Universalismo e Aniquilacionismo: Seis e meia dúzia

31
174
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Leonardo Goncalves
Não gosto de falar “grego” quando o assunto é teologia. Detesto ter que usar os jargões teológicos, acessíveis apenas aos iniciados. Me alegro cada vez que consigo pregar sobre expiação, justificação e regeneração sem usar nenhuma dessas palavras.

Acontece que alguns jargões estão entrando na moda, principalmente depois que o John Piper retuitou um texto do Justin Taylor, no qual o maior ícone emergente da atualidade, o pastor Rob Bell, é acusado de ensinar o “Universalismo”. Assim que saiu a propaganda do livro, Mark Driscoll, Joshua Harris e outros pastores estadunidenses excomungaram o Rob Bell no Twitter.

Mas afinal, o que é esse tal universalismo, e porque ele é tão perigoso?

Universalismo é a crença que afirma que todas as pessoas serão salvas por Deus. Em sua versão filosófica, ele apela para as emoções humanas e insinua que um Deus bom jamais enviaria as pessoas para o inferno. Já a versão teológica está fundamentada na má interpretação de alguns textos bíblicos.

O que está implícito no Universalismo, e essa é a principal razão porque os cristãos devem fugir dessa heresia, é que ela anula o sacrifício de Cristo na cruz. Ora, se o homem será salvo sem os méritos da cruz, por que razão Deus enviou seu filho para morrer por nós? Além disso, a doutrina universalista nega a justiça de Deus revelada no juízo eterno. Neste caso, está implícita a doutrina herética de que todo homem “merece” a salvação, e que ninguém merece o inferno. Na contramão desta afirmação estão textos como Romanos 3.23, 6.23, Ec 7.20, Rm 3.10-20, que afirmam que todos os homens são pecadores carentes da misericórdia divina.

Assine o Blesss

E o aniquilacionismo? Aniquilacionismo é a crença de que Deus não enviará ninguém ao inferno, mas destruirá os homens ímpios no dia do juízo. Eles serão, segundo essa doutrina, literalmente aniquilados. A natureza desse aniquilamento é algo que eles não conseguem explicar, mas na prática é algo como ser “desintegrado”, mais ou menos como acontece nos desenhos animados e nos filmes futuristas. Esta doutrina geralmente é defendida pelas seitas “Testemunhas de Jeová” e “Adventista do Sétimo Dia”.

Mas, quais são as implicações da crença aniquilacionista? As mesmas do universalismo! Tal como o universalista, o aniquilacionista não consegue imaginar Deus enviando as pessoas para um inferno literal. Eles também se igualam aos universalistas ao negarem a justiça de um castigo eterno. Enxergam o inferno como uma sentença injusta. Esquecem-se que aqueles que pecaram contra um Deus absoluto são dignos de um castigo absoluto. Ignoram que os que pecam contra um Deus eterno só podem ser penalizados com um castigo eterno. Como disse o Mark Driscoll: “Merecemos o inferno. Tudo mais é um presente”.

Por esta razão, insisto em dizer que tanto a crença na aniquilação como a crença na salvação universal são ultrajantes. Ambas minimizam o sacrifício de Cristo na cruz, e ambas relativizam a justiça de Deus no julgamento do pecador. As duas furtam a glória de Cristo. São seis e meia dúzia.

***
Leonardo Gonçalves, com temor, no Púlpito Cristão

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

31 COMENTÁRIOS

  1. Bom texto, acredito que ajuda a galera a entender um pouco mais sobre os dois assuntos. Agora sobre o aniquilacionismo vou ter que dar mais uma estudada, pois quero conferir os argumentos.
    Um abraço!

  2. AMADO IRMÃO NO SENHOR,GRAÇA E PAZ!

    PALAVRAS COMO: expiação, justificação e regeneração NÃO DEVERIAM CHOCAR O IRMÃO OU MESMO NÃO SEREM USADAS E TROCADAS POR OUTRAS MAIS SIMPLES POIS ELAS NOMEIAM DOUTRINAS VITAIS PARA A SALVAÇÃO.
    DEVEM ESTAR NO VOCABULÁRIO DE TODO AQUELE QUE CRÊ;É POR ISSO QUE DEUS ESCOLHEU UNS PARA PASTORES E MESTRES,PARA QUE ESTES PUDESSEM ENSINAR ESTAS DOUTRINAS.
    O IRMÃO TEM O HABITO DE DEFENDER A LINGUAGEM MUITO SIMPLISTA USANDO O ARGUMENTO DE QUE O NT FOI ESCRITO EM GREGO POPULAR MAS VEJA O IRMÃO QUE DEUS ESCOLHEU ALGUNS VARÕES VALOROSOS QUE TRADUZIRAM A BIBLIA EM PORTUGUES BASEADOS EM TRADUÇÃO LITERAL DAS PALAVRAS QUE NÃO TEM NADA DE INCOERENTE QUANDO USA LINGUAGEM MAIS ELABORADA,ERUDITA OU OUTRA COISA QUE O IRMÃO QUIZER CHAMAR POIS EM CADA OCASIÃO EXIGE SE LINGUAJAR PROPRIO COMO POR EXEMPLO QUANDO SE VAI AO JUIZ OU AO PROMOTOR, NOS ESCRITOS DOS AUTOS LIDOS NO TRIBUNAL USA SE LINGUAGEM PROPRIA DAQUELA CIRCUNSTANCIA E DE ACORDO COM A AUTORIDADE.
    MUITO JUSTO É QUE QUANDO VAMOS LER A BIBLIA E FALAR SOBRE SUAS DOUTRINAS USEMOS TAMBÉM DE LINGUAGEM SOLENE E RESPEITOSA (não querendo dizer que as traduções novas em linguagem de hoje,são desrespeitosas)POIS,SABEMOS QUE NÃO SE FALA COM DEUS OU A RESPEITO DELE SEM O MAIS AUTO RESPEITO E TEMOR.

    MINHA HUMILDE OPNIÃO.
    MÁRIO CESAR

  3. Caro Leonardo,

    Como sempre, o seu texto é muito bom: simples e objetivo. Sem firulas (rsrs).

    Eu lhe pergunto, na mesma linha do texto em tela: e o livre arbítrio, de certa forma não frustra a graça e, num sentido mediato, igualmente o sacrifício de Cristo na cruz?

    SDG!

    Ricardo.

  4. Fico admirado quando leio artigos de cristãos que se acham especiais,os "salvos", e que os outros bilhões de pessoas vão para o inferno, tente analisar no meu ponto de vista, fazendo um calculo aproximado levando em conta que para os crentes , em cada três pessoas, duas vão para o inferno, sendo assim , também levando em conta que por dia morrem 250.000 pessoas no mundo, então calculo eu, que desde a criação do mundo, tenhamos mais ou menos umas dez bilhões de pessoas indo para o inferno. Me diga uma coisa. Se realmente dez bilhões de pessoas vão para o inferno como creio eu vc acredita, então nesse caso sim,,,Jesus teria vindo em vão morrer na cruz e também teria perdido a guerra para o inimigo. Jesus veio sim morrer na cruz,,,,,mas para salvar toda a humanidade. Tente pensar por esse lado,,,

  5. Muitos se esquecem de que Deus é Amor,mas também é fogo consumidor.Não podemos separar Deus da Sua Justiça e do Seu direito de tratar com a Sua criação.Deus não pensa como nós(ainda bem).Queremos muitas vezes sermos mais justos do que Ele.E tantas outras vezes,mostrar mais misericórdia.Quem pensa ser o vaso?Maior do que Seu oleiro?Deus não tem direito de agir com suas criaturas como Ele o quiser?Quantos irão para o inferno?E quantos irão para o Céu?Somente Ele o sabe.Faz parte da Sua Soberania,não cabe a nós simples mortais saber e nem discutir.Cabe-nos,sim,fazer a nosssa parte,perseverar,vigiar e obedecê-LO em tudo.Fiquem na Paz!

  6. É Léo, sei que muitas vezes certas passagens bíblicas geram discordância de interpretação, mas sei também que há textos tão claros que não requer muito esforço de raciocínio. No caso de idéias como o universalismo e o aniquilacionismo, as quais vc citou, não vejo como haver alguma base sólida nas Sagradas Escrituras, a menos que se queira forçar muito a barrar em defesa de uma tese. Penso que a questão é crer ou não crer na Bíblia, porque se eu creio (e eu creio) não vejo como concordar com visões que a distorcem em benefício próprio (coisa de homem, sempre querendo "se achar", ser a cereja do bolo, o último biscoito do pacote). Ou seja, Deus é o servo e os homens os dignos de serem salvos e servidos, portanto, o inferno não é lugar para ele. Então tá.

  7. Pastor Leonardo,
    Graça e Paz amado.
    Me permita discordar ( ou melhor, debater) apenas a questão de que a expiação minimizaria o sacrifício de Cristo.
    Qual seria o pior castigo, a aniquilação irreversível do espírito ou o castigo infindável na eternidade?
    Receber a morte espiritual não seria também um castigo absoluto, compativel e proporcional ao pecado contra nosso Deus de poder absoluto?
    Assitir ao castigo agonizante e infinito de um espírito não salvo, não seria um sadismo incompatível com a Magnanimidade da personalidade do nosso Deus?
    Aguardo respostas em homenagem à dialética.
    Um abraço fraterno.
    Sou admirador do blog, parabens pela coerência do cristianismo que voce sua turma proclamam.
    Alcebiabes Tonon

  8. Alcebiades Tonon,

    O argumento contra o aniquilacionismo apenas foi esbocado neste post. Pretendo falar especificamente sobre ele em um momento posterior. Esperemos até lá para continuar essa prosa, ok?

    Apesar disso, aproveito o momento para dizer que a razao porque descarto o universalismo como doutrina crista nao é só o "silogismo" que apresento neste texto (pois nao sou bom filósofo, e um aluno regular de lógica pode apresentar premissas mais sólidas que as minhas), mas a Bíblia Sagrada.

    Graca e Paz,

    Leonardo.

  9. Mario Cesar,

    Deixe de trollagem. O tema do post nao é esse. Se quer falar sobre vocabulario, busque um texto que fale exclusivamente disso. Tem um monte deles aqui no PC.

    Paz e bem.

    PC Amaral,

    Discordo de ti, mas te amo de montao. Vamos alargar essa prosa com muita admiracao e respeito, beleza?

    Abracao.

    Renacc,

    Ele veio salvar o homem por meio da fé no seu sacrifício.

    Tente pensar dessa maneira 😉

  10. Léo, risos

    Claro meu irmão.

    Deus disse que a sabedoria humana é loucura, sendo assim, todos nós somos loucos. Creio que podemos chegar sempre um pouco pertinho da verdade, mas quase sempre incorreremos no erro de achar que encontramos a verdade totalmente.

    Deus revela ao homem o que ele precisa saber naquele momento, mas, nem sempre o homem consegue entender. Por isso Deus condena debates infindáveis que não levam a nada, pode acontecer que ambos os lados estejam errados e Deus estar "morrendo" de rir de nossa ignorância e arrogância [risos].

    Eu mesmo não costumo debater aqui. Só o fiz porque era você e tenho muito carinho por ti meu irmão. Tanto é que colei teu texto aqui para compartilhar com os leitores do PC@maral.

    Tenho muitos textos sobre o assunto. E, confesso, sou muito chegado a minha tese, pois encontro na Bíblia todos os argumentos para me levar a pensar assim. Talvez esteja errado, ou totalmente errado.

    No caso do Universalismo creio que compromete a salvação da pessoa, mas, por outro lado, o aniquilacionismo não, pois não faz diferença. Aquele que é do Senhor não mudará sua atitude ou postura por ouvir isto, e, pode ser que o impio, até, pare para pensar, e volte seu olhar para Jesus.

    Enfim, errar é humano [frase feita] rsrsrsrs

    Sobre universalismo concordo 100%, o outro tema discordamos no campo das idéias, e creio eu que seja saudável.

    Meu irmão, jamais eu debateria a ponto de chegar a extremos, ao perceber qiue está chegando a esse ponto, me retiro, não por covardia ou por medo ou falta de argumentos, mas, porque valorizo muito amizade e respeito, e esses sentimentos tenho por ti meu irmão.

    Deus abençoe a você e tua familia cada vez mais!

  11. Leonardo,

    Confesso que não consigo apreender com que intenção você usou o termo "retórica" para qualificar o meu comentário. Porém, uma coisa é certa, nele não estão contidos nem afetação, tampouco qualquer raiz de sofisma. Tentei simplesmente tratar um paralelo mesmo que longínquo com o texto em tela.

    Contudo, se a sua contundente afirmação teve o sentido de dar à minha pergunta um tom qualquer de persuasão e convencimento, levo-a como elogio (pois é sempre salutar lutar pela afirmação das próprias convicções, não é mesmo?).

    Graça e paz.

    Ricardo.

  12. Ricardo,

    Eu disse que a pergunta é retórica porque ela conduz inevitavelmente a uma única resposta. O arminianismo reduz a obra de Deus na salvaçao do homem, e o faz por meio do livre-arbítrio.

    É isso que eu penso.

    Paz e bem!

  13. É clara a intenção dos teólogos de concretizar na mente das pessoas a idéia de um inferno literal, como destino para aqueles que morressem desligados da salvação. Segundo Paul Johnson, em seu livro História do cristianismo, “os escritores pastorais eram muito mais específicos a respeito do Inferno que do Céu; escreviam como se tivessem estado lá. Os três grandes doutrinadores medievais – Agostinho, Pedro Lombardo e Aquino – insistiam em que as penas infernais eram tanto físicas quanto mentais e espirituais, e fogo de verdade tomava parte dos tormentos”.

    A mitologia grega foi a grande influência sobre o cristianismo, com relação ao tema do inferno. Os gregos faziam uso constante da figura do Hades (o local onde eles acreditavam que a alma dos mortos permaneciam ardendo em fogo eterno), o que foi posteriormente introduzido e desenvolvido na teologia católica e cristã como um todo.

    A História Cristã demonstra que a doutrina do inferno desenvolveu-se paulatinamente, desde o início do catolicismo romano, e foi cada vez ganhando mais força e adeptos ao longo da Idade Média, chegando até os dias atuais.

    Finalmente, o apóstolo Paulo ensina que mesmo os que morreram em Cristo não estão ainda habitando o céu, a não ser quando ocorrer a ressurreição. Eles não vão nem para o céu, nem para um lugar de tormento ao morrerem. Isso somente ocorrerá com a final destruição dos ímpios na volta de Jesus. Também não vão como almas sem corpo. A Bíblia ensina que se não houver ressurreição “naquele dia”, todos os que morreram em Cristo, mesmo eles, estarão perdidos (cf. 1Cor. 15:16-18).

    É interessante notar como a doutrina da ressurreição dos mortos é pouco falada nos púlpitos que ensinam a vida após a morte, pois seria uma grande contradição tentar conciliar estes dois ensinos – ressurreição x recompensa logo após a morte.

    Em Ezeq. 18:23 Deus declara que não tem prazer na MORTE do ímpio, não se compraz em seu tormento eterno. Perder a salvação, sofrer “conforme as suas obras” e receber a morte e o esquecimento eterno é a maior punição que Deus pode dar a alguém. É um verdadeiro sadismo se deleitar na dor prolongada de alguém. Deus não faz isso, nem mesmo no ato da morte, quanto mais na contemplação eterna de alguém em infinitas agonias.

    Graças a Deus que sua Palavra nos informa: “não tenho prazer na morte de ninguém” (Ezeq. 18:32; 33:11), mesmo que seja ímpio. A extinção é a pena máxima.

    *Estudo elaborado pelo Prof. Gilson Medeiros.

  14. LEONARDO,

    TALVEZ VC TENHA LEVADO A MAL O MEU COMENTÁRIO …EU SEI QUE O TEMA DO POST É OUTRO E NEM DEBATI POR SER UM ASSUNTO CLARO NAS ESCRITURAS E VC ESTA DE PARABÉNS AO COLOCAR DE MANEIRA CLARA E EFETIVA,AS PALAVRAS.
    SÓ APROVEITEI PARA FALAR DO ASSUNTO DAS TRADUÇÕES DA BÍBLIA QUE VC CITOU EM SEU POST POIS AQUI MESMO VC VIU O QUE ESCREVEU AQUELE JOVEM, KLEBER PINHEIROS, NA MATÉRIA DO PASTOR AVELAR JR SOBRE ELE TER SENTIDO VERGONHA DA BÍBLIA.
    EU ESPERO SINCERAMENTE QUE VC QUE TÃO BOM SENSO TEM E É SABIO EM SEUS POSTS NÃO DEFENDA TRADUÇÕES MODERNAS QUE SABEMOS TER ALGUMAS, ATÉ ERROS GROTESCOS COMO OMISSÃO DE PARTE DO TEXTO MUDANDO O SENTIDO DO CONTEXTO ETC…
    POSTO ISSO,QUERO DIZER QUE ADMIRO O SEU TRABALHO AQUI E FORA DAQUI E ESPERO MUITO DO IRMÃO, INCLUSIVE NA LUTA CONTRA POPULARIZAR PALAVRAS EM DEMASIADO QUE DA ESPAÇO PARA OS KLEBERS DE PLANTÃO.

  15. Há momentos, ao ler a Bíblia que dou razão ao arminianismo, em outras passagens ao calvinismo. Se eu ficar pensando muito me sinto confusa – pirada mesmo. Quanto ao universalismo e aniquilacionismo, não entendo que a Bíblia apóia. Há uma tendência que faz parte em todo ser humano de querer escapar, o que explica as divergências. É duro de doer, mas parto deste princípio também: se há gozo e recompensa eternos, logo, a pena eterna.
    Mariom

  16. Irmaos a paz ; nao conheço esses pastores americanos nem suas teses , mas nos como cristao temos que fugir dessas más conversaçoes que distorcem o evangelho, temos que fazer morrer o nosso homem interior e viver no espirito ; temos que parecer cada vez mais com cristo, e o Pai vai dizer:vem,vc parece com Meu Filho, preisamos saber na verdade quem nos somos em Cristo Jesus, ai as duvidas desaparecem. vamos combater o combate da fé para nao desfalecermos na morte; irmaos o evangelho é simples nao existe jargoes,teses,filosofias, girias , nao existe estar na moda para ganhar os da moda, cuidado, vê se isso agrada o Senhor. Deus abençoa leo miss. sergio

  17. Leonardo, com todo respeito, discordo.

    Na doutrina do universalismo, o amor de Deus é transformado em sentimentalismo, a justiça divina é anulada e a sabedoria, autocontraditória.

    Em contraste, na doutrina do aniquilacionismo HÁ uma punição eterna muito severa contra os pecadores deliberados, rebeldes. É um castigo absoluto: a inexistência total e eterna. Só de imaginar percebemos como é terrível.

    Enquanto a doutrina do tormento consciente eterno coloca em dúvida o amor de Deus e a doutrina do universalismo coloca em dúvida a justiça de Deus (e ambas, a sabedoria de Deus), a doutrina do aniquilacionismo equilibra e satisfaz esses três atributos divinos.

    * * *

    Já ouvi mais de uma pessoa dizer que, se deixar de acreditar no tormento consciente eterno, deixaria de servir a Deus e faria tudo de errado que a Bíblia condena.

    Muito revelador: trata-se de uma necessidade compulsiva de acreditar em uma punição terrível como meio de obrigar-se a agir corretamente.

    Acontece que a motivação genuninamente cristã deveria ser positiva (o amor a Deus), não negativa (o medo da punição).

    As TJ e os ASD praticam sua religiosidade sem terem medo do tormento consciente eterno. E sem a teologia da prosperidade. Sua motivação é positiva e sincera. Discorde deles o quanto quiser doutrinalmente, mas que bom seria se mais pessoas que dizem ser cristãs tivessem essa ATITUDE genuinamente cristã!

    * * *

    Falando em lógica, utilizar termos pejorativos como "seitas", além de desrespeitoso, é uma falácia ou sofisma que não prova nada objetivamente, apenas indica falta de bons argumentos.

    Não é isso que espero de você, Leonardo!

    Abraço!

    * * *

  18. Caro Emerson,

    Voce disse que "a doutrina do tormento consciente eterno coloca em dúvida o amor de Deus". Eu afirmo que nao. Aqueles que pecaram contra o Deus eterno sao dignos de um castigo eterno. E nisso posso ver que estamos de acordo, já que voce insiste em falar de aniquilacao "eterna". Acontece que aniquilacao nao é uma pena eterna, pois aquele que a ela é submetido, simplesmente deixa de existir.

    Além disso, a bíblia descreve a realidade do inferno como sofrimento, e nao há sofrimento envolvido na aniquilacao. Pode argumentar o que e como quiser, mas dizer que aniquilacionismo é o mesmo que "sofrimento eterno", nos moldes daquele que é pregado na bíblia, é falacioso e inútil. Aliás, insinuar que existe qualquer sentimento (seja de alegria ou de tristeza) no "nao-ser" é o cúmulo do sofisma!

    A doutrina do inferno pode ser "intoleravel" para nós, mas quem disse que se trata de nós e das nossas preferencias? Desde quando uma doutrina tem que ser "palatável" para ser verdadeira? Quem inventou esse crivo?

    Concordo com voce quanto a religiosidade desprovida de medo que tem as Testemunhas de Jeová, mas acrescento que a recíproca é verdadeira: Conheco ex-testemunhas de Jeová que vivem como se fossem uns diabos por nao crer na existencia de uma punicao moral no além. Entao, convenhamos, este nao foi seu melhor argumento!

    E para concluir, eu nao sirvo a Deus por medo do inferno; o faco por desejo sincero de agradá-lo. A santificacao é para mim uma necessidade e o pecado é meu maior tormento em vida. Aliás, como poderia eu – tao suplalapsariano que sou! – servir a Deus por medo do inferno? O inferno nao me assusta: Na cruz fui comprado uma vez e para sempre!

    Grande abraco,

    Leonardo.

  19. Boa tarde.

    Gostaria comentar algo sobre o artigo "Universalismo e Aniquilacionismo: Seis e meia dúzia".

    O autor não apresentou nenhum texto bíblico respaldando a sua teoria de que não haverá a destruição total de pecado e pecadores não convertidos. Por que? A bíblia afirma que Sodoma e Gomorra se tornaram em “cinzas” (2Pe 2:6) para mostrar o exemplo do que acontecerá aos que vivem impiamente. O autor acredita que o termo "fogo eterno" usado na bíblia significa ficar queimando eternamente. Vamos a bíblia mais uma vez.

    Outro exemplo que nos ajuda a entender o termo “fogo eterno” é o texto de Judas 6, 7, onde diz de forma clara que os anjos estão em trevas esperando o Juízo em “algemas ETERNAS” (aion). Ora, as algemas eternas serão tiradas quando chegar o Juízo e a condenação final, e a sentença for decretada, assim, a algema é “eterna” somente até que se cumpra o seu objetivo. O verso 7 diz que o “exemplo do fogo eterno” é o da punição que caiu sobre Sodoma e Gomorra e as cidades vizinhas. Qual foi a punição de Sodoma e Gomorra? Estão queimando até hoje? Claro que não!

    Outro texto que se refere ao "fogo eterno" é o de Apoc. 20:10, que diz que os ímpios, o diabo, a besta e o falso profeta serão atormentados pelos séculos dos séculos (aion ton aion, em grego, que quer dizer “para sempre”, “eternamente”, conforme algumas traduções). Mas esse “pelos séculos dos séculos” é previamente explicado no verso anterior, que diz que o fogo que desceu do céu os “CONSUMIU” (do grego KATAPHAGEN,a mesma palavra que Jesus utiliza na parábola do semeador para dizer que as aves COMERAM as sementes que estavam à beira do caminho – cf. Mat. 13:4); logo, serão atormentados “eternamente” até que toda a substância seja consumida, tendo como resultado, a destruição – que será “eterna”.

    O autor pelo que se entende, é adepto da teoria da imortalidade da alma, algo completamente contrário as Escrituras Sagradas, já que a Bíblia é clara em dizer que somente Deus possui a imortalidade incondicional (2Tm. 6:16).

    Deus é amor (cf. 1Jo 4:8). Como podemos crer que Ele deixaria alguém ficar por milênios, pela eternidade afora, sendo queimado em dores inimagináveis por pecados de uma vida passageira? Deus NUNCA falou isso; mas disse que o homem que pecasse, morreria (cf. Ezeq. 18:20); a conseqüência de comer da árvore da Ciência do Bem e do Mal era a morte (cf. Gên. 2:17). Quem lançou o ensino da imortalidade não foi Deus, mas sim o diabo (cf. Gên. 3:4).

    Obs: Esta era a primeira parte de meu comentário.

  20. Leonardo:

    A vida (existência) é o maior dom que recebemos de Deus, pois é ela que nos permite usufruir todas as demais bênçãos de Deus no presente e no futuro.

    Assim, um ser inteligente deixar de existir para sempre significa a privação eterna de TODAS as bênçãos de Deus. E isso é uma expectativa terrível.

    A relação sofrimento/inferno é uma questão que exige análise e a investigação de todos os textos que mencionam o sheol, o hades, a geena e o lago de fogo, além do tártaro, além de outros temas relacionados. Estou fazendo faculdade e meu tempo ficou limitadíssimo.

    Não se trata de preferência, mas de pesquisa, meditação e bom senso. E desde quando uma doutrina tem que ser "impalatável" para ser verdadeira? Um dos lemas da igreja católica é "creio porque é absurdo" (frase de Agostinho?). Parece que o mote dos defensores do tormento consciente eterno é "creio porque é horrível".

    * * *

    O que eu comentei sobre a motivação não foi um argumento, mas uma reflexão – por isso separei com asterísticos. As testemunhas de Jeová em geral também têm temor, mas é o temor saudável e não fazem dele a motivação principal.

    Interessante você ter dito EX-testemunhas. Ilustra bem o que diz 2Pedro 2:20-22.

    Não basta a ausência de medo mórbido, é necessário o preenchimento de amor por Deus e pelo próximo e uma pitadinha de temor saudável.

    Essa é uma das principais críticas dos neo-ateus: grande parte dos que se dizem cristãos são como crianças que só se comportam bem porque acreditam em um Papai Noel e em um Bicho Papão, não possuem senso de responsabilidade, autonomia moral. E nisto os ateus têm razão.

    Também não sirvo a Deus por medo da punição eterna, seja ela qual for, mas por me sentir voluntária e irresistivelmente atraído pelo amor dEle. A punição eterna é para os iníquos.

    * * *

  21. PARA ESCAPAR DE PROVÁVEIS SOFRIMENTOS, MUITOS CRIMINOSOS, NO MOMENTO DA PRISÃO IMINENTE, SE MATAM. ASSIM TAMBÉM ACONTECE COM OS SUICÍDAS DE PLANTÃO.
    A MORTE, MUITAS VEZES, É UMA RECOMPENSA.
    O ANIQUILACIONISMO É RECOMPENSA PARA O PECADOR QUE NÃO BUSCA PERDÃO.
    JESUS É O SALVADOR. SALVADOR DE QUÊ? VEIO SALVAR O HOMEM QUE NÃO BUSCA PERDÃO DE SER ANIQUILADO?
    SER ANIQUILADO É PRÊMIO, NÃO CONDENAÇÃO. PELO MENOS PARA OS NÃO AMBICIOSOS.
    DEUS É DEUS DO IMPOSSÍVEL, POIS EM MATEUS 10:28 DIZ QUE É PARA TEMER QUEM PODE NÃO SOMENTE MATAR O CORPO, MAS TAMBÉM A ALMA. OU SEJA: DEUS.
    PELO PECADO, A MORTE DO CORPO CAIU SOBRE O HOMEM, MAS O QUE MATA O CORPO NÃO PODE MATAR A ALMA. MATAR A ALMA É IMPOSSÍVEL, SEGUNDO MATEUS 10:28, MAS O IMPOSSÍVEL SOMENTE DEUS PODE FAZER. A ESSE DEVE-SE TEMER.
    MATEUS 10:28 NÃO ESTÁ AFIRMANDO QUE DEUS VAI MATAR A ALMA, MAS QUE ELE, SOMENTE ELE É CAPAZ DE TAL FAÇANHA.

  22. Sam:

    Por favor: escreva em letras minúsculas, a não ser que queira transmitir voz gritante e autoritária. Não seja CAPSLOUCO…

    Suas palavras reforçam a afirmação de que a vida é em si mesma uma bênção [intrínseca], as condições em que as pessoas vivem é que são ruins ou boas (extrínsecas).

    Portanto, para Deus condenar pessoas ao tormento consciente eterno, Ele contraditoriamente também teria que lhes conceder a intrinsecamente bênção davida eterna, que é uma recompensa apenas para os obedientes.

    A única diferença seria as condições em que os desobedientes viveriam essa vida eterna. Essas condições seriam horríveis, mas AINDA ASSIM elas estariam recebendo a bênção da vida eterna.

    A aniquilação é um prêmio? Nem prêmio de consolação ("consolation prize")é! Nem sequer um tremendo "booby prize" (prêmio de consolação zombeteiro). Para receber um prêmio de consolação a pessoa tem que pelo menos entrar na competição. Não quero esse "prêmio".

    Além disso, Deus é vingador [cumpridor da justiça], mas não é vingativo. É muito diferente.

    Deus nos manda perdoar e amar os nossos inimigos, não sermos vingativos. Então como Deus poderia nos dar essa ordem se Ele mesmo torturasse eternamente os inimigos Dele? "Faça o que eu digo, não faça o que eu faço"? Deus é Fariseu?

    De jeito nenhum! Deus não vai passar a eternidade se deliciando com o sofrimento dos desobedientes, mas sim se deleitando com a felicidade dos obedientes.

    Os desobedientes Deus vai destruir e nem pensar mais neles, vai esquecer que existiram. Prova disso é o bem lembrado Mateus 10:28. Se Jesus mandou temer aquele que pode matar a alma, é porque esta é a punição que devemos temer.

    * * *

  23. Existe 4 conceitos básicos pra esse tema.

    Tormento eterno
    Universalimo
    Aniquilasionismo
    Aniquilacionismo posterior ao castigo

    O que tá faltando em tudo que eu li aqui é equilíbrio!.

    Eu como um bom cristão acreditava como a maioria esmagadora dos católicos e protestantes que o tormento será eterno,mas meu senso de justiça não poderia imaginar um castigo eterno pra pecadores mortais(imagine a justiça de Deus que é infinitamente mais perfeita que a nossa!);Se analisarmos a fundo esse assunto sem preconceitos veremos que se o castigo fosse eterno então pecado e pecadores existirião para sempre e seria como se houvesse um "ponto escuro" no universo, e mais, incontáveis milhares de ímpios estariam se recontorcendo e ao mesmo tempo blasfemando o nome de Deus ou seja a doutrina do tormento eterno é uma aberração teológica em todos os aspectos!.A do Universalimo já é o oposto;dize-se que afinal de contas todos seremos salvos negando realmente tudo o que as Escrituras Sagradas(Biblia)diz.O aniquilacionismo chega perto do que a Biblia realmente diz;analisemos os três conceitos com base em nossa compreensão de Deus.

    Tormento eterno(INJUSTIÇA E FALTA DE AMOR)
    Universalismo( iNJUSTIÇA E APENAS AMOR)
    Aniquilacionismo(FALTA DE JUSTIÇA)

    Como podemos ver ainda falta pra que o AMOR e a JUSTIÇA fiquem de "mãos dadas".A doutrina que mais se encaixa não só racionalmente(analisando a justiça e amor de Deus) mais Biblicamente é a doutrina do ANIQUILACIONISMO POSTERIOR AO CASTIGO(Veja que existe uma pequena falta de informação nesse blog pois as testemunhas de Jeová creem no aniquilacionismo já os adventistas no aniquilacionismo posterior ao castigo!!!)porque além de pecado e pecadores serem punidos com o salário do pecado que é a MORTE ETERNA(ou 2°morte Figurando "Lago de fogo")(Romanos 6:23)(Apocalipse 20:14)eles terão ainda proporções maiores e menores de castigos com o fogo que irá torná-los em "cinzas"(Lucas 12:47-48)e isso realmente é justo pois não seria justo condenar Satanás e ladrões de "galinhas" com a mesma proporção.O inferno terá um fim sim mais esse inferno só haverá após o milênio de Apocalipse20(Isso é o que a Biblia realmente ensina). Quem não ganhar a vida eterna irá ganhar o castigo eterno que é o resultado do fogo de Deus que é um fogo consumidor(Hebreus 12:28).O inferno vai ser eterno nas consequências que ele irá causar(Morte eterna)e não na duração!.Existem inúmeros textos que dizem que os ímpios serão destruídos!!.
    ( 2Pe.2:3; 2Pe.2:12,13;
    Tg.4:12; Mt.10:28; 2Pe.3:7; Dt.7:10;
    Fp.1:28; Rm.9:22; Sl.145:20; Gl.6:8;
    1Co.3:16,17; 1Ts.5:3;2Pe.2:1;
    Sl.145:20; Sl.94:23;) Sl.37:20; Sl.68:2; Is.5:24);e muitos outros.

    Deus abençoe a todos!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui