O que nunca dirão em uma clínica de aborto

33
1404
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


O ABORTO PODE PREJUDICAR SUA SAÚDE.

Muitas pessoas acreditam que abortar é tão fácil como extrair um dente. Muito pelo contrário, o aborto é um procedimento muitíssimo delicado, que pode ter graves conseqüências. O pessoal encarregado desta prática insiste em minimizar as complicações ou simplesmente afirmar que não existem. Isto não é verdade. O fato é que muitas mulheres têm sofrido danos físicos em conseqüência de abortos provocados “legalmente’.

Assine o Blesss

O músculo cervical pode sofrer dano, pois o colo do útero (cérvix) é forçosamente dilatado. Isto significa que numa gravidez futura há grande possibilidade de se perder o bebê por aborto espontâneo ou parto prematuro. O dano ocasionado nas paredes uterinas é outra preocupação. Perfurações do útero, infecções, hemorragias e coágulos de sangue são apenas algumas das complicações que você poderá sofrer em um aborto provocado. Ainda que você possa sair aparentemente “bem” de um aborto provocado, no futuro poderá apresentar problemas de esterilidade, gravidez fora do útero ou freqüentes abortos espontâneos.

Algumas mulheres só engravidam uma vez na vida. Quem sabe seja este o único bebê que você poderia ter! Um aborto aumenta a possibilidade de não tornar a engravidar quando desejar ter um filho. Você quer mesmo correr este risco?

O ABORTO DEIXA CICATRIZES EMOCIONAIS.

É muito comum que uma mulher sofra as conseqüências de sua decisão poucos dias depois de ter abortado. Se estas conseqüências não aparecem imediatamente, virão com o tempo. Os problemas emocionais se manifestam de várias formas: uma depressão inexplicável, seu afastamento das demais pessoas, emoções reprimidas, endurecimento do instinto maternal (que pode resultar no abuso ou descuido dos filhos que a mulher ainda possa ter), fortes sentimentos de culpabilidade e até mesmo pensamentos de suicídio. Não se deixe enganar. Cada aborto provocado acarreta conseqüências emocionais graves.

UM ABORTO PROVOCADO MATA O BEBÊ.

Antes de você saber que está grávida, o coração do novo ser já terá começado a pulsar. Com seis semanas de desenvolvimento já é possível detectar ondas cerebrais e o bebê se move e responde ao tato. Com oito semanas, o bebê está perfeitamente desenvolvido, com os dedos das mãos e dos pés, e já apresenta as suas próprias impressões digitais.

Na décima semana, já pode franzir a testa, levar até a boca e chupar o seu dedo polegar. Se você tocar suavemente seu nariz, ele moverá a cabeça. Entre a décima – primeira e duodécima semana, todos os sistemas do seu corpo estão presentes e funcionando. Tudo o que necessitará, daqui para frente, para ser um recém-nascido saudável, é questão de tempo e nutrição. Nenhum órgão ou sistema se desenvolve mais, nele, depois de doze semanas.

O ABORTO É UMA VIOLÊNCIA.

O método de aborto mais comum em gravidez de poucas semanas é o de “sucção por aspiração”. O colo uterino é dilatado à força. Então um aspirador com uma potência 29 vezes maior que a de um aspirador doméstico é usado para sugar “o conteúdo do útero”.

O método chamado “D & E” é usado em gravidez de quinze semanas ou mais. Como no método de sucção, o bebê é cortado em pedaços. Neste caso, o “médico” usa um instrumento especial para separar os braços e as pernas do resto do corpo. Em seguida pressiona sua cabeça para sugar o cérebro e esmagar o crânio. Só então continua retirando o resto do corpo.

Outro método empregado para abortar, depois de 15 semanas, utiliza uma solução salina, injetada no saco amniótico, causando envenenamento ao bebê. Isto também queima a camada externa de sua pele. Por mais de uma hora o bebê entra em convulsão, até morrer nessa agonia. Agora a mãe já pode dar à luz um bebê martirizado… e morto.

Ao aborto praticado no último trimestre da gravidez denomina-se “histereoctomia”. Consiste em se fazer uma incisão no abdômen da mãe, para retirar o bebê do ventre materno e deixá-lo morrer por si mesmo.

Imagem de um bebê abortado segundo o método “D & E”

O ABORTO EXPLORA A MULHER.

Os conselheiros das clínicas de aborto usam termos obscuros como “produto da concepção”, “conteúdo do útero”, “tecido fetal” etc., para referir-se ao bebê. Raramente aconselharão você a continuar com a gravidez, pois para eles o aborto é um negócio, cujo propósito é auferir lucros. Diríamos então que eles estão se aproveitando de seu problema, isto é, explorando-a, para ganhar dinheiro.

Quem ministra o aborto ganha mais dinheiro em 30 minutos do que durante os nove meses da mulher engravidada. Eles não pensam em você… Mas só no dinheiro que podem conseguir à sua custa.

HÁ ALTERNATIVAS PARA O ABORTO.

Existem muitas organizações que podem oferecer um apoio prático em caso de gravidez inesperada: oferecem, por exemplo, roupas para a mãe grávida e para o bebê que vai nascer, residência, cuidados pré-natais e ajuda econômica. Também oferecem conselheiras que podem ajudá-la durante esse período difícil.

Por favor, pense cuidadosamente em seu futuro. A decisão que você tomar agora vai afetá-la para todo o resto de sua vida. Se você não está segura ainda sobre a decisão de abortar, conceda a você mesma uns dias mais, e pense seriamente. Não permita que ninguém a pressione a tomar uma decisão demasiado rápida, para a qual não se sinta devidamente preparada.

Procure ajuda. Você não está sozinha. Há muita gente que pode e quer ajudá-la e vai dizer sempre a verdade que você precisa saber a respeito de aborto.

Esta é uma decisão muito difícil de fazer. Por favor, seja madura. Só uma pessoa imatura pensa unicamente em si mesma. Este folheto não foi escrito por nenhum militante de uma organização pró-vida, nem por una avozinha de sessenta anos que nunca enfrentou o problema de uma gravidez inesperada. Foi escrito por uma jovem mulher de dezoito anos, que também já ficou grávida. Uma mulher que tinha medo de enfrentar sua gravidez, como acontece com você agora, e que decidiu abortar.

Nove anos depois, inteiramente arrependida, agora entendo o que fiz e o que deveria ter feito. Por esta única razão, eu gostaria que você soubesse…

…O QUE ELES NÃO ME DISSERAM

***
Fonte: Embarazo Inesperado, via Portal da Família.Veja também: Gianna Jessen; Sobrevivente de um aborto

Como complemento, gostaria de indicar o seguinte vídeo do Mark Driscoll:

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

33 COMENTÁRIOS

  1. Coisas que os anti-vida melodramáticos nunca vão lhe contar:

    1) O feto humano não sente dor antes de 24 semanas (6 meses de vida)
    (http://veja.abril.com.br/noticia/saude/feto-humano-nao-sente-dor-antes-de-24-semanas)

    2) Mesmo depois desse período "é difícil dizer que o feto sente alguma dor porque ela, como qualquer outra sensação, desenvolve-se no período pós-parto junto com a memória e outros comportamentos aprendidos." (idem referência anterior)

    3) Se o seu bebê nascer com uma doença degenerativa grave, do tipo que ele precise de uma pessoa pra tudo, 24 hs por dia, você terá, pelo resto da vida, uma criatura disforme, inconsciente, infeliz, que dependerá de você o tempo tempo e que nunca será capaz de sentir ou de lhe expressar qualquer sentimento, e jamais lhe dará aquele lindo sorrisinho de bebê que você sonha tanto ver.

  2. A imagem choca!!
    Um reflexão do Salmo 139 (Pra mim o mais bonito) me deixa mais triste ainda…

    v 16 Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.

    Fiquem na PAZ

  3. Isaías,

    O daí? Será que você quer mesmo convencer-nos que matar sem dor é menos errado que matar com dor? Matar deficientes é menos ruim que matar alguém "normal"?

    É claro que você é livre para emitir opiniao, Isaías, mas dessa vez você mandou muito mal.

    Paz e bem.

  4. Não, evidentemente que não, Leonardo, matar é sempre matar. Mas, o que eu realmente disse foi que, para evitar uma "vida" vegetativa (sic) onde duas ou mais pessoas (o bebê e os seus pais) serão infelizes, um sendo uma criatura inconsciente, que não sente, não interage, não se expressa, e outras sendo as que gastarão suas vidas para cuidá-lo, melhor seria evitar que isso viesse a se concretizar.

    Por favor, não pensa em pôr palavras fascistas na minha boca. Primeiro, que eu não estou falando de "pessoas", e sim de criaturas em formação. Segundo. porque eu tenho uma irmã deficiente física e sou absolutamente contra a idéia de matar pessoas com qualquer tipo de deficiência, física ou mental. A palavra chave é EVITAR uma situação desagradável e incômoda por toda uma vida, e não fazer "limpeza étnica" ou coisa equivalente. Tudo questão de mentalidade.

    Vale ainda deixar claro que quando eu escrevo comentários como este eu tenho em mente fetos com doenças degenerativas graves. Fetos estes que, nascidos, tornar-se-iam pessoas que iriam vegetar (viver como idiotas, literalmente falando) por toda sua existência, e não fetos com um dedo a mais ou a menos no pé, por exemplo…

    Abraço.

  5. Isaías,

    Entao você admite que é correto matar para garantir uma vida feliz, ou, pelo menos, para fugir da infelicidade de cuidar de um deficiente em estado "vegetativo" (uso áspas porque para mim é ofensivo comparar um ser humano – ainda que gravemente doente – a um vegetal).

    Nao, obrigado. Nao sou hedonista, nem creio que a razao da minha existencia é a minha satisfaçao pessoal, e sim o serviço.

    Tenho um grande amigo "vegetal" na sua concepçao. Clicando NESTE LINK você poderá ver uma foto minha ao lado dele.

    É este tipo de pessoa que, segundo você, nao merece nascer nem viver? Esse é o tipo de "IDIOTA" (sic) que você tem em mente quando defende alguns tipos de aborto?

  6. Alto lá!

    "Entao você admite que é correto matar para garantir uma vida feliz, ou, pelo menos, para fugir da infelicidade de cuidar de um deficiente em estado 'vegetativo'"

    Foi só isso mesmo que eu disse? Que tudo se resume ao bem estar dos futuros pais/cuidadores, e não também ao bem estar da própria criatura que está para nascer e "viver" (sic) uma "vida" vegetativa (sic)?!

    "…nem creio que a razao da minha existencia é a minha satisfaçao pessoal, e sim o serviço".

    Ok. A razão da tua existência, não de todos. E ninguém está falando de satisfação, e sim de evitar sofrimentos desnecessários, só não vê isso quem realmente não quer.

    Leonardo, não força a barra comigo… Eu nunca escrevi que alguém "não merece viver", e sim que, de fato, seria desejável que em certos casos o nascimento não ocorresse.

    Mas, tudo depende da mentalidade dos pais do feto. Se a deles for parecida com a tua, ok…

  7. Caro Isaias o nascimento e a criação de pessoas sempre caberá a Deus quem somos nós para decidir quem deve ou não viver?…
    se tem um dedo a mais, se é "vegetal", meu caro não tente fazer de um, um idiota que não merece viver e o do outro "apenas deficiente" permita que a vida siga o curso que deve seguir.
    Que triste… vc dirá que não falou isso ou aquilo mas eu que não sou deficiente já me senti terrivelmente ofendida que dirá os que o são, lembre-se as pessoas não leem pensamentos o que está dito está dito, sem essa de "eu quis dizer isso…" e blá blá blá…

    Que a graça de Deus no abra o entendimento para perceber que a graça da cruz alcançou, fetos, adultos e "seres disformes" glória a Deus por isso.

  8. Holocausto da inocência

    Como uma gota de orvalho
    Que sutilmente desliza
    Sobre a pétala de uma flor,
    Se não fossemos tão maus veríamos
    Descer de pequenos olhos cheios de amor
    Lagrimas como orvalho em pétala de flor.

    …Não pediu para vir ao mundo,
    Mas dele não queria sair
    Só queria uma chance para viver
    De chorar o de sorrir…
    Quem sabe até mesmo sofrer!
    Pelo menos ter o direito de escolher.
    Batia tão sutilmente
    Um coração tão pequenino
    Só queria vir a este mundo
    Não importa se seria menina ou menino
    Importa que era um coração
    Que jazia dentro daquele ventre
    Que batia dentro daquela vida
    Batia suavemente
    No fundo só queria ser gente.

    Era a vida!
    Que mesmo sem nada entender
    Sentia a existência fluir
    Meu Deus só queria ser gente
    Meu Deus só queria viver!
    Em breve iria nascer
    Em pouco iria brincar
    A correr serelepe contente
    A sorrir a cantar e encantar!
    Óh! Tão dócil pedaço de gente.
    A prole da sublime esperança
    Um sublime corpinho sonhava
    O sonho sublime de criança.

    O mais sublime gesto de Deus
    Esperando o sublime momento
    Mas interrompido por terrível tormento
    Maldito hediondo sofrimento
    Maldito hediondo aborto
    Para Deus tão sórdido desgosto.

    …E aquele que concorda em matar!
    Não sabe e nunca soube o que é amar!
    Pois nunca parou para pensar
    Que um dia também foi vulnerável
    Sem ter o direito a escolher
    E também não pediu para viver
    Jamais pediu para vir
    Mas veio e agora consente
    Não para, não pensa, não sente
    Que omisso assassina um ser
    Cujo crime era apenas viver
    Ou pelo menos tentava viver
    Poderia ser igual a mim
    Quem sabe igual a você!

    Não há álibi para o aborto.

    Um pequeno tão frágil embrião
    Que tal como uma flor em botão
    sensível como gota de orvalho
    simplesmente deslumbrante
    como sol que aurora aflora
    a síntese da esperança
    a seiva da sinceridade
    o extrato do amor
    um pingo de luz
    o inicio do plano de Deus.

    O nascer!…

    "do livro As estrelas brilham mas não falam"

  9. Prezado Isaias,
    Auto lá, digo eu pra você.
    Fazer apologia a crime ( aborto ) é também um crime:
    "Art. 287, do Código Penal Brasileiro:
    Fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou autor de crime:
    Pena – detenção, de três a seis meses, ou multa."
    Nossa legislação não aceita o "aborto eugênico ou altruista" ou seja, feito para evitar o nascimento de pessoas com alguma deficiente física ou mental, reversível ou irreversível, completa ou relativa, grave ou não.
    Você professa uma mentalidade bolchevista em relação as pessoas especiais, que na visão dos eslavos, por não produzirem lucro para o Estado, nem satisfação afetiva ou emocional para a familia, deveriam ser exterminadas, como dizia Stalin.
    Não se esqueça que, como os especiais, os "camaradas soviéticos comunistas" também exterminavam homossexuais.
    O mesmo princípio usado para um caso, por uma viez moral puritana, também era utilizado noutro, ou seja, promover o "bem estar de uma familia", livre da "nódoa" de ter um integrante homossexual.
    As duas hipóteses são absurdas, e portanto, não devem se fazer valer por qualquer justificativa, por melhor que seja.
    Humberto Mattias Barcellos Pinto

  10. Aos "Anônimos". Responder comentários de anônimos é o mesmo que falar com as paredes. Como eu não tenho esse costume… Além do mais, gente que não mostra a cara pra mim é COVARDE.

    Leonardo, o comentário da Izabel é inteiramente de tua responsabilidade. Quem tentou pôr palavras na minha boca, me fazendo por isso escrever que eu na verdade disse (e não "quis dizer") uma coisa e não outra, foi tu. O que eu disse desde o primeiro comentário foi muito claro, se alguém não entendeu foi por causa da tua maneira de me responder.

    Humberto Mattias Barcellos Pinto

    Em primeiro lugar, bolchevista é o autor deste blog, que em vários posts já fez menção ao terrorista Che Guevara, não eu.

    Em segundo, eu só estaria fazendo de fato apologia a um crime se eu estivesse elogiando a conduta de uma mãe específica que tivesse abortado sem permissão judicial. Não é o caso. O campo das idéias não é tão limitado quanto tu pensas.

    Aqui não se trata de pensar em "lucro para o Estado" ou no "bem-estar para a família de um ponto de vista puritano". Trata-se de pensar naquele ser que seria condenado a uma existência patética, "vivendo" sem ter consciência, que é o que nos torna humanos (os senhores seguramente ainda não sabiam disso, por isso vim aqui lhes contar), sem poder transmitir e nem receber afetos (quem não tem consciência não pode entender o que é receber ou doar alguma coisa), sem poder estudar, trabalhar, se divertir, ter um relacionamento, ir na padaria comprar pão, levantar da cama pela manhã etc etc etc.

    Claro que os senhores fazem um esforço hercúleo para se recusarem a enxergar o que está um palmo à frente dos vossos respectivos narizes.

  11. Isaías,

    "Mas, tudo depende da mentalidade dos pais do feto…"

    Errado.

    Uma coisa nao é certa só porque alguém acha que é certa, nem é errada porque alguém acha que é errada.

    Esse relativismo é burro.

    Pensa um pouco: Se eu achar que estupro é certo, só por isso será certo? Será?

    Francamente. Essa foi a pior besteira que já ouvi em muito tempo. E olha que ouço (leio) muitas por causa deste blog =)

    Abraço, amigo.

    Leonardo.

  12. Sinceramente, acho que o Isaías (das postagens acima) não ponderou, suficientemente, quanto ao teor de suas palavras. Pode mesmo ser que ele não queira dizer o que suas palavras registram, contudo há um limite de significação possível para as palavras e, as frases por ele postadas, implicam sim em defesa de um sentido específico de felicidade (à qual alguém acima chamou de ´hedonista´) como referência última para a vida. E aí, finalmente, o texto não revela um ´defensor da vida´, como o início da primeira postagem quer sugerir, mas um defensor de um tipo específico de vida, com um atributo específico, absoluto, ao qual ele chama (erradamente) de felicidade.
    João Marcelo.

  13. Leonardo, o "certo" e o "errado" é sim relativo e depende das pessoas e de suas circunstâncias num determinado ponto no tempo e no espaço.

    Na própria bíblia chovem exemplos de coisas que eram consideradas "erradas" e que depois passaram a ser consideradas "certas". No meio evangélico, queres dois exemplos mais modernos do que a TV e o divórcio, que em menos de duas décadas passaram de "errado" para "certo" (ou ao menos tolerável, no segundo caso)?

    Tuas falas, desde a tua primeira réplica tentam desqualificar a minha pessoa, ora colocando (tentanto) palavras na minha boca, ora usando adjetivos ofensivos. Ainda estou sendo educado contigo.

    E, claro que se tu, Leonardo Gonçalves, sozinho, "decidir" que isso ou aquilo é bom ou ruim, não vai fazer a mínima diferença. Nenhuma pessoa sozinha tem o poder de mudar uma realidade.

    Mas fica frio, Léo, as leis sempre vêm a refletir o que a sociedade já faz na prática, absolvendo os indivíduos de serem penalizados por atitudes que se tornaram generalizadas. Ou seja: a lei é sempre uma reação atrasada que visa justificar aquilo que (agora sim) um enorme conjunto de pessoas – a sociedade – já decidiu tacitamente que é o "certo".

    Não há arma amais poderosa que a hipocrisia das pessoas.

  14. ISA,
    Voce fala das LEIS MOSAICAS, ou das normas ECLESIASTICAS, mas Cristo nos falou apenas e tão somente da GRAÇA,
    e pela graça, so há uma lei, a maior de todas: " Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao teu irmão como a tí mesmo"
    Me parece que defender o aborto não é cumprir esse mandamento, só se for na sua 'bibra"
    No mais, não meça as pessoas, (chamando-as de hipócritas), pela sua régua.
    ASSASSINO, é o adjetivo de quem tenta justificar essa barbárie.
    No mais, siga os conselhos do Rei da Espanha, pro Chaves:
    PORQUE NÃO TE CALAS?

  15. ISA, acho que tão dando muito IBOP pra você,
    e acredito que seu comentário tenha dito esse desiderato apenas, porque ninguém em são consciência, que se diz seguidor de Cristo, respaldaria seus comentários.
    Quanto ao crime de apologia, a conduta típica, segundo um dos maiores jurista do país, BENTO FARIAS, repousa em: “ manifestar pensamento consistente no elogio de um fato criminoso OU do seu autor, feita publicamente para aprovar, louvar ou exaltar, o crime ou o seu praticante, ou ambos.”
    Logo, a identificação do agente criminoso não é elementar do tipo penal desse delito, bastando que o pensamento esteja referido a crime já acontecido.
    Humberto.

  16. Tentar dirimir um coração egocêntrico de seu subjetivismo é a mesma coisa de tentar anular a força da gravidade na terra.
    O homem luta por sua razão é por ela dá a sua própria vida, mas a verdade a Deus pertence.
    Ele é o autor da vida, e não me dou ao direito de questionar a alguém que foi capas de sacrificar ao próprio filho em favor da humanidade…
    E se ele é o autor da vida qualquer conceito filosófico ou cientifico fica inadimplente perante aos seus desígnios.
    Uma mulher pode até de fenestrar seu feto sob o álibi de que o mesmo tem alguma anomalia.
    Mas deve imediatamente implorar por perdão.

    Ela é apenas a progenitora, um instrumento de Deus para que uma vida se evidenciasse
    e esta é a verdade de Deus…
    Os princípios cristãos estão muito a cima da personalidade humana
    e com esta degenerada personalidade toda a sua presunção..

  17. Estou dando "ibope"? Deveriam me agradecer! Só ficam aqui nesse bate-papo de comadres! Aprendam comigo a discutir, e não só a trocar figurinhas.

    "Os canalhas na multidão tornam-se pessoas honestas", já disse um pensador. Eu parodio ele dizendo que "um canalha no anonimato torna-se corajoso". E aqui há vários corajosos

    "Humberto" (será mesmo?), a tua fala é tão inconsistente que o office-boy de um escritório de advocacia de quinta categoria conseguiria rebater. Segundo o fragmento do raciocínio citado, não se poderia, sequer, cogitar mudanças em leis, fossem elas quais fossem, pois, ao desejar modificá-las o proponente estaria comentendo crime de apologia ao crime. E é preciso ser apenas mais inteligente do que uma anta para saber que isso não faz o menor sentido. Como eu disse anteriormente, o campo das idéias não é tão limitado quanto suas mentes canhestas imaginam.

    Ops, é impressão minha ou, tirando os xingamentos, ninguém realmente respondeu o meu comentário anterior?

  18. Tem gente que coloca Deus na frente de rosto para não ver a realidade, é utopia pura e simples. A igreja católica só permite sexo para fins de procriação, afinal o espermatozoide é uma "vida" (em potencial?). Quantas pessoas fazem isso? Querem negar a realidade?

    Segundo pesquisa realizada 5 Milhões de mulheres já realizaram aborto http://tinyurl.com/37unaxv . Há tantos processos assim? Eu e vocês conhecemos alguém que tenha feito aborto. É um artigo penal tão inútil quanto o já revogado adultério. Milhares de mulheres têm que ser internadas todo o ano no SUS por tentativas frustradas de aborto, são procedimentos feitos no fundo do quintal. Que tiram VIDAS.

  19. É Isa, um canalha no anonimato pode tornar-se corajoso, assim como um "carajoso identificado pode demonstrar sua verdadeira face canalha."
    O problema de rebater seus argumentos é que eles são tão ignóbeis e deploráveis, que dispensam uma antítese. Alias, é até dificil encontrar uma refutação lógica razoável para a mediocridade nefasta do seu "pensamento".
    (Cuidado ao defender a bandeira do aborto dos fetos especiais – não pensantes, como dizes, porque você teria entrado, nessa com louvor).
    Para quem não comunga da fé cristão, defender o aborto é no mínimo uma contradição, para não dizer uma canalhice diabólica lavrada com arrimo na cristandade.
    Afinal, não dá pra ser cristão e defender o aborto ou a pena de morte, sem desonra pra Cristo.
    E para quem não comunga da fé cristã, existem métodos contraceptivos modernos e eficientes que dispensam o genocídio indiscriminado de fetos ou neonatos.
    Quanto ao comentário do Rapdfire:
    Amigo, o fato de não existir uma lei repreendendo uma conduta, não significa que esta conduta seja plenamente ética, justa e moral.
    O fato de não ser mais um crime, não torna o adultério menos repugnante ou ofensivo a Deus, e no mesmo sentido em relação ao aborto. Não confunde crime com pecado.
    Se você pesquisar mais, vai ver que a maioria dos abortantes, ainda que legalizada a pratica, continuaria indo em "fundos de quintais para tal finalidade."
    isto porque a pratica do abordo está adstrita a um cunho puramente moral, razão pela qual, optam por uma via furtiva, clandestina, para este escopo. P.Ex. a adolescente que engravida e teme os pais, ou é incentivada pelo namorado, a amante, e por ai vai.
    A legalização do aborto em nada ou muito pouco seria util a um casal que tem um planejamento familiar mínimo.
    Além disto, o aborto num Estado comandado por um déspota,poderá ser utilizado perigosamente como ferramenta política para extermínio dos "indesejados sociais". ( pobres, negros, imigrantes etc)
    As familias hipossuficientes, com certeza, seriam incentivas aos abordo nos hospitais públicos.
    Entretanto, devo fazer justiça aos comentários do Isa, que se não servem para nada, pelo menos, para ser um péssimo exemplo cristão, eles servem.

  20. É CANALHA e não faz questão de negar. Pelo menos é sincero…

    Canalha, covarde por só ter coragem de escrever no anonimato e um imbecil, mentecapto, intelectualmente incapaz de rebater meus argumentos, e que por isso apela para argumentos ad hominem, os únicos que é capaz de formular.

  21. Isa, agradeço sua homenagem a minha pessoa, me chamando de "anta".
    Por mim, digo que não mereço a honra pertencer a sua familia.
    De outro angulo, vou lhe prestar um favor tirando da ignorância, para explicar que apologia a crime é uma coisa, e defesa a descriminalização de uma conduta criminosa é outra.
    Esta, é feita através de instrumentos legais democráticos como as comissões parlamentares legislativas, plesbicito, "referendum" consulta popular ou através do encaminhamento da proposta do projeto de lei ao Poder competente, para que seja analisado e votado. A participação da sociedade organizada também entra nesta através de debates públicos em orgão de saúde pública ( no caso do aborto ), associações, ongs ou através de mobilizações que tenha objetivo a discussão séria dos prós e contra da repercussão social da medida, mirando sempre em conclusões científicas, sociológicas, culturais e jurídicas.
    Muito diferente da apologia como voce fez do ato especifico de abortar, relatado neste tópico, numa temática de incitação, e em um site de livre acesso, possivelmente, navegado por pessoas menores de idad, que podem ser afetadas e influenciadas por sua opiniões criminosas e ilicitas.
    Da proxima vez que discutir Direito, vá pedir ajuda a um office boy de escritório de advocacia de quinta categoria, que ele lhe ajudará.
    Humberto Pinto

  22. "Humberto Pinto"

    Realmente, para pessoas como tu, ser chamado de "anta" ainda é muito honroso.

    Tu realmente não sabes o que dizes ou só finges muito bem? Estás sugerindo que "parlamentares têm mais liberdade de expressão e de pensamento" que eu, um cidadão comum? Com base em quê?

    Ademais, não vou precisar do tal office-boy. Para esclarecimentos dessa natureza os teus conhecimentos jurídicos já são suficientes!

  23. Voltando apenas pra responder ao "Bacharel em Direito" Isa,
    Os Parlamentares ( Deputados e Senadores ) tem si, por lei, mais liberdade de expressão e pensamento que qualquer outro cidadão comum como nós, porque eles tem a chamada IMUNIDADE PARLAMENTAR MATERIAL, que lhes permite discutir qualquer tema com liberdade de expressão irrestrita, inclusive, para propor a descriminalização de uma conduta criminosa, sem ser considerado apologista ao delito, nem estar sujeito crimes de opinião.
    Art. 53 da Constituição Federal: Os Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos
    Faz umas aulinhas com o office boy, to te falando… (rsrsrsrsr)
    Abraços, e ve se encontre a paz em Crito.

  24. Isaías… O cara do 8 e do 80. Será que algum dia a tua alma achará sensatez e equilíbrio? Nao falo de perfeiçao, mas de sensatez e equilíbrio.

    Mas creio que todo mundo tem direito de pensar o que quiser; inclusive de nao pensar (como creio ser o seu caso).

    Abraçao,

    Leonardo.

  25. Isa,

    Existe uma pessoa nessas condições que você falou:

    – que depende de outra pessoa para tudo
    (nele vivemos, nos movemos e existimos – atos 17:28)

    – uma criatura disforme, ou deformada
    (afetada pela Queda, com sua natureza humana corrompida)

    – inconsciente [espiritualmente]
    (Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. – Isaías 55:9)

    – infeliz
    (incapaz de atingir felicidade plena sozinho)

    – e que não pode responder com um lindo sorriso
    (não paga todo o serviço a ela prestado com a gratidão merecida por ser cuidada)

    São criaturas dessa espécie todas as que postaram comentários aqui, e é essa que vos digita.

    Nosso Deus não nos abortou,
    deu a vida por nós!

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui