Carta para um blogueiro imaginário

22
362
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Daniel Clós Cesar

Assine o Blesss
Ao ver o que está acontecendo com a blogosfera pretensamente “cristã e apologética”, percebo que ela tá virando “gospel”… no pior sentido. Tipo o cantorzinho famoso que troca a MK pela $ony Mu$ic.

Desde que comecei meu blog recebo alguns e-mails, principalmente solicitando desenhos. Gente que não me acha muito competente para escrever, mas acha que desenho… sinceramente, não penso de mim nem uma coisa nem outra. Conheço alguns dos melhores ilustradores do sul do país… eles sim sabem desenhar… eu rabisco. Também leio blogs de verdadeiros teólogos… que não são grandes escritores… mas tem conhecimento para ensinar e admoestar.

Eu sou leigo. Não sou formado em nenhum seminário reformado, pelo contrário, minha formação acadêmica é deveras humanista. Formei-me em História pela Federal do RS. Paguei meus livros e bandejão no restaurante universitário com desenhos e layouts para sites… mas não vivo mais disso. Meu blog não é um comércio. Não comercializo meus textos. E já escrevi sobre isso inclusive (ler aqui). Não é uma idéia que surgiu hoje.

Eu não vivo disso. Não preciso escrever para colocar o feijão na mesa. Não preciso desenhar para por gasolina no carro. Não vivo do mercado de entretenimento gospel. Graças a Deus. Se ainda esporadicamente faço esse tipo de serviço, é apenas para não perder a prática… e somente os faço para amigos de longa data ou missionários, e sem custo algum. Não é algo que penso servir para todo mundo. É uma opção pessoal e intransferível.

Mas minha história na internet cristã é recente. Um ano atrás enviei um texto para o Ruy Marinho do blog Bereianos… era sobre festas à fantasia, piercing, tatuagens e coisas do gênero… para minha surpresa ele publicou o texto… e mais tarde enviei outros, alguns publicados outros não. Mais tarde criei meu próprio blog, mas ainda enviava os textos para o Ruy… o fato dele não ter publicado alguns textos, onde mais tarde percebi erros doutrinários ou fuga do evangelho reformado, me fizeram ter muito respeito por ele e pelo seu blog, que continuamente leio. Vejo ali um repositório de qualidade, como poucos na internet cristã nacional.

Sem saber bem como as coisas funcionavam… achando que tratava apenas com cristãos, há três meses atrás quando criei outro blog, resolvi mandar uns textos e desenhos para vários autores de blogs… na perspectiva humana deu certo. Meu antigo blog devia ter 50 visitas por mês, o atual… em dois meses passou de 4000… meus desenhos e textos podiam ser lidos em vários blogs e todos direcionavam para meu…

Que maravilha… deu certo!

Ou não…

4000 em dois meses é pouco para os “gigantes” da web-gospel. Para aqueles que precisam de calculadora para contar seus adoradores. Pouco para os que criticam a Teologia da Prosperidade vivida pelos outros e vivem tão intensamente seus conceitos. Muitas vezes escondidos atrás de um blog pretensamente apologético, pretensamente cristão.

Não publico no Púlpito Cristão porque o Leonardo me prometeu alguma grana ou mais audiência no meu blog pessoal. Mas porque me propôs a oportunidade de publicar em um blog que não trata de teologia liberal e tem por objetivo a defesa do Evangelho. Se amanhã eu ler no Púlpito um texto promocional do novo CD da Aline Barros ou sobre a “maravilhosa” obra de Charles Finney… só a amizade continua. Mas o uso comum do púlpito não. Sou intolerante ao ecumenismo e absurdamente contrário a qualquer espécie estranha ao cristianismo.

Obviamente não tenho nenhuma ingerência neste blog. Envio meus textos e seu moderador e proprietário decide se os publica ou não. Isso pode ser ruim para outros… para mim está de bom tamanho.

Aí recebi uma oferta irrecusável. Mas para mim, recusável.

Esperava algo como: Este é um blog apologético. Evangelho reformado. Uma grande oportunidade para publicar teus textos. E não: Este é o blog mais visto. O mais lido. O “mais melhor de bom”… Tu sabe quanto tu pode ganhar com um blog?

Foi um tiro no pé. Ou na cabeça… não sei. Na minha cabeça e no meu pé… é claro.

Se você quer ganhar um taliban você não promete para ele um Ford 0Km e um apartamento na Times Square… você promete as 70 virgens no paraíso islâmico e uma cópia do Alcorão com os cumprimentos do Bin Laden. Faz mais sentido e é mais eficiente.

Meu passe não está a venda. Não preciso nem quero entrar em disputinhas ridículas e demoníacas que contam número de visitantes. Não quero meu e-mail em lista comprada para envio de comércio virtual. Não quero meu nome vinculado a algo que só serve para escárnio e julga-se algo cristão. Não quero estar ligado à teologia liberal e a movimentos new age pseudo-gospel. Não preciso disso. Nunca precisei.

Não entendo muito de propaganda… não entendo da alma do negócio e posso até não parecer muito inteligente. Mas antes de tudo… antes de escrever em um blog, antes de desenhar para algum blog… sirvo a Deus. Meu preço é impagável. Sou um “taliban gospel” e a verdade que vivo é inegociável.

Esses números servem apenas para uma coisa. Mostrar a seus mantenedores quantos são os seus prováveis clientes. É apenas comércio em nome de Deus. Igualzinho. Idêntico àquilo práticado pelos tão criticados Silas Malafaia, Marco Feliciano ou Terra Nova… que parecem até café pequeno, quando se analisa bem a proposta por trás de tudo.

Foi por este motivo que eu te disse meu velho: Não. Obrigado!

***
Daniel Clós Cesar edita o blog Anotaçoes de um Cristão e coopera com seus textos e charges no Púlpito Cristão. De grátis! 🙂

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

22 COMENTÁRIOS

  1. Cada vez mais creio na força que o envangelho pode ter, se verdadeiramente sermos fieis ao Evangelho,
    "Puro e Simples" como diria Lewis.

    Daniel ta de parabens não o conhecia meu velho mais a um mes venho aconpanhando seus posts aqui no Pulpito e posso dizer que o Leo arrumo um cara baum de briga pra coloca aqui no blog em ..

    hauhauhua Parabens meu velho que bens continue te dando Graça..

  2. Caro Daniel, estamos no mesmo barco. Não entendo de propaganda e se hoje o crentepensante.com (meu blog, além do cabalau.com, este só de charges) tem seus "inacreditáveis" 102 seguidores chego a ficar surpreso. Não costumo divulgá-lo, não envio e-mails anunciando novos posts e não tenho twitter (embora seja uma pessoa normal, ou não). Escrevo sobre apologética cristã meio que na surdina e também escrevo para o Púlpito Cristão na base do favor (o Léo é quem me faz o favor, só para ficar claro). Escrevo porque gosto e preciso. Desenho por que curto-pra-caramba! Mas, nem por isso vou negociar meu prazer.
    Dinheiro é bom e eu gosto, e não vejo problema em ver blogs decentes negociando publicidade de forma decente, sem precisar vender a alma para o capiroto.
    No mais, é isso mesmo. Gostei do teu comentário.
    Fica na paz.

  3. Concordo com voce meu irmão, em gênero,numero e grau! Nem quero pensar de onde veio tal oferta, porem, conhecendo um pouco da blogosfera gospel posso imaginar de quem se trata.
    Que Deus o conserve integro naquilo que se propôs fazer. Paz!

  4. Aos que apoiam o texto…

    Não podemos como cristãos (não como blogueiros) seguir pelo mesmo caminho de Balaão (2 Pedro 2:15).

    Ótimo se tivermos 10.000 "seguidores". Que bom se forem 1000 visitas por dia.

    Mas não negociemos a Palavra do Senhor por um banner ou troco para o lanche.

    Aquilo que pela Graça fomos alcançados. Por ela mesma, repartamos.

    Creio que todos os que ganham algum dinheiro com seus blogs os ganhe de forma lícita.

    Sou contrário é a disputa de espaço na mídia. Sou contrário a idéia de que todo blogueiro é inimigo e rival.

    Isto não é um mercado.

    Isto é a Seara (Mt 9.38).

  5. Daniel irmão, concordo com você e tu até me deste inspiração para escrever.

    Não podemos como cristãos (não como blogueiros) seguir pelo mesmo caminho de Balaão (2 Pedro 2:15).

    Ótimo se tivermos 10.000 "seguidores". Que bom se forem 1000 visitas por dia.

    Mas não negociemos a Palavra do Senhor por um banner ou troco para o lanche.

    Aquilo que pela Graça fomos alcançados. Por ela mesma, repartamos.

    Creio que todos os que ganham algum dinheiro com seus blogs os ganhe de forma lícita.

    Sou contrário é a disputa de espaço na mídia. Sou contrário a idéia de que todo blogueiro é inimigo e rival.

    Isto não é um mercado.

    Isto é a Seara (Mt 9.38).

    Tô 100% contigo! Abraço!

  6. A melhor coisa para um cristão é poder dormir em paz! Consciência não se vende!

    Ainda que seja lícito usar o blog como ferramenta para levantar recursos legítimos, pela forma legítima, é pecado torná-lo uma fonte de comercialismo puro e simples, mandando às favas as nossas convicções.

    Conheço um irmão em minha cidade (Teresópolis, RJ), proprietário de restaurante, que não vende bebida alcoólica de espécie alguma. Sem entrar no mérito bíblico do beber em si, ele está sendo coerente com aquilo que crê e vive. E o restaurante vive cheio.

    Acho que quando as pessoas encontram um lugar onde a ética e o respeito predominam, sem vender a alma ao diabo, elas optam por ficar ali.

    Creio que podemos ter essa postura em nossos blogs e ter até poucos visitantes, mas cativos da verdade.

    Abraços!

  7. Só não entendi sobre o Charles Finney.

    No mais gostei muito da figura de imagem sobre um Taliban, quero ver comprar um louco desses com os supérfulos do Ocidente, deveriamos nos portar do mesmo modo sermos intransigente com nossos valores inegociáveis.

    Sobre os liberais, é uma triste constatação, alguns ortodoxos tentando se passar por intelectuais, se juntam aos inimigos do lado de dentro, aqueles que desferem os golpes mais cruéis contra a fé, que tergiversam sobre doutrinas fundamentais e que entendem ser a Bíblia apenas mais um livro, é o lado mais triste e permissivo da Blogosfera Cristã.

  8. Charles Finney é o "pai do pragmatismo cristão".

    Fez grandes contribuições ao evangelho.

    Mas suas técnicas de salvação mostraram-se no passado e ainda ecoam hoje, como um verdadeiro fracasso.

    Aconselho-te a ler o livro: Vergonha do Evangleho, de John MacArthur. E antes, se puder, alguns livros do próprio Finney.

  9. Louvo a Deus pela sua vida irmão Daniel, e pela vida de vários outros blogueiros Cristãos (como a do Leonardo daqui do Púlpito), nos quais tenho aprendido muito, principalmente a viver um cristianismo puro e simples no meu dia-a-dia.

    Assino embaixo de tudo o que você explanou neste artigo!

    Obrigado pelos seus excelentes artigos, onde os mesmos tem acrescentado muito na vida de todos os leitores da blogosfera, inclusive na minha.

    Grande abraço irmão!

    Ruy Marinho
    Blog Bereianos
    http://www.bereianos.blogspot.com

  10. Este texto meus caros. Não é para alguém ou um blog em específico. Se fosse. Seu nome estaria estampado no corpo do texto e não nas entrelinhas.

    Leiam como quiser.

    Mas este texto é para todos. É para mim, é para o Leonardo, é para o Ruy, é para o Clovis, é para a Márcia (para citar um menina)…

    É um texto de reflexão constante sobre o papel que exercemos como pregadores da Palavra de Deus, ainda que por um meio relativamente novo à Igreja.

    Acusar este ou aquele blog nos torna todos iguais. Não apenas parecidos, mas iguais.

    Soli Deo Gloria

  11. Daniel, como uma justificativa do meu comentário anterior que não foi postado, se passei a idéia de acusar não foi essa a minha intenção, até porque não citei nome de blog algum, o que falei foi sobre o perigo de desejarmos termos números que vão determinam o valor do nosso trabalho e não vermos os seguidores como pessoas mais como números. Desculpa ai pela vergonha que passei. Um abraço e um bom dia

  12. Caro Daniel;lembra-se quando os Gregos vieram com uma proposta para Jesus para leva-lo para a grécia em lugar da cruz?Ouviram um sonoro não do mestre.Jesus preferiu a cruz do que receber um futuro busto de estar no meio de filósosfos e pensadores,que ainda hoje a humanidade se recórda.Jesus não vendeu o seu ministério e sua deidade;e nós devemos seguir o seu exemplo,não vender o nosso ministério e nosso cajado por um prato de lentilha.Que Deus Continue lhe abençoando.

  13. Se forem 32.000, diga aos covardes e medrosos que voltem. Veremos então que ficarão bem menos do que Gideão teve.
    Que Deus continue abençoando homens e mulheres comprometidos com a sua Palavra.
    Certamente somos mais que os 7.000 que não dobraram os seus joelhos a baal.

  14. É por essas e outras que continuo afirmando ser fã do Daniel (arriscando ser acusado de idolatria hehehehe!!).Sou teu conterrâneo, sou de São Leopoldo, mas moro em Fortaleza há 23 anos.

    Tudo que se faz por amor, não tem preço, tem recompensa.

    Ao marcelo do post acima:

    Teu comentário me fez lembrar uma situação que minha filha passou no colégio:

    Seu professor de história disse que não podia confiar em Jesus porque ele não havia deixado nada escrito,ao contrário dos filósofos, e o que se sabia dele era através de pescadores, pessoas simples e sem cultura. Ela respondeu que Se Jesus tivesse feito isso, seria apenas mais um filósofo, e que ele não tinha tempo para isso, pois estava ocupado em curar, libertar e anunciar o Reino de Deus. E que como ele afirmou, pessoas simples e sem cultura só saberiam se vivessem e presenciassem as maravilhas que Jesus operou, pois não teriam condições de "inventar" uma história tão perfeita. A sala aplaudiu a defesa de minha filha de 15 anos, e o professor… continuou sua aula.
    Paz.

  15. Daniel,

    Penso nunca ter comentado qualquer texto seu, embora vendo alguns aqui. Costumo observar mais do que comentar.

    Este texto certamente é um dos melhores que eu já li na "blogosfera cristã". Talvez não seja o melhor para os outros, mas para mim é.

    Caro irmão, provavelmente admirei tanto este texto por me identicar tanto com ele: eu também sou meio "talibã": detesto modismos, abomino esse evangelho de resultados e não gosto da teologia liberal. Sou reformado, mas respeito os que pensam diferente, desde que tenham coerência com o Evangelho de Cristo.

    Meu blog também é pequeno e eu também não me valho dele nem para o comércio e muito menos para me "fazer conhecido". Talvez eu não seja muito amado por alguns por dizer a verdade e gostar de manter aquela velha coerência bíblica. Vejo muitos fariseus por aí, assim como você também os vê.

    Parabéns pelo texto! E continue firme nas suas convicções, resistindo às investidas do maligno – ainda quando disfarçado de anjo de luz.

    Abraços,

    Ricardo.

  16. Não vejo problema algum em um blog ganhar algum dinhero de forma lícita. Se uma pessoa tem talento para algo em particular e muitas vezes não tem outro recurso para ganhar dinhero e surge a oportunidade de juntar o agrádável ao útil, então não vejo problema. A bíblia diz que o trabalhador é dígno do seu salário…
    Mas, concordo que a maioría dos seus pontos de vista tem muito sentido.
    Paz!

  17. – Vivendo pela Palavra de Deus!

    Não li seu comentário anterior. Não sou eu quem modera os comentários no Púlpito. como escrevi no texto, não tenho ingerência no Púlpito. No entanto, não "estamos" publicando comentários que citem outros blogs. (Não parece ser teu caso). Não precisa pedir desculpas.

    – Henrique… menos Henrique… menos.. hehehe
    Vamos ficar só como irmãos.

    – Annasophia
    Também não vejo nenhum problema em ganhar dinheiro com um blog. E todos os blogueiros que conheço que ganham alguma coisa com seus blogs o ganham de forma lícita. O próprio Blogger oferece a possibilidade de gerar renda por meio de banners em blogs hospedados no Blogspot.

    Minha oposição é aos que, sob o pretexto de "pregar" o Evangelho, utilizam-se da "fama" para ganhar dinheiro em nome de Cristo. Blogs e sites que se afirmam apologéticos e vendem todo tipo de quinquilharia e literatura de baixa qualidade gospel.

    – Aos outros comentários
    É bom receber apoio naquilo que escrevemos (na maioria das vezes ocorre o contrário).

    Um grande abraço.

    Soli Deo Gloria

  18. Vivendo pela Palavra,

    Sou eu que estou moderando pessoalmente os comentários deste post. Seu post nao mencionava nenhum blog, mas poderia ser mal interpretado.

    Tomamos juntos a resoluçao de nao mencionar nomes aqui. Fazê-lo, nos igualaria aqueles que, cuspindo no prato que comeram, arrogando um status que nao possuem, e vendendo a alma por dinheiro, atacam-nos arbitrariamente.

    Graça e Paz,

    Leonardo Gonçalves
    Editor

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui