Os Desigrejados

26
1194
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Augustus Nicodemus Lopes

Assine o Blesss
Para mim resta pouca dúvida de que a igreja institucional e organizada está hoje no centro de acirradas discussões em praticamente todos os quartéis da cristandade, e mesmo fora dela. O surgimento de milhares de denominações evangélicas, o poderio apostólico de igrejas neopentecostais, a institucionalização e secularização das denominações históricas, a profissionalização do ministério pastoral, a busca de diplomas teológicos reconhecidos pelo estado, a variedade infindável de métodos de crescimento de igrejas, de sucesso pastoral, os escândalos ocorridos nas igrejas, a falta de crescimento das igrejas tradicionais, o fracasso das igrejas emergentes – tudo isto tem levado muitos a se desencantarem com a igreja institucional e organizada.

Alguns simplesmente abandonaram a igreja e a fé. Mas, outros, querem abandonar apenas a igreja e manter a fé. Querem ser cristãos, mas sem a igreja. Muitos destes estão apenas decepcionados com a igreja institucional e tentam continuar a ser cristãos sem pertencer ou frequentar nenhuma. Todavia, existem aqueles que, além de não mais frequentarem a igreja, tomaram esta bandeira e passaram a defender abertamente o fracasso total da igreja organizada, a necessidade de um cristianismo sem igreja e a necessidade de sairmos da igreja para podermos encontrar Deus. Estas idéias vêm sendo veiculadas através de livros, palestras e da mídia. Viraram um movimento que cresce a cada dia. São os desigrejados.

Muitos livros recentes têm defendido a desigrejação do cristianismo (*). Em linhas gerais, os desigrejados defendem os seguintes pontos.

1) Cristo não deixou qualquer forma de igreja organizada e institucional.

2) Já nos primeiros séculos os cristãos se afastaram dos ensinos de Jesus, organizando-se como uma instituição, a Igreja, criando estruturas, inventando ofícios para substituir os carismas, elaborando hierarquias para proteger e defender a própria instituição, e de tal maneira se organizaram que acabaram deixando Deus de fora. Com a influência da filosofia grega na teologia e a oficialização do cristianismo por Constantino, a igreja corrompeu-se completamente.

3) Apesar da Reforma ter se levantado contra esta corrupção, os protestantes e evangélicos acabaram caindo nos mesmíssimos erros, ao criarem denominações organizadas, sistemas interligados de hierarquia e processos de manutenção do sistema, como a disciplina e a exclusão dos dissidentes, e ao elaborarem confissões de fé, catecismos e declarações de fé, que engessaram a mensagem de Jesus e impediram o livre pensamento teológico.

4) A igreja verdadeira não tem templos, cultos regulares aos domingos, tesouraria, hierarquia, ofícios, ofertas, dízimos, clero oficial, confissões de fé, rol de membros, propriedades, escolas, seminários.

5) De acordo com Jesus, onde estiverem dois ou três que crêem nele, ali está a igreja, pois Cristo está com eles, conforme prometeu em Mateus 18. Assim, se dois ou três amigos cristãos se encontrarem no Frans Café numa sexta a noite para falar sobre as lições espirituais do filme O Livro de Eli, por exemplo, ali é a igreja, não sendo necessário absolutamente mais nada do tipo ir à igreja no domingo ou pertencer a uma igreja organizada.

6) A igreja, como organização humana, tem falhado e caído em muitos erros, pecados e escândalos, e prestado um desserviço ao Evangelho. Precisamos sair dela para podermos encontrar a Deus.

Eu concordo com vários dos pontos defendidos pelos desigrejados. Infelizmente, eles estão certos quanto ao fato de que muitos evangélicos confundem a igreja organizada com a igreja de Cristo e têm lutado com unhas e dentes para defender sua denominação e sua igreja, mesmo quando estas não representam genuinamente os valores da Igreja de Cristo. Concordo também que a igreja de Cristo não precisa de templos construídos e nem de todo o aparato necessário para sua manutenção. Ela, na verdade, subsistiu de forma vigorosa nos quatro primeiros séculos se reunindo em casas, cavernas, vales, campos, e até cemitérios. Os templos cristãos só foram erigidos após a oficialização do Cristianismo por Constantino, no séc. IV.

Os desigrejados estão certos ao criticar os sistemas de defesa criados para perpetuar as estruturas e a hierarquia das igrejas organizadas, esquecendo-se das pessoas e dando prioridade à organização. Concordo com eles que não podemos identificar a igreja com cultos organizados, programações sem fim durante a semana, cargos e funções como superintendente de Escola Dominical, organizações internas como uniões de moços, adolescentes, senhoras e homens, e métodos como células, encontros de casais e de jovens, e por ai vai. E também estou de acordo com a constatação de que a igreja institucional tem cometido muitos erros no decorrer de sua longa história.

Dito isto, pergunto se ainda assim está correto abandonarmos a igreja institucional e seguirmos um cristianismo em vôo solo. Pergunto ainda se os desigrejados não estão jogando fora o bebê junto com a água suja da banheira. Ao final, parece que a revolta deles não é somente contra a institucionalização da igreja, mas contra qualquer coisa que imponha limites ou restrições à sua maneira de pensar e de agir. Fico com a impressão que eles querem se livrar da igreja para poderem ser cristãos do jeito que entendem, acreditarem no que quiserem – sendo livres pensadores sem conclusões ou convicções definidas – fazerem o que quiserem, para poderem experimentar de tudo na vida sem receio de penalizações e correções. Esse tipo de atitude anti-instituição, antidisciplina, anti-regras, anti-autoridade, antilimites de todo tipo se encaixa perfeitamente na mentalidade secular e revolucionária de nosso tempo, que entra nas igrejas travestida de cristianismo.

É verdade que Jesus não deixou uma igreja institucionalizada aqui neste mundo. Todavia, ele disse algumas coisas sobre a igreja que levaram seus discípulos a se organizarem em comunidades ainda no período apostólico e muito antes de Constantino.

1) Jesus disse aos discípulos que sua igreja seria edificada sobre a declaração de Pedro, que ele era o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mt 16.15-19). A igreja foi fundada sobre esta pedra, que é a verdade sobre a pessoa de Jesus (cf. 1Pd 2.4-8). O que se desviar desta verdade – a divindade e exclusividade da pessoa de Cristo – não é igreja cristã. Não admira que os apóstolos estivessem prontos a rejeitar os livre-pensadores de sua época, que queriam dar uma outra interpretação à pessoa e obra de Cristo diferente daquela que eles receberam do próprio Cristo. As igrejas foram instruídas pelos apóstolos a rejeitar os livre-pensadores como os gnósticos e judaizantes, e libertinos desobedientes, como os seguidores de Balaão e os nicolaítas (cf. 2Jo 10; Rm 16.17; 1Co 5.11; 2Ts 3.6; 3.14; Tt 3.10; Jd 4; Ap 2.14; 2.6,15). Fica praticamente impossível nos mantermos sobre a rocha, Cristo, e sobre a tradição dos apóstolos registrada nas Escrituras, sem sermos igreja, onde somos ensinados, corrigidos, admoestados, advertidos, confirmados, e onde os que se desviam da verdade apostólica são rejeitados.

2) A declaração de Jesus acima, que a sua igreja se ergue sobre a confissão acerca de sua Pessoa, nos mostra a ligação estreita, orgânica e indissolúvel entre ele e sua igreja. Em outro lugar, ele ilustrou esta relação com a figura da videira e seus galhos (João 15). Esta união foi muito bem compreendida pelos seus discípulos, que a compararam à relação entre a cabeça e o corpo (Ef 1.22-23), a relação marido e mulher (Ef 5.22-33) e entre o edifício e a pedra sobre o qual ele se assenta (1Pd 2.4-8). Os desigrejados querem Cristo, mas não querem sua igreja. Querem o noivo, mas rejeitam sua noiva. Mas, aquilo que Deus ajuntou, não o separe o homem. Não podemos ter um sem o outro.

3) Jesus instituiu também o que chamamos de processo disciplinar, quando ensinou aos seus discípulos de que maneira deveriam proceder no caso de um irmão que caiu em pecado (Mt 18.15-20). Após repetidas advertências em particular, o irmão faltoso, porém endurecido, deveria ser excluído da “igreja” – pois é, Jesus usou o termo – e não deveria mais ser tratado como parte dela (Mt 18.17). Os apóstolos entenderam isto muito bem, pois encontramos em suas cartas dezenas de advertências às igrejas que eles organizaram para que se afastassem e excluíssem os que não quisessem se arrepender dos seus pecados e que não andassem de acordo com a verdade apostólica. Um bom exemplo disto é a exclusão do “irmão” imoral da igreja de Corinto (1Co 5). Não entendo como isto pode ser feito numa fraternidade informal e livre que se reúne para bebericar café nas sextas à noite e discutir assuntos culturais, onde não existe a consciência de pertencemos a um corpo que se guia conforme as regras estabelecidas por Cristo.

4) Jesus determinou que seus seguidores fizessem discípulos em todo o mundo, e que os batizassem e ensinassem a eles tudo o que ele havia mandado (Mt 28.19-20). Os discípulos entenderam isto muito bem. Eles organizaram os convertidos em igrejas, os quais eram batizados e instruídos no ensino apostólico. Eles estabeleceram líderes espirituais sobre estas igrejas, que eram responsáveis por instruir os convertidos, advertir os faltosos e cuidar dos necessitados (At 6.1-6; At 14.23). Definiram claramente o perfil destes líderes e suas funções, que iam desde o governo espiritual das comunidades até a oração pelos enfermos (1Tm 31-13; Tt 1.5-9; Tg 5.14).

5) Não demorou também para que os cristãos apostólicos elaborassem as primeiras declarações ou confissões de fé que encontramos (cf. Rm 10.9; 1Jo 4.15; At 8.36-37; Fp 2.5-11; etc.), que serviam de base para a catequese e instrução dos novos convertidos, e para examinarem e rejeitarem os falsos mestres. Veja, por exemplo, João usando uma destas declarações para repelir livre-pensadores gnósticos das igrejas da Ásia (2Jo 7-10; 1Jo 4.1-3). Ainda no período apostólico já encontramos sinais de que as igrejas haviam se organizado e estruturado, tendo presbíteros, diáconos, mestres e guias, uma ordem de viúvas e ainda presbitérios (1Tm 3.1; 5.17,19; Tt 1.5; Fp 1.1; 1Tm 3.8,12; 1Tm 5.9; 1Tm 4.14). O exemplo mais antigo que temos desta organização é a reunião dos apóstolos e presbíteros em Jerusalém para tratar de um caso de doutrina – a inclusão dos gentios na igreja e as condições para que houvesse comunhão com os judeus convertidos (At 15.1-6). A decisão deste que ficou conhecido como o “concílio de Jerusalém” foi levada para ser obedecida nas demais igrejas (At 16.4), mostrando que havia desde cedo uma rede hierárquica entre as igrejas apostólicas, poucos anos depois de Pentecostes e muitos anos antes de Constantino.

6) Jesus também mandou que seus discípulos se reunissem regularmente para comer o pão e beber o vinho em memória dele (Lc 22.14-20). Os apóstolos seguiram a ordem, e reuniam-se regularmente para celebrar a Ceia (At 2.42; 20.7; 1Co 10.16). Todavia, dada à natureza da Ceia, cedo introduziram normas para a participação nela, como fica evidente no caso da igreja de Corinto (1Co 11.23-34). Não sei direito como os desigrejados celebram a Ceia, mas deve ser difícil fazer isto sem que estejamos na companhia de irmãos que partilham da mesma fé e que crêem a mesma coisa sobre o Senhor.

É curioso que a passagem predileta dos desigrejados – “onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles” (Mt 18.20) – foi proferida por Jesus no contexto da igreja organizada. Estes dois ou três que ele menciona são os dois ou três que vão tentar ganhar o irmão faltoso e reconduzi-lo à comunhão da igreja (Mt 18.16). Ou seja, são os dois ou três que estão agindo para preservar a pureza da igreja como corpo, e não dois ou três que se separam dos demais e resolvem fazer sua própria igrejinha informal ou seguir carreira solo como cristãos.

O meu ponto é este: que muito antes do período pós-apostólico, da intrusão da filosofia grega na teologia da Igreja e do decreto de Constantino – os três marcos que segundo os desigrejados são responsáveis pela corrupção da igreja institucional – a igreja de Cristo já estava organizada, com seus ofícios, hierarquia, sistema disciplinar, funcionamento regular, credos e confissões. A ponto de Paulo se referir a ela como “coluna e baluarte da verdade” (1Tm 3.15) e o autor de Hebreus repreender os que deixavam de se congregar com os demais cristãos (Hb 10.25). O livro de Atos faz diversas menções das “igrejas”, referindo-se a elas como corpos definidos e organizados nas cidades (cf. At 15.41; 16.5; veja também Rm 16.4,16; 1Co 7.17; 11.16; 14.33; 16.1; etc. – a relação é muito grande).

No final, fico com a impressão que os desigrejados, na verdade, não são contra a igreja organizada meramente porque desejam uma forma mais pura de Cristianismo, mais próxima da forma original – pois esta forma original já nasceu organizada e estruturada, nos Evangelhos e no restante do Novo Testamento. Acho que eles querem mesmo é liberdade para serem cristãos do jeito deles, acreditar no que quiserem e viver do jeito que acham correto, sem ter que prestar contas a ninguém. Pertencer a uma igreja organizada, especialmente àquelas que historicamente são confessionais e que têm autoridades constituídas, conselhos e concílios, significa submeter nossas idéias e nossa maneira de viver ao crivo do Evangelho, conforme entendido pelo Cristianismo histórico. Para muitos, isto é pedir demais.

Eu não tenho ilusões quanto ao estado atual da igreja. Ela é imperfeita e continuará assim enquanto eu for membro dela. A teologia Reformada não deixa dúvidas quanto ao estado de imperfeição, corrupção, falibilidade e miséria em que a igreja militante se encontra no presente, enquanto aguarda a vinda do Senhor Jesus, ocasião em que se tornará igreja triunfante. Ao mesmo tempo, ensina que não podemos ser cristãos sem ela. Que apesar de tudo, precisamos uns dos outros, precisamos da pregação da Palavra, da disciplina e dos sacramentos, da comunhão de irmãos e dos cultos regulares.

Cristianismo sem igreja é uma outra religião, a religião individualista dos livre-pensadores, eternamente em dúvida, incapazes de levar cativos seus pensamentos à obediência de Cristo.

***
Fonte: O Tempora, O Mores – via Púlpito Cristão

NOTA:

(*) Podemos mencionar entre eles: George Barna, Revolution (Revolução), 2005; William P. Young, The Shack: a novel (A Cabana: uma novela), 2007; Brian Sanders, Life After Church (Vida após a igreja), 2007; Jim Palmer, Divine Nobodies: shedding religion to find God (Joões-ninguém divinos: deixando a religião para encontrar a Deus), 2006; Martin Zener, How to Quit Church without Quitting God (Como deixar a Igreja sem deixar a Deus), 2002; Julia Duin, Quitting Church: why the faithful are fleeing and what to do about it (Deixando a Igreja: por que os fiéis estão saindo e o que fazer a respeito disto), 2008; Frank Viola, Pagan Christianity? Exploring the roots of our church practices (Cristianismo pagão? Explorando as raízes das nossas práticas na Igreja), 2007; Paulo Brabo, Bacia das Almas: Confissões de um ex-dependente de igreja (2009).

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

26 COMENTÁRIOS

  1. Eu Igreja!!!
    Nasci em um lar católico, batizado, crismado, frequentador das missas.
    Mas minhas inquietudes não me permitiram continuar, queria mais, saber mais, entender mais.
    Aos 15 anos de idade frequentava a "igreja evangélica", busquei me apartar do pecado, do mundo, do diabo.
    Mas quanto mais buscava não errar, mais eu me via errado, a angústia e a tristesa me consumia durante a pregação de exortação do pastor.
    Chorei, me arrependi, mais cedo ou mais tarde voltava a errar.
    Não aguentei a pressão, deixei a vida me levar, nem lembrava de Deus.
    Mas o vázio dentro de cada ser humano é enorme, alguns anos se passaram, tentei voltar, com coração aberto, sedento pelo Divino.
    Não consegui, mais exortação, sai do templo arrebentado pela pregação, mas já pensava no que ouvia, e muitas palavras do pastor já não me fazia sentido, eu me perguntei:
    Isso é ser cristão? isso é santidade?
    Eu não quero isso pra mim, quero mais, quero ir além.
    Virada do ano de 2010, pedi a Deus, amor e sabedoria, e que queria conhece-lo de verdade.
    Comecei a ler sobre todas as reliões, sobre todas as culturas, sobre a história da religião, judaismo, cristianismo, islamismo, Hinduismo, reliões tribais com mais de 6000 anos a.c.
    Um mundo novo se abriu, quantas coisas em comum, quantas palavras de sabedoria semelhante uma com as outras.
    Me senti livre, sem vínculo ideológico com ninguém conseguia pensar.
    Amor ao Divino e ao próximo é o que todas ensinam.
    Parei de olhar para o pecado, comecei olhar para o amor, parei de pensar no mal, comecei a pensar em bem, parei de olhar para baixo, passei a olhar para cima.
    Precisei matar meu velho homem e renascer novamente e aprender tudo de novo, como já dizia Raul Seixas: prefiro ser essa metarmorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Não se põe vinho novo em odres velhos lembra?
    Existe um universo de conhecimento, e somente esse conhecimento vai nos libertar.
    Ass: Eu igreja.

  2. não sou contra a reunião nos templos , mas ao meu parecer a defesa da instituição esta muito alem do que meramente dizer que é para os "irmão" estarem em comunhão…
    o interesse , mesmo que oculto , é porque muitos vivem da instituição, e se esta "falir", o que esses que vivem da instituição irão fazer???
    sendo que os “Desigrejados” estão aí pra mostrar que é possível existir a instituição(reunião) sem que ninguém precise viver dela , cada um tem seu próprio sustento e assim uns aos outros se ajudam, segundo suas condições e necessidades…
    nós evangélicos deveríamos estar fazendo a diferença nesse mundo, refletindo a luz nas trevas…
    deveríamos ser um povo que as pessoas de “fora” olhassem e vissem o que realmente nos faz diferentes…
    não generalizando, mas somos muitas vez tachados de avarentos e mesquinhos…
    O que realmente tem afastado as pessoas de se achegarem a Deus???
    Ou afastado da comunhão os que já se achegaram ???
    Umas das coisas que poderiam ser feitas para que realmente fossemos tidos como diferentes é o fato de que poderíamos dar pela graça o que recebemos da graça, não em tudo ter um jeitinho de faturar com o argumento de direitos autorais, pois afinal, quem nos da a revelação é o Santo Espírito de Deus , então os direitos autorais não é nosso, ou a mensagem não foi inspirada pelo Espírito, se me acho no direito de cobrar. Sei que parece radical, mas a teologia da prosperidade não surgiu do nada de uma hora para a outra, nem as heresias, então será que não passou da hora de ser feito algo radical para o anunciar do verdadeiro evangelho???

  3. Paz!

    Continuo dizendo que não sou contra a instituição.
    Mas reafirmo também, que qualquer instituição que trabalha para proteger sua estrutura eclesiástica é vazio e sem Deus.

    Enquanto pessoas se reunirem e criarem estruturas para cuidar das pessoas, concordarei. Também por isso, toda e qualquer estrutura deve ser flexível para poder se adaptar às pessoas, sendo desta maneira descartável a partir do momento que perdeu seu princípio fundamental: servir.

    Note que não estou me referindo ao Evangelho, mas à estrutura eclesiástica. Deste modo, temos pessoas se adaptando ao Evangelho (que é imutável), e estruturas se adaptando às pessoas, para que estas tenham seu caminho FACILITADO para poderem receber o Evangelho.

    O que tem acontecido é que pessoas têm lutado com unhas e dentes para defender um sistema que já nem tem mais razão de ser. Assim a religião se torna uma fuga da realidade, uma redoma protetora contra o mundo externo, e isso está errado, pois a proposta de Jesus é nos tornar mais humanos, não super-seres-espirituais. A proposta do Evangelho é fazer com que sejamos humanos, da maneira que nosso criador nos projetou originalmente.

    Querer reduzir o maior projeto do universo (a Igreja de Jesus Cristo) a meros rituais e normas é anular a Cruz e toda a liberdade nela conquistada.

    E finalizando, que possamos enteder, pelo amor, que Cristo é tudo em todos (Col 3.11).

    Eu creio assim…

    Abs,
    Vinicius Morais
    —-
    Visite: Refletindo a Graça
    http://refletindoagraca.blogspot.com/

  4. Desde que virei uma desigrejada, tornei-me uma cristã melhor, pois sigo a Palavra de Deus como ela é, sem precisar de falsas interpretações bíblicas que, infelizmente, encontro por aí.
    Sim, é possível ser cristã sem estar vinculado a uma placa de igreja.

  5. Pertinente esse texto, e concordo que devemos entender que ser cristão é viver sob o crivo da palavra de Deus, por mais dificil que isso pareça para nosso duro ego. Porem, faz-se necessario alguns interrogações, pois não é bem assim nossa dura realidade como membros, e voces sabem bem do que estou falando.
    Bem, vou elaborar melhor alguns questionamentos e posto depois.

  6. Engraçado que comentam sobre igreja etc… MAS NINGUÉM DIZ QUE JESUS ESTÁ FORA DA IGREJA BATENDO NA PORTA DA IGREJA QUE ESTÁ FECHADA PARA JESUS.

    Vejam que antes ele andava no meio das igrejas:

    Ap 2:1 Escreve ao anjo da igreja que está em Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que ANDA NO MEIO DOS SETE CASTIÇAIS DE OURO.

    Os castiçais são as igrejas. Veja em Ap. 1.20

    E na última carta a Sétima Igreja (O SÉTIMO ESTÁGIO QUE A IGREJA IRIA PASSAR, A DE LAODICÉIA) e que é o atual momento da igreja cristã olha o que Ele diz:

    Ap 3:20 EIS QUE ESTOU À PORTA, E BATO; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

    Engana-se quem pensa que Jesus está dentro desses sistemas religiosos. Dessa BABILÔNIA de DENOMINAÇÕES.

    Quando Paulo escreveu para os Hebreus que eram judeus convertidos (NÃO ERAM GENTIOS), mas continuavam dentro do sistema religioso judaico. Olha o que o apóstolo manda em Hebreus 13.12,13

    Hb 13:12 E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.
    Hb 13:13 Saiamos, pois, a ele fora do ARRAIAL, levando o seu vitupério.

    Ele manda sair fora do arraial religioso, sair para Cristo.

    Me digam… porque Jesus está fora da igreja betendo na porta????????????????????????????????

    Se quiserem saber mais enviem um email:

    sadoutrinaja@gmail.com

  7. QUERIDOS, TENHO LIDO CONSTANTEMENTE ALGUNS ASSUNTOS MTO INTERESSANTES NESTE BLOG. MAS NESTE MOMENTO QUERO FALAR SOBRE A IDEIA Q VC PASSA SOBRE IRMAOS DESIGREIJADOS, RS, TENHO 43 ANOS, ME CONVERTI,AOS 8 COM UMA MENSAGEM DE ARREPENDIMENTO E MUITO DIFERENTE DA PREGAÇÃO DE HJ, BATISTAE MTO GRATA AO PAI POR MUITOS ENSINAMENTOS SOLIDOS RECEBIDOS, NUNCA ME DESVIEI(GRAÇAS AO PAI). MAS, SEM ENTRAR NESTE MERITO , ENTENDO QUE O ENCHERTO NA IGREJA NAO VEM DE UM NOME NUMA CONGREGAÇÃO, CREIO Q NOSSO NOME É ESCRITO NO LIVRO DA VIDA NÃO POR UMA ISNTITUIÇÃO MAS POR UMA AÇÃO SOBRENATURAL, PARECE LOUCURA ENTENDER ESSA MENTALIDADE Q FOMOS FORMATADOS HA TANTO TEMPO, SO UMA INTERVENÇÃO DO PAI PARA RETORNARMOS A UMA MENTLIDADE DE REINO E NAO TRIBAL, COMO TEMOS HJ, MEU TIO , UM CATOLICO FIEL, ME PERGUNTOU ALGO HA ALGUNS ANOS Q ME AJUDOU A PENSAR…POR QUE MINHA FILHA, VCS SE DIZEM TDOS IRMAOS E SE TEM TAO DIVIDIDOS, NUMA MESMA RUA TEM CINCO IGREJAS EVANGELICAS COM NOMES DIFERENTES DIAS DIFERENTES E NAO SE REUNEM JUNTOS??? NOS OS CATOLICOS ENTENDEMOS Q DEVE HAVER UM TEMPLO EM CADA BAIRRO OU DISTRITO? TENTEI RESPONDER, MAS SEI Q NAO O CONVENCI. ESSA DESCONSTRUÇÃO É GENUINAMENTE DO ESPIRITO, RESTAURANDO E DERRUBANDO CONCEITOS Q FAZEM NOS ODRES RACHADURAS IMENSAS E CONFUNDE MUITOS, DE FTO A EXPRESSAO ODRES NOVOS E VINHO NOVO É MUITO IMPORTANTE NESTE TEMPO, POREM NAO CONCORDO COM ABORDAGENS AGRECIVAS DE UNS PARA COM OS OUTROS ,MAS DIALOGOS SINCEROS VIZANDO A EDIFICAÇÃO DO CORPO, POREM SABEMOS Q PAULO FALA SOBRE O PODER Q SO AO PAI TEM PARA DERRUBAR SOFISMAS E TODO PENSAMENTO Q SE LEVANTA CONTRA O CONHECIMENTO DE DEUS, HA UMA GERAÇÃO INTEIRA Q NAO SERA FORMATADA NESTE MODELO TRADICIONAL MAIS, QUE TAL PENSAR Q ESTES Q SAEM HJ, ESTARAO RECEBENDO COM AMOR AQUELES Q NADA ENTENDEM O QUE VIVEMOS COMO DENOMINAÇOES? DE UM JEITO OU DE OUTRO AMAMOS O CORPO DE CRISTO Q É RECONHECIDO POR ELE POR UMA MARCA MUITO ESPECIAL: I COR 13. ABRAÇO EM CRISTO!

  8. Graça e paz Irmãos, Eu louvo a Deus pois ele tem espirado vários irmãos no Brasil e pelo Mundo, como é o caso do Irmão Hugo do Site Pão & Vinho que fez um belíssimo comentário sobre o assunto postado, esclarecendo com muita convicção o que realmente é a Igreja nos Lares ou Igreja Orgânica, que é o que milhares de cristãos estão buscando viver nesses Dias de tanta confusão religiosa, o titulo é (CNPJlatria). Meus Irmãos não deixem de conhecer pois é uma resposta a este postado. Amém, que o Senhor o abençoe…
    encontramos CNPJlatria em http://paoevinho.org/?cat=17
    é para os Irmãos que gostariam de conhecer melhor o que é a Igreja nos lares conheçam http://www.igrejanoslares.com.br/index.php

  9. Que houve uma grande corrupção no cristianismo nos primeiros séculos é fato histórico comprovado.

    Mas que os primeiros cristãos eram bem organizados também é fato bíblico bem claro. Basta ler textos como atos 14-16

    * * *

  10. Todo rebanho precisa de um pastor.
    E não falo de um pseudo ou falso pastor, mas um pastor de verdade.
    Acreditem, eles existem.Pastores que vão atrás da ovelha quando perdida; que não dão motivos para que ela pule a cerca.Sim porque alguns dão até pezinho para elas pularem.
    Não censuro os irmãos desingrejados mas, para mim, reunião nos lares, não dá.
    Não quero generalizar, porém as que eu conheço são formadas por pessoas de pouco conhecimento bíblico e muito achismo e divagação.
    Repito: não estou generalizando, mas nas que conheço não tem ninguém que estuda ou estudou teologia, ou que tenha condições de manejar bem a palavra da verdade, que é a vara e o cajado de que que as ovelhas necessitam.Gente que não demonstra intimidade ou compromisso com aquilo que é inegociável no reino de Deus.Se vocês conhecem, ponto pra vocês!
    Não consigo ficar num lugar onde o cara que abre a Bíblia e a boca sabe menos que qualquer um ali;onde líderes ou condutores não leem a Bíblia com frequência, sequer a leram toda, e só fazem orações mecânicas do tipo reza antes das refeições.
    Outrossim, penso que não é saindo da instituição que se resolve problemas, mas do lugar que não se adequa ao que está na Bíblia.
    O problema está no homem.Se formos para a lua e fundarmos uma reunião lá teremos problemas, porque o homem estará lá.Mas é fato que há homens aos quais Deus deu dons e vocação para o ministério, e isso não se pode revogar.Ele unge a cada um conforme o seu querer.
    Já pensaram se tivéssemos problemas na escola de nossos filhos e resolvêssemos educá-los e ensiná-los em casa, retirando-os da instituição? Isso não é razoável.Devemos procurar uma escola que nos agrade, e que melhor se adeque a nossa forma de pensar.
    No nosso ambiente de trabalho, muitas vezes temos que engolir sapos.E não é por isso que vamos deixar de trabalhar.Vamos procurar um local de trabalho que nos dê melhores condições para desenvolvê-lo.O problema é que todo mundo quer ser patrão.
    No meio evangélico o que há é muito cacique pra pouco índio!

  11. Anônimo (Eu Igreja!!!),

    qualquer ensino que tire o papel principal de Cristo, só nos ensina a praticar boas obras, e isso, sem a fé em Jesus (o Redentor), vale absolutamente nada, mesmo que arranque elogios da sociedade.

  12. OUVÍ NO RÁDIO, O PR DAVID MIRANDA, DO MINISTÉRIO DEUS É AMOR, CONTAR O QUE DEUS FALOU E MOSTROU PARA ELE QUANDO ESTAVA ORANDO: "MEU SERVO, ASSIM ESTÁ A MINHA IGREJA". O PR DAVID MIRANDA VIU UMA GRANDE ESTÁTUA DE MULHER EM PEDRA, SEM CABEÇA.

  13. Concordo plenamente com esse texto.Irmãos não é nescessário abondonar a instituição (igreja).O que devemos é deixar aquela determinada igreja que não esteja respaldada na palavra.A igreja é um lugar onde nos fortalecemos.Onde adoramos o criador de todas as coisas que é o nosso Deus.Até o diabo tem a igreja dele e é adorado por seus seguidores.Por que o nosso Deus que é criador de tudo e de todos não merece ter um templo onde os seus filhos possam adorá-lo.Irmãos o que acontece é que satanás usou tanto aqueles que não tem nenhum compromisso com o senhor,que no decorrer do tempo a igreja genuína foi se desgastando.Isso não quer dizer que a igreja perdeu a direção de Deus.Deus ele está ouvindo todas as orações que são feitas na igreja e recebe todos os louvores e adorações,pois ele é o dono da igreja.O que acontece é que satanás tenta de todas as formas manchar a igreja,pois é por meio dela que muitos ouvem a palavra de Deus.Pessoas corruptas existem em todos os seguimentos.Em todos os campos explorados pelo o homem,existem o joio e o trigo.Não adianta sempre vai acontecer alguma anormalidade,pois o homem é falho.Nem por isso eu vou deixar de frequentar a igreja.Dou meu dízimo e ofertas ,assim que posso ,pois não trabalho.Dou com todo o amor porque eu creio que estou colaborando com a obra de Deus.Deus para estabelecer as coisas ele usa tabém aquele que está todo errado.Pois o que importa para ele são as almas.Aquele que está de falsidade na casa de Deus se não se arrepender já está condenado.As almas para o senhor são muito mais importantes.Nós,por sermos humanos não entendemos os desígnos de Deus.Os planos de Deus são impenetráveis.Podem ter certeza que aqueles que estão distorcendo o evangelho para benefício própria vão ter a sua parte.Existem muitas igrejas que são sérias e que pregam a palavra genuína de Deus.Não deixem de frequentar.A pessoa quando sai do quentinho de sua casa e vai buscar à Deus na igreja ela está dizendo para Deus que vale muito a pena ir adorá-lo na igreja.Em casa não é a mesma coisa.Somos bombardeados pelo inimigo dia e noite através da tv,rádio,revistas e até mesmo da internet onde todo mundo diz o que quer.O próprio rei Davi disse :Alegrei-me quando me disseram vamos à casa do senhor.Quando alguém nos chama para ir à casa de Deus é porque o próprio Deus está chamando.Isso é espiritual!Cuidado irmãos para não se precipitarem nessa jornada .Devemos na nossa jornada reter o que é bom e o que não presta lançar fora.Pois ao lermos a bíblia vemos se aquela palavra que o pastor pregou tem respaldo bíblico.Fiquem na paz!

  14. irmãos, graça e paz!

    Pelo que entendo na bíblia(que é pouco, mas suficiente pra uma fé consolidada), a "igreja", não eh uma instituição, um templo ou um local de reunião, mas sim o corpo de cristo, a noiva do cordeiro, santa e sem mácula. Além do mais, a verdadeira igreja é apenas uma, não eh "a gosto do freguês" como vemos por ai, mas não sei se os irmãos concordão =/.
    A igreja do Senhor não é um lugar, com oeu ja disse, mas sim pessoas. E para você estar néla, não é nessesário estar vinculado a uma denominação ,mas com irmãos, fiéis, vivendo em comunhão e sinceridade, confessando os pecados uns aos outros com arrependimento verdadeiro, cuidando de vidas e se deixando cuidar!
    E, como um dos lideres da minha congrega diz:
    "o mas importante não é nossa comunão na reunião do domingo, onde é muito fácil ser um 'bom cristão', mas como somos durante os outros 6 dias da semana, com outros irmãos, com outras pessoas, família e colegas." (mais ou menos isso =).
    Só mas uma coisa irmãos, Jesus nu mvei pra "institucionalizar", mas para amar, ele não instituio uma porção de regras, isso é legalismo! ele veio ensinar a viver em humildade, liberdade e amor, como eles nos amou e viveu. Não devemos, na minha opinião, ficar preocupados em estar em uma instituição, mas em "viver igreja" com esse grupo de pessoas que Deus pões em nossas vidas, e ele porá as pessoas certas, pois ele nos ama! (aleluia xD)

    é apenas isso q eu gostaria de falar irmãos! fiquem todos na paz do nosso Senhor Jesus!

    ps.: esse é meu primeiro comentário no blog, mas venho acompanhando ele des do ano passado, e admiro a postura apologética q ele assume, e esse trabalho feito por Leandro Gonçalves e equipe!

    abraço a todos!

  15. Acho que não vai ser a igreja que vai coibir comportamentos que distoam do Evangelho. Se assim fosse, não existiria tamanhas bizarrices feitas em nome de Deus acontecendo dentro de suas estruturas. Acho que essa função pertence ao Espírito Santo e não à Igreja.
    Vc falou também que os desigrejados estão fora da igreja para acreditarem no que quiserem e viverem do jeito que acharem correto. Se assim fosse, por que eles insistiriam em seguir a Cristo, se não querem compromisso com nada?
    Seria melhor então, dentro do seu ponto de vista, que se declarassem ateus ou anarquistas e não crentes no evangelho do amor ao próximo que Cristo nos deixou.

  16. Eu e minha família,somos sim desigrejados mas das agremiações evangelicas. Isto não significa que, caimos da fé, ou rebeldia e que abandonamos os valores da palavra e nem somos anti-crentes ou algo parecido. Inclusive somos igreja de Jesus até por outras definições mais encantadoras, exemplo: somos Noiva do cordeiro, Corpo de Cristo, Nação Santa, Remidos,Edificio e Lavoura de Deus, Igreja do Deus Vivo, Os do Caminho e muito mais. Somos igreja não é por causa da evangélica. Precisamos redefinir isto. Somos sim, por causa Dele, por Ele, através Dele, para Ele. Muitos por aí se afirmam como igreja em nome Dele, mas Dele só tem o nome, nada mais.Deus não tem nada com Batista, Nazareno, Presbiteriano,Metodista e a lista é sem fim. Deus tem com Jesus e quem está Nele está em Deus. Isto é a Igreja de Jesus .

  17. Estou igrejando novamente. Estou muito contente com o meu novo pastor, pois sinto sinceridade nele em seu ministério, contudo já estou ligando as minhas anteninhas, pois a igreja está crescendo e está precisando de dinheiro para as obras. Tudo bem. Acontece que ele está levando pastores, até que cheios da unção, para pregarem sobre as contribuições e recolhimentos destas. Apesar de me alegrar com as pregações, em um dado momento ele diz a igreja que Ananias e Safira expiraram diante o pastor presidente Pedro porque não deram TUDO ao apóstolo. Ignorância bíblica ou armação? Minhas antenas já estão ligadas novamente. Se depois da obra continuar o aspirador de contas em ação, sou obrigada a colocar o pézinho prá fora. Realmente a Bíblia manda congregar, mas está difícil. Muito bom Post, irmão Augustus.

  18. Eu concordo em parte, pq axo q algumas pessoas são completamentes incapazes d seguir O Evangelho, sem algum instrutor, mas isso não ker dizer q eh REGRA q soh os q ''pertecentes'' a uma instituição* seja cristão.. Prova disso eh o próprio cristo q não nasceu em nenhuma ''igreja''.. Ele eh a Igreja.. . E no mais, ja q o certo eh estar num templo, me diga, qual o certo? Qual o verdaeiro.. . Ja q não eh valido q escolhamos, para q não digam q fazemos o q queremos, e tudo mais.. . Daíí.. eh sempre d se pensar, kem definiu o certo e o errado???

  19. Irmãos, vivemos hoje uma torre de babel em volta das religiôes, todas dizem que nos levarão a cristo ,mas a edificação não é tão solida assim como eles pregam,tem muita heresia a apostasia, quero só ressolvar que a biblia diz em MC.16 que quem crer e for batizado será salvo. como podem ler e ver, não diz que "tenho que congregar pra ser salvo"

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui