Juca Kfouri: o ateu à toa!

22
480
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Fernando Khoury

Assine o Blesss
Após ouvir as últimas pérolas do comentarista esportivo Juca Kfouri alfinetando, pela milionésima vez, sua fé em Jesus Cristo, Kaká resolveu se pronunciar.

A indignação de Kaká tem razão de ser. Não é a primeira vez que o jornalista perde tempo precioso na mídia para atacar a fé que jogadores de futebol depositam em Jesus. Em um dos programas do Jô Soares, inclusive, ambos se divertem às custas da fé dos atletas e do seu agradecimento a Jesus Cristo.

São várias as acusações. “Os jogadores colocam Jesus Cristo onde ele não tem que estar”. “Existem lugares apropriados e definidos para se manifestar a crença em Jesus”. “Tá ficando chato toda hora ver jogador levantando a mão pro céu agradecendo a Jesus pelo belo gol ou pela brilhante defesa”. “Essa manifestação dos jogadores é uma forma de tenta enfiar a fé cristã pela minha goela abaixo”. “Agradecer a Jesus durante a partida de futebol é merchandising religioso”.

O que é mais paradoxal no discurso de Juca Kfouri é a energia que ele despende para criticar e censurar algo que ele mesmo acredita não existir. É intrigante como a fé de Kaká incomoda tanto a razão de Juca Kfouri.

Há tanta mazela no mundo em que vivemos para ser denunciada, existe tanta atitude repugnante e suja nos bastidores e nas emissoras de TV para ser delatada, há tantos vícios, orgias e outras promiscuidades no mundo do futebol para serem criticadas, que a escolha da fé em Jesus Cristo para ser alvo de ataque na mídia chega a ser grotesca. É por essas e outras que gosto de dizer que Juca Kfouri, antes de ser um ateu, é um à toa.

Sim, Juca Kfouri é um ateu à toa. À toa não apenas no sentido de alguém que não tem ocupação ou não tem o que fazer, mas principalmente no sentido de alguém que não tem razão. Juca Kfouri condena a fé de Kaká à toa – sem qualquer razão ou justificativa – e à toa – porque sua postura demonstra que não deve ter nada mais importante para fazer ou pensar.

Isso mesmo: Juca usa sua razão para embasar seu ateísmo, e usa seu ateísmo para acusar sem razão. É um arrogante intelectual que confunde laicidade de Estado com intolerância à fé, desconhecendo até mesmo que o direito que hoje ele possui de não acreditar ou professar fé alguma tem lastro na própria liberdade de convicção religiosa, conquistada pelo sanque de mártires do passado. Assim, se ele condena a liberdade de manifestação de crença, ele está condenando a livre manifestação do seu próprio ateísmo.

E não é só. Vejam que contrassenso: Juca critica e debocha de Kaká por manifestar sua fé através do seu trabalho (futebol), enquanto o próprio Juca faz uso do seu trabalho (jornalismo) para manifestar sua falta de fé e criticar a manifestação das demais. Juca acusa Kaká de colocar Jesus Cristo em lugares inapropriados, onde Ele não está. Ora, fico me perguntando se Kaká também não poderia acusar Juca de manifestar sua falta de fé em lugares inadequados?

O ateu à toa faz uso da liberdade de imprensa para censurar a manifestação da liberdade de religião. Agora, eu te pergunto: o que é mais racional? O que deve prevalecer? A permissão ao agradecimento de um religioso a Deus de acordo com sua crença ou a proibição às manifestações de fé com base na intolerância e no desconforto de um descrente?

Imagino que grande parte do desconforto de Juca Kfouri se deve à revolta interna que ele sente ao perceber que a razão que motiva sua descrença não tem resposta para a maioria de suas inquietações. E, muito menos, para explicar a fé e a confiança que as pessoas – sejam elas alfabetizadas e bem informadas como Kaká ou não – têm em Jesus Cristo.

A razão acusadora do ateu à toa não lhe fornece subsídios para entender o que faz com que um homem que diz ter ressuscitado há mais de dois mil anos atrás rompa as barreiras da história, do tempo, do espaço e da evolução científica para influenciar e transformar vidas de pessoas sedentas em pleno século XXI.

O mesmo Jesus que Juca faz questão de negar disse certa vez que a boca fala do que o coração está cheio. Assim fica mais fácil entender o porquê de tantos ataques à fé cristã. É simples: o coração do Juca está cheio de ódio às pessoas que atribuem seus méritos e conquistas a Jesus Cristo.

Ver um jogador de futebol levantando as mãos pro céu após o gol causa náuseas ao ateu à toa, talvez porque ele próprio não tenha pra onde levantar as próprias mãos quando algo de bom lhe acontece. Ouvir um goleiro agradecendo a Jesus Cristo pela defesa realizada deixa o ateu à toa com ânsia de vômito, muito provavelmente porque ele não sabe – e não tem – a quem agradecer por uma conquista. Testemunhar o clamor e a gratidão de uma mãe desesperada pelo consolo que Deus lhe proporcionou quando perdeu seu filho num acidente soa como ignorância para o ateu à toa, porque ele simplesmente não tem a quem recorrer quando a razão não apresenta explicação para as perguntas sem resposta que a vida lhe impõe.

Enquanto isso, Juca Kfouri continua desprezando a alegria infinita que Deus pode e quer oferecer aos homens, como um prisioneiro dentro de uma caverna que, acorrentado à escuridão de sua própria razão, só consegue enxergar através de uma única fresta de luz exterior, julgando ser real aquilo que é apenas uma sombra da verdadeira realidade.

O Deus vivo não é um fenômeno que pode ser explicado ou comprovado por experimentos de laboratório. Deus deve ser sentido pelo coração, e não provado pela razão. Até porque a ciência jamais poderá explicar um Deus que, mesmo sendo todo-Amor, cura com a ferida, apaga o passado com fogo, consola com a dor, fala nos momentos de silêncio e dá a paz com o conflito interior.

Aliás, muitas das presunções dos que se dizem racionalistas e ateus devem ser repensadas sob a lógica das hipóteses que eles mesmos aceitam como verdadeiras. Como diz C. S. Lewis:

“se o sistema solar foi criado por uma colisão estelar acidental, então o aparecimento da vida orgânica neste planeta foi também um acidente, e toda a evolução do Homem foi um acidente também. Se é assim, então todos nossos pensamentos atuais são meros acidentes – o subproduto acidental de um movimento de átomos. […] Mas se os pensamentos deles são meros subprodutos acidentais, por que devemos considerá-los verdadeiros? Não vejo razão para acreditarmos que um acidente deva ser capaz de me proporcionar o entendimento sobre todos os outros acidentes. É como esperar que a forma acidental tomada pelo leite esparramado pelo chão, quando você deixa cair a jarra, pudesse explicar como a jarra foi feita e porque ela caiu”.

Por isso, entre ser escravo de uma razão que nunca vai me libertar e ser amigo e servo de um Deus que me faz livre, fico com a liberdade. Entre ser dependente de uma intelectualidade que me torna cada vez mais arrogante e ser dependente de um Deus que me faz humilde, prefiro a humildade. Entre as presepadas passageiras faladas por Juca Kfouri e as palavras de vida eterna e paz deixadas por Jesus, fico com as de Jesus. Em vez de dar crédito a um ateu que não acredita em Deus, prefiro dar crédito a um Deus que não acredita em ateus. Prefiro ter fé em um Deus que não acredita em “Jucas Kfouris”.

A diferença entre o ateu à toa e Kaká? Para o primeiro, nada na vida é um milagre. Para Kaká, tudo na vida é um milagre. Parafraseando Benjamin Franklin, Kaká acredita no cristianismo da mesma forma que acredita que o sol nasce todo dia. Não apenas porque o vê, mas porque através dele Kaká vê tudo ao seu redor.

E, da minha parte, faço como Kaká: agradeço este texto a Jesus Cristo, porque, sem Ele, eu não posso fazer nada!

***
Li no blog Atelier de Idéias

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

22 COMENTÁRIOS

  1. Fernando,

    Amém! Um texto lúcido e profundo. A resposta necessária a tantos Jucas que há por aí se pavoneando na sua "intelectualidade estéril".

    A sua racionalidade ateia não o levará além do desespero que, antes dele, levou a tantos outros existencialistas: o desespero de não se ter explicações para tudo; o desespero de uma fé no nada. Para o Juca, nada além da fresta de luz e das sombras… Ele está indelevelmente preso na caverna da sua mente.

    Sim, eu também prefiro a paz que "excede a todo o entendimento" do que o "saber" desesperado do Juca e de tantos outros cegos.

    Honra e Glória ao Senhor (a despeito dos Jucas…)!!!

    Ricardo.

  2. Adorei o post. ASsim como muitos dos outros que escreve.
    Concordo firmemente que o Juka, ou Juca não tem o que fazer.
    Nada contra ele ser ATEU. Porque ele tem o direito de o ser, mas convenhamos que quando agente não tem nada pra fazer, ataca qualquer um. E meu amigo… Jesus incomoda pra caramba. =D
    Portanto, não é pra ficarmos assustados nem perplexos :O Ohh ehehe
    é algo naturale para o mundo. O mundo rejeita o que NAO È DO MUNDO.
    E o Juca escolheu criticar Kaká.
    Deixa ele.. rs
    Me responde… Quem você acha que se incomoda mais?
    O Kaká com os comentários de Kfouri ou o Kfouri com a existencia de Deus?

    Acredito que seja o Kfouri, porque Deus está em tudo. Esse é o pior cego que existe. O que não quer ver.
    Deus o abençoe. Sim desejo isso.
    Mesmo cheia de defeitos como sou.
    E que Deus também tenha misericóridia de todos nós.

  3. Se o Juca buscava alguma notoriedade diante do seu ofuscamento, o Kaká fez o que ele esperava.
    Creio que a melhor expressão testemunhal cristã de um atleta seria o seu comportamento no campo.

  4. paz e graça!!!

    Agora chegou o tempo de sermos bem-aventurados por sermos injuriados, caluniados, perseguidos por amor a Cristo. A cada dia vemos que tem sido fomentada e ao mesmo tempo refletida pela mídia uma cultura de repressão a fé cristã, é uma via de mão dupla onde em nome de uma pseudo liberdade estão sujulgando a nossa liberdade.
    Eu também louvo a DEus por vc ter escrito este texto…Louvo ele até mesmo pela vida do Juca pois ele crendo ou não é graças a Deus que ele pode tecer seus comentários ríduculos sobre nós. Graças a Deus ele é um ser humano dotado de habilidades, inteligencia e não é apenas um primata evoluido.
    Xerin no cuore Fernando…que Deus te guie em tudo q fores fazer.
    ps: ignore o comentario anterior. obrigada.

  5. Quando se é o primeiro a comentar, corre-se o risco de levar mais "tapas". Mas, vamos lá. Concordo com tudo o que escreveu Fernando Khoury, mas uma coisa nós não podemos esquecer: O Kaká é "discípulo" do casal Estevam (aliás, quase todos os jogadores ditos evangélicos são dessas igrejas-empresas, que têm que crescer a qualquer custo), inclusive fazendo marketing agressivo. O que, eu acho, é o caso.

  6. Curto muito a equipe esportiva da ESPN. Mais o Juca é meio arrogantão mesmo, pelo menos é o que parece, se comparado com o Trajno ou PVC por exemplo. Em relação ao Kaká, to nem ai pra ele. O dinheiro é dele, ele enfia onde quiser, se quer se crente, catolico, budista, macumbeiro, azar o dele. Acho ridiculo nego defendendo ele a todo custo, se ele fosse católico e o Juca tivesse falado a mesma coisa, ninguem sentiria pena.

  7. Graça e Paz

    Permitam-me:
    "Em vez de dar crédito a um ateu que não ama Deus, prefiro dar crédito a um Deus que ama ateus. Prefiro ter fé em um Deus que acredita no potencial dado por Ele, aos “Jucas Kfouris”…"

    Ele é o nosso alvo, Ele o Cristo, auto e consumador de nossa fé, e ele, o Juca por quem Ele morreu e antes, ressucitou!

    Abraço!

  8. Muito bom o texto!

    Sabemos que tudo que fazemos deve ser pra glória de Deus.
    O kaká e os outros jogadores entendem isso e nas suas profissões querem fazer o nome de Jesus conhecido, quer seja por um simples gesto…
    Podemos a vida do Kaká, pois o seu testemunho tem sido de verdadeiro filho de Deus… aí tentam enxergar alguma coisa que possa causar polêmica… são os que acusam que realmente azem merchandising religioso, os jogadores cristãos só querem professar sua fé…

    Respeito o Juca por ser muito bom jornalista, mas não possue o verdadeiro conhecimento… o temor do senhor é o princípio da sabedoria, e ele está longe de ser sábio =x

    Eu só acho que o kaká poderia ter respondido de uma forma melhor…
    senti q ele foi na emoção do momento, lá da hora…

  9. O Juca Kfeio teve o dom de transformar críticos do kaká em defensores!

    Bem pensado:

    Sim, o papel do jogador de futebol é jogar futebol. E o papel do jornalista esportivo é falar e escrever sobre esporte.

    Se é errado o Kaká usar o futebol para divulgar sua crença, também é errado o Kfouri usar seu espaço jornalístico para divulgar as dele.

    Dois pesos e duas medidas!

    Como disse alguém, o kfouri já foi jornalista da Playboy. Usar o esporte para divulgar pornografia e cerveja que viciam a muitos e degeneram inúmeras vidas, pode; Usar o esporte para divulgar um ideal, não!

    Discordo do Kaká quanto a crenças e práticas, mas ele parece ser sincero e age coerentemente. Já o Kfouri é dúplice e hipócrita!

    * * *

  10. juca atoa é um final de carreira como não tem nada sadio para dizer
    e o odio dele pelo grande sucesso de kaka.
    o faz cair no ridículo assim como o programa do jô e seu apresentador
    fim de festa.
    tem pessoa que tem tanto medo da derrota do fracasso do abandono
    que não se importa de ser comentado mesmo sendo comentários tão deprimente o qual eles fazem jus.
    béssimo comentário este seu gostária muito que o atoa lesse

  11. Pessoal, sou publicitário e já trabalhei por muitos anos como jornalista, radialista e outros listas….vou contar pra vocês uma coisa muito simples e fácil de entender: O Juca Kfouri quer exatamente isso! Ele quer notoriedade, quer chamar a atenção, quer medir a audiência. Não mordam essa isca ! Pensem bem! Porque ele, quando estava na globo, não perdia o tempo falando certas besteiras que só poderia sair da cabeça dele mesmo? Ora por quê? É porque a globo não permitia opiniões pessoas nos comentários onde o jornalista deveria ser profissional. Hoje até que mudou a coisa por lá. Vejam quantas canções gospel aparecem nos intervalos. Como onde o Kfoury está hoje não tem audiência ai ele arrumou essa e o KAKA caiu na dele. É só não escutar mugidos estranhos e a coisa passa sem ser notada. Deixa ele falar e se ele fala é porque está dando resultado, tanto resultado que ele se incomodou com as atitudes dos atletas. A final , todo joelho se dobrará, entendem? Agora vejam bem senhores, vê se eu vou me importar toda vês que vejo um jogador fazendo sinal a cruz ! É a mesma coisa, uns tem fé em cavalos, outros em pedras, outros no microfone e por ai vai. Escrito por Edeniuson Brasileiro

  12. Quando eu escrevi sobre "o primeiro a comentar", não havia nenhum comentário postado. Acabou que eu não fui o primeiro, nem levei "tapas".
    Em um programa da MTV, um dos apresentadores(Bento Ribeiro) disse: "O Kaká reclamou que o Juca Kfoury o está perseguindo só porque ele é 'religioso'". E emendou: "Numa religião que coloca a culpa de tudo no Diabo, ele 'tá' reclamando de quê?".
    Ontem, na Globo,logo depois do jogo, os apresentadores fizeram questão de mostrar os palavrões que o Kaká tem falado. Eles estão certíssimos, pois quem professa uma fé verdadeira tem que "glorificar" também nas horas difíceis. Mas os Hernandez não ensinam "horas difíceis", né?
    P.S. Gente, vamos estudar um pouquinho de Portugês. Alguns comentários são "brabo" até de entender.

  13. No dia que o Kaká fez a declaração, tive a oportunidade de visitar o blog do Juca e ler sua resposta. Tentei postar um comentário lá mas o blog estava com erro…

    Tudo que eu queria era perguntar para ele sobre duas coisas. Primeiro o que ele considera merchandising religioso e segundo como um jogador de futebol pode enfiar abaixo em nossa goela sua fé, desconfiando que ele não teria uma resposta lógica para nenhuma das duas perguntas.

    Vendo o vídeo ficou clara a contradição do Juca. Ele declara abertamente sua fé na inexistência de Deus e acha um absurdo que outras pessoas públicas (os jogadores) como ele possam expressar sua fé publicamente. Com isso ele mostra que acha injusto que os jogadores da seleção tenham o mesmo direito que ele tem.

    A afirmação dele de que manifestação de fé tem hora e lugar está em clara contradição com a liberdade de expressão garantida a todos os brasileiros.

    Para sanar todas as dúvidas em relação ao juízo parcial do comentarista podemos fazer o teste do craque ateu. Colocamos na seleção um craque que seja ateu e que quando fizer seus gols levante a camisa da seleção e em baixo tenha uma camisa com frases mais ou menos assim: "Obrigado Forças Impessoais do Universo", "Valeu Evolução" ou "Muito Obrigado Matéria". Ai monitoramos a reação do Juca…

  14. Será que ele não tem fé na ciência? Será que ele também não tem fé na própria vida dele? Acredito que se ele não tivesse fé alguma não seria jornalista da Folha. Sabe tenho nojo de comentários como este que ele fez neste video. Só pela misericórdia de Deus mesmo!! To cansado de toda esta sujeira na mídia!!! Confio na promessa divina que diz que onde superabundou o pecado, superabundará a graça e o perdão!!

  15. O kfouri está certo, manifestações religiosas em campo de futebol é realmente inadequado.
    Estes comentários contra este intendimento do Kfouri só existem por puro parcialismo auto-mimado dos evangélicos.
    Se os esportistas satanistas,ou os que são adeptos de Vodu,começarem a exibir na camisa de baixo imagens de Satã, ou frases:
    I love Satan,
    Dêem glória a Asmodeu!
    Tenho orgulho de ser satanista,
    ou mesmo: Lúcifer é meu guia…etc,etc,
    não tenho dúvida nenhuma que este bando de evangélicos carolas e idiotizados e auto-mimados vão ser os primeiros a se manifestar contra a liberdade de expressar fé religiosa em eventos esportivos.
    Êta povinho idiotizado e auto-mimado!

    ———————ATALAIA————————————–

  16. Tenho acompanhado este blog, pois alertas sobre posturas estranhas no meio evangélico já se tornaram comuns, isso é bíblico – apostasia.
    Sobre o post, o Juca é ateu e isso é tudo, o ateu se estivesse com certeza em sua opinião não criticaria os que de si divergem, então para mim está insatisfeito mas inconscientemente, portanto está frustrado, oremos por ele.
    Já o Kaká, de cristão sério não tem nada, sua postura tem mostrado qual é seu verdadeiro ídolo, basta compararmos os tempos que estamos vivendo e a manipulação da Nova Ordem Mundial, e vermos que ele é uma peça apenas, colocar-se a serviço de Jesus, ao meu ver, é outra coisa.
    Veja este artigo no link http://blog.teophilo.info/2010/06/markakaketing-perigoso.html
    tem sido muito estranha a postura do Kaká, mesmo sendo seu "trabalho".
    Não tenho nada contra as pessoas envolvidas, pois sabemos que nossa batalha é espiritual, contra as potestades e não contra a carne.
    adnanre F é

  17. Juca deu a notícia que o Kaká jogava a Copa no sacrifício em meados de junho, no começo da Copa. Jaca só falou isso e nada mais.

    Kaká respondeu com acusação de que sofria perseguição religiosa do jornalista e disse que estava tudo certo com ele…

    Eis que, com a eliminação do Brasil, a primeira entrevista que o Kaká dá ao pisar em solo brasileiro é:

    "Kaká admite ter jogado no sacrifício e diz que futuro na seleção é incerto"

    Como informa o site da Globo, no link:

    http://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/2010/07/kaka-admite-ter-jogado-no-sacrificio-e-diz-que-futuro-na-selecao-e-incerto.html

    E não só o Kaká mas também o respeitado médico da seleção brasileira Joósé Luis Runco também deu essa declaração:

    "Médico da Seleção revela sacrifício de Kaká na Copa: 'Em outra situação, não teria nem jogado'"

    Como mostra o link do site do jornalista Sidney Rezende:

    http://www.sidneyrezende.com/noticia/93135+medico+da+selecao+revela+sacrificio+de+kaka+na+copa+em+outra+situacao+nao+teria+nem+jogado

    Ou seja:

    JUCA KFOURI SÓ NOTICIOU A VERDADE E KAKÁ MENTIU ESCONDENDO A SUA REAL CONDIÇÃO E DESVIANDO O FOCO, USOU A SUA RELIGIÃO E A SUA FÉ PARA SE ESCONDER.

    Será que esse blog e todos que difamaram o Juca Kfouri aqui terá coragem de pedir desculpas ao mesmo ou cada um aqui se esconderá na sua fé, como fez o Kaká, e fingir que nada disso aconteceu???

    Duvido muito…

  18. LAMENTO O FATO DO JUCA SE ATEU, MAS NESTE CASO ELE FALOU A VERDADE. ERA VISÍVEL QUE KAKA NÃO TINHA CONDIÇÕES DE JOGA A COPA DO MUNDO, ESTE POR SUA VEZ NAO TEVE HUMILDADE, NÃO TEVE UMA ATITUDE CRISTÃ NA ESSÊNCIA, OU SEJA, DEVERIA DAR OPORTUNIDADE A OUTRO JOVEM JOGAR. VOLTANDO AO JUCA ESPERO QUE UM DIA ELE TENHA FÉ, VOU REZAR POR ISSO.

  19. Concordo com quase tudo que foi dito no texto. Discordando apenas da forma ofensiva na qual está sendo tratado o jornalista, usando termos como "ateu atoa". É claro que trata-se de alguém usado pelo inimigo. Mas nós, como cristãos, nunca devemos partir para ofenças, pois não faz parte dos nossos princípios.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui