Série Estereótipos: Jeze Bell, a irmã periguete!

10
636
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

***
Daniel Clós Cesar, denunciando os estereótipos evangelicalóides no Púlpito Cristao

Assine o Blesss
PS: Para ver outros posts da série, clique aqui

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

10 COMENTÁRIOS

  1. Penso que esse caso da postagem do Daniel é apenas uma situação hipotética, uma vez que duvido que uma pessoa frequente uma igreja evangélica há cinco anos e ainda não tenha "caído a ficha" de que o traje decente é primordial para aquele que se diz "cristão", não somente no interior da igreja como também fora dela.
    Creio que, nesse caso, esteja ocorrendo duas situações: primeiramente, diria que houve falha dos pastores da igreja quanto a pregação da sã doutrina, no que tange a questão dos usos e costumes cristãos, pois sendo o cristão luz e sal da terra, jamais deveria usar trajes aviltantes, que chame a atenção para a libido e lhe exponha ao ridículo, ou que possa ser confundido com o traje de uma meretriz.
    Em segundo lugar, diria que citada pessoa pode ter sido convencida, porém jamais convertida ao cristianismo.
    Quando cursava direito, chamou-me a atenção uma matéria chamada vitimologia, que nada mais é do que, na criminologia, o estudo do comportamento das vítimas.
    É interessante notar que a grande maioria das "vítimas" dão azo a que os crimes ocorram consigo.
    Como se diz no jargão popular: A pessoa "dá sopa pro azar", ou ainda, "fica piruando" em local e hora errada, tornando-se uma vítima em potencial.
    Dizem alguns juristas que, psicológicamente, ou até mesmo inconscientemente, a pessoa almeja o resultado criminoso, talvez por desejo de suicídio ou auto-punição.
    Por exemplo: uma jovem que se veste inadequadamente, expondo seus atributos físicos marcantes, usando roupas transparentes, deixando à mostra as suas partes íntimas e erógenas, jamais será vista e julgada como séria em lugar nenhum em que for, piormente se for no interior de uma igreja, misericórdia!!!
    O que é pior, se essa mesma jovem estiver desfilando em via pública, será alvo de gracejos e até mesmo de convites para fazer um programa num motel, por exemplo.
    Se essa mesma jovem passar por um local ermo de uma favela, mal iluminada, altas horas da noite, certamente que será alvo de um estupro seguido de morte.
    Poderia me alongar mais sobre outras situações fáticas, porém vou me ater aos fatos ora comentados.
    Cristo quer o melhor par nós, quer nos dar vida e vida em abundância, não somente neste mundo como no porvir, a VIDA ETERNA.
    Quem levar uma vida de acordo com os princípios cristãos, certamente que morrerá na velhice, por causas naturais.
    Que Deus ilumine e abençoe a todos.

  2. ahahahah, deixa assim, mano, tem muita gente que vai na igreja pra olhar este tipo de coisa, então deixe quieto que assim a gente fatura mais………….rsrsrsrsrsr

  3. Eis o que vejo?
    Qdo me convertí,fumava.Os crentes 'salvos' me diziam que crente não fuma,ou quem é salvo não fuma. Eu respondia dizendo que eu fumava e estava salvo,não foi deixar de fumar que me salvou,ou fumando teria entrada no céu.Quem morreu na Cruz por mim foi Jesus Cristo e não a Souza Cruz.Há no correr da conversão um processo de nova vida em andamento,que para uns pode ser de libertação imediata ou não.Para mim,foi por etapas.Deixei de comprar,mas fumava filando dos outros e do meu pai.Uma semana antes do meu batismo,fiz uma oração infantil pedindo que Deus resolvesse o problema do fumar.
    E Ele respondeu libertando-me do vício.Corri no bar e tomei um cafézinho para testar,e o vício – foi-se,e até hoje nunca mais.Falta ao 'crente salvo' paciência com os novos convertidos – seja no uso das roupas,bebidas ou fumo.E tem mais,crente mente e exagera,eu não acredito que esta história dessa moça contada seja verdade total.Na minha igreja tem hoje uma pessoa que sofre de distúrbios,crises e as vezes se veste de maneira que chama a atenção,mas a igreja felizmente tem tido PACIÊNCIA com a nova convertida,e tem havido progresso,pelo menos ela continua frequentando os cultos aos domingos sem perturbar.Nós não fomos educados e amansados para tratar com pessoas desse tipo.E a história se repete – quem não dança a música tocada,está excluída.tá? então tá.
    Abraço do tito com mel sem pimenta,from brasília.

  4. o contrário também merece um esteriotipo…quantas vezes fui violentada espiritualmente porque pastores diziam que usar calça comprida era pecado e tome disciplina nas costas, sendo eu, adolescente, filha de um dos pastores, sem poder sair da igreja, sem poder questionar nada…a piriguete sempre se dá bem, nunca vi uma piriguete gospi se dá mal…

    tá na hora dos grandes líderes começarem a pedir perdão por colocarem mta gente no inferno…isso é sério…e as consequencias são eternas…

  5. Oi, eu me batizei no domingo, mas com a convicção que a mudança interna que vinha acontecento dentro do meu coração desde o dia em que aceitei a Jesus, devia sim, der colocada pra fora, para todos saberem o que o amor de Deus tem poder de fazer. Hoje uso roupas decentes e ouço comentários a toda hora do tipo: tá parecendo crente mesmo e isso, ao invés de me chatear, pelo contrário, fico muito feliz pois a mudança é perceptivel. Acho que é imprescindivel e necessária essa mudança. Não concordo com certas roupas usadas por algumas irmãs que dizem que algo dentro dela mudou, é preciso mudar tudo e não ter a vergonha de mostrar o quanto é bom ser discreta no vestir.
    Concordo com o KG!

  6. O negócio não é somente a mudança em si,mas, a liderança q apoia e gosta de uma s mulhers fruta para se próprio deleite como um que conheço e beija a secretária na boca e se delicia com a vadia no gabinete,será q ele estava clamando para q elee fosse batizada cheia do poder,poder fazer o q quizer sem restições???

  7. tito

    "Na minha igreja tem hoje uma pessoa que sofre de distúrbios,crises e as vezes se veste de maneira que chama a atenção, mas a igreja felizmente tem tido PACIÊNCIA com a nova convertida,e tem havido progresso,pelo menos ela continua frequentando os cultos aos domingos sem perturbar."

    O estereótipo não é uma pessoa com distúrbios… aí, nesse caso, do estereótipo, e não da moça que vai a sua igreja, sim. perturba e muito.

  8. Devemos todos concordar com o caso do post acima, pois ele nos relata sobre uso de roupas indecentes que proporcionam lascívia e inconveniência.
    Entretanto, devemos ter também equilíbrio, se não acharemos que nos roupas proporcionam salvação e nos tornaremos legalistas e extremistas.
    A roupa do cristão é uma roupa decente, independente de ser calça, saia, bermuda, terno, camisa, camiseta ou esportivas. Roupas decentes não são sinônimo de roupas formais, mas, roupas socialmente comuns.

    Michel Leandro

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui