Currais, pocilgas, galinheiros e cobertura espiritual

17
873
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Renato Vargens


Há pouco
estava conversando com um amigo que me relatou que um apóstolo de sua cidade, havia transformado sua igreja em um “curral eleitoral”. Incomodado com isto, resolveu confrontar o apóstolo afirmando-lhe de que não era correto manipular o povo de Deus em detrimento a valores escusos. No entanto, para surpresa do meu amigo, o apóstolo respondeu dizendo: Eu faço curral, pocilga e galinheiro e tudo mais que a minha cobertura espiritual ordenar.

Caro leitor,
se não bastasse o absurdo de fazer do povo de Deus massa de manobra, esse profeteiro do diabo acredita e dissemina doutrinas absolutamente antagônicas aos ensinos das Escrituras. Há pouco, Renê Terra nova afirmou que o motivo de João Batista ter sido decaptado se deveu ao fato de ter duvidado da autoridade de Jesus, introjetando sorrateiramente sobre os seus liderados o falso ensino de que ele como patriarca apostólico não pode ser questionado, mesmo porque, se alguém o fizer sofrerá severas consequências espirituais.

Assine o Blesss

Pois é, para as igrejas que adotam o sistema de cobertura, o discipulo não pode fazer absolutamente nada sem a autorização do seu “discipulador”. Nesta perspectiva, o pastor tem poder para determinar aquilo que o seu seguidor deve fazer. Sei de casos de pessoas que não podem mudar de casa sem que o pastor concorde, ou de outros que não podem vender absolutamente nada, sem que a autoridade espiritual aceite o fato. Além disso, é comum observarmos que os pastores em questão, usam do nome de Deus para decidir se o discípulo deve ou não namorar, se pode ou não ir para a praia, se deve ou não ter filhos, ou como deve se portar dentro de suas próprias casas. Tais lobos interferem na da vida comum do lar, intervindo na educação dos filhos ou até mesmo na vida sexual do casal.

Infelizmente tais
homens, ditadores da fé, têm feito do rebanho de Cristo sua propriedade particular. Em estruturas como estas, é absolutamente comum exigir-se dos crentes, submissão total. Em tais comunidades, a vida cristã é regida exclusivamente por um sistema onde ditadura e arbitrariedade se misturam.

Para nossa vergonha, aqueles que porventura ousam opor-se a este estilo de liderança, sofrem sanções das mais estapafúrdias possíveis sendo chamados de rebeldes e tornando-se passíveis de punição, cuja consequência final é a exclusão e exposição pública.

Há pouco soube
da história de uma moça que ao migrar de comunidade para outra foi amaldiçoada pelo pastor, que lhe disse que caso não se arrependesse e voltasse para a sua igreja morreria de câncer. Ora, por favor, pare e pense: Isso não parece macumba? Sinceramente em não consigo entender este evangelho pregado pelos lobos da fé. Infelizmente, em nome de Deus, tais pessoas rogam “pragas e desgraças” para aqueles que em algum momento da vida se contrapuseram a seus sonhos e vontade. Em certas igrejas a palavra “rebeldia” tem sido usada para todo aquele que foge dos caprichos fúteis de uma liderança enfatuada. Em tais comunidades, discordar do pastor quase que implica com que o nome seja colocado na “boca gospel do sapo”.

Se não bastasse
esse grande imbróglio, os membros das comunidades despóticas vivem em constante estado de pavor, isto porque, em virtude do pânico impetrado pelos ditadores da fé, temem sofrer sanções espirituais, levando-os a uma vida cujo comportamento é quase que esquizofrênico.

Isto posto,
sou obrigado a afirmar que a igreja evangélica mergulha em alta velocidade no buraco da sincretização, deixando pra trás valores, virtudes e princípios como afetividade, amor e respeito.

Amados,
não nos esqueçamos que somos o povo Deus, nação santa, sacerdotes do Deus vivo. Na perspectiva do reino, todos absolutamente TODOS possuem acesso ao trono da graça não necessitando assim criar estruturas monárquicas fundamentadas em experiências muitas das vezes esquizofrênicas e adoecedoras. Quero ressaltar que para nós cristãos, a essência da igreja resumi-se na maravilhosa verdade que nos ensina que fomos chamados para fora deste sistema perverso, ambíguo e separatista, e que agora, independente de classe, cor, posição social, reunimo-nos TODOS indistintamente em torno do Cristo nosso Senhor como a comunidade dos santos.

Soli Deo Gloria.
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

17 COMENTÁRIOS

  1. Ótimo post.

    O problema é que muitas ovelhas QUEREM ser tratadas assim.
    Creio que um dos motivos é que quem aceita ser subjugado sente-se no direito de subjugar aquele que, por sua vez,é mais fraco do que ele.
    Outro fator é tentar livrar-se da responsabilidade de pensar, de julgar, de escolher, de decidir.
    Se der problema, "foi o pastor quem mandou/deixou".
    Como Adão e seu "A mulher que tu me deste…" creem que podem justificar-se diante de Deus.

    Porém, nem todo lider que "prende" suas ovelhas é mal intencionado. Ás vezes a idéia é realmente proteger. Livrar de algo que em suas ignorâncias consideram perigoso, pecaminoso, vergonhoso.
    Nem todo pastor sabe lidar com a liberdade de seu rebanho.
    Nem toda ovelha sabe lidar com sua própria liberdade.

    Sugiro que leiam tb "Medo da liberdade" aqui:

    http://pulpitocristao.com.br/search/label/Leonardo%20Gon%C3%A7alves

  2. Paz seja contigo

    Na IEQ temos agora o modelo de curral eleitoral, porém eu ja me manifestei contra os tais lideres espirituais que ja chegaram a dizer que existem 4 formas de ganhar almas:

    orar;ir;contribuir e VOTAR

    depois disso comecei a preotestar de modo mais intenso e publico um jornal chamado CASTELO FORTE. O qual distribuo aos membros da igreja com estudos bíblicos e esclarecimentos sobre a lei e sobre a Palavra de Deus.

    Hoje a propaganda reduziu muito devido aos escândalos que tem surgido.

    Quase apanhei do pastor depois de um culto de Santa Ceia

    No meu blog

    atalaiadocastelo.blogspot.com

    tem mais detalhes de varias situações que tenho presenciado

  3. Lembro de ter ficado debaixo de um telhado desses durante um tempo da minha vida e sempre acabava escutando uma frase do tipo "está se levantando contra a sua cobertura espiritual, você será cobrado por isso!" ou "não fale contra o ungido do Senhor!"…
    Bem saí da denominação, aleluia!
    Bando de lacaios que só pensam em enriquecimento, poder e status!

    soli Deo Gloria

  4. Esse comentário seria bastante interessante e edificante, se quem o escreveu tb não fizesse dos seus ouvidos e mentes uma pocilga, curral e galinheiro, enxovalhando os mesmos com músicas nojentas, dos cantores mundanos comprometidos com o diabo, acreditando assim tb na sua cobertura espiritual: a tal da graça comum ! O mal desses articulistas, é querer tirar o povo das garras dos falsos profetas e colocar esse mesmo povo no colo dos cantores mundanos, para serem ninados por eles, com suas "belas e inspiradas canções" ! Dar até dó desses apologistas 1 Pb. Roberto Rocha

  5. Gostei do lema "Orar, ir, contribuir e votar". rsrsrsrs

    E nem está de todo errado, pq o Leonardo mesmo contou dos problemas que estao tendo com a prefeita lá de Piúra.

  6. Más, ainda bem que ninguém nesse modelo de igreja escuta "música do mundo", se não estaria tudo perdido, não é mesmo?

    Estão todos santificados, muito bem influenciados e edificados, pois só ouvem a melhor música santa e ungida que por acaso é o que enche os cofres das gravadoras e os bolsos dos ultra-mega-pop-star-santos-cantores-gospel.

    Que por acaso, também, são os mesmos que fazem seus ultra-mega-pop-gospel-shows nessas igrejas trazendo muita gente para vê-los, pagando-se ingressos a preços módicos, e parte da renda com o $how é revertida para a igreja, retroalimentando esse sistema comercial do consumo gospel, mascarado de adoração.

    Más "música do mundo" nem pensar! Quem frequenta essas igrejas só pode comprar CD e DVD gospel, pois os "do mundo" só trazem destruição.
    Poucos são os que descobrem que estão sendo manipulados para manter essa roda financeira girando e as motivações que estão por trás da música go$pel são as mesmas da música secular: Dinheiro, fama e sucesso. A diferença é que a secular não dissimula isso.

    Como diria o Robin – "Santa ingenuidade Batmam"

    Ielton Isorro

  7. Ainda bem sr. Ielton Isorro, que eu tb não apoio e nem faço parte desta turma que mercantiliza a musica gospel e nem o meu dinheiro jamais será usado para comprar ingressos para assistir os shows desses bandidos travestidos de cantores evangelico! Mas nem por isso eu vou fazer dos meus ouvidos e mente, pocilga, curral e galinheiros para as musicas mundanas ! E por falar nesta sujeirada toda, vejam esta, é bem fresquinha: DJAVAN, COMPÕE MUSICA NO BANHEIRO SENTADO NO VAZO ! ISTO É O MINIMO, POIS MUITOS DELES SÃO INSPIRADOS A COMPOR QD ESTÃO DROGADOS, BEBADO E ENDEMONIADOS ! SÓ POCILGAS PARA AGUENTAR ISTO ! O SR. PRECISA É DE TOMAR VERGONHA NA CARA! Pb. Roberto Rocha

  8. Ia mem esquecendo de falar para o sr. Ielton Isorro, que esses lideres que fazem de suas igrejas curral, gostam sim de uma "boa musica mundana" O Bispo Edir Macedo é igualzinho a vc: è apaixanado por musica mundana !Os programas dele no inicio da IURD e qd não tinha gravadora, era só este tipo de musica. É só escutar a radio aleluia e verás que ele tem o DNA idêntico ao seu e dos articulistas deste blog. E tem tb a cobertura espiritul , a tal da graça comum, que deixa o crente "senvergonha" ! Pb. Roberto Rocha

  9. Roberto Rocha,

    Fiz apenas um comentário ao material publicado, não me lembro de lhe dirigir a palavra ou citar seu nome, não o conheço e nem lhe dei qualquer liberdade para dirigir-se a mim nesses termos, indignos de um cristão e sim de um moleque, comportamento que aliás já vimos em outros comentários seus dignos de pena tal a sua mediocridade espiritual, que é fruto de uma mente religiosa e cauterizada criada por esse segmento evangélico-legalista o qual defende e faz parte, movimento como aquele dos farizeus que Jesus condenou. Examine-se, enquanto há tempo!
    "Vergonha na cara" seria tratar melhor as pessoas que você não conhece, tolerar os que pensam diferente de você, ainda que não concorde com eles, Presbitero! Respeito cabe em qualquer lugar e, até porque, as pessoas que leem esse espaço esperam ver algo civilizado no meio evangélico, quando infelizmente topam com trogloditas mediocres nos pensamentos e nas palavras incongruentes, como foi o seu caso na maneira infeliz como se dirigiu de forma pessoal, inclusive emitindo juizo de valor em relação a mim, sobre quem não pesa mais nenhuma acusação, uma vez que Ele levou-as sobre si.

    Espero que cresça na graça na fé e no conhecimento e venha a se educar melhor, reunindo em vc mesmo condições de participar de espaços como esse de forma edificante e humilde como deveria ser digno de alguém na sua posição, coisa que espero que Deus lhe conceda e abençoe, pois o titulo que lhe deram não coaduna com o comportamento truculento e desrespeitoso apresentado em seus comentários.
    Quem lhe fala é um que já teve esse título e assim pode lhe falar, para que outros que hoje o tem ou o almejam e nos leem sintam-se menos envergonhados, pois é posição de muito valor quando exercida dentro da Igreja com sabedoria.

    Peço desculpas ao Leo e aos demais leitores, más com religiosos desse tipo há que se ter o mínimo de firmeza.

    Em Cristo

    Ielton Isorro

  10. Somente um ingênuo,sr. Ielton Isorro, para não notar que o termo que vc. usou : ainda bem que os crentes destas igrejas não gostam de musicas mundanas senão estaria tudo perdido! Foi se referindo sim, ao meu comentário ! Doa a quem doer, mas a verdade tem que ser dita: é impossivel querer ser um apologista e servo do Senhor Jesus, e ao mesmo tempo ser um amante de musicas mundanas ! Toda vez que postarem este tipo de assunto, de quem não tem o que fazer, terá o meu repudio ! Vc como pastor, deveria ser um exemplo e não querer tb como os demais, induzir as pessoas ao erro de amarem musicas nojentas que não deixam nada a desejar da falsa gospel ! E falar desta forma, não me descredência em nada perante Aquele que me chamou ! Pb. Roberto Rocha

  11. Fiz o meu primeiro comentário combatendo a ilusão de que só ouvindo músicas gospel o crente não se desvia e de que é essa ilusão que esse modelo de igreja alimenta, por causa de outros intere$e$. Apesar do meu comentário confrontar o seu, em nenhum momento me dirigi a sua pessoa ou o desclasifiquei por pensar como pensa.
    Tenho muitos amigos pastores que pensam como vc. Eu os respeito e eles me respeitam

    Estamos todos no desafio de levar homens e mulheres a Cristo e nEle eles terão a liberdade de apreciar o tipo de arte que quiserem.

    Tenho muitos músicos na comunidade que trabalho e a maioria deles, quando não está servindo voluntariamente na comunidade, trabalha em conjuntos seculares. Com o que ganham lá sustentam suas famílias, são homens e mulheres honrados que sobrevivem do talento que Deus lhes deu e são salvos pelo sangue do Cordeiro, lá em meio às trevas dão testemunho para os companheiros de profissão. Participo da vida desses irmãos e tenho orgulho de conhecê-los e de ter contribuído de alguma forma para serem quem são e de que nenhuma acusação pesa sobre eles, vinda do diabo ou dos legalistas.

    Não ensino ninguém a ouvir esse ou aquele tipo de música, ler esse ou aquele tipo de livro, apreciar esses ou aqueles quadros. Ensino-os os passos do Mestre que os fez livres e responsáveis. Considero ingenuidade afirmar que só se desviam crentes que apreciam outras artes que não gospel. Ou os fatos não mostram isso?

    Quando o repreendi, não foi pelo que pensa, fiz porque entendo que precisa aprender a conviver harmonicamente com os que pensam diferente de vc e têm a mesma fé. Maior é o que nos une do que essa pequenas coisas que tentam nos separar. Esse espaço contribui muito para isso, más para ser produtivo penso que a nossa participação precisa ser da forma mais civilizada, educada e elegante e quando possível bem humorada. E, reconheça, a sua definitivamente não foi.

    No Amado

    Ielton Isorro

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui