A homossexualidade e atitude cristã

8
585
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Sérgio R. Ferreira

Assine o Blesss

Em 1869 o escritor e jornalista austro-húngaro Kertbeny cunhou o termo homossexual, que deriva do grego homos, que quer dizer “semelhante”, “igual”, significando um ser que sente atração fisica, sexual, emocional por outro do mesmo sexo. Um ano depois, Westphal lança “As Sensações Sexuais Contrárias” definindo a homossexualidade em termos psiquiátricos como um desvio sexual, uma inversão do masculino e do feminino. Deu-se, portanto, desde o início, uma idéia totalmente negativa à homossexualidade, sem haver nenhuma preocupação com o fato de que tal pessoa tinha uma alma e era alguém que precisava ser aceito e ajudado, alguém que também precisava ser transformado pelo poder do evangelho de Cristo. Não se trata apenas de escolha ou opção, mas também de condicionantes de ordem pessoal, familiar, cultural, econômico-político-social e mesmo espiritual, e como servos de Deus temos que ajudá-los com a palavra de Deus. São pecadores tais como nós e carecem da glória de Deus (Rm 3:23).

Tem sido detectado tal disturbio da sexualidade também em animais, mas não se pode comparar com o problema em seres humanos, uma vez que o binômio homem versus animal não pode ser usado em termos de comparação, tendo em vista a existência no ser humano de consciência e volição. Significa dizer que enquanto o animal age por instinto, o homem tem consciência das suas ações e tem domínio sobre a vontade, podendo assim ser responsabilizado pelos seus atos.

Atribui-se a vários fatores a existência do homossexualismo, tais como: A educação recebida no lar, a pressão da sociedade, o apelo pós-moderno para que o homem expresse sua sexualidade sem barreiras, distúrbios físicos e hormonais, a opção sexual de cada um, entre outros. Mas em suma podemos afirmar que é prova incontestável da degeneração da raça humana, ocasionada pela entrada do pecado no mundo. Índices apontam para a adolescência como a fase mais propícia para a “descoberta” da homossexualidade.

Na crise de identidade, tão comum na adolescência, surgem as incertezas sobre a sexualidade, uma vez que as transformações de ordem biológica não acontecem com todos os adolescentes na mesma velocidade e intensidade. De modo geral, ao perceberem as mudanças em seu corpo, eles começam a fazer comparações, e nem sempre um entende porque aquilo que já aconteceu com o outro não aconteceu ainda em seu próprio corpo. Nessa ocasião, surgem as dúvidas sobre a sexualidade, pois os adolescentes começam a questionar suas reações, suas características e suas preferências, comparando com o perfil daqueles a quem ele admira no grupo. Por isso, é importante orientá-los nesta fase, mostrando o propósito de Deus para a sexualidade humana. Entre os meninos é comum as brincadeiras com o adolescente que ainda não têm barba, e que fala fino, ou que não teve experiências com as meninas ainda. Da mesma forma, um jovem “educado demais” pode ser confundido pelos amigos como sendo efeminado. Entre as meninas, estranha-se aquela que é forte, apegada demais e gosta de jogar futebol, ou que prefere estar com os meninos. É preciso entender que as pessoas não são iguais e tal comportamento não revela obrigatoria e necessariamente sinais de homossexualidade, embora eles sejam pressionados a acreditar nisto diariamente.

A prática homossexual é vista pela Bíblia como um distúrbio abominável ao Senhor, e em Romanos a prática do lesbianismo é denominada “paixões infames” Rm 1:26, e genericamente é explicada pelo apóstolo Paulo como sendo fruto de uma disposição mental reprovável, ou sentimento perverso (Rm 1:28). O texto trata da devassidão própria dos que abandonam a Deus e se inflamam em sua sensualidade, cometendo torpezas, homens com homens e mulheres com mulheres. Diante da visão bíblica a respeito, não podemos aceitar a “prática” homossexual como algo simples e comum, mas devemos interpretá-la como um comportamento próprio do pecador, por isso, ao ter um encontro com Cristo pela fé, um homoafetivo (termo preferido por psiquiatras e especialistas) se tornará uma nova criatura, e independentemente dos seus sentimentos e desejos carnais, ele, como todos nós, haverá de mortificar a carne e viver para Deus. Vale lembrar que ainda que haja uma conversão verdadeira, em alguns casos, a deformação do corpo que porventura possa ter ocorrido não desaparecerá automaticamente, cobrando de nós tolerância e aceitação, levando-se em conta, obviamente, a transformação de comportamento, o testemunho de novidade de vida e o abandono do pecado, que inevitavelmente acontecerá nos salvos.

Depreende-se então que não podemos ser coniventes com o pecado da prática homossexual, entretanto, discriminá-los, como se fossem o pior tipo de pecadores não é nem sábio, nem espiritual. Os que adotam a prática do homossexualismo não são mais pecadores do que os adúlteros, ou os roubadores, e tanto estes como aqueles precisam ser amados como pecadores que podem chegar ao conhecimento da verdade, e arrependendo-se verdadeiramente e abandonando as paixões carnais, podem viver vidas que glorificam a Deus. Sendo assim, excluí-los não irá ajudar em nada, pois tal atitude não pode revelar a eles a graça salvadora manifestada a “todos” os homens (Tito 2:11). Mas compete-nos afirmar que aceitá-los como pecadores carentes, e apresentar-lhes a Cristo, não é para qualquer um, pois é preciso ter tanto coragem de enfrentar o preconceito, quanto amor pelo próximo, como ordena as Escrituras. Quem ama, comunica o evangelho!

Finalmente, lembremos que devemos pregar o evangelho a “toda criatura”, e que Deus não faz acepção de pessoas (Mc 16:15; Rm 2:11), e quando o fazemos, pecamos contra Ele (Tiago 2:9). Acharmos repugnante a prática do homossexualismo é uma atitude correta, pois devemos julgar abominável todo pecado, rejeitando a sua idéia e a conduta dos que vivem nessa prática, entretanto, temos uma responsabilidade evangelística para com todo homem, e esta nos será cobrada. Que Deus nos abençoe a enxergar em cada pessoa uma alma e em cada pecador uma oportunidade.

***
Fonte: irmãos.com

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

8 COMENTÁRIOS

  1. Há poucos que escrevi sobre homofobia e cristofobia no meu blog, quase apanho por causa disso.
    Este é um assunto cada vez mais polêmico que concordo que não devemos fazer vista grossa. Temos que lidar de frente com isso e buscar lidar de maneira certa à luz da Blíbia.
    Parabéns pelo texto.

  2. Léo, graça e paz. As pessoas têm todo o direito de fazer as suas opções sexuais, o que elas não podem é querer que aceitemos. Entre o que eu desejo e o que a Bíblia fala eu sempre ficarei com a Bíblia. Não é só nas questões sexuais que a Bíblia "pega pesado" não. Você já parou para analisar a questão do perdão? Do deixar tudo para seguir a Cristo? Abrir mão de suas vontades para que a vontade do Senhor seja a primazia em nossas vidas? É por isso que a Bíblia nos fala que para ser um discípulo de Cristo é necessário nascer de novo. Só existe discussão onde não há novo nascimento.
    Fique na Paz!
    Pr Silas

  3. Pastor Silas,

    Concordo com você totalmente. O homossexualismo é abominável, reprovado por Deus e pela bíblia. Isso é indiscutível. O cristão tem um dever para com o homem pecador (missões), e isso inclui os homossexuais. Porém, penso que a abordagem do tema requer sensibilidade. Os cristãos aprenderam a lidar biblicamente com adúlteros, a abordar ladrões, a perdoar assassinos, mas o homossexual (e o ex-homossexual) ainda é estigmatizado por muitos cristãos.

    Vamos pregar a palavra, e se algum homossexual deseja deixar de sê-lo, devemos dizer que em Cristo isso é possível.

    Abraço, do seu amigo,

    Leonardo.

  4. Eu não aceito o homossexualismo mas nem por isso rejeito os homossexuais, porque não foi esse o exemplo que Jesus deixou. Na minha sala de aula tem 3 gays e nem por isso eu os trato pior ou melhor, porque o que eu não aceito é a homossexualidade que é espiritual como muitos sabem.
    Mas falando em aceitação, não podemos obriga-los a mudar, mas eles tambem não podem nos obrigar a aceitar a sua escolha sexual que é abominavel diante de Deus.
    Levitico: 20-18 condena o homossexualismo e outros livros na biblia também.

  5. "tambem não podem nos obrigar a aceitar a sua escolha sexual que é abominavel diante de Deus."
    Em primeiro lugar até quando algumas pessoas vão chamar de ESCOLHA o que não o é? Você escolheria ser um ser que toda a sociedade discrimina e inclusive os que deveriam mostrar amor, que são os cristãos? Vamos usar de inteligência e mudar o termo "ESCOLHA" para CONDUTA OU ORIENTAÇÃO.
    Em segundo lugar, heteros nem ser humano algum podem compreender a dimensão da diversidade que Deus criou.
    Quem de vocês nunca teve um amiguinho de infância com todos aqueles trejeitos típicos de quem é homo desde criança? como explicar isto em tão tenra idade?
    Não me diga que este seu amiguinho hoje é um pedreiro batedor de lage e macho procriador… com certeza deve ser maquiador ou cabeleireiro ou se for uma pessoa discreta um homem com toques de delicadeza peculiares e bem perceptíveis até mesmo a olhos pouco perspicazes… enfim, seja hetero, homo, bi, ou qualquer coisa que o valha, TODOS necessitamos das misericórdias de Deus. O que nos aproxima de Deus e das características de filhos DELE são nosso olhar piedoso e SEM DEDO EM RISTE e um coração quebrantado. Eu dou glória a Deus por que os pensamentos DELE não são os nossos ou os VOSSOS.

  6. Realmente. Não sou cristã, e do alto do meu pouco conhecimento, me atrevo a expor a minha opinião.
    Primeiro, até quando algumas pessoas vão chamar de ESCOLHA o que não o é? Você escolheria ser um ser que toda a sociedade discrimina e inclusive os que deveriam mostrar amor, que são os cristãos? [2]
    Nem precisa ser tãão inteligente assim, para perceber que não é ESCOLHA! Segundo, já que o "homossexualismo" (ressaltando aqui, que o sufixo ISMO denota doença, e hoje ser homossexual não é mais considerado doença, favor utilizar o sufixo correto – DADE), é um pecado, segundo as escrituras e bla blá na Bíblia, enxerguem-se a si próprios tambem como pecadores, dado que TODO ser humano é pecador, na lógica Criacionista, né? E ainda mais, não aceitar é uma coisa, intolerar e DESrespeitar é outra completamente diferente. E fere a nossa DIGNIDADE enquanto seres humanos NORMAIS. Se pelo conceito bíblico ou pessoal que vocês tem, e que lhes impelem de aceitar a diversidade sexual do mundo, pelo menos ajam conforme suas crenças. Jesus não pregava o amor ao próximo? Preconceito significa o quê? E outra coisa, pode ser que lá na Bíblia diga que é "abominável", será que já pararam para pensar que chamar uma pessoa de "abominável" apenas por amar pessoas do mesmo sexo, machuca e muito? Certamente não! Para finalizar minhas contestações, gostaria de dizer o seguinte. Não temos o direito de forçar as pessoas a nos aceitarem homossexuais, e vocês também não tem o direito de nos discriminarem por sermos homossexuais. Então, eu luto pelo direito à INDIFERENÇA! Não aceita? Não tolera? Abomina? Finja que não viu. Desconsidere. Esqueça! Simples assim. Ao invés de perder seu tempo alimentando um ódio prejudicial e infundado, ocupem seu tempo com coisas de seu interesse. Pelo menos façam jus à sua pregação de amor ao próximo, igualdade que o seu Jesus pregava.

    P.S Não falo generalizando TODOS os cristãos, pois nem todas as pessoas pensam de forma igual.

    Abraços.
    Isadora.

  7. Isadora,

    Como você disse, "não aceitar é uma coisa, intolerar e DESrespeitar é outra completamente diferente". Eu nao acho que o homossexualismo seja a melhor forma de afetividade. Suas raízes remontam ao complexo de Édipo (ou de Elektra), tendo causas bastante conhecidas.

    Porém, o fato de eu discordar desta postura homossexual, nao me leva a desprezar nenhuma pessoa por causa da orientaçao sexual. Sei que esta é a sua primeira visita aqui, e lamento que essa tenha sido sua primeira impressao.

    Te convido a ler outros textos sobre o tema; em especial este que segue:

    A igreja e a questao homossexual: Como lidar com o tema?

    Em tempo: O termo homossexualISMO na tag do blog nao é uma referencia à doença, mas à crença, à ideologia, tal como "cristianISMO", "empirISMO" e "socialISMO"

    Grande abraço,

    Leonardo.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui