Comemoração religiosa da seleção brasileira desagrada FIFA

21
615
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A comemoração da seleção pelo título da Copa das Confederações e o comportamento dos jogadores brasileiros após a vitória sobre os Estados Unidos causam polêmica na Europa. A queixa é de que o time brasileiro estaria usando o futebol como palco para a religião.

Assine o Blesss

A FIFA confirmou ao Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final.

Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da seleção fizeram uma roda no centro do campo e rezaram. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a Fifa e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer.

Com centenas de jogadores africanos, vários países europeus temem que a falta de uma punição por parte da Fifa abra caminho para extremismos religiosos e que o comportamento dos brasileiros seja repetido por muçulmanos que estão em vários clubes europeus hoje.

Tanto a FIFA quanto os europeus concordam que não querem que o futebol se transforme em um palco para disputas religiosas, um tema sensível em várias partes do mundo. Mas, por enquanto, a Fifa não ousa punir a seleção brasileira.

“A religião não tem lugar no futebol”, afirmou Jim Stjerne Hansen, diretor da Associação Dinamarquesa. Para ele, a oração promovida pelos brasileiros em campo foi “exagerada”. “Misturar religião e esporte daquela maneira foi quase criar um evento religioso em si. Da mesma forma que não podemos deixar a política entrar no futebol, a religião também precisa ficar fora”, disse o dirigente ao jornal Politiken, da Dinamarca.

Ao Estado, a entidade confirmou que espera que a Fifa tome “providências” e que busca apoio de outras associações.

As regras da FIFA de fato impedem mensagens políticas ou religiosas em campo. A entidade prevê punições em casos de descumprimento. Por enquanto, a Fifa não tomou nenhuma decisão e insiste que a manifestação religiosa apenas ocorreu após a partida. Essa não é a primeira vez que o tema causa polêmica. Ao fim da Copa de 2002, a comemoração do pentacampeonato brasileiro foi repleta de mensagens religiosas.

A FIFA mostrou seu desagrado na época. Mas disse que não teria como impedir a equipe que acabara de se sagrar campeã do mundo de comemorar à sua maneira. A entidade diz que está “monitorando” a situação. E confirma que “alertou a CBF sobre os procedimentos relevantes sobre o assunto”. A Fifa alega que, no caso da final da Copa das Confederações, o ato dos brasileiros de se reunir para rezar ocorreu só após o apito final. E as leis apenas falam da situação em jogo. O Estado não conseguiu contato com Rodrigo Paiva, assessor da CBF, para comentar o caso.

***
Fonte: Notícias Cristãs

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

21 COMENTÁRIOS

  1. Esses dinamarqueses não tem mais nada para se preocupar hein? hehe( alias o que dizer de um pais onde um jornal desrespeita a religião mulçumana e não tá nem ai em vista de sua "liberdade de expressaõ" né?)
    Não estou aqui defendedno o Islã, hehe
    abraços
    Armando

  2. bEM DISSE jESUS: "sE FOSSEIS DO MUNDO, O MUNDO OS HONRARIA…", POR ISSO SE IRRITARAM, POIS O EVANGELHO É A LUZ QUE MOSTRA SUAS MÁS OBRAS, POR ISSO O MEDO DE ENCARAR ISSO, QUE DEUS PUNI OS CULPADOS, QUE CRISTOP É A VERDADE.eSSE SISTYEMA PERTENCE AO DIABO, DIZ JOÃO EM SEU LIVRO.
    NADA MAIS NATURAL PARA ELES FAZEREM ISSO.O QUE ESPERAR DE UMA NAÇÃO QUE ZOMBA DE DEUS?

  3. O Cristão comemora louvando a Deus e isso irrita muita gente!
    Porque os irritados não criticam os muçulmanos, que matam os cristãos, mas o mundo não se importa com esses fatos…lamentável!!!

  4. O triste é saber que se a comemoração fosse a maneira Sargentelli, e, com rituais a la Roberio de ogum, ninguém reclamaria, afinal de contas era apenas a manisfestação da "cultura brasileira!"

  5. Eu acho que vocês deveriam fazer uma simples reflexão: Se este tipo de manifestação for permitida, a Fifa será obrigada a permitir toda e qualquer manifestação religiosa.
    Além do que, não acredito que Deus acompanhe futebol. Na hora daquela oração (que aliás, me pareceu bem farisaica, porque Cristo foi bem claro ao dizer que se deve orar em secreto para ser recompensado em público) , o Altíssimo devia estar mais ocupado socorrendo a quem realmente necessitava d'Ele.
    Jesus não é um boneco de barro, mais um ídolo no panteão de falsos deuses do mundo. Jesus é atitude. E a atitude daqueles jogadores demonstrou muito pouco do verdadeiro cristianismo. Em vez de brincar de fariseu, deveriam ter ido lá e levantado o braço e aplaudido o time perdedor. Aí sim, Cristo seria realmente glorificado. Pelo menos, mostrariam que aprenderam com Jesus que os primeiros serão os últimos mas os que se põem como últimos serão realmente os primeiros.

  6. Costa Moreira,

    Seu comentário tem coerência. Já pensou se os jogadores muçulmanos decidem comemorar do mesmo modo? Ninguém poderia reclamar, afinal, os brasileiros rezam/oram para celebrar suas vitórias.

    Por outro lado, ao contrário do que você disse, eu realmente creio que a intenção dos jogadores foi dar um testemunho da sua fé. Realmente há coisas muito mais importantes do que o futebol, mas nem por isso eu creio que Deus estava "mais ocupado" cuidando dos famintos da Africa. Deus é onipresente.

    Outrossim, embora o futebol não seja o evento mais importante do mundo, creio que a atitude daqueles jogadores é muito semelhante à daquele crente que, ao passar na entrevista e conseguir aquele trabalho, dobra os joelhos e agradece em oração. Logicamente a fome na África, a repressão no Irã e a guerrilha na Colômbia são assuntos prioritários, mas isso não isenta nosso personagem fictício da sua dívida de gratidão.

    Enfim, apesar dos exageros, creio que a comemoração dos atletas é um bom testemunho, embora a preocupação da FIFA seja pertinente. O que fazer? Sei lá. Vou orar e deixar a FIFA decidir essa parada. Mas para mim, isso vai acabar em Pizza, rs…

    Abraço fraterno,

    Leonardo.

  7. Léo, meu irmão
    Você está certo na sua maneira de pensar mas há um problema. Tudo isto que você diz que o verdadeiro crente em Deus tem que fazer,ele deve fazer mesmo mas fazer para o Pai. Cristo foi bem claro em relação ao "orar nas ruas e em pé nas sinagogas para serem vistos pelos homens". Testemunho de fé cristã, na minha humilde e leiga opinião, se dá com atitudes como a que relatei, indo lá e cumprimentando o adversário, por exemplo.
    Eu me pergunto: se a seleção tivesse perdido a partida, mas alcançado o segundo lugar na competição, será que ainda assim agradeceria? Me parece mais aquela velha história: Deus me deu a vitória e eu agradeço. Se não desse, eu não agradeceria. Ou seja, aquela velha visão do Deus de barganhas que você mesmo combate tanto aqui e, por isso, te admiro tanto.
    E quando eu disse que Deus deveria "estar mais ocupado" foi uma forma de dizer que Deus não tem lado no futebol e certamente não favoreceu esta ou aquela seleção. Claro que reconheço a Sua onipresença.
    Não pretendo ficar treplicando infinitamente mas gostaria de te pedir que publique este humilde comentário, que, na verdade, é um complemento do seu.
    Eu penso que a Fifa não quer perseguir os cristãos e sim evitar que a Copa do Mundo se torne uma espécie de "Copa do que tem o melhor Deus" (sendo que sabemos que só há um Deus para toda a humanidade).
    Sem mais, seu leitor e amigo em Cristo.
    Costa Moreira

  8. portanto, todos os que são fiéis orem a Deus enquanto podes ser encontrado (Sl. 32:6). Em tudo que orar, que seja em declaração perante o Senhor (Dt. 26:5).
    Quanto ao modo de fazê-la, não seja hipócrita (Mt. 6:5-6).

  9. Leo, minha opinião é que a oração após o jogo não agride nenhuma religião. Apenas se reuniram em círculo e oraram de uma forma fervorosa, mas somente oraram. Acho que a FIFA deveria intervir se alguém carregasse uma enorme cruz para o campo ou levasse uma imagem da nossa senhora. Ou mesmo se os muçulmanos levassem Alcorões e começassem a rolar durante a partida. Mas não foi o que se viu… Vimos somente jogadores fazendo orações, o que poderia serem feitas qualquer que fosse a religião dos jogadores. Acho que, pelo contrário, demonstram um ato de fé e gratidão, o que deve servir de exemplo para os expectadores. Melhor a FIFA se preocupar com as cornetas sul-africanas… fariam mais bem aos ouvidos dos jogadores e torcedores!
    Visite meu blog: http://www.blogdocristo.blogspot.com

  10. Costa Moreira,

    "Eu me pergunto: se a seleção tivesse perdido a partida, mas alcançado o segundo lugar na competição, será que ainda assim agradeceria?" (sic)

    Essa foi na veia! rs… Embora eu não possa afirmar com certeza qual seria a reação dos atletas, também imagino que ninguém agradeceria…

  11. (não é tréplica, juro! – risos)
    Acabaram de me informar que o regulamento da Fifa proibe manifestações religiosas de quaisquer tipos. Sendo assim, os jogadores passaram por cima de uma regra do campeonato em que se inscreveram. Com isso, qualquer discussão sobre o assunto perde efeito.

  12. A FIFA PROIBE ORAR, É JUSTO?

    GENEBRA – A comemoração do Brasil pelo título da Copa das Confederações, na África do Sul, e o comportamento dos jogadores após a vitória sobre os Estados Unidos causaram polêmica na Europa. A queixa é de que a seleção estaria usando o futebol como palco para a religião. A FIFA confirmou à Agência Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final. Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da seleção brasileira fizeram uma roda no centro do campo e rezaram. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a FIFA e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer.

    “A religião não tem lugar no futebol”, afirmou Jim Stjerne Hansen, diretor da Associação Dinamarquesa. Para ele, a oração promovida pelos brasileiros em campo foi “EXAGERADA”. “Misturar religião e esporte daquela maneira foi quase criar um evento religioso em si. À Agência Estado, a entidade confirmou que espera que a FIFA tome “providências” e que busca apoio de outras associações. Fonte: Agência

    Ser “EVANGÉLICO” virou moda e tornou-se uma febre no meio esportivo, basta dar uma olhada nas transmissões de jogos pela TV e lá estão os “PSEUDO-EVANGÉLICOS” erguendo as mãos para o alto, fazendo o sinal da cruz, exibindo camisas, balbuciando palavras às vezes desconexas sem falar no tradicional “Pai Nosso”. Este ultimo é na base do BERRO como se fosse um “GRITO DE GUERRA” entre os atletas, mesmo que eles não tenham, na maioria das vezes, qualquer comportamento que expresse aquilo que estão REZANDO. O que me deixa perplexo e intrigado é ver pessoas que se declaram evangélicas aprovando tais práticas como se isto fosse um ORGULHO para a religião. A prova está aí, a febre KAKÁ que está mexendo com os evangélicos por ter o mesmo se declarado seguidor de uma das milhares de religiões existentes. A dele é a mesma dos Apóstolos ESTEVAM HERNANDES E SÔNIA HERNANDES os mesmos que foram detidos nos Estados Unidos por sonegação, com $50.000,00 dólares escondidos na BÍBLIA.

    Neste caso duas palavras me chamam a atenção, CAUTELA e PRECAUÇÃO. Cautela porque não é assumindo uma posição diante de um compromisso religioso que se pode definir um verdadeiro cristão, há de se analisar toda a sua conduta diante de todas as circunstâncias. Precaução porque hoje existem entidades que se definem como igrejas, mas que em nada se identificam com os princípios elementares na sua forma de adorar a Deus. Se duvido destes testemunhos? Com certeza absoluta! Não me convence, baseado nas ESCRITURAS, esta forma de espetacularizar e usar a fé transformando-a num meio de propaganda de GRUPOS RELIGIOSOS, que coloca de lado as questões básicas no exercício racional da fé. Como disse, hoje qualquer um e em qualquer lugar pode se declarar um EVANGÉLICO, fato que não dá nenhuma sustentação para acreditarmos que tais pessoas realmente tenham um comportamento adequado e afinado com os ensinos de Jesus.

    Continua…

  13. A FIFA PROIBE ORAR, É JUSTO?

    GENEBRA – A comemoração do Brasil pelo título da Copa das Confederações, na África do Sul, e o comportamento dos jogadores após a vitória sobre os Estados Unidos causaram polêmica na Europa. A queixa é de que a seleção estaria usando o futebol como palco para a religião. A FIFA confirmou à Agência Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final. Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da seleção brasileira fizeram uma roda no centro do campo e rezaram. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a FIFA e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer.

    “A religião não tem lugar no futebol”, afirmou Jim Stjerne Hansen, diretor da Associação Dinamarquesa. Para ele, a oração promovida pelos brasileiros em campo foi “EXAGERADA”. “Misturar religião e esporte daquela maneira foi quase criar um evento religioso em si. À Agência Estado, a entidade confirmou que espera que a FIFA tome “providências” e que busca apoio de outras associações. Fonte: Agência

    Ser “EVANGÉLICO” virou moda e tornou-se uma febre no meio esportivo, basta dar uma olhada nas transmissões de jogos pela TV e lá estão os “PSEUDO-EVANGÉLICOS” erguendo as mãos para o alto, fazendo o sinal da cruz, exibindo camisas, balbuciando palavras às vezes desconexas sem falar no tradicional “Pai Nosso”. Este ultimo é na base do BERRO como se fosse um “GRITO DE GUERRA” entre os atletas, mesmo que eles não tenham, na maioria das vezes, qualquer comportamento que expresse aquilo que estão REZANDO. O que me deixa perplexo e intrigado é ver pessoas que se declaram evangélicas aprovando tais práticas como se isto fosse um ORGULHO para a religião. A prova está aí, a febre KAKÁ que está mexendo com os evangélicos por ter o mesmo se declarado seguidor de uma das milhares de religiões existentes. A dele é a mesma dos Apóstolos ESTEVAM HERNANDES E SÔNIA HERNANDES os mesmos que foram detidos nos Estados Unidos por sonegação, com $50.000,00 dólares escondidos na BÍBLIA.

    Neste caso duas palavras me chamam a atenção, CAUTELA e PRECAUÇÃO. Cautela porque não é assumindo uma posição diante de um compromisso religioso que se pode definir um verdadeiro cristão, há de se analisar toda a sua conduta diante de todas as circunstâncias. Precaução porque hoje existem entidades que se definem como igrejas, mas que em nada se identificam com os princípios elementares na sua forma de adorar a Deus. Se duvido destes testemunhos? Com certeza absoluta! Não me convence, baseado nas ESCRITURAS, esta forma de espetacularizar e usar a fé transformando-a num meio de propaganda de GRUPOS RELIGIOSOS, que coloca de lado as questões básicas no exercício racional da fé. Como disse, hoje qualquer um e em qualquer lugar pode se declarar um EVANGÉLICO, fato que não dá nenhuma sustentação para acreditarmos que tais pessoas realmente tenham um comportamento adequado e afinado com os ensinos de Jesus.

    Continua…

  14. Continuação…

    É justa a posição da FIFA? Não tenho duvidas quanto a isto uma vez que os evangélicos, isto inclui todos os grupos, se eximiram da responsabilidade de tomarem uma atitude mais forte nesta HIPOCRISIA RELIGIOSA. O que me deixa preocupado é que foi preciso a FIFA chamar a atenção de dirigentes para por um freio nesta exploração irracional da fé nos jogos de futebol. Prefiro assim a ter que conviver com a desmoralização da religião que já alcança índices alarmantes em nos quatro cantos da terra. Esta farsa religiosa precisa urgentemente ser desmontada, do contrário, só Deus sabe onde vamos parar!

    “BEM-AVENTURADO o varão que não anda segundo os conselhos dos ímpios, nem se detém no caminho dos PECADORES, nem se assenta na roda dos escarnecedores. ANTES, tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite” – Salmos 1 : 1 e 2. Este texto por si só da a dimensão exata do que deve ser a vida de um cidadão comprometido com o Evangelho, ele explicita qual deve ser a conduta que o homem deve ter para ser bem sucedido na sua vida. Paulo recomenda: “Fugi da APARÊNCIA do mal” – I Tessalonicenses 5:22 o que me permite afirmar que no mínimo há algo incompatível nesta onda de se envolver as questões religiosas com as práticas esportivas. Ali é um JOGO, portanto, condenável diante das Escrituras. Você pode refutar dizendo que é apenas uma PROFISSÃO no que não discordo, mas para um cristão verdadeiro fica muito claro que há alternativas para que ele possa ganhar a vida sem se envolver com coisas desta natureza. Nesta linha de raciocínio um CARRASCO que se declare cristão está isento da condenação por ser um PROFISSIOINAL da morte. Desculpe a minha ignorância, mas prefiro um Evangelho que não esteja ATRELADO com as coisas deste mundo, mesmo que isto pareça utópico. Esta banalização da religião e esta exposição na mídia em nada contribuem para o fortalecimento do cristianismo, pelo contrário, o que se vê é uma enxurrada de produtos piratas rotulados de igreja negociando a fé do povo em troca de qualquer coisa, e quando o assunto é DINHEIRO a coisa fica ainda mais evidente.

    Assim, para a nossa HUMILHAÇÃO e VERGONHA, foi necessário que uma entidade sem qualquer relação com o cristianismo, a FIFA, tomasse uma posição dura, já que nós coitados religiosos de fachada sequer fomos incomodados com estes desmandos que notadamente maculam a história da religião. Já veio tarde e eu espero que os nossos líderes consigam enxergar neste posicionamento os seus equívocos religiosos e passem a tratar o cristianismo com respeito evitando constrangimentos desta natureza para o exercício da fé.

    “…Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavras, quer por epístola…” – I Tessalonicenses 2:2.

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms2casa@hotmail.com

  15. Se querem tirar esta forma de agradecimento, devem tirar também o sinal da cruz(usado pela maioria dos jogadores antes, durante e depois de entrar em campo, em aluzão ao Catolicismo).

    Gente, não dá pra voltar atrás, temos que seguir com o evangelho, vamos orar por estes que não suportam os crentes, Cristo é o segredo de nossas conquistas, Ele é quem nos garante, "somos mais que vencedores", e não é a fifa, nem os dinamarqueses e muito menos o Sr. Galvão Bueno com o seu "poder" de perssuação dessa vez tenho que usar a frase do Zagalo, "eles vão ter que engolir", e digo mais: "se retirarem o evangelho dos campos o futebol não sera o mesmo".

    …Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão. Lc 19.40

    Antonio Nascimento.
    tjr1@oi.com.br

  16. Somoa 30% do brasil e vai saber quantos no mundo, poor isso nos evangelicos ao meu ver devemos parar de nos alimentar da comida suja que esses impios servem. Bem se a FIFA nao quer que os louvemos a Deus vamos parar de assistir os jogos, parar de compras as camisetas dos times, para de ir no estadio serao 30% menos pra eles.
    Nos evangelicos temos que parar… é como a historia da novela..todos condemanos pois ensina tudo o que abomina a deus, homosexualismo, adulterio e trapassa, mas estamos lá na frente da TV. toda noite pra assistir.. Acho engrecado eles se encomodam quando um jogador usa uma camisa I LOVE JESUS mas quando eles sao pivos de escandalos de todo o tipo (sexuais, drogas etc)ai ninguém se encomoda.

    IRMAOS TEMOS QUE NOS ORGANIZAR… E PARAR DE CONSUMIR O QUE O MUNDO PREPARA… POIS A MAIORIA DELES N TA NEM AI P DEUS…

    jESUS ABENCOE A TODOS

    EDUARDO LARRION
    en.larrion@bol.com.br

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui