A igreja precisa de líderes intelectuais

5
526
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Vitor Pereira
O período histórico em que a Igreja Cristã se mostrou mais saudável, sem dúvidas, foi o período registrado no livro de Atos e, justamente por isso, é desse período que devemos buscar o modelo de Igreja mais apropriado. Mas ao compararmos as práticas dessa Igreja de 2000 anos atrás com a Igreja contemporânea, a diferença é gritante. A Igreja se preocupa muito no porquê de não alcançarmos os mesmos resultados da Igreja de Atos, mas nossa preocupação deveria ser menos em atingir os mesmos resultados da Igreja de Atos e mais com o modelo de Igreja que agrada a Deus, o modelo que Atos nos ensina. Não devemos focar nossa atenção no fim, mas sim no meio.

Assine o Blesss

Os capítulos 17, 18 e 19 do livro de Atos revelam um principio declaradamente ignorado nos nossos dias – a importância de liderança intelectual na Igreja. O grande responsável pela expansão do Cristianismo naqueles dias, o Apóstolo Paulo era uma referência não só espiritual, mas também intelectual. Enquanto nós tendemos a mistificar por demais a pregação das boas novas, vemos que Paulo usava de toda sua habilidade intelectual para, literalmente, persuadir as pessoas a crerem em Jesus Cristo (At 17.4). Porque não deveríamos fazer o mesmo?

Paulo era um homem altamente intelectual que não perdia uma oportunidade de arrazoar com os gentios acerca das Escrituras (At 17.1) ou de enfrentar com argumentos, os filósofos da época (At 17.18), inclusive citando poetas pagãos por pelo menos três vezes em seus escritos (At 17.28, 1Co15.33, Tt 1.12) e ainda ensinando na Escola de Filosofia de Tirano (At 19.9). Outro que merece menção por sua habilidade de persuasão e oratória é Apolo que usava de suas habilidades naturais para convencer os judeus, por meio das Escrituras, que o Cristo é Jesus (At 18.28). Em cinco ocasiões, apenas nesses três capítulos de Atos, são usadas as palavras persuadir (At 17.4, 18.4, 19.8), convencer (At 18.28) e arrazoar (At 17.2). Tais palavras se referem essencialmente ao uso do intelecto.

É notória a diferença entre como a Igreja de Atos encarava a importância do intelecto e como nós hoje a encaramos. Hoje, talvez a maioria dos pastores não tenha sequer treinamento teológico. Filosófico então nem se fala. Por isso a Igreja é presa fácil para a influência do pensamento secular. Enquanto os futuros líderes e influenciadores dos valores da nação, sejam estes advogados, psicólogos, cientistas, médicos, filósofos estudam no mínimo quatro anos para tirar um diploma de bacharel. Nossos pastores desprezam o valor do estudo em seus ministérios, muitos nem sequer buscam instrução teológica, quanto mais de qualquer outra ciência.

Qual cristão é citado como fonte de informação quando se trata de história, filosofia, psicologia, sociologia ou política? A Igreja nunca vai influenciar positivamente a cultura enquanto desprezar o valor pensamento, que é o que realmente move a cultura. O sociólogo John G. Gager apontou que apesar de a Igreja primitiva ter sido um movimento minoritário que enfrentou o desprezo e marginalização cultural e intelectual, ela só manteve a unidade interna e o testemunho corajoso por causa do papel dos intelectuais e apologistas Cristãos da época. A Igreja sabia quem eram seus intelectuais e apologistas e isso dava confiança e força para eles enfrentaram a marginalização pelo resto da sociedade.

Hoje, a situação não é diferente, a Igreja Evangélica é ridicularizada pela sociedade, mas com a triste diferença que não temos uma liderança intelectual para nos apoiar. Se quisermos vencer devemos nos preparar para a batalha. Uma batalha que não é travada nas ruas, mas sim nas Universidades do país de onde saem os futuros lideres da nação. Enquanto o pensamento for reduto de Satanás, fica fácil de saber quem se sairá vencedor.

***
Fonte: Despertai, Bereiano!, via Apologia do Cristianismo

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

5 COMENTÁRIOS

  1. Muito coerente seu texto,realmente,sem inteligência é impossivel conseguir algo.
    Só no final do seu post você falou besteira,
    dizer que pessoas batalhadoras,que muitas vezes lutam pra estudar,superam várias dificuldades.
    Aí vem você e fala que somos redutos de satanás!
    Tenha dó!!

  2. O primeiro passo de uma mentalidade intelectual e romper com esse saudosismo improdutivo em relação à igreja primitiva. Ela não é modelo de nada, a não ser num sentido relativo que faz com que cada era da igreja nos ensine algo. Não da e nem precisamos ser iguais aos primeiros cristãos. Isso é atraso de vida, é não entendermos que só podemos ser o que somos: o futuro.

  3. é dito"A Igreja nunca vai influenciar positivamente a cultura enquanto desprezar o valor pensamento, que é o que realmente move a cultura."

    eu simplesmente não acredito que a Igreja vá influênciar a cultura de forma positiva praticamente nunca: quando isso ocorreu na história, foi por curtos períodos, e em muitos outros foi forçada a tal, ou a igreja se rendeu a sociedade para ter influência nela

    Acredito que na Igreja há necessidade do mestre e do evangelista, uma completa o outro

    Armando

  4. Assisti uma entrevista de Leonardo Boff em que ele dizia uma frase muito marcante:
    "A Igreja não pode ser inimiga da inteligência".
    Penso que a igreja de Cristo precisa de líderes preparados,não necessariamente intelectuais. Além das virtudes das virtudes de Cristo.
    aaahhh… pureza de coração também não pode faltar

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui