Cristão versão 2.0 – Upgrade da fé

8
750
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Lourenço Stelio Rega

Assine o Blesss
Este upgrade de cristianismo também acabou por transformar a vida cristã numa espécie de ritual que o fiel procura praticar para conquistar as bênçãos de Deus, ou mesmo para evitar o seu castigo

Assim como já se fez um upgrade de Deus para a versão 2.0, é possível observar que, ao longo do tempo, tem surgido uma nova versão do que seja um cristão.

O que torna alguém cristão? Hoje ser cristão acabou se reduzindo a “ir à igreja”, mas me pergunto “Se Cristo morreu por sua igreja, nesta perspectiva ele morreu por tijolos, madeira e equipamento eletrônico?”. Nós não somos a igreja? Igreja passou a ser um local, não mais gente salva pelo precioso sangue de Jesus Cristo. “Ir à igreja” passou a ser um ritual, se for, é abençoado, se não for, é castigado. Desse mesmo modo, ser cristão tem sido trabalhar na igreja. Quanto mais trabalho, mais sou abençoado, mais cresço na vida cristã.

Mas também se tem reduzido o ser cristão a ir aos cultos, ter certa crença ou ideologia, contribuir financeiramente, em especial para ser recompensado por Deus numa espécie de relação mercantil.

Por outro lado, este upgrade de cristianismo também acabou por transformar a vida cristã numa espécie de ritual que o fiel procura praticar para conquistar as bênçãos de Deus ou mesmo para evitar o seu castigo. Assim, participar de eventos ou de cultos, ter um tempo diário para ler certo número de capítulos da Bíblia, orar a Deus, seria uma espécie de mandinga para ganhar o favor de Deus ou para evitar ter pesadelos à noite ou nas finanças pessoais.

Ao longo do tempo fomos lançando versões beta deste tipo de cristianismo e incutindo na mente do cristão que ele poderia, com seus próprios esforços, agradar a Deus vivendo um cristianismo de obras e numa relação de trocas. É a herança pragmática norte-americana que conseguiu reduzir cristianismo em trabalho, deixando de lado a sua essência, mas também a teologia da graça que indica que nossas obras não apenas não servem para nos salvar, como também, sendo imperfeitas (Isaías 64.6) não conseguem atingir os elevados ideais de Deus.

Precisamos reconquistar a perspectiva bíblica em nossa concepção de cristianismo de modo que ser membro da igreja, trabalhar, contribuir financeiramente para a igreja, ir aos cultos, sejam fruto de uma vida íntima aos pés do Senhor e não agente produtivo desta vida. Talvez por isso seja possível notar certo grau de carnalidade na vida eclesiástica. Ler a Bíblia, orar, sejam fruto de insaciável sede de comunhão com Deus. Participar no culto público seja produto de uma vida diária de adoração no altar de Deus.

Que o sentido mercantilista seja substituído pelo ato de dar deliberadamente com alegria, sem restrições de porcentagem, pois afinal, ser cristão é negar-se a si mesmo e devolver tudo a Deus, a quem pertencemos. É reconhecer nossas imperfeições e nos sentimos agasalhados pela sua graça, nos entregando a ele como seus instrumentos, canais de seu poder, de seus atributos.

Nada mais do que sermos meros cristãos versão 1.0.

***
Fonte: Revista Eclésia

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

8 COMENTÁRIOS

  1. Graça e paz Leo. O cristianismo que se tem visto hoje está se distanciando cada dia mais do verdadeiro cristianismo. Essa nova geração que está surgindo no meio evangélico está sendo enganada por uma liderança podre e longe de Deus. Igreja (templo) hoje é lugar para se sentir bem e não um lugar para se adorar a Deus. É um lugar para que o ego das pessoas seja massageado e não para que o pecador seja confrontado. A mensagem de auto ajuda e não de ajuda do alto. Não temos mais cultos, mas show… E daí por diante. Falo isso com tristeza, pois aqui a coisa está daí para pior. Que o Senhor nos ajude.
    Fique na Paz!
    Pr Silas

  2. Graça e paz a todos…
    Será que chegamos a um ponto na vida com Cristo que realmente servir e seguir resumiu-se em festas de mocidade, debates bíblicos, gincanas, social da igreja, culto "abençoado"? (pelo menos de acordo com o combinado, alegria, choro, e abrace seu irmão).
    Tenho receio que nisso tudo não exista dentre o povo que se chama povo de Deus, pessoas que transpirem e respirem, inalando e expirando, contaminando a graça dos céus “a palavra”, que requer bem mais do que este corpo de samaritana comedora de migalhas, que se esqueceu que é esposa amada, "a Igreja do senhor".
    No texto dentre muitas palavras destaco estas…"Precisamos reconquistar a perspectiva bíblica… … ir aos cultos, sejam fruto de uma vida íntima aos pés do Senhor"
    Viver na "graça" e não "de graça"? É, seria bem diferente dos dias atuais.
    -Ir ao culto ver ministros dando profetadas e profetando. Ser coniventes ou repreender o insano? (sorte dele que não estamos na LEI)
    -Ir ao culto e ver alguns Ananias e umas Safiras desfalecendo com o doce sonho da MORTE diante do altar como mentirosos.
    -falar em voz audível dom de línguas e calar-se se não houver interpretação. Não é mesmo?
    – Sem falar nas distorções e privilégios que a BANDA de louvor concede a quem lhes prover.
    Deus nos deu a inteligência, o discernimento. Querer assumir o compromisso é renunciar a cumplicidade com tudo que não for puro, tratável, pleno de misericórdia e de bons frutos… (isso sim é aceitável).
    E não se acovardar com medo da reprovação dos homens, do título de quem fala ou da posição que ocupa dentro da igreja. Lembrando que: ser líder, não lhe dá o direito de pregar o que pensa com palavras dirigidas a um ou a outros, ser um diante do povo e ser outro diante dos homens, aconselhar dirigido por emoções e devaneios mentais.
    Fico entusiasmado com essa “nova” perspectiva de abandonar o velho homem. (achei que erapara ser assim desde o inicio, huahauhauhua!)
    Concorde ou descorde, essa é a minha palavra.

  3. O grande problema do cristianismo na versão pentencostal, segundo Ricardo Gondim é a demanda dos líderes em querer cada vez mais se destacar. Segundo ele, este formato carismático de liderança, que se traduz por: "Deus fala por meio de mim; sou um instrumento de Deus; tive um sonho e Deus me revelou que…"

    No fundo no fundo, o desejo é conquistar poder institucional (que eles denominam de "igreja")

    Aí para iludir os fiéis bradam e citam passagens bíblicas, tipo: Olhem, cuidado para não abandonar as congregações, como é costume de muitos! Tudo isso para menter medo naqueles que não são marionetes

    Esses tipos de lideranças sabem que estão levando o cristianismo ao fundo do poço, sabem muito bem que por trás de suas exageradas orações, frequentes jejuns, visões e "profecias"
    existe um anseio: "eu preciso ser relevante".

    É triste ver o cenário evangélico contemporâneo tão desprestigiado, onde até os que querem seguir a carreira de ministro por vocação, se sentem constrangidos, por que a imagem que passaram para a sociedade é a de que "pastor" virou sinônimo de oportunismo e picaretagem.

  4. Imagina o povo de Israel todo orgulhoso de quem era, do templo que tinha…e sendo arrastado para morar no meio de um povo estranho e viver no meio de um povo que adorava deuses estranhos em Babilônia.

    Estamos em JESUS, não temos que chorar como os antepassados choravam quando se lembravam do templo.

  5. Essa relação de troca com a divindade vem do Império Romano e dos povos pagãos anteriores.

    Os evangélicos se orgulham de seguir a Bíblia em contraste com os católicos, mas são iguais ou piores que eles: tanto sua teoria quanto sua prática são cada vez mais majoritariamente pagãs.

  6. COM ARMA NA MÃO A PAZ É FICÇÃOChorão

    QUALQUER DISCURSO EM FAVOR DA PAZ QUE NÃO DEFENDA O DESARMAMENTO DE UMA FORMA TOTAL E COMPLETA É PURA DEMAGOGIA. EU DEFENDO A TESE DO DESARMAMENTO NA SUA FONTE: TODOS OS LIDERES MUNDIAIS DEVERIAM SE SENTAR EM TORNO DE UMA MESA E PROPOR UM ACORDO MUNDIAL COM O OBJETIVO DE PARAR COM A FABRICAÇÃO DE QUALQUER TIPO DE ARMA DE FOGO. QUALQUER OUTRO DISCURSO QUE NÃO PASSE POR ESTA PROPOSTA É HIPOCRISIA. EXISTEM CENTENAS DE PROPOSTAS CONTRA A VIOLENCIA, POREM EU NÃO CONHEÇO E NUNCA OUVI FALAR DE ALGUMA QUE PROPONHA BANIR AS FABRICAS DE ARMAMENTO DA FACE DA TERRA. É LAMENTAVEL TER QUE CONSTATAR QUE O QUE FALTA PARA A HUMANIDADE SÃO LIDERES NA VERDADEIRA CONCEPÇÃO DA PALAVRA. O MUNDO ESTA ABARROTADO DE FALSOS LIDERES, TANTO NO CAMPO POLITICO COMO NO RELIGIOSO. O JOGO ESPURIO E NOJENTO DOS INTERESSES FINANCEIROS TEM HÁ MUITO CEGADO OS OLHOS DESTES TAIS. DEIXEM DE SEREM HIPÓCRITAS, COVARDES, INSENSIVEIS, UMA DAS PRINCIPAIS VIRTUDES DE UM LIDER DE VERDADE É A OUSADIA E A CORAJEM PARA PROPOR MUDANÇAS QUE VENHAM REVOLUCIONAR E MARCAR O INICIO DE UMA NOVA ERA E TRAÇAR UM NOVO RUMO QUE MUDE O DESTINO DE TODOS NÓS HABITANTES DESTE MALTRATADO POREM MUI GLORIOSO PLANETA TERRA, O FANTÁSTICO PLANETA AZUL.

    escrito por zé mineiro em 02-01-2009

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui