Maria: Virgem, santa ou pecadora?

15
887
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Johnny T. Bernardo

Assine o Blesss
Maria surgiu na história com uma missão específica: trazer o Messias ao mundo, por meio da concepção. Ela fígura não mais como um “canal” ou “meio” pelo qual o Filho veio ao mundo. Sua vida pode ser vista como exemplo de fé e devoção, mas não como um objetivo de culto.

Ao nascer, Maria não se distinguiu de nenhum ser humano; ela foi concebida em pecado e assim permaneceu até a sua morte. Ela não foi e não pode ser considerada divina, ou parte da santissima Trindade. É Jesus e não Maria quem intercede por nós diante do Pai. Amamos Maria, mas adoramos Jesus. Epifânio, um grande apologista cristão do século IV, fez a seguinte observação:

“Não se deve honrar os santos mais do que é justo, mas deve-se honrar o Senhor dos santos. Maria, de fato, não é Deus nem recebeu seu corpo do céu, mas de uma concepção de um homem e uma mulher. Ela é digna de muita honra mas não foi dada para adoração, antes, adora aquele que nasceu de sua carne. Honre-se Maria, mas adore-se o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Ninguém adore Maria”.

Sempre virgem?

É um erro pensar que Maria permaneceu virgem por toda a vida, uma vez que o relato de Mateus parece não deixar dúvida.

“E José, despertando do sono, fez como o anjo lhe ordenara e recebeu sua mulher, e não a conheceu até que deu à luz seu Filho, o primogênito…” (Mt. 1.24)

Essa passagem declara que, depois do nascimento de Jesus, José e Maria tiveram uma vida conjugal normal como qualquer outro casal. Mateus é incisivo em dizer que “José não a conheceu até que…”, uma vez que tanto a palavra “conheceu” como a preposição “até”, possuem um mesmo sentido no texto. Primeiro, sempre que a Bíblia emprega o termo “conheceu”, ele está associado a uma relação sexual. É o que encontramos em Gêneses 4.1. “E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim..”. Segundo, sabemos pelos evangelhos que Maria teve outros filhos além de Jesus.

“Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua Mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs?”

Esse texto é enfático em afirmar que Maria teve outros filhos além de Jesus, pondo por terra a teoria católica da virgindade perpétua. É fácil de perceber pelo texto que Mateus se refere mesmo a família de Jesus, porque faz referência aos pais do mestre. Logo, seria de se imaginar que os “irmãos de Jesus” eram mesmo irmãos de carne, e não “primos”, como o catolicismo quer provar.

Todos pecaram

É um erro pensar que Maria foi concebida sem pecado, uma vez que a Bíblia é taxativa ao dizer: “Em iniquidade foi formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl. 51.5). Embora tais palavras tenham sido proferidas por Davi, elas se aplicam a todos os seres humanos. É o que Paulo tinha em mente quando disse: “pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm. 3.23). O pecado trouxe separação entre o homem e Deus, fazendo com que todos nascessem na iniquidade.

Com exceção de Jesus, todos os que vieram após Adão possuem a semente do pecado. Ele faz parte da natureza humana, sendo removido somente pelo sangue de Jesus. Mesmo assim, para ser redimido, o homem precisa ter um encontro com Deus. A salvação é recebida de graça, mediante a fé em Cristo. Isto é, ela resulta da graça de Deus (Jo. 1.16) e da resposta humana da fé (At. 16.31). Maria, como qualquer outra pessoa, não poderia fugir à regra. Ela não poderia alcançar a salvação por si só – ela necessitava da graça de Deus (Lc. 1.29).

***
Johnny T. Bernardo é apologista, idealizador do INPR e articulista do Púlpito Cristão

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

15 COMENTÁRIOS

  1. A Bíblia é claríssima sobre a missão de Maria, sua história, sua vida conjugal e sobre o fato de ter tido outros filhos. Quem não vê isso são aqueles que não querem ver, ou foram educados para não ver ou simplesmente por pura ignorância bíblica. É uma questão de escolha. Decidem adorar a pessoa errada e temer a pessoa errada. E, com isso, permanecem no erro. Outro dia ouvi uma frase clássica de se ouvir dos adoradores de Maria. "Eu não gosto dos protestantes porque eles não acreditam em Maria". Ora, eu acredito sim em Maria, assim como acredito em José, Paulo, Pedro, Abraão… todos eles foram grandes exemplos de fé. Mas adorar a Maria não faz o menor sentido, é uma heresia, não tem embasamento bíblico e toda pessoa com o mínimo de conhecimento da Palavra de Deus sabe disso, incluindo aí muitos estudiosos de batina e cantores de batina também.

  2. Maria era santa no mesmo sentido relativo que cada cristão pode e deve ser santo dentro do que sua imperfeição permite.

    Em outras palavras: ela era uma pessoa íntegra, embora tenha nascido com o pecado herdade de Adão como todos os humanos.

    Se a mãe de Jesus precisasse ela própria ser perfeita e livre do pecado herdado para poder ter um filho perfeito, então a avó de Jesus também precisaria ser perfeita. E para a avó ser perfeita, a bisavó e assim por diante até chegarmos à uma das filhas de Eva. Teríamos uma linhagem de mulheres perfeitas que jamais adoeceriam, envelheceriam nem morreriam de causas naturais e que já estariam com milênios de idade. Daria um bom filme de ficção.

    E (conforme já dito) se Maria fosse perfeita, Jesus não seria o Salvador dela porque ela não necessitaria de salvação.

    Por que raios Maria teria que permanecer virgem o resto da vida? Não há nada de errado em se ter relações sexuais dentro do casamento. Isso é misticismo pagão puro!

    Acredito em Maria sim. Na Maria da Bíblia. Assim como acredito em Sara, Rebeca, Raquel e tantas outras que foram exemplares, mas não devem ser alvo de reverência.

    No que eu não acredito é na deusa-mãe que o catolicismo adotou dos pagãos colocando nela o nome dessa serva de Deus. Maria deve sentir muita lástima do uso que fazem do seu nome.

    atos17.blogspot.com

    * * *

  3. Concordo totalmente com o texto. Entretanto, como estudioso, gostaria de contribuir com a discussão usando alguns relatos apócrifos.
    Alguns pais da igreja acreditavam em evangelhos apócrifos que contam uma história alternativa da natividade e, segundo esses relatos, bem resumidamente, Maria teria sido dedicada por seus pais ao templo. Porém, quando da sua primeira menstruação, para não 'contaminar' o templo, ela teria sido confiada a José, um homem bem mais velho, viúvo, já com o seu filho Tiago. Essa história é contada da mesma forma por mais de um evangelho apócrifo. Por terem um teor de defesa da virgindade de Maria, nesses evangelhos ela é retratada como virgem e, em um deles inclusive, é assunta aos céus!
    Continuo crendo na inerrância das escrituras e no cânon divinamente inspirado que chegou até nós. Os evangelhos apócrifos, para mim, nesse caso, só servem mesmo como documentos históricos para estudo de algumas variantes originais das doutrinas cristãs numa época de disseminação de tantas heresias como foi o início da era cristã.
    Quero mais uma vez afirmar, para não deixar dúvidas, que creio piamente na Bíblia como composta por textos sagrados. Minha contribuição aqui é apenas a título de informação teórica a respeito de algumas crenças do início da era cristã.

  4. adorar não e venerar não!!
    Alguns usam a histórinha da foto da mãe na carteira para exemplificar que não é adoração feita a Maria, mas veneração. Puro engodo, sofisma barato.
    Outros defensores da igreja romana dizem que o evangelicos mentem ao afirmarem que os romanistas pregam a adoração a Maria, bem, olhe para os lados, veja seus vizinhos, quem sabe amigos, eles lembram com carinho da irmã Maria ou a tratam como um deus? pedem para que ela interceda por eles?
    Contra fatos não há argumentos.
    Há uma figura arquetipica que mobliza energias em torno dela, e é usada pelos poderosos para minar o verdadeiro significado de Jesus na mente do dominados.
    Infelizmente a irmã Maria potencializa esse arquetipo e um "seleto" grupo teve esta sacada lá nos primordios da igreja.

  5. O catolicismo é pagão desde sua origem (Constantino, ano 313), aglutinando todos os "deuses e deusas" num caldeirão sincretista dos infernos. Por falta de conhecimento do povo romano em geral das doutrinas puramente cristãs, foram sendo iludidos e permaneceram na ignorancia acumulando seculos apos seculos várias heresias e apostasias sempre crescentes tais como: oração pelos mortos, intercessão dos "santos mortos" pelos vivos, missas, mariolatria (diana, travestida de Maria), e varios rituais e objetos pagãos sendo introduzidos nesse processo. O conhecimento de Deus e Sua Justiça, Jesus Seu Filho e consequentemente o Evangelho Verdadeiro foi substituido por esse monte de lixo pagão, que entorpeceu os entendimentos até hoje. É claro, que muitos dos bispos e padres sabem a verdade, mas os interesses mundandos pelo poder e luxuria são extremamente mais poderosos.

  6. É claro que pra quem é cristao protestante evangélico, ou (já que agora a moda é ser e nao admitir que é) pra quem nao é cristao protestante evangélico, mas tem uma visao cristä-protestante-evangélica o texto basta.

    E nao somente basta como dá pra dizer que "é óbvio que as coisas sao assim". E também dá pra dizer que "é óbvio que as outras visoes existentes sao anti-bíblicas, erradas, fruto da manipulaçao dos papas" e etc.

    O interessante é que o autor cita um apologista cristao para defender sua posiçao. Seria interessante citar o que disseram com respeito a Santa Maria, outros pais da Igreja, apologias e doutores…

    Nao me interpretem mal. Acho que é fácil criar um blog pra criticar as imundícies do neopentecostalismo e se dizer "verdadeiro evangélico" e continuar sendo o velho cristao evangélico de sempre. Isto é, remendo de pano velho em vestes nova.

    É fácil praticar o duplipensar.

    Acho que precisamos procurar entender o mundo com os olhos do outro, isto aproxima e faz com que nossa critica seja mais sincera e desvestida de contradiçoes (duplipensar).

    Com disse Leonardo Boff, todo ponto de vista é a vista de um ponto.

    Um abraço em Cristo.

  7. Éverton,

    Façamos assim: Ignore o que disse Epifânio e fique apenas com o que diz a Bíblia. Epifânio pode equivocar-se; a Bíblia nao.

    O que diz a Bíblia sobre o culto rendido à Maria ou qualquer outro santo canônico? No deserto, Nosso Senhor disse: "Ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele rendirás culto". Há uma enorme diferença entre ser bem-aventurada e ser objeto de culto e ouvir oraçoes…

    Sim, sou protestante. Nao sou o estereótipo evangélico que se encontra nas esquinas, mas um cristao de alma protestante, e o fato de denunciar as bizarrices neopentecostais nao significa que eu endosse este culto à Maria ou outras muitas práticas que nao encontram seu respaldo na Bíblia, mas na tradiçao da "santa" madre igreja (católica ou evangélica).

    Sobre a frase do Leonardo Boff, ele fala da compreensao da coisa, e nao da "coisa em si". Sua frase relativista e pós moderna combina bem com o espírito deste mundo, mas vai na contramao da Palavra de Deus.

    Sempre que eu tiver que escolher entre Boff e a Bíblia, ficarei com a segunda opçao.

    Sem ressentimentos… =)

    Leonardo.

  8. Muito bom este texto ter falado sobre Maria. Geralmente nós evangélicos falamos muito pouco a respeito desta importante personagem bíblica sobre a qual pouco sabemos segundo as Escrituras. Os Evangelhos falam de Maria mais na época do nascimento de Jesus, mas ela também durante o período do ministério de Jesus, nos momentos agonizantes de sua morte e, finalmente, em Atos dos Apóstolos quando aqueles 120 discípulos iniciais reuniam-se em oração antes do Pentecostes. Mas, curiosamente, os Evangelhos nos mostram a genealogia de Jesus, o qual era reputado como filho de José e de Maria. Por séculos, a Igreja pouco ponderou sobre a linhagem judaica do Senhor. Contaminada por um anti-semitismo grego, a Igreja deixou de ver Maria como uma jovem judia. Ora, vejam o que diz Jaroslav Pelikan citado por Philip Yancey em seu magnífico livro "O Jesus que eu nunca conheci": "Teria havido tanto anti-semitismo, teria havido tantos pogroms, teria havido um Auschwitz, se cada igreja e cada lar cristão tivesse focalizado sua devoção em imagens de Maria não apenas como a Mãe de Deus e a Rainha dos Céus, mas como a jovem judia e a nova Miriã, e em imagens de Cristo não apenas como um Pantocrator, mas como Rabino Ieshua bar-José, Rabino Jesus de nazaré?". Tenho o palpite, irmãos, que a ideia errônea a respeito da virgindade perpétua de Maria surgiu como uma maneira de se apagar o lado humano da mulher escolhida por Deus para ser o veículo da encarnação de Jesus e, desta maneira, apagarem também as origens judaicas de Jesus. Os gregos que já eram adversários ferrenhos dos judeus, quando passaram a dominar a Igreja, impregnaram a cultura cristã de anti-semitismo, o que foi acontecendo bem antes de Constantino declarar sua conversão. Curiosamente a declaração de Epifânio contida do texto, mostra que antes mesmo da Idade Média, a Igreja já estava venerando Maria, transformando sua imagem numa espécie de vestal romana, isto é, as sacerdotizas do fogo que eram obrigadas a se manterem virgens. Por trás de tudo isso, estava um jogo político que foi muito nocivo para a história eclesiástica, dando origem a um comportamento anti-semita dos cristãos que atravessou séculos, atngindo não somente a cultura católica como permanecendo como um vírus dentro do protestantismo.

  9. Será que Scott Hahn seria um protestante tão idiota a ponto de se tornar um católico? Sou protestante e concordo com êle. Leiam seus livros e aprendam o que é ser cristão de verdade.
    Fiquem com Deus.
    Não deletem o meu post.

  10. para todos os evangelicos que comentarao catolicos nao adoram maria mais sim tem respeito por ela ter sido um grande exemplo de fe e acreditamos sim que pessa a mae que o filho atende isso e verdade… o unico fato dos protestantes nao acreditarem na santidade e pq nunca um evangelhico foi digno de se tornar santo

  11. leiam a biblia povo escravo e serão libertos dessa grande escravidão que a tradição que lhe impuseram.Jeus liberta.

    Eu era catolico a umas semanas atrás,passei 19 anos na ignorancia.Li a palavra de Deus e agora estou lberto.

    Obs: nem um evangelico ou protestante veio me falar nada disso,pois eu descobri só pela mão poderosa do senhor.Eu rejeitava,perceguia,criticava eles e agora vejo a verdade.Isso é que é liberdade,liberdade em cristo jesus o unico que pode nos sauvar. saiam dessa escravidão leiam a palavra e tirem suas proprias conclusões.Parem de ser escravos de fabulas e genealogias humanas.A palavra de Deus reinará pelos seculos dos seculos.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui