rótulo teológico, deveria ser de calvinista, visto que fui criado em seio presbiteriano, cujas doutrinas esposadas são de ordem reformada. Lá fui criado, conheci ao Senhor e fui ensinado de modo rigoroso a respeitar e amar as Escrituras. Conheço muitos irmãos calvinistas, e ao Senhor sou grato pela grande participação que estes tiveram em minha humilde formação cristã.

    Corroboro, assim, com a afirmação acima de nosso irmão Marco Túlio: “Não, não "ser" calvinista não é sinônimo de ser arminiano” e mais: “Discordo de Spurgeon quanto ao calvinismo ser sinônimo de evangelho”.

    Finalizando, se você me fizer as seguintes perguntas:

    1) “Você crê que a salvação é oferecida a todos os homens?”, eu responderei que SIM baseado em João 3:16 e I Timóteo 2:4.
    2) “Você crê que Deus é soberano?”, eu responderei que SIM baseado em Isaías 46:10 e em inúmeros outros textos bíblicos.
    3) “Como conciliar SOBERANIA DIVINA com RESPONSABILIDADE HUMANA?”, eu responderei que NÃO SEI, tendo em vista que minha mente humana é limitada em tentar compreender mistérios divinos.

    Menandro, o texto de Romanos 11:33-36 me conforta diante de paradoxos como este.

    “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém”.

    Um grande abraço de seu irmão em Cristo.

  38. Irmãos,

    vamos imitar o apóstolo Paulo e tentar gahar o maior número possível de pessoas:

    "Porque, embora seja livre de todos, fiz-me escravo de todos, para ganhar o maior número possível de pessoas.

    Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns." (1Co 9)

  39. para Izabel:

    A responsabilidade de ensinar a sã doutrina é muito grande, coitado dos que fizerem vista grossa ou por tradição humana ignora-las, a doutrina da Graça tem que ser ensinada para os salvos em Cristo sim e acredite, para o salvo, faz toda a diferença, caso contrário, poderíamos aceitar qq evangelho, mas fomos ensinados que não…….. não devemos aceitar outro nem mesmo que tenha sido dito por um anjo vindo do Céu.

    Abraços

    Marcel Lira

  40. Daniel,

    Confesso que já não tenho paciência para ficar discutindo teologia, tampouco para convencer àqueles que não desejam ser convencidos.

    Você fala de aceitar ou não aceitar isto ou aquilo, baseado tão somente em ideias próprias. Eu, por meu turno, quando faço afirmações, baseio-as na Bíblia. De tal maneira que, se falei em eleição, mostrei Romanos 9, que você não refutou biblicamente – e não poderia mesmo!

    Acredito no Deus que se revela unicamente nas Escrituras, e não em ideias humanistas. Aceito aquEle Deus revelado na Palavra, o mesmo que predestina e elege (Romanos 9, 8:29-30; João 6:29, 37, 44; Efésios 1:4-6; 2; Filipenses 2:13; Efésios 2:8-9, etc, etc, etc). Você, pelo jeito, tem grande dificuldade em aceitar e entender esse Deus, pois Ele não é somente bondade, mas também justiça.

    Por fim, eu não discuto com o Deus revelado, o mesmo que elege e predestina, conforme afirmado peremptoriamente por Ele mesmo nas Escrituras. Aceito que sou miserável pecador e que sou salvo unicamente pela graça, por pura misericórdia, pois em verdade mereço o inferno (Romanos 3:8-10). Se Deus, porém, escolheu salvar alguns e outros não, certamente ele o fez/faz com justiça, uma vez que todos merecem o inferno.

    Conforme Cristo mostrou na parábola do trabalhador na vinha, o Senhor pode remunerar igualmente tanto o que trabalhou desde o amanhecer até o anoitecer, como aquele que começou a trabalhar à tardinha, pois ele faz o que quer com o que lhe pertence, com liberalidade. Assim é o Deus retratado pelos apóstolos nos Evangelhos, especialmente por Paulo e João: Ele salva quem quer, exclusivamente por sua misericórdia, e não "por aquele que corre".

    E sim, o Calvinismo é reflexo perfeito do Evangelho, dele não se distanciando, enquanto que o arminianismo e todas as ideias que dele se aproximam são humanistas e elevam o homem em detrimento da soberania de Deus. Nesse diapasão, eleição, predestinação, depravação total, dentre outras doutrinas defendidas pelo calvinismo, encontram completo substrato bíblico, o que não se pode dizer do nefasto "livre arbítrio", jamais citado nas Escrituras.

    Quanto àqueles que veem arrogância nas doutrinas da eleição e predestinação, que discutam com Deus.

    Ricardo.

  41. Marcel francamente não entendi seu comentário, o que falei foi justamente isto, falar do EVANGELHO PURO E SIMPLES, desde quando esta discussão teológica significa verdadeiramente ensinar evangelho, ou o irmão acha que quem não é calvinista está engolindo uma doutrina herege???????????????

  42. Excelente o post e parabéns ao autor pela coragem de assumir a posição, mesmo crendo não ser necessário pois pelo que vejo aqui no site, todos inclusive eu, o tem como um homem de Deus, um servo do Senhor, que leva a palavra não por dinheiro ou fama mas por convicção e este fato, calvinista ou não, não pode ser alterado.Como muitos disseram aqui, creio ser possível crer em um Deus soberano, "Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama) RM.9:11" e ao mesmo tempo crer em um Deus que deseja a salvação de todos os homens. "E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna JO.3:14-16”.
    Crer em um Deus perdido, desesperado, sem senso de justiça, devido a estar preso ao amor que sente pelo ser humano, que é a proposta da teologia relacional, é um extremo; crer que Deus predestinou o assassinato das crianças em realengo, marcado para aquele dia e hora, é o outro extremo.
    E os seguintes textos:
    _Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Romanos. 10:13
    _E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. João. 12:32
    _Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Apocalipse 3:11
    _Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. Apocalipse.2:10.
    Com enquadrá-los no Calvinismo?
    A propósito, se a frase Tal é a superioridade e o bibliocentrismo da teologia calvinista, que o grande pregador Spurgeon chegou a afirmar que “calvinismo é apenas outro nome para evangelho”, posso crer então que Calvino é outro nome para Jesus Cristo?
    Paz a todos!
    Alexsandro

  43. Muito bom o texto, embora creia que sou salvo unicamente pela gaça de Deus, que sou eleito por Ele e que a salvação é única e exclusiva ação d'Ele em minha vida, não me considero calvinista. Emobora creia que o homem é responsável por seus atos, que é condenado porque peca por livre e espontanea vontade, não me considero um arminiano. Agora querer considerar o calvinismo como "evangelho" só se for um "outro evangelho".

    Fico com a bíblia, porque tato o calvinismo, como o arminisanismo tem bases bíblicas e nem quero debater, pois esse debate duras século já!
    O que temos que fazer é descançãr na graça de Deus, ser grato por tão gande salvação e buscar a cada dia permanecer n'Ele!

    abraço!

  44. Caro irmão Ricardo Mamedes.

    Não precisa ficar impaciente quanto a questão das discussões teológicas, afinal de contas, elas já existem há séculos.

    Não tenho dificuldade alguma de assimilar a idéia de um Deus de justiça, muito pelo contrário, é Ele que me conforta diante dos absurdos e injustiças cometidas por homens sem Seu temor e ignoradas por nós, homens omissos.

    Sua analogia da parábola da videira tem alguns problemas, pois a parábola ensina que no Reino dos Céus a igualdade é a regra. “muitos primeiros serão os últimos” (Mateus 19:30) . “Os últimos serão primeiros” (Mateus 20:16). Mesmo que o trabalho possa variar, a Graça é suficientemente para todos.

    Se questões de humanismo e noções básicas de justiça irrita os demais seguidores do Calvinismo, me desculpe, mas há um grande contra-senso na sua linha de pensamento com o Evangelho do amor e sim, da justiça, pregado pelo senhor Jesus Cristo. Não que Jesus fosse humanista, mas muito do que é dito no humanismo é perfeitamente harmônico com o comportamento e os ensinamentos de Cristo.

    Em uma abordagem bíblica, podemos mostrar alguns textos (não restritos a esses) que contradizem as questões Calvinistas como (respeitando os contextos):

    – João 3:16;
    – I Timóteo 2:4;
    – Romanos 10:13;
    – Mateus 5 e 6;
    – Mateus 25:34 e 41;
    – Ezequiel 18:32;
    – Jeremias 21:8;
    – Tito 2:11;
    – Atos 10:34 e 35;
    – Atos. 11: 23 e 13: 43
    – E muitos outros;

    Se Deus já escolheu pessoas para o céu e para o inferno, será Ele responsável pelos pecados destes?

    Ninguém pode prestar contas do que não é responsável, e Deus jamais poderia fazer alguém pecar: I João. 3:8; I João 1:5; Romanos 14:12; I Tessalonicenses 4:4. etc.

    Deus nos ama e é soberano e misericordioso. O fato é que o Calvinismo acredita que tirando a predestinação fatalista da jogada, Sua soberania também é atacada, um ledo engano. Não sei como funciona a onisciência de Deus além do que a lógica pode explicar, e provavelmente não saberemos por muito tempo, ou nunca saberemos. Embora goste muito de filosofia, tenho que admitir que “Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia.” (William Shakespeare).

    Pessoalmente falando, tenho problemas filosóficos, teológicos e políticos com a doutrina (Leia "A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo" de Max Webber, para evitar confusões, não sou comunista).

    Concluindo o texto da seguinte forma: Reconheço que o sistema Calvinista possui qualidades, como a questão da dependência de Deus, mas devo reconhecer que outros sistemas teológicos também possuem qualidades. O fato é que o Calvinismo segue uma linha extremamente sectária em termos de diálogo e doutrina e em muitos pontos, incita o elitismo, exclusivismo e uma certa arrogância (com todo respeito e sem intenção de atacar a sua pessoa ou a de qualquer outra que professa a doutrina Calvinista), pois dizer que Calvinismo "é outro nome para Evangelho" ou que é a "sistematização do Evangelho de Cristo" , é de uma prepotência muito grande. Não é minha intenção desmerecer o trabalho de Charles Spurgeon, John Piper, ou qualquer teólogo reformado que tenha trazido grandes contribuições, mediante Deus, para o Reino dos Céus, mas quanto aos pontos já citados (e referidos com os textos bíblicos acima), não vou repetir tudo o que já disse a respeito. Somos homens, falhamos, mas tbm acertamos, e não é uma visão teológica, com todos os seus acertos e contradições, que irei desmerecer o caráter e a atitude desses homens, também fazendo referência ao meu amigo Leonardo, a qual muito admiro pelo seu trabalho.

    Teologia também é filosofia, não nos enganemos. Cristo não é sistematização teológica (seja fatalista, superficial ou que quer que seja), é vida com Deus.

    E assim termino nosso debate, de maneira amistosa e sem querer agredir pessoas, mas com o intuito de esclarecer e questionar sem desrespeitar.

    Do seu Irmão em Cristo.

    Daniel Leal Souza

  45. Caríssimo xará, fiquei bastante emocionado e feliz em ler esse teu testemunho pessoal! Louvado seja Deus, que tem sido gracioso para os que, como nós, nada merecem! Há quem conheça a Deus… e há aqueles a quem Deus se revele na plenitude de sua graça! Esse é o resumo do "calvinismo"! O Senhor é contigo, reverendo!!!

    Paz e Bem!

  46. Daniel,

    Sem dúvida, o debate terminou antes de começar, pois nunca houve debate, mas monólogo. Eu tento discutir fatos bíblicos, alicerçados em doutrinas bíblicas, enquanto você se respalda no humanismo. E há razão pra isso, pois o que você defende é uma doutrina absolutamente humanista, especialmente fundada na filosofia secular.

    Ps. nenhuma das citações bíblicas feitas por você explica um tal livre arbítrio – eu posso refutar todo o pensamento hermeneuticamente.

    Ricardo.

  47. João 3:16 – "Por que Deu amou o mundo de tal maneira que enviou seu Filho unigênito para que todo aquele que nele permanecer fiel nao pereça, mas tenha a vida eterna".

    Alguém já disse isso aqui, mas se vc acha que isso defende a predestinação calvinista, por favor, mude o texto.

    Tito 2:11 – "Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens"

    Não preciso explicar o resto.

    Enfim mano, vc quer enfiar guela abaixo a predestinação mas ela se encontra em cheque até mesmo na própria bíblia. Não quis provar livre-arbítrio aqui (o papo aqui é mais complexo). Existem outras visões teológicas, não se esqueça disso. Cuidado mano, vamos tentar ser um pouco mais humildes.

    Encerro nosso debate, ou melhor, monólogo, como vc disse.

    Seu irmão em Cristo.
    Daniel Lea

  48. Caro irmão Ricardo Mamedes

    Para terminar de vez o nosso "monólogo", que de fato já deu o que tinha que dar, gostaria de dizer que não esqueci do texto de Romanos 9. Peço desculpas, pois não tive tempo de estudá-lo a fundo devido o tempo curto, apenas li os textos. Quanto ao mesmo e a alguns versículos que vc e eu usamos, recomendo a leitura do excelente artigo do Pr. Ciro Sanches (não é arminiano) no qual ele faz uma análise soteriológica e hermenêutica nos textos citados por vc e eu, em especial, Romanos 9.

    – Parte 1: http://cirozibordi.blogspot.com/2008/11/por-que-romanos-9-no-avaliza.html

    – Parte 2: http://cirozibordi.blogspot.com/2008/11/por-que-romanos-9-no-avaliza_05.html

    Quanto aos textos bíblicos que eu citei, não os usei de forma isolada. Fique a vontade para "refutar todo o pensamento hermeneuticamente".

    Amistosamente, do seu irmão em Cristo.

    Daniel Leal

  49. Ah, a arrogância teológia vestida de piedade! Como eu já vi isso nos olhos de pregadores presbiterianos! É uma pena…

    Tem gente crendo e se gabando nisso e chamando de evangelho. Evangelho é evangelho, não existe sofistiicção humana para ele. Se existir, como o autor quis passar, é um outro evangelho, mesmo que ele venha com base bíblia, de anjo de luz, com o nome dos reformadores. Paulo diria anátema para essa bobagem toda!

    Se alguém "chega" a Jesus por meio de "sistematização do evangelho", escravo dessa sistematização ele ficará, porque isso não é evengelho. Será que eu fui claro?

    Pobre autor, mal sabe que quando as portas do entendimento forem abertas e os segredos dos corações dos homens forem revelados, o choque será tão grande, que nenhuma palavra será dita; então todos verão claramente o quanto tempo perderam com besteiras criadas e cridas por homens.

    Não se assustem se, naquele dia, Ele dizer que até o diabo foi objeto do amor Dele.

    Teólogos esquecem que Deus é pura loucura e escândalo. Loucura para os sábios desse mundo, que se perdem, mas poder de Deus para os simples, que se salvam.

    Jesus nunca "teologizou" sobre o "problema do mal", só disse que ele existe. Paulo não escreveu 200 páginas sobre esse assunto, mas só disse que ele tem que ser vencido com o bem, não com teses! Por que complicar?

    Veja o tanto de besteira essas doutrinas criam! Enfiam a pessoa no inferno, porque essas angustias, dúvidas e bipolaridades acerca de Deus, é um inferno e só um encontro com o Rei dos reis é que pode tirar o camarada desse limbo!

    Vendo essas coisas, essas besteiras que ainda dão o nome de evangelho, eu não me assusto quando vejo um teólogo cair na descrença e no escândalo quando o pau canta de verdade, porque preferiu se agarrar a um fiapo de papel higiênico em troca do Evangelho.

    Deus não é calvinista, nem arminiano! Deus é Deus. Isso não basta? Não, pelo visto não basta.

    Bora parar de criancice e crer no Evangelho!

    Não sou calvinista, nem outra coisa qualquer. Isso tudo são ideologias sofisticadas que só servem para criar contentas e desviar os homens do caminho da Verdade.

    E publiquem isso!

    André Pompeu.

  50. "Antes, a segurança da salvação me faz imensamente grato, e é esta gratidão e amor que me oferecem combustível para uma vida de temor e piedade. Desde que atribuí toda a glória a Deus por minha salvação, não confiando mais na “obra do meu arbítrio”, passei a ser mais humilde, pois entendi que tudo, absolutamente tudo de bom, é um presente de Deus." EXCELENTE!!!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui