Conhecendo as doutrinas da Bíblia: Parte 1, A escravidão do pecado.

6
233
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Por Renato Vargens

As Escrituras são absolutamente claras em afirmar que independente de cor, raça, sexo e nacionalidade, nascemos em um estado de pecaminosidade, culpa, e morte espiritual. O ensino cristão é de que não existe um homem neste planeta que possa considerar-se justo pelos seus próprios méritos. Na verdade, a Bíblia afirma que “todos pecaram, e que todos estão destituídos da graça de Deus.” (Rm 3:23), diz também “que o salário do pecado é a morte” (Rm 6:23), e que quem peca, “transgride a lei” (I Jo 3:04), e que o pecado faz separação entre os homens e Deus. (Is 59:02)

A Bíblia diagnostica o pecado como uma deformidade universal da natureza humana, deformidade que se manifesta em detalhes na vida de cada indivíduo. A doutrina reformada ensina que o homem é totalmente depravado e que necessita desesperadamente de salvação. O Apostolo Paulo ao escrever a igreja de Éfeso afirmou: “estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais” (Efésios 2:1-3). Ora, segundo o ensino paulino toda pessoa não regenerada pelo Espírito Santo de Deus está espiritualmente morta, fazendo a vontade da carne, do mundo, além de viver uma vida absolutamente escravizada por Satanás.

Assine o Blesss
Em outras palavras, isso significa que cada um de nós nasceu como um completo pecador. Nossa essência é pecadora, todo nosso ser é pecador, nossa mente, emoções, desejos, e até mesmo nossa constituição física está corrompida, controlada, e desfigurada pelo pecado e seus efeitos. Ninguém escapa desse veredicto. Nós somos totalmente depravados. Efésios 2:1 resume a doutrina da depravação total ao afirmar que os homens estão mortos em delitos e pecados. À luz desta verdade sou obrigado a confessar que a condição humana não poderia ser pior. Entretanto, Deus sendo rico em misericórdia por causa do grande amor com que nos amou nos deu vida em Jesus salvando-nos da ira vindoura e libertando-nos da escravidão do pecado.
Caro leitor, para ilustrar de forma prática, estou colocando abaixo dois vídeos. O primeiro protagonizado por Paul Washer que com graça e sabedoria disserta a respeito da doutrina da depravação total. O segundo traz informações tecnicas sobre a Lepra, o que segundo a Bíblia SIMBOLIZA o nosso estado de pecaminosidade.
Minha sugestão é que você não deixe de assistir estes vídeos. Tenho plena convição que após assisti-los ,sua visão sobre o pecado nunca mais será a mesma.
Soli Deo Gloria,
Renato Vargens

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

6 COMENTÁRIOS

  1. Vendo essas imagens é plenamente compreensível a comparação que a Bíblia faz entre o pecado e a lepra.O pecado também é mutilante,deforma-nos e nos afeta por inteiro.Nada escapa a sua ação.Mas,a boa notícia é que tal como a lepra,o pecado também pode ser tratado.Ficarmos livres totalmente,enquanto aqui na terra, é impossível.A Palavra nos afirma que Jesus nos libertou do poder do pecado,mas da presença dele,só na eternidade.Glória a Jesus que nos perdoa e nos justifica junto ao Pai.Poi de outra forma como chegaríamos à presença de um Deus Santíssimo?

  2. Uma das grandes balelas que querem forçar a que acreditemos é a de que os "crentes" não pecam porque foram "lavados e remidos no sangue do Cordeiro, e, portanto, estão imunes ao pecado", pois se assim fosse na Epistola de Paulo aos Romanos este não teria escrito no capítulo 7:14 e seguintes:
    14 Sabemos que a Lei é divina; mas eu sou humano e fraco e fui vendido ao pecado para ser seu escravo.
    15 Eu não entendo o que faço, pois não faço o que gostaria de fazer. Pelo contrário, faço justamente aquilo que odeio.
    16 Se faço o que não quero, isso prova que reconheço que a Lei diz o que é certo.
    17 E isso mostra que, de fato, já não sou eu quem faz isso, mas o pecado que habita em mim é que o faz.
    18 Pois eu sei que aquilo que é bom não vive em mim, isto é, na minha natureza humana. Porque, mesmo tendo dentro de mim a vontade de fazer o bem, eu não consigo fazê-lo.
    19 Pois não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço.
    20 Mas, se faço o que não quero, já não sou eu quem faz isso, mas o pecado que vive em mim é que o faz.
    21 Assim eu sei que o que acontece comigo é isto: quando quero fazer o que é bom, só consigo fazer o que é mau.
    22 Dentro de mim eu sei que gosto da Lei de Deus.
    23 Mas vejo uma lei diferente agindo naquilo que faço, uma lei que luta contra aquela que a minha mente aprova. Ela me torna prisioneiro da lei do pecado que age na minha carne.
    24 Como sou infeliz! Quem me livrará deste corpo que me leva para a morte?
    Que Deus seja louvado, pois ele fará isso por meio do nosso Senhor Jesus Cristo! Portanto, esta é a minha situação: no meu pensamento eu sirvo a Lei de Deus, mas na prática sirvo à lei do pecado.
    Analisando estes versículos bíblicos, temos que concordar que muitos evangélicos, não somente os pastores e demais dirigentes, vivem enganados e enganando a muitos com as suas pretensas "SANTARRICES".
    Na verdade, Deus em sua suprema e infinita bondade e misericórdia, para não destruir completamente a sua "OBRA PRIMA IMPERFEITA", mandou seu Filho (JESUS CRISTO) para assumir a nossa forma humana e sofrer conosco e conhecer intimamente todas as nossas imperfeições e podridões, para que estive apto a julgar-nos e também a perdoar-nos.
    É necessário que caiamos na crua e fria realidade de que, mesmo sendo crentes e congregarmos e tentarmos seguir aos ensinamentos bíblicos, ainda assim não deixamos de pecar, enquanto estivermos com esse invólucro podre chamada "carne e suas concupiscências".
    Que Deus nos abençoe e tenha misericórdia de nós.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui