Existem apóstolos nos dias de hoje?

18
4919
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por João Rodrigo Weronka

Assine o Blesss
É curioso observar como algumas igrejas evangélicas tem facilidade em aceitar novidades. E é triste verificar a falta de empenho dos cristãos em observar as Escrituras e analisá-las com sensatez e cuidado. Triste também é saber que poucas são as igrejas que motivam seus membros ao estudo sistemático da Bíblia, ao aprofundamento teológico, a formação de grupos de estudo e discussão sobre as doutrinas cristãs e que verifiquem na Bíblia se as coisas realmente são como é pregado. Aliás, não é pecado analisar se os ensinos e a pregação estão em conformidade com as Sagradas Escrituras (Atos 17.10-11).

Dentro desta miscelânea de revelações e novidades que temos observado, é importante expressar-se sobre o caráter das revelações: 1) as revelações nunca deverão ser colocadas acima da Bíblia. A Bíblia é a palavra final e autoridade máxima, já que se trata da inerrante Palavra de Deus; 2) Se a revelação está em desconformidade com a Bíblia, descarte imediatamente tal revelação. Deus não é Deus de confusão (1 Coríntios 14.33) As experiências pessoais não podem ser colocadas acima das Escrituras Sagradas, pois estas já contêm a revelação do propósito de Deus ao homem.

Nestes tempos de tantas novidades, algo chama atenção de maneira muito preocupante na história recente da igreja: trata-se do Apostolado Contemporâneo, ou Restauração Apostólica. Muitos têm se levantado como apóstolos nestes dias. Apóstolos ungindo apóstolos e criando uma hierarquia apostólica. Alguns pastores que, talvez por se sentirem menores que seus colegas de ministério que foram ungidos como apóstolos, ungem-se a si mesmos e se auto-proclamam apóstolos. Não há fundamento para o chamado ministério apostólico contemporâneo pelo simples fato do mesmo não possuir respaldo bíblico.

O termo

Segundo o Dicionário Bíblico Universal, o termo apóstolo “significa mais do que um ‘mensageiro’: a sua significação literal é a de ‘enviado’, dando a idéia de ser representada a pessoa que manda. O apóstolo é um enviado, um delegado, um embaixador” (Buckland & Willians, p. 35) . A Bíblia de Estudo de Genebra também aplica esta descrição, dizendo que apóstolo “significa ‘emissário’, ‘representante’, alguém enviado com a autoridade daquele que o enviou” (Bíblia de Estudo de Genebra, p. 1272).

A frágil sustentação

Aqueles que defendem esta frágil posição, têm se sustentado principalmente na má interpretação do texto de Efésios 4.11 para o uso do ministério apostólico para nossos dias. O texto de Efésios 4.11 diz: “E Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres”.

A refutação

As regras mais simples de hermenêutica nos ensinam que os textos sagrados nunca devem ser tirados de seu contexto. E no contexto da epístola de Paulo aos Efésios, temos no capitulo 2 o texto que prova que este ministério não mais existe. Antes de citar o texto, é importante refletir: quando um prédio é construído, o que é feito primeiro? As paredes ou a fundação da obra? É obvio que todo alicerce, toda fundação é feita em primeiro lugar. Não é possível construir as paredes e no meio das paredes fazer a fundação. Efésios 2.19-20 diz: “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular”.

Cristo é a pedra angular e os fundamentos foram postos pelos apóstolos e profetas. Os evangelistas, pastores e mestres são os responsáveis pela construção das paredes desta obra. Como bem explica Norman Geisler “De acordo com Efésios 2.20, os membros que formam a igreja estão ‘edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas’. Uma vez que o alicerce está pronto, ele não é jamais construído novamente. Constrói-se sobre ele. As Escrituras descrevem o trabalho dos apóstolos e dos profetas, quanto à sua natureza, como um trabalho de base” (Geisler, p. 375).

A Bíblia registra o uso do termo apóstolo a outros personagens. Russel N. Champlin explica que “há também um sentido não técnico, secundário, da palavra ´apóstolo´. Trata-se de uma significação mais lata, em que o termo foi aplicado à muitas outras pessoas, nas páginas do NT. Esse sentido secundário dá a entender essencialmente ´missionários´, enviados dotados de poder e autoridade especiais” (Champlin, p. 288, v. 3). Nesse sentido o Ap. Paulo chamou a alguns irmãos por apóstolos seguindo este termo não técnico:

Personagem Texto
Tiago, irmão do Senhor Gálatas 1.19
Epafrodito Filipenses 2.25
Apolo 1 Coríntios 4.9
Andrônico e Junias Romanos 16.7

No contexto de Efésios 4.1, Paulo não estava se referindo a estes homens, mas sim aos 12, Matias (que substituiu Judas Iscariotes), e a si mesmo. Estes compunham, juntamente com os profetas, o fundamento da igreja (Efésios 2.19-20).

Existiam duas exigências fundamentais para que um apóstolo fosse reconhecido para tal função:

1) Ser testemunha ocular da ressurreição de Jesus Cristo (Atos 1:21-22; Atos 1.2-3 cf. 4.33; 1 Coríntios 9.1; 15.7-8);

2) Ser comissionado por Cristo a pregar o Evangelho e estabelecer a igreja (Mateus 10.1-2; Atos 1.26).

Assim como Matias, que passou a integrar o corpo apostólico por ser uma testemunha, Paulo, que se considerava o menor, por ser o último dos apóstolos, contemplou a Cristo no caminho de Damasco (Atos 9.1-9; 26.15-18), onde ocorreu o início de sua conversão. Ou seja, ambos preenchem os pré-requisitos para tal função. No entanto, os que se intitulam apóstolos em nossos dias não se encaixam nos padrões bíblicos que validam o apostolado.

É interessante que, enquanto o Ap. Paulo refere-se a si mesmo como “o menor dos apóstolos” (1 Coríntios 15.9), os atuais apóstolos tem por característica a fama e a ostentação do título. Tudo é apostólico! A unção é apostólica! Os eventos são apostólicos! As músicas são apostólicas! Nem de longe se assemelham com a humildade dos apóstolos bíblicos. Eventos, cultos e seminários se tornam mais interessantes quando a presença do Apóstolo Fulano é confirmada. É um chamariz: “venha e receba a unção apostólica diretamente do Apóstolo Beltrano”. Tais apóstolos têm se colocado como super-crentes, uma nova e especial classe da igreja, a elite cristã dos tempos modernos. Hoje existe de tudo um pouco neste balcão mercantil da fé: Apóstolo do Brasil, Apóstolo da Santidade, Apóstolo do Avivamento e até mesmo o mais popular apóstolo brasileiro, chamado por muitos por “Paipóstolo”.

Existem hoje ministérios com características apostólicas, no sentido das missões (envio) e no estabelecimento de igrejas. No entanto, isso não faz de ninguém um apóstolo nos padrões bíblicos. A forma como Wayne Grudem explica esse fato é muito esclarecedora: “Embora alguns hoje usem a palavra apóstolo para referir-se a fundadores de igrejas e evangelistas, isso não parece apropriado e proveitoso, porque simplesmente confunde que lê o Novo Testamento e vê a grande autoridade ali atribuída ao ofício de ‘apóstolo’. É digno de nota que nenhum dos grandes nomes na história da igreja – Atanásio, Agostinho, Lutero, Calvino, Wesley e Whitefield – assumiu o título de ‘apóstolo’ ou permitiu que o chamassem apóstolo. Se alguns, nos tempos modernos, querem atribuir a si o título ‘apóstolo’, logo levantam a suspeita de que são motivados por um orgulho impróprio e por desejos de auto-exaltação, além de excessiva ambição e desejo de ter na igreja mais autoridade do que qualquer outra pessoa deve corretamente ter”. (Grudem, p. 764).

É equivocado aplicar o termo “apóstolo” para ministros contemporâneos. A Bíblia de Estudo de Genebra concluí que “Não há apóstolos hoje, ainda que alguns cristãos realizem ministérios que, de modo particular, são apostólicos em estilo. Nenhuma nova revelação canônica está sendo dada; a autoridade do ensino apostólico reside nas escrituras canônicas” (Bíblia de Estudo de Genebra, p. 1272).

Tamanho o fascínio que os crentes possuem por essa Restauração Apostólica, gera preocupação nas lideranças mais sóbrias. Vale citar as sábias palavras de Augusto Nicodemus Lopes: “Há um gosto na alma brasileira por bispos, catedrais, pompas, rituais. Só assim consigo entender a aceitação generalizada por parte dos próprios evangélicos de bispos e apóstolos auto-nomeados, mesmo após Lutero ter rasgado a bula papal que o excomungava e queimá-la na fogueira.” (Lopes, cf. blog do autor).

Conclusão

Os ofícios que o Novo Testamento expõem para a igreja, para aqueles que compõem sua liderança, são: Apóstolos, Pastores (ou Presbíteros, ou Bispos – já que todos os termos representam a mesma função/ofício – Tito 1.5-7; Atos 20.17,28) e Diáconos. Esta Restauração Apostólica não encontra subsídio bíblico ou histórico, portanto, levando em conta este contexto, e considerando principalmente que Paulo foi o último apóstolo, conclui-se que não existem apóstolos em nossos dias. Cabe a igreja de nossos dias, exercer suas funções sem invencionices e modismos, seguindo o puro e verdadeiro Evangelho.

***
NAPEC, via Púlpito Cristão

Referências:

Buckland, AR. e Willians, L. Dicionário Bíblico Universal. São Paulo: 2001. Editora Vida
Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo: 1999. Editora Cultura Cristã
Geisler, N. e Rhodes, R. Resposta às Seitas. Rio de Janeiro: 2004. CPAD.
Champlin, RN. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, v. 3 e 4. São Paulo: 2002. Hagnos
Grudem, W. Teologia Sistemática. São Paulo: 1999. Edições Vida Nova.
AGIR – Agência de Informações Religiosas – www.agirbrasil.com
Augusto Nicodemus Lopes – http://tempora-mores.blogspot.com

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

18 COMENTÁRIOS

  1. Para falar beeeem a verdade, isso pouco importa, fomos todos chamados a levar as boas novas de salvação, e todos temos um revestimento especial, pois a palavra fala que tudo podemos naquele que nos torna fortes, portanto o mais é vaidade, e vontade de poder, é por isso que tem tanto, apostolo, bispo, daqui a pouco teremos papa e quem sabe até outro nome ainda maior, rs.

  2. Desculpe, mas esses tipos de discussões sobre que titulo é correto ou não para alguém que é um líder na igreja, não passa de pura perca de tempo.
    Vejam bem, na assembléia, só presbítero pode ungir, na quadrangular pode ter diaconisa e pastora, em outras igrejas dizem que não dão título, mas chamam o líder de "irmão de frente", etc…
    Esses caprichos são irrelevantes diante dos escândalos que pastores, pastoras, bispos, apóstolos, diáconos, ou que nome for, estão causando no seio da igreja, e pior, alem de prejudicarem, não reconhecem o seus erros, pois a sede do pode é maior que tudo. É como nas cruzadas, tudo vale em nome de Deus!
    Mas concordo e muito que devemos nos voltar ao "simples como as pombas e prudentes como as serpentes", e isso vale pra quem tem titulo ou pra quem não tem.

  3. Não acho que seja pura perda de tempo discutir sobre essas coisas.

    Quando nos posicionamos contra algo, é bom termos uma justificativa. Este post mostra que devemos nos posicionar contra a adoção ou concessão de títulos que ampliem a autoridade dos líderes, e explica porque devemos tomar tal posicionamento.

    Não fará sentido algum se nós apenas dissermos que somos contra e não tivermos argumentos que justifiquem nossa oposição. Daí eu vejo neste post uma forma de auxiliar quem quer que seja contra essa onda apostólica.

    Fiquem na paz.

    Abraços.

  4. Interessante que a Bíblia ensina à igreja como devem ser os pastores e diáconos, com passagens bem específicas e claras, e ESQUECEU de ensiná-la como devem ser os FUTUROS apóstolos!

    Ao mesmo tempo ela ensina como devem ser os professores, profetas, pregadores…

  5. Entre os cristãos autênticos pode haver hierarquia administrativa, mas não hierarquia espiritual com vários níveis de suposta santidade.

    Os apóstolos bíblicos não eram chefes espirituais no sentido de intermediários entre as pessoas "comuns" e Deus, mas apenas ajudantes, guias, coordenadores da comunidade cristã.

    Espiritualmente eram irmãos sofredores, imperfeitos e limitados como quaisquer outros. E qualquer cristão podia ter comunhão com Deus assim como eles.

    * * *

  6. Gosto muito de um podcast do irmaos.com em que o caríssimo João Rodrigo Weronka diz a seguinte frase:
    "Não existem apóstolos, Não existem apóstolos, Não existem apóstolos"
    Acho muito relevante a discussão, pois a grande maioria que ostenta o título de "apóstolo", sente-se dona do rebanho, alguém mais especial para Deus.

  7. Paulo disse que nos últimos dias, teríamos tempos trabalhosos, "homens mais amigos dos deleites do que amigos de DEUS…" (2Tm.3.1-5)

    "Tem um aqui, que ai daqueles que o chamarem de pastor, ele é APÓSTOLO" (risos)…

    Promoção, é o que eles querem.

    Fica na paz!

  8. em Portugal a um apostolo que ate tem avião,grande fortuna,grades carros de luxo e ate fortunas no estrangeiro e ainda vem pedir ao povo para dar mais para viagens missionarias, e eles andam mesmo cegos,tem a cara de pau de dizer que não anda com nenhuma arma atrás de ninguém , mas diz se não der o dizimo e ofertas alçadas esta a roubar a Deus, e por isso Deus da maldiçoes; usa a bíblia para enriquecer a custa dos crente, mas um dia Deus ira fazer da sua justiça, um apostolo da igreja Mana QUE NÃO E IGREJA PORQUE PARA SERVIR A Deus AGORA ELE EXIGE UM CONTRATO, como e possível, ate parece que ele e Deus

  9. Bom ai não vejo citando Barnabé com apóstolo. Outra o termo apóstolo não foi Jesus que inventou, veio da época de Alexandre Magno, que é um termo militar, Outras eu creio sim nos 5 dons da ascensão pois Apóstolos, Profetas, Mestres, Pastor e Evangelista cada um tem características diferentes das outras. É um absurdo pegar somente o Termo Teologia e de homens que montaram a teologia. A igreja se encontra do jeito que está porque está trabalhando errada e com a visão distorcidas dos conservadores e religiosos e não param para pensar e refletir e até mesmo nem uma comunhão tem com Deus. Sei que muitos não são para essa atuação. Mas haja respeito. Brigam entre si e o Reino é dividido. Burrice quem ta certo ou quem não está só com Deus vai saber a verdade. Se fosse só a cerca de apóstolo, mas não é. Tem as outras funções que são Profetas, Mestres, Pastores e Evangelista. procure saber a função de cada um para poder julgar.

  10. Todo assunto é irrelevante, é ultrapassado quando nao estar de acordo com nossas opiniões, por isso o engano tem se estabelecido no meio cristão quando o assunto nos confronta,confronta nossas idéias, a tendência é rejeitarmos,por isso meus irmãos vamos analisar esses assuntos se de fato há coerência,se ha concordância com as escrituras ao analisarmos julgamos com base nas escrituras, nosso comentário só é valido se estivermos apoiado pela escrituras, sejamos cristãos até mesmo para discordamos de algo,lembrando que vale o que a bíblia diz.

  11. mesmo depois de tantas provas "no contexto bíblico", acreditar que ainda exitem apostolos é realmente querer acreditar em papai noel e coelhinho da páscoa. Leiam um pouco mais, não só as ecrituras ( a fonte) como também a história do cristianismo (como material complementar)

  12. Muitas pessoas estão sendo enganadas por não ler a bíblia pq a bíblia fala lá em João 8:32 e conhecereis a verdade é a verdade vos libertará eu não acredito que tem Apóstolo nos dia de hoje pq os apóstolos foram o alicerce ou bem dizer foram a base da igreja nos somos as paredes amém que Deus abençoe paz.

  13. vc foi infeliz no seu comentário paulo não foi testemunha ocular de jesus 1.co.12;28 vc vai entender .vc sabe mesmo o que e hermenêutica? esta palavra e homenagem a um deus grego.hermes da próxima vez use exegese para interpretar o texto e cite a bíblia não comentários de "fulano" ou beltrano. Ok

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui