Piercings, evangelho e cultura

19
695
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Sandro Baggio

Assine o Blesss
Piercings estão cada vez mais comuns em nossos dias. Algo que há menos uma década era olhado com reprovação e preconceito, é hoje visto em homens, mulheres, jovens e até crianças. Se a sociedade parece estar aceitando esses adereços cada vez com mais naturalidade, os cristãos parecem confusos a respeito. Afinal de contas, a questão da aparência ainda é assunto de grande discussão e controvérsia em muitos círculos evangélicos. A primeira coisa que precisamos ter em mente quando o assunto é aparência pessoal, é que se trata de algo que muda com o tempo e com o lugar.

Usos e costumes estão diretamente ligados à cultura. Basicamente uma cultura é formada por três elementos: cosmovisão (a maneira como um povo vê o mundo), sistema de valores (o que é importante para aquele povo) e normas de conduta (o modo como um povo se comporta, e isso dizem respeito tanto à vestimenta, como ao modo de se relacionar com os outros, etc.). Culturas são diferentes de acordo com sua cosmovisão, valores e normas de conduta. Arrotar em público após uma refeição é totalmente aceitável (e até louvável) em certas culturas, e repugnante em outras. Uma mulher com os seios à mostra é normal em muitos países da África (onde a mesma mulher não pode exibir as pernas acima do tornozelo) enquanto que o mesmo é obsceno em outras partes do mundo. Beijar na boca em público é normal aqui no Brasil, mas pode levar alguém à cadeia em certos países islâmicos. Nestes mesmos países islâmicos, um homem não pode andar de mãos dadas com sua esposa, mas pode andar de mãos dadas com outro homem. No Ocidente tal prática evoca idéias de homossexualismo. E por aí vai. Todas essas coisas são formas de expressão cultural. Podem ser um insulto ou algo escandaloso para os de fora (que não fazem parte da cultura), mas não são necessariamente erradas para quem é daquela cultura. O fato é que nenhuma cultura é totalmente igual à outra e nenhuma cultura está acima da outra.

João viu no céu povos de todas as tribos, raças, línguas e nações (grupos étnicos). Todas as culturas possuem elementos que precisam ser valorizados e outros que precisam ser transformados pelo Evangelho. Sendo a aparência pessoal é uma questão de expressão cultural, esta aparência também muda de acordo com a cultura. Pinturas na face e no corpo estão presentes em diversas culturas. Na Polinésia, os nativos usam a tatuagem para escrever sua história familiar no corpo. A tatuagem e o piercing no umbigo eram comuns no Antigo Egito. Alguns povos usam piercing, brincos e outras formas de alteração do corpo (body modification ou simplesmente body modi).

O problema é que o mundo está ficando pequeno. Estamos nos tornando cada vez mais uma aldeia global. Esta globalização faz com que certos costumes que antes só eram vistos em algumas culturas isoladas e lugares remotos da terra, comecem a se tornar moda em todo o mundo. A tatuagem de henna é um exemplo recente desta realidade.E quem são os responsáveis pelo lançamento da moda em nosso mundo? Os meios de comunicação em massa, que muitas vezes mostram artistas, músicos e cantores usando determinada roupa, adereço, estilos diferentes muitas vezes copiados por nós, ou porque não dizer, copiados de nós.

Isto mesmo!!! Citando dois exemplo: Os Rapper’s americanos não inventaram um estilo de roupa e ornamentos, eles já existiam, porém foram popularizados pela mídia. A popularização de alguns costumes orientais no Ocidente teve forte influência dos Beatles, quando estavam em sua fase “Flower and Power”. Muitas das batas, camisões e pantalonas que vemos hoje em nossas ruas, praças, e até na igreja, foram uma influência direta da que é chamada a “maior banda de todos os tempos”, porém, são “politicamente aceitas” por muitas de nossas lideranças. A popularização do piercing foi em 1993 com o vídeo clipe “Cryin”, do Aerosmith, onde Alicia Silverstone apareceu com um piercing no umbigo. Uma banda de rock, uma balada romântica, uma jovem atriz linda. Elementos essenciais para fazer a moda pop ou cultura pop, que nada mais é do que uma mistura de culturas e costumes do mundo pós-moderno. Leornard Sweet, professor metodista e um dos mais interessantes pensadores cristãos de nossa época, comenta sobre tatuagens e piercings em seu e-book recente “The Dawn Mistaken For Dusk”. Ele diz que, a razão pela qual “body modi” é o assunto nº.1 nas listas de discussões e bate-papos de jovens cristãos com menos de 30 anos nos EUA, é pelo fato disto fazer parte da cultura jovem pós-moderna atual (e quase global), uma cultura onde a imagem é altamente valorizada.

A ironia disso tudo é que cirurgias plásticas e implante de silicone são coisas cada vez mais aceitas pelos cristãos modernos. Tem personalidades famosas do mundo evangélico brasileiro com o corpo siliconado.

Todavia, como diz Sweet, “Cirurgia plástica é uma forma severa de alteração do corpo. Isto é aceito, mas brincos e tatuagens, não são?”. Na Bíblia lemos à história de Isaque que deu a Rebeca uma argola de seis gramas de ouro para ser colocada no nariz (piercing) e, após fazer isto, ajoelhou-se para adorar a Deus. Penso que se o primeiro ato fosse pecado ou considerado pagão, então Isaque não teria adorado a Deus em seguida.No livro de Êxodo, percebemos que as mulheres dos hebreus usavam brincos e argolas, os quais foram oferecidos como oferta dedicada ao Senhor para a construção do Tabernáculo. Novamente, não penso que Deus aceitaria de seu povo ofertas que representassem costumes pagãos.

O texto mais intrigante para mim se encontra em Ez 16.11-12: “Também te adornei com enfeites, e te pus braceletes nas mãos e colar à roda do teu pescoço. Coloquei-te um pendente no nariz, arrecadas nas orelhas, e linda coroa na cabeça” (ARA), onde o próprio Deus diz que adornou Jerusalém com jóias, pulseiras, colares, argolas para o nariz e brincos para as orelhas. Ao que parece, tais adornos não eram uma ofensa ao Senhor.

Uma vez que a Bíblia parece não condenar o uso de piercing, por que deveríamos nós? Nosso desafio não é condenar, mas orientar as pessoas (principalmente os jovens) para os riscos que existem em fazer estas coisas sem uma orientação profissional e cuidados de higiene e saúde. A pessoa está consciente dos riscos de inflamação, doenças contagiosas e “efeitos colaterais” diante da sociedade? Está consciente de que algumas alterações são irreversíveis e, mesmo diante da possibilidade de reversão, podem deixar marcas para o resto da vida? Mais ainda, precisamos falar sobre questões de identidade, valor pessoal e auto-imagem. Pois são estas as questões mais importantes para quem está considerando qualquer forma de alteração do corpo, seja uma plástica no nariz, implantar silicone, colocar um piercing ou fazer uma tatuagem.

***
Sandro Baggio é pastor-missionário, ocasionalmente tradutor e intérprete, escritor, leitor compulsivo, fã do U2 e membro do Projeto 242

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

19 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom o artigo, e concordo sobre a cultura, porém, com certeza este assunto entrará no debate dos "usos e costumes" adotado ainda por muitas igrejas. E eu como presbítero da Assembléia de Deus gostaria de deixar meu parecer aqui.

    Em primeiro lugar sou obrigado a afirmar que somos salvos pela graça de Deus, por meio da fé, e nada do que façamos poderá fazer-nos alcançar a salvação, senão por meio da graça de Deus e Sua mesericórdia por nossa vida. Por termos a certeza que o sacrifício de Cristo foi suficiente na cruz do calvário.

    Em segundo lugar, as obras que fazemos agoram fazemo-nas por gratidão, por amor aquilo que já recebemos de Deus. Logo minha santificação e realização de alguma obra é minha oferta de gratidão pelo que já recebi de Deus.

    Entrando agora no assunto, muitas igrejas hoje ainda mantem os "usos e costumes" como padrão, o que deve ser ensinado e que este "padrão" não santifica, não salva, e não os faz melhores do que os outros.

    Muitas igrejas que não usam, criticam xingam, chamam de fariseus, entre outras coisas, o que também esta errado, muitas destas que não usam tem muitos membros que andam em total sensualidade, o que a bíblia condena veemente.

    O que estaria certo então?

    Aquele que usa, não critica o que não usa, e o que não usa da mesma forma.

    Acho que os membros (digo membros aqueles que querem fazer parte da instituição)que estão em igrejas que em seu estatuto é colocado como parte deste estatuto o uso de certos costumes, deveria ser orientado para que viesse a cumprir os estatutos que são formulados, pois quando são batizados é orientado sobre isso. Pois hoje existem N igrejas muito boas, que pregam a palavra da verdade, porque vou querer ser membro de uma igreja onde sei que exite costumes, e após ser batizado me revoltar com os tais? Agora se não é formulado nenhum costume, glória Deus por isso, sirva a Deus e cintinue firme.
    Só acho errado quererem julgar as pessoas que "comem carne" só porque não comem.

    E muito além disso, existem pessoas ainda que não cortam o cabelo por voto (minha esposa graças a Deus corta rsrs). semelhante a Atos dos apóstolo onde mostra pessoas que rasparam a cabeça por voto, que mal tem isso?

    E se eu querer guardar o sábado para agradar a Deus e não por salvação? Será que vou pro inferno por querer fazer algo que a bíblia não condena? E se o dízimo que deposito, estiver dando por fé a Deus. (Este é porque muitos condenam o dízimo como só parte da lei)
    Estes pontos meus amados, a bíblia diz que quando fazer algo faço na autoridade de Jesus.
    O problema é o homem condenar o que a bíblia não condena, tanto digo isto dos radicais quanto dos liberais!

    Um abraço!

  2. Concordo!

    Entendo que se um pastor ou qual pessoa afirma que usar piercing é pecado, ele estará pecando e deixando de observar Deuteronômio 4.2: "Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que eu vos mando" (ARA). Ou então, como diz em Provérbios 30.6, "Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreendas e seja achado mentiroso" (ARA).

    Particularmente não gosto de piercing, nem de tatuagens, nem de colares e nem de brincos. Porém, meu modo de vida não pode servir como padrão de comportamento a ponto de criar preconceitos contra o meu próximo. Logo, se vejo alguém usando piercing dentro da Igreja, não posso ficar em meu coração criando rótulos e falsas suposições acerca daquele irmão.

  3. Eu sou membro da Assembleia de Deus, vou batizar dia 26 proximo, so que tenho vontade de fazer tatuagens, o que não intendo são justificativas baseadas em usos e costumes, quem criou isso foi o homem, baseado na Biblia e suas doutrinas, só que tem coisas que são desnecessarias, Deus nos transforma de dentro pra fora, algumas pessoas querem te jogar em "forma de usos e costumes" e isso não adianta de nada, a pessoa vai pecar sim, mas por desobediencia ao homem, e o pior fazendo uma coisa que é licita!

  4. Bem, quando me converti foi em uma igreja bem liberal, eu era jovem, e minha maneira de se vestir mudou muito, não por causa da igreja e nem de influência de alguém, e sim, creio eu, pela ação do Espírito Santo. A igreja é norteada pelo Novo Testamento, pelas epístolas, mas precisamente. Cada um de nós devemos perguntar a Deus aquilo que LHE agrada para nós, o que podemos usar ou não. Todas as coisas nos são lícitas, mas nem tudo nos convém. Abs. Mariom

  5. Texto ridículo. A Palavra diz que não devemos nos conformar com este mundo (Rm 12.2), diz que a amizade com o mundo é inimizade com Deus ( Tg 4.4; ), diz que devemos nos abster de toda a aparência do mal (1 Ts 5.22).

    Chega de relativismo, chega de deixar o mundo cada vez mais entrar dentro da igreja. Misericórdia!

    Com Temor e Tremor,
    Elton Morais

  6. Apesar do texto não ser mais aprofundado e se manter em cima do muro, o tema é de grande interesse.
    Não ouso criticar que usa piercing ou tatuagem, mas questiono porque se utiliza desses meios de “expressões”.
    Como disse o Apóstolo Paulo em que todas as coisas eram-lhe lícitas e nem todas lhe convinham, pergunto se estas coisas convem a um crente.
    Numa cultura como a nossa que não possuí essa expressão cultural, para que serve isso senão para impactar!
    Se os jovens de hoje usam dessa expressão, usam-na por algum motivo e nada é feito sem motivação. Às vezes é porque uma amiga fez e achou bonito ou um galã ou alguma personalidade em evidência. Não seria isso uma cópia de algo que não se conhece e nem sesabe a sua origem?
    Pergunte a qualquer crente por que ele usa piercing ou tatuagem e depois analise a resposta dada.
    Conheço um obreiro desviado da igreja que há três semanas apareceu com uma tatuagem de dragão. É algo normal e aceitável para um ancião?
    Não vejo piercing e tatuagem como adornos, vejo-os como mutilações do próprio corpo.
    Acredito que os jovens crentes de hoje que se utilizam dessas expressões o fazem sem saber o que significam.
    Também textos bíblicos isolados não servem como exemplos e ainda mais confundir pendente por piercing já é demais.
    O piercing dá a ideia de algo penetrante, que fura. Será que Eliezer perfurou o nariz de Rebeca para por um pendente?
    Acho um absurdo que o autor deste artigo informe que pendente é o mesmo que piercing e induza os jovens ao erro por uma falsa interpretação.
    Para mim esse artigo não merecia estar neste espaço, só traz desinformação.

  7. Parabéns Elaine Cândida!

    Isto sim é um ótimo artigo. Deus é contigo. Continue a erguer bem alto sua voz, contra os disseminadores da graça libertina.

    "Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo."
    Judas 4

    http://laodiceanovencedor.blogspot.com/2010/09/graca-transformada-em-libertinagem.html

  8. ñ concordo

    com uso do piercing e tatoo não importa onde seja mas tem varios significados demoniacos
    você gostaria que o seu corpo tivesse marcado com algo que ñ agrada a DEUS com um significado satânico.
    não né irmãos fiquem de olho pois tem muitas coisas neste mundo que paresse ser normal mas não é .

    ESSA É A MINHA OPINIÃO PS:DARLENY

  9. Primeiro, o problema nao é o piercing ou a tatuagem, mas o que eles represemtam.
    Muita gente os coloca por pura rebeldia, e todos sabemos que é o pai da rebeldia.

    Segundo – tatuagens sao dificeis de tirar. Quanto mais as pessoas se aproximam de Deus, mais se arrependem de terem feito tatuagens. Porque devemo incentivar então?

    Terceiro e mais importante – DEIXE DE SER RELATIVISTA! Deus é ABSOLUTO. Suas verdades e seus padroes morais nunca mudam, mas muitos de nós dançam conforme a musica. Agora dizem que piecing e tattoo são usos e costumes. Ora, assim tambem são mini saias e mini blusas (tops). Porque proibir isso então?
    E assim cada vez mais as praticas pagas vão tomando conta dos cristãos incertos….

  10. Deus tem conservado nesta terra um povo fiel e que não condescenderá com os atrativos do reino deste mundo, assim como os três amigos de Daniel eles estarão prontos para exaltar o nome de Deus, e se possível for serem jogados na fornalha ardente. As profecias de Daniel nunca foram tão atuais. Preparem-se!! Jesus está voltando.
    E que Deus abençoe a todos que são contra o relativismo critão.

    Que Deus tenha misericórdia de todos nós…

  11. Vamos combinar gente!!!
    O povo de Deus tem que ser separado dos usos e costumes mundanos.
    A Igreja do Senhor tem que ser santa e pura. Temos que ser um povo zeloso e de boas obras. Não devemos nos render a essas modernidades, sob pena de que nossa congregação passe a ser uma boate gay ou ponto de encontro de marginais e prostitutas.
    Temos que ter respeito, ordem e decência para encontrarmos com o Senhor em sua casa de oração e rendermos a Ele nosso culto de adoração.
    Que me perdoem os "moderninhos" que tem a mania de ficar justificando toda essa heresia podre e trazendo-a para dentro das igrejas e dos seus lares.
    Eu me preocupo com a pureza da "Noiva de Cristo", devemos oferecer nossos corpos ao Senhor como sacrifício santo, puro e eficaz.
    Se alguém quer justificar o uso dessa palhaçada de piercings e tatuagens para cristãos, infelizmente, somente tenho uma palavra a essa pessoa: vá se converter e pedir perdão a Deus!
    Que Deus abençoe a todos.

  12. Existem:

    (1) práticas que são erradas em si mesmas, não importa como, onde nem quando sejam feitas, nem a aceitação popular;

    (2) práticas que não são erradas em si mesmas, mas se tornam erradas pelo mau uso.

    Um dia talvez os piercings sejam vistos com total naturalidade. Mas por enquanto eles ainda são mal-vistos pela grande maioria

    Assim, os piercings são inadequados para os representantes e divulgadores do Reino de Deus, que poderiam chamar atenção indevida para si mesmos e repelir pessoas sinceras.

    Esse raciocínio é baseado em diversos princípios bíblicos, mas estou muito cansado para procurar e escrever os textos. Dica: estão no "Novo Testamento".

    * * *

  13. A Bíblia responde:
    O CASO DE REBECA – Rebeca é uma tipologia da noiva do cordeiro, isto é, a igreja. Isaque é uma tipologia de Jesus. O encontro de Isaque com Rebeca representa o encontro de Jesus com a Sua igreja. Em Colosseensses 2:17, está escrito que as coisas antigas (da velha aliança)eram "sombras das coisas futuras". Portanto, quando o servo de Abraão ataviou Rebeca com um pendente de ouro e com pulseiras não quer dizer que as servas e os servos do Senhor também podem se ataviar com jóias. Em 2 Co 3:6 nos diz que Deus nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito. Assim, fica evidente, que os adornos sobre Rebeca á uma tipologia dos dons espirituais sobre a igreja do Senhor Jesus Cristo. Nessa passagem as Escrituras dá de forma figurada e extremamente exata o testemunho experimental do Pentecoste, ou seja, a igreja recebendo os dons do Espírito Santo. E mais, quando Deus revelou ao servo de Abraão que Rebeca seria a esposa de Isaque, ele colocou jóias em Rebeca. Isso significa que Rebeca não usava jóias. Se as usassem, o servo de Abraão não as tinha colocado em Rebeca.

    DEUS ADORNA A NAÇÃO DE ISRAEL – Os modernistas-liberais usam a passagem de Ez 16: 11 e 12 para justificar o uso de jóias e piercings. É preciso entender que esta passagem trata-se de uma linguagem simbólica. É uma metáfora que simboliza a proteção e a celebração de um contrato de núpcias entre Deus e Israel. Assim sendo, Deus, alegoricamente, cumpre o ritual de casamento colocando enfeites em Israel.Ezequiel registra essa alegoria não para endossar o uso de jóias e piercings, mas para compreendermos uma grande verdade espiritual: Deus nos escolheu e, recebemos dEle bençãos e dádivas. Ele nos embelezou e nos reivindicou para Si mesmo. Sob seus cuidados cresceremos até a plena maturidade. Portanto, as narrativas dos costumes dos tempos bíblicos têm implicações espirituais. No V8 do mesmo capítulo diz: "passando eu por junto de ti, vi-te, e eis que o teu tempo era tempo de amores; estendi sobre ti as abas do meu manto … entrei em aliança contigo …". Observe a expressão "estendi as abas do meu manto", "as abas" é símbolo de aceitar em casamento. O ato de estender as abas simbloiza proteção, cuidado e apoio. O mesmo acontece em Rute 3:9. Na passagem de Ezequiel, Deus casa-se com Israel e utiliza-se do costume do cerimonial de casamento da época onde a noiva se adornava no dia do casamento de acordo com Is 61:10. O uso de jóias na solenidade do casamento era um costume cultural com um significado espiritual, ou seja, os judeus viam nos adornos das donzelas e particularmente nas suas filhas que se casavam a superabundância espiritual de Israel no seu encontro com Deus. Assim, Deus compara a sua aliança com Israel ao cerimonial de casamento da época. Tudo é comparativo e simbólico. Não podemos usar uma alegoria para justificar o injustificável.

    A OFERTA DE BRINCOS E ARGOLAS PARA A CONSTRUÇÃO DO TABERNÁCULO – Em Êxodo 3: 21 e 22 Deus mandou que os israelitas pedissem jóias aos egípcios. O Senhor faria surgir nos egípcios uma atitude favorável, de tal maneira que quando o povo de Israel pedisse prata, ouro, jóias, os egípcios lhes dariam em abundância. Qual a finalidade desse pedido? construção do tabernáculo.Os Israelitas não tinham jóias, não usavam jóias. O uso de jóias era típico do povo egípcio, não do povo de Deus. Os israelitas trouxeram ouro e prata do Egito em obdiência à ordem divina para a construção do Tarbenáculo. Em Exôdo 35:22 vemos o povo de Israel ofertando o ouro ao Senhor. Portanto, cai por terra a defesa do uso de piercings e jóias. Observe que no capítulo 32 de Êxodo o povo está corrompido. O povo que antes não usavam jóias, se ataviou e fizeram o bezerro de ouro. Deus expressamente ordena "… tira pois, de ti os atavios, para que eu saiba o que te ei de fazer" (Ex 33:5).

    Que o Senhor abençõe a todos !!!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui