O internauta pergunta: crescimento no setor evangélico; bom ou ruim?

8
443
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Leonardo:

Assine o Blesss
“Gostaria de ler um comentário seu acerca da matéria publicada na revista Época, na qual apresentam a estimativa de que em 2020, metade da população brasileira será evangélica”.

J. Júnior, Três Corações – Brasil
Prezado irmão,

A matéria de Nelito Fernandes na revista Época, baseada em informações obtidas por meio da SEPAL, está baseada na premissa de que as igrejas evangélicas continuarão crescerão nos próximos vinte anos na mesma proporção que há 40 anos atrás. Da década de 60 até os dias atuais, o número de evangélicos no Brasil cresceu de 4 para 24 por cento, e a tendência é continuar crescendo. Se este crescimento se dará na mesma proporção que nas últimas 5 décadas, não sabemos, mas tudo indica que a igreja evangélica ganhará muitos novos adeptos. No entanto, o mais preocupante é o modo como essa igreja está crescendo: Se uma criança que cresce em tamanho, mas não amadurece mentalmente, dizemos que ela é doente. Do mesmo modo uma igreja que cresce em número, mas que não cresce em conhecimento, amor, zelo missionário, mordomia dos dons e ortopraxia, só pode estar enferma.

Particularmente, não fiquei comovido ou sobremodo contente com o prognóstico da revista Época, pelos seguintes motivos:

1. Apesar do crescimento notório, a igreja evangélica tem crescido às custas da importação de práticas pagãs: através do sal grosso e arruda do espiritismo, da água benta e do comércio de ícones do catolicismo, dos talismãs do xamanismo, da incorporação de práticas liturgicas oriundas da macumba africana (popularmente conhecidas como reteté), da teologia simonista importada dos E.U.A., da judaização da igreja que traz elementos “alienígenas” para o culto cristão, tais como Menoráh, réplicas da Arca, Cajado de Moisés, enfim, um crescimento doente, nocivo, perigoso, letal.

2. Outra razão porque não consigo me alegrar com a matéria da Época, são os crescentes escândalos e a frouxidão moral que impera em nosso meio. Podemos ver isso no comentário da antropóloga Christina Vital, na própria revista. Ela afirma que “os evangélicos não vão apenas mudar a sociedade brasileira, eles mudarão com ela”. Infelizmente isso já está acontecendo. O que a gente mais vê hoje é esta simbiose entre igreja e paganismo, uma adaptação dos valores do Reino às demandas do mercado de consumo religioso.

Ainda acerca do atual momento evangélico, Christina diz: “O movimento adapta-se aos costumes, o que deverá continuar nos próximos anos. Hoje temos igrejas evangélicas que aceitam gays”. Esta vergonhosa realidade também é percebida por Ari Pedro Oro, ao lembrar que “a religião evangélica foi abrasileirada e já não tem um foco tão grande de moralismo”.

3. Também não me iludo com o prognóstico da revista, porque sei que apesar do vultuoso crescimento dos evangélicos, esse crescimento se dá justamente naqueles setores mais doentes do protestantismo. Hoje em dia, as igrejas que mais crescem são aquelas que conhecemos como neopentecostais, igrejas que, salvo raríssimas exceções, são um foco de proliferação de heresias como maldição hereditária e demonização das ações humanas (não é o homem que decide ser homossexual, é o espírito do homossexualismo; não é o ladrão que rouba, e sim o espírito do latrocínio; não é o marido que bate na mulher, ele é vítima do espírito de violência). Fenômenos como Waldemiro Santiago e as toalhas ungidas devem aumentar nos próximos anos. Enquanto isso, as denominações históricas vão perder espaço na mesma proporção, pelo fato de não atenderem às demandas do mercado.

Eu estou absolutamente convicto de que, no ritmo que vamos, se Jesus tardar em buscar a igreja, teremos uma igreja evangélica muito grande em 2020. No entanto, me pergunto qual será a cara dessa igreja evangélica?

Será uma igreja que prega o evangelho em sua essência, ou deixará o evangelho de lado, substituindo-o pela famosa barganha com Deus, onde a misericordia divina é medida pela minha capacidade de dizimar e ofertar? Será o sal da terra e a luz do mundo, que se destaca e diferencia daqueles que a cercam, ou absorverá toda essa cultura mundana, tornando-se iguais àqueles a quem pregamos? Será conhecida por causa daqueles poucos, mas fiéis servos que não se deixam corromper, ou pelas figuras midiáticas como Malafaias, Felicianos, Waldemiros, Macedos, Hernandes e Soares da vida?

Não desejo com isso minar a fé e nem roubar a alegria de ninguém. Sei que muitos receberam essa estimativa como boa nova dos céus. Porém, não podemos deixar de ser realistas e reconhecer aquilo que realmente está em jogo. Todo crescimento é bom, desde que seja acompanhado de maturidade, inteligência, saúde. Desejo muito o crescimento da igreja, tanto que, tendo igreja para pastorear no Brasil, optei pelo campo missionário. Contudo, não posso ser hipócrita e fingir que está tudo bem. O que temos visto na igreja contemporânea de modo geral é inchaço, e não crescimento; é adesão, e não conversão. Crentes são substituidos por clientes, o púlpito cedeu lugar ao balcão de comércio, os dízimos foram transformados em dividendos e a bíblia passou a ser um mero adorno, um talismã mais na coleção de amuletos cristãos. Creio que tal crescimento jamais será bem visto aos olhos do Senhor.

Um abraço, do seu irmão que ora por um crescimento não apenas denominacional e numérico, mas também moral e espiritual;

Leonardo.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

8 COMENTÁRIOS

  1. Precisamos dessa lucidez na igreja. Eu queria aproveitar e dizer que não sou "anti-igreja". Eu apenas acho que uma igreja "santa" é possível sim. Eu passei dois anos de minha vida indo em várias igrejas para finalmente descobrir que "não existe igreja perfeita" e "suba aqui na mula manca e vamos passear". Quanto mais a "igreja evangélica" crescer, mais a verdadeira igreja vai decrescer.
    Meu interesse, como humilde amigo de Jesus é que, cada dia mais, floresça o evangelho. Que cada dia mais, as pessoas comam do bolo (Jesus) e parem de lamber a cobertura (Paulo) e futucar o recheio (o Velho Testamento). Não precisam exatamente tirar a cobertura e o recheio, embora seja mais saudável comer apenas o bolo. Mas comendo tudo junto já está de bom tamanho.

  2. FAÇO CORO COM VC, ESSE CRESCIMENTO RAPIDO É MUITO PERIGOSO, NÃO POR CAUSA DO CRESCIMENTO EM SI MAS PELA FALTA DE MATURIDADE DOS LIDERES DAS IGREJAS E PELO ANALFABETISMO BIBLICO QUE OS CRISTÃOS SE ENCONTRAM…, NÃO DUVIDO DA SINCERIDADE DE MUITOS MAS, SÃO VITIMAS DE UMA TEOLOGIA NÃO BIBLICA E DE INTERESSES PESSOAIS QUE ACABAM CONTAMINANDO E MINANDO A IGREJA, NÃO QUE ESSE QUADRO NÃO POSSA MUDAR MAS A HISTORIA MOSTRA QUE ISSO JÁ ACONTECEU QUANDO A IGREJA PRIMITIVA PERDEU SEU RUMO. CREIO QUE POSSA E ESTA ACONTECENDO DE NOVO.

  3. Prezado Leonardo,

    A primeira coisa que precisa ficar clara é que NÃO É O EVANGELHO que está crescendo, são religiões que vivem inescrupulosamente da exploração da fé. O Verdadeiro Evangelho em se tratando de crescimento está engatinhando até porque poucos são os que efetivamente querem assumir um compromisso de lealdade aos seus princípios.
    No Brasil virou moda ser evangélico e desta forma até a tal Carlos Peres se identifica como tal, mesmo que o seu comportamento são taduza qualquer identidade com os ensinos de Jesus. Lamentavelmente as lideranças estão correndo atrás de numero e não de qualidade e neste caso quelquer um pode ser crente desde que mantenha a sua contribuição em dia.
    A qulidade espiritual foi BANIDA de nossas igrejas dando lugar a uma qualidade tecnológica demoniaca que colocou em risco a mensagem veradeira do Evangelho, assim em nome de acompanhar a modernização e de um evangelho mistico as pessoas são atraídas por ofertas de um cristianismo de facilidades onde o TER é mais importante que o SER.
    Vivemos a era do evangelho de deuses e não de DEUS onde tudo é venerado, tudo é cobiçado e faz-se qualquer coisa para que os objetivos sejam alcançados.

    Carlos Roberto
    crms2casa@hotmail.com

  4. Infelizmente não tenho certeza se foi na revista Ultimato q li uma matéria dizendo justamente o contrário, que esse tipo de circo, ops, de movimento gospel, entrará em declínio nos próximos anos, pois já atingiu um ponto de saturação.

    Qualquer um que conversar com alguns líderes desses movimentos que causa adesões e não conversões, irá confirmar que há um rodízio muito grande nessas igrejas, pessoas que já aderiram ou já se converteram, pulam de um templo para o outro, justamente atrás de uma nova "unção".

    Se vc frequentar uma igreja dessas e se ausentar por dois anos, qdo voltar mais da metade já terá saído.

    Primeiro pelo fato q eu acabei de citar, o rodízio constante.

    Segundo pelas bênçãos não alcançadas, pois as pessoas aderiram com a promessa de serem curadas e de serem prósperos financeiramente, qdo isso não ocorre elas deixam de frequentar.

    Terceiro a repercussão dos escândalos envolvendo "pastores", o que trará uma péssima imagem para igreja evangélica no Brasil.

    E o que mais me preocupa, é q o islamismo está crescendo no mundo, mais do que o cristianismo.

    Então o declínio do cristianismo no Brasil se encontraria com a ascensão do islamismo, e o islamismo chegando aqui encontrará um povo débil q tem a fé estruturada nos versículos contidos na caixinha de promessas.

    Não preciso nem falar qual será o resultado disso, preciso?

  5. Alex, foi o Paul Freston que alertou sobre a tendência de diminuição das taxas de crescimento do número de evangélicos, numa série de artigos no Ultimato.

    Certa feita, conversando em um grupo com uma celebridade controversa no meio gospel, foi-lhe perguntado como ficaria a questão da maturidade dos convertidos que ali se contabilizavam as centenas por mês, uma vez que a igreja não tinha uma estrutura que possibilitasse o ensino da Palavra de maneira consistente e com acompanhamento sadio – já que os oficiais dessa instituição precisavam se desdobrar em várias frentes par dar conta de tudo que o "ungido" dizia ser ordem de Deus para que fossem realizadas.

    Sua resposta foi: "Deus quer multidão na igreja. Se é Deus quem está salvando, Ele mesmo vai dar o crescimento." E os babacas (incluindo-me nessa categoria naquela época) só faltaram aplaudir em pé diante de tanta sabedoria. É uma explicação lógica, mas é manca nas premissas que a supõem.

  6. Quando JESUS me encontrou, eu imediatamente comecei a ler a Bíblia, a estudar, a pesquisar e a perguntar muito. Graças a DEUS que colocou pessoas perto de mim que também liam e estudava a Palavra de DEUS, mas me entristeci muito ao saber que nem todos liam.

    Faz parte da cultura do brasileiro não ter o hábito de leitura, pensei que com os crentes fosse diferente. Engano meu. Conheci pessoas que nunca leram a Palavra de DEUS, mesmo sendo crentes há muitos anos, ou nascidos no evangelho.

    A cidade onde moro tem 18 quadras. Quando eu era criança, na década de 60, me assustava com o número de centros de macumba que havia aqui. O cenário mudou na década de 70 quando aumentou o número de igrejas evangélicas. No final da década de 80 já havia mais 2 por quadra. Hoje a cidade tem em média umas 4 por quadra.

    Todos esses ministérios quando começaram aqui, até 1990, fizeram trabalhos evangelísticos, muitos foram para a igreja, ou já eram, mas os fiéis, em sua maioria nunca tiveram o hábito da leitura bíblica, porque para eles a escola dominical é o suficiente.

    Com o sincretismo religioso de 1990 pra cá, a coisa piorou, justamente por não lerem a bíblia, até mesmo antigos crentes na fé, se deixaram levar por hereges como Macedo, Soares, Hernandes, etc. Se houvesse a meditação na Palavra de DEUS de dia e de noite, a situação agora seria diferente.

    Alex, discordo de você. A igreja vai continuar sim a crescer em quantidade e não vai diminuir como você afirma; porque o perfil da igreja que está se formando é de uma igreja que aceita o pecado, que trata o pecado como o bichinho de estimação do pecador.

    Logo a igreja fará o serviço do "pet shop", vai "tratar", e algumas já estão acariciando, o pecado de estimação com tanto zelo, que alguns deles já têm até "pedigree", como os citados pelo LEO: o espírito do homossexualismo, o espírito do latrocínio, o espírito da violência, …

    Uma observação, conheci músicos que as músicas deles são cantadas há muitos anos, que nunca, nunca leram a Bíblia. Um que eu conheci era de uma igreja da Vila da Penha; na década de 90 lançou músicas que foram cantadas em todo o Brasil.

  7. Laudemar diz:

    conforme a Igreja professa cresce também cresce o conformismo com mundo, a Igreja se unindo ao estado, previsto pelos próprios sociologos,vemos aí que a Igreja vai se conformar com as opiniões da sociedade, adaptar ao conceito popular e daí por diante, claro algumas coisa vai mudar, mas nem todas coisas irão mudar por exemplo,algumas como os próprios sociólogos e antropólogos previram o pecado na área sexual serão permitidas claramente dentro das congregações cristãs, vai ter o "acordão" dentro das Igrejas apenas para não perderem seus membros, vão apelar para lei do amor e esquecerão da justiça divina,mas claro queremos que brasil seja para cristo,mas com sinceridade,porque Deus não quer quantidade,mas qualidade,aliás apenas os remanescente serão salvos enquanto a Igreja professa ficarão para trás.

    romanos12:2
    E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus

    Efésios
    5:5
    Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.

    Ezequiel
    22:26
    Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem discernem o impuro do puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles.

    apocalipse 3 4 ¶ E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
    15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
    16 Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
    17 Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
    18 Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
    19 Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
    20 Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
    21 Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
    22 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui