A gospelização da vida e o serviço no mundo

8
653
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Márcio de Souza

Assine o Blesss
O texto “eu não gosto de pastores…” repercutiu muito, não propositalmente, mas por ter um conteúdo polêmico. A grande maioria fechou que ta tudo um caos mesmo e que não fazemos parte desse mundinho gospel, onde você pode amenizar a sua singularidade enquanto protestante freqüentando uma boa boite gospel, e depois de tomar uma cerveja sem álcool gospel (ainda vou escrever sobre isso), você pega sua gatinha gospel que você conquistou com sua cantada de cafajeste gospel e leva ela pra um motelzinho gospel pra dar uma transadinha gospel e quem sabe fazer direitinho a coisa, vai usar sua camisinha gospel pra não fazer um filhinho gospel na menininha gospel que você levou pro motel gospel.

Aproveitei esse gancho de um artigo do pastor Renato pra dizer que vivemos querendo quebrar nossa singularidade abrindo uma porta pra libertinagem. O que não tem absolutamente nada a ver com levar a sério o chamado pra fora das portas da igreja para uma visitinha a célula dos desesperados. Onde estão esses grupos? Eles estão espalhados nos mais diversos segmentos do que conhecemos como “mundo” que eu prefiro chamar de “CAMPO”. Portanto em vez de “gospelizar” a vida, pense no seguinte, quem está na chuva é pra se molhar, isso quer dizer que não importa onde você esteja, na boite, na cantareira trocando uma idéia, em São Francisco na cervejaria Devassa (caraca, essa vai dar problema!) seja onde for, o que vai importar e fazer a diferença da gospelização é a sua atitude diante da vida e do lugar onde você está.

Jesus andava com prostitutas, era amigo delas, andava pelas “zonas” de Jerusalém e arredores, mas jamais se prostituiu; jantou com publicanos, gente traidora, mas jamais traiu seu povo; pregou para fariseus, e jamais valorizou a letra em detrimento do Espírito. Enfim, Ele sabia onde estava e qual seria sua missão, o que fez com que Jesus jamais tombasse diante dos convites que satanás fazia, não foi se refugiar em guetos gospelizados, mas em seu senso de missão e seu caráter ilibado.

Jesus sabe quem Ele é, mas será que nós, sabemos quem somos? Acho que não, porque se soubéssemos haveria um despertamento sem igual na nossa cidade. Amigos, coloquem a boca no trombone, denunciem e não intimidem-se com nenhum comentário ferino que tente cercear sua liberdade.

É natural de quem vive escravizado reclamar de tudo, porque quem vive livre, reconhece a graça e sabe quem é, e o que veio fazer aqui. Sabe também da brevidade da vida e da necessidade de ir fazer discípulos onde for necessário.

***
Postado por Márcio de Souza, no Púlpito Cristão

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

8 COMENTÁRIOS

  1. Caro Leonardo.
    Gostaria de lhe pedir um esclarecimento, Esses dias esteve pregando na igreja em que congrego um defensor da teologia da prosperidade. Ele falou durante 40 minutos sobre dinheiro e usou o texto de Lucas cap 6 v 38 , sou un novo convertido e gostaria de saber a exegese bíblica desse texto.Sei que o seu blog é freqüentado por varios Homens e Mulheres de Deus e que se possível for seria bom ouvir os irmãos, que assim como voce defendem o evangelho da graça.
    em cristo.
    Roberto de almeida costa.
    Vila Velha ES

  2. Muito bom Márcio!

    Parece piada, mas é muito difícil para alguns crerem naquilo que Deus já fez (se é que fez) na vida deles…

    Eu penso que fomos ensinados a pensar que se o camarada entrou em uma igreja 'gospel', aceitou Gizuz num apelo 'gospel', com uma boa música hipnotizante 'gospel' de fundo, passou a falar 'gospês', dar dízimo, tomar ceia, então o camarada tá salvo! Aí ficamos chocados ao ver um tipo 'gospel' desse dar algum escândalo por aí… Só esquecemos de um pequeno detalhe… O sujeito é 'gospel', mas pode ser que Jesus nunca o viu nem o conheceu…

    Aí a igreja-instituição tem que criar a lista 'gospel' de PERMISSÕES E PROIBIÇÕES" para evitar que o pobre coitado dê mau exemplo e suje o nome da 'igreja' (é impossível sujar o nome de Jesus).

    O pior de tudo é que não percebemos, mas as regrinhas religiosas invalidam a cruz de Cristo! O anti-Cristo já está por aí… Dançando na nossa cara, dentro dos templos feitos por mãos de homens…

    Agradeço a Deus por sua vida e por tantos outros que lutam contra a corrente religiosa que insiste em arrastar milhares para longe de Cristo!

    Abraço…

  3. Eu li todo esse texto, agora vou ler meu horóscopo gospel
    pra ver se meu Cd gospel vai ter sucesso nas gravadoras gospel…kkkkkkkkkkk***..vc tem um cigarrinho gospel ae?
    nada não só pra comemorar o record de noticias gospel na globo..eeheheheheheh……….

  4. Jesus interagia com praticantes de pecados. Mas não era para se divertir com eles e não era nos atos e locais de seus erros. O Messias não era cúmplice passivo dos erros, muito menos partícipe deles.

    Ele praticava os elevados valores morais que ensinava, mas rejeitava os erros e não os errantes. As pessoas que abriam o coração para Jesus se purificavam dessas práticas.

    É bem diferente do que vemos por aí. As igrejas evangélicas foram de um extremo ao outro, do legalista "tudo é proibido" ao relativista "tudo é permitido".

    Em vez de "eu venci o mundo", é "eu me tornei [igual a]o mundo"

  5. Márcio
    Graça e paz

    Você já ouviu a expressão "estouro da boiada"? Pois é, aconteceu em nossa nação, durante tantos anos a fio, os evangêlicos em sua maior parte estiveram com cabresto, sem direito de questionar, pois isto seria um afronta ao "anjo da igreja" ou aos obreiros ungidos. Mas foi justamente a educação secular, algo que também foi combatido a muuiito tempo atrás, ponto crucial para as mudanças.

    Os jovens passaram a estudar mais, a buscar mais conhecimentos gerais, por fim desenvolveram o senso crítico, que os obreiros não estavam preparados a altura para dirimir as infiltrações diabólicas na igreja.

    O resultado todos nós sabemos, a proteira abriu-se. E aqueles que entendem um pouco de Marketing (aliás tem o Esteves Mercantez que foi profissional de Marketing de um multinacional), de Oratória, PNL, etc, utilizam-se disto em um terreno fértil. A semente brotou.

    Muitos perderam o discernimento da Liberdade em Cristo. O exagero toma conta da galera, querem mesmo gospelização das coisas mundanas, só falta surgir uma Maçonaria Gospel, rss.

    Mas pecado continua sendo pecado, estar em Cristo não me impede de estar em balada, mas meu espírito não estará em plena felicidade, nada ali celebra o amor de Cristo e o seu sacrifício, então que sentido faz um crente ali?

    Só lamento por aqueles que pensam que isso é liberdade.

    Em Cristo, meu Mestre.

  6. Sempre fui discriminada, AC e DC, ou seja, antes de ser crente e depois de ser crente.

    Sempre procurei fazer amizade com quem ninguém queria ser amigo, principalmente se a pessoa fosse mal falada, fosse homem ou mulher, caiu na boca do povo, virou meu amigo.

    Hoje, eu vejo a igreja descaracterizada, mas ainda empolada, com ares de "igreja", me olhando com a adúltera, e eu achando engraçado, como sempre, sem saber por quê.

    Porque a igreja está perdida nas esquinas comendo cachorro-quente no meio do povo onde ela deveria ser diferente.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui