Igreja xiita!

18
261
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Leonardo Gonçalves

Igreja xiita! Sim, xiita e preconceituosa, que ensina os crentes que a santidade está em abandonar a calça jeans e usar uma saia comprida até na canela; que mente aos homens dizendo que jogar futebol é coisa do diabo, e onde o pecado é definido e redefinido segundo o achômetro do pastor.

Tenho muita pena dos membros dessas igrejas, pois sei que no final de tudo eles são vítimas. São vítimas de uma liderança farisaica que se encerra dentro de um caixote, e de líderes avestruzes que enfiam a cabeça na terra para não enxergar o que acontece no mundo. Avestruzes que não assistem televisão, mas vivem pendurados na internet. Avestruzes desinformados que enfiam a cabeça na terra e não vêem a real necessidade do mundo! Avestruzes que falam de missões, mas a missão que eles conhecem não vai mais longe do que o famigerado congresso do Balneário Camboriú. Avestruzes que enfiam a cabeça na terra e depois reclamam quando alguém mete bala no seu rabo (*).

“Ai!!! Quem foi que atirou no meu rabo?”. Como é que o avestruz vai saber? Ele estava com a cabeça dentro do buraco e não viu quando, por causa desses extremismos, o mundo começou a zombar de nós. E quando, por causa da sem vergonhice gospel, a globo começa a falar mal dos crentes, o avestruz reclama, diz que é perseguição da mídia… Pobre avestruz.

As vezes me pergunto o que aconteceria se Jesus viesse hoje à terra, da mesma forma que há 2 mil anos atrás. O que aconteceria se os crentes evangélicos vissem Jesus comendo na casa de político corrupto, ou conversando com a “Bruna surfistinha” sozinho no banco da praça? O fariam os nossos tradicionais irmãos, aqueles dos “bons costumes”, se vissem uma mulher de calça jeans e brinco de argola, acariciando os pés de Jesus, beijando e enxugando-os com seu cabelo. O que faria essa gente quando Jesus proferisse seu famoso discurso de Mateus 23, e bradasse em alto e bom som:

Assine o Blesss

“Ai de vós, hipócritas, que limpais o exterior do copo e do prato, mas no interior estão cheio de rapina e de iniquidade”

“Ai de vós, hipócritas! Que parecem com sepulcros caiados, que por fora se mostram belos, mas por dentro estão cheios de podridão!”

“Guias cegos! Vocês coam os mosquitos e comem camelos”. Preocupam-se tanto com vestimentas, mas pregam heresias!

“Ai de vós, tradicionalistas hipócritas! Porque cruzam o céu em avião para fazer novos convertidos (missionários?); mas depois que ganham essa alma, fazem dele um filho do inferno, duas vezes mais preconceituoso e xiita que vocês!”

E na minha imaginação, vejo-os fazendo exatamente o que fizeram à 2 mil anos atrás: julgando, condenado e crucificando novamente o Filho de Deus!

***
(*) – Apenas à guisa de esclarecimento: o uso da palavra rabo no referido contexto, não é uma expressão desrespeitosa, ou um palavrão. Lembre-se que esta palavra foi usada no contexto do mundo animal, e animais não têm nádegas, têm rabo mesmo.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

18 COMENTÁRIOS

  1. Irmão Leonardo Gonçalves,

    A paz do Senhor.

    Sou assembleiano desde que nasci, sou a quarta geração de assembleianos na minha cidade, na minha familia.

    Após ler o seu post me senti ofendido, pois, você generalizou todos os assembleianos. Tenho certeza que na sua igreja existe pessoas erradas [liberais demais ou conservadoras demais].

    Sim, acredito que existem pessoas na Assembléia de Deus que se dizem santos demais, e debaixo dos seus ternos e vestimentas são grandes hipócritas, tentando julgar as pessoas.

    Quando redigimos um texto para apresentação pública, mesmo que seja para demonstrar o nosso ponto de vista, devemos olhar as duas faces da moeda, para não escrever bobeira.

    Você caiu no próprio buraco que cavou. Tomou atitudes dos fariseus, analisando apenas o lado errado, querendo se fazer juiz e condenando aquilo que não sabe direito. Prova disso é a seguinte frase, retirada do seu “post”:

    “E na minha imaginação, vejo-os fazendo exatamente o que fizeram à 2 mil anos atrás: julgando, condenado e crucificando novamente o Filho de Deus!”

    Eclesiastes 7:16: “Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?”

    Jesus condena o hábito de criticar os outros, sendo nós mesmos faltosos (Mateus 7:1-6). Claro que Mt 7:1 não deve servir de desculpa para a omissão do exercício da disciplina eclesiástica (18:15).

    Cristo não está abolindo a necessidade do exercício do discernimento e de fazermos avaliação dos pecados dos outros. O crente é ordenado a identificar falsos ministros dentro da igreja (v. 15) e avaliar o caráter de certas pessoas (v. 6; Jo 7:24; 1Co 5:12) mas de modo justo.

    Para lhe ajudar nos seus conhecimentos, para a sua próxima publicação [se tiver] sobre Assembléia de Deus, leia o artigo a seguir do pastor assembleiano Ciro Zibordi:

    http://cirozibordi.blogspot.com/2009/01/por-que-assembleia-de-deus-nasceu-e.html

    Faça uma visita no site da mocidade da Assembléia de Deus em Uberaba, veja as fotos e tire suas conclusões:

    http://www.umadu.com.br

    PS.: Avestruz não coloca cabeça debaixo da terra, comprovado cientificamente.

    Em Cristo,

    ILGB

  2. Aposto todas fichas, sem nenhum medo de perder: A “santidade às avessas” desses cristãos xiítas, não permitiriam reconhecer hoje um Cristo trajando calças jeans.

    Um outro personagem do início da era cristã, seria facilmente reconhecido como um “íntegro homem religioso”, pelas vestimentas, é claro!

    Entre um barbudo(sem formusura) de calça jeans e um trajando terno de grife, eles ficariam com o último.

    Mas aqui pra nós: esse tipo de cristão impecavelmente vestido de paletó branco(como a neve) e calça branca, parece ou não parece um sepulcro caiado?

    Abçs,
    Levi B. Santos

  3. Caro irmão Igor Goulart,

    Quero primeiramente agradecer a sua visita e comentário aqui no blog. Gosto de ouvir opiniões, e até aquelas que são contrárias às minhas próprias, pois as críticas nos ajudam a crescer.

    Com respeito ao seu comentário, gostaria de fazer as seguintes colocações:

    1. Definitivamente não entendo como alguém pode ser assembleiano desde o nascimento. Sinceramente pensei que a opção religiosa era tomada em algum período posterior da vida. Acredito que você quis dizer que seus pais te levavam a igreja Assembléia de Deus desde pequeno, o que é mais fácil de conceber. Se este for o caso, te felicito! Não tive esse privilégio: meu contato com a igreja surgiu na adolescencia.

    2. Em segundo lugar, embora o texto tenha sido redigido primeiramente como resposta a um pastor assembleiano, defensor da sacramentalização dos usos e costumes como fator preponderante na redenção, não citei em nenhum lugar o nome Assemebléia de Deus, e sim usei a expressão “bons costumes”, jargão praticamente patenteado pela AD.

    3. Logo, com respeito a minha igreja, ela também tem liberais e conservadores, e recentemente tivemos um pleito de representantes de ambas correntes pela presidencia da nossa convenção. Sim, sou membro da Assembléia de Deus e ministro dessa igreja e convenção. Portanto, cortei na própria carne ao escrever este texto, e é essa a razão da aparente generalização. Eu falo como assembleiano, e como pastor assembleiano; se dói em você, muito mais em mim.

    4. Cada vez mais está difícil ver as duas faces da moeda. A tendencia das igrejas nessa época, infelizmente, é polarizar: ou extremista, fundamentalista, xiita; ou liberal, profano e sensual. O bom senso, como aferidor do cristão, está olvidado, e se não fosse a opinião moderada de alguns remanescentes, dentre os quais o mencionado pastor Ciro, o movimento pentecostal brasileiro já teria perdido toda credibilidade no meio evangélico e secular.

    5. As explicações acima devem ser suficiente para demonstrar que eu não falei “daquilo que não sei direito”, antes expus um lado conhecido, porém ignorado de algumas igrejas, dentre elas a denominação a que pertenço. Não tomei a posição do fariseu, e nem me arvorei de calúnias: falo do que vi dezenas de vezes em meus poucos anos de vida e de cristianismo.

    6. O mais engraçado, contudo, é que eu estava disposto a incluir Eclesiastes 7.16 – versículo citado por você – no final do texto, mas preferi deixá-lo de fora para não truncar o ensaio, que termina justamente com uma sucessão de versículos bíblicos. Faço votos de que os cristãos “conservadores” leiam este versículo e aprendam a preciosa lição que ele nos ensina.

    7. Com respeito à passagem de Mateus 7.1-6, está claro que Jesus não proibiu o juizo, apenas proibiu o julgamento hipócrita. Observe que no mesmo contexto ele nos ensina a julgar/discernir a qualidade da árvore mediante a observação do fruto (Mt 7.15-20), e no caso mencionado no texto, o fruto em questão é podre. A igreja deve disseminar vida; não matar. Ela deve condenar o pecado; não o pecador. Ela deve refletir o caráter de Cristo; não dos fariseus.

    8. Aclaro que apesar das semelhanças com o costume de algumas congregações da AD, o texto não alude a apenas uma denominação, e sim a milhares de membros equivocados distribuidos entre centenas de denominações. Sei que a carapuça as vezes serve, mas ela não foi feita sob medida para ninguém.

    Por último, agradeço profundamente a recomendação do artigo do pastor Ciro Zibordi. Agradeço também a recomendação do site dos da UMADU. Visitarei ambos sites assim que puder. Grato também pela correção no que tange ao avestruz, mas acrescento que não tive intenção de demonstrar uma verdade científica: apenas usei um adágio popular.

    E se me permite fazer também uma recomendação:

    “Jamais permita que seu amor pela denominação substitua seu amor pela IGREJA, e que seu zelo pela religião suplante seu zelo de DEUS. Nada, absolutamente nada, nem um livro, nem um pregador, nem uma bandeira denominacional, NADA deve ocupar em nossos corações o espaço que só cabe à VERDADE”.

    Fraternalmente, em Cristo;

    Leonardo Gonçalves.

  4. Irmão Leonardo,

    A paz do Senhor.

    Obrigado pela atenção, comecei a navegar pelos blogs a pouco tempo, criei até um para mim. Também tenho aprendido muito com o blog que criei e com os comentários que faço.

    Mas vamos aos fatos, com muito respeito, na mesma ordem das suas explicações:

    1. Realmente, me expressei errado. Nasci em um lar evangélico, para honra e glória do Senhor, graças a Deus. Aceitei ao Senhor Jesus na minha pré-adolescência. Mas, quero deixar claro, não coloquei esse comentário para me orgulhar, apenas para demonstrar o tempo que estou nessa denominação.

    Me alegro do irmão ter conhecido a igreja na adolescência, uma fase de muitos descobrimentos, graças a Deus.

    2. Agora entendi a verdadeira intenção do texto. Mas, me recordo de ter lido “assembleianos”; devo estar enganado. Por isso que fiz o comentário anterior, pois eu não iria criar um comentário daquele parâmetro sem ter alguma confirmação do que se tratava. Mas, tudo bem, estamos esclarecidos.

    3. Especificando que se trata de uma resposta a outro pastor, entendo perfeitamente a sua indignação. Tentando abrir os olhos do mesmo. Não tem como eu deixar de lado a questão dos costumes, muitas vezes o exagero atrapalha a imagem da igreja, não apenas a AD, mas todas denominações.

    4. Concordo plenamente, a “o filmes está sendo queimado” pelos extremistas. Mas, Deus ainda coloca e levanta verdadeiros homens da palavra diante a igreja. Não podemos esquecer que nos finais dos tempo muitos falsos mestres surgiram, temos que levar em consideração, a vinda do Senhor está próxima.

    5. Acredito em você. Realmente não tem como negar, também já vi muitos irmão sendo excluído por bobeiras, por exemplo:

    Um irmão estava voltando do serviço, no caminho tinha alguns garotos jogando bola, de repente à bola foi na direção do irmão. Vendo a bola vindo na direção dele, logo chutou ela para os meninos. Infelizmente, estava passando outro membro da igreja, adivinha o que aconteceu?

    Mas, deixo claro, me recordo de você ter escrito “assembleianos”.

    6. Não apenas os conservadores, mas o liberais demais. Para entender que a palavra certa é MODERAÇÃO.

    7. Sim, não estava querendo dizer que o irmão é hipócrita, de maneira alguma. Apenas para tomar cuidado, como eu devo também tomar cuidado. É muito triste jugar as pessoas quando nós mesmos cometemos os mesmos erros. Infelizmente, têm muita gente assim, principalmente os irmãos fariseus.

    8. Muitas vezes esse é o ponto-chave, não é apenas uma denominação que exagera nos costumes, aumentando as criticas e visões erradas de pessoas não-evangelicas.

    Por último, agradeço profundamente a recomendação do artigo do pastor Ciro Zibordi. Agradeço também a recomendação do site dos da UMADU. Visitarei ambos sites assim que puder. Grato também pela correção no que tange ao avestruz, mas acrescento que não tive intenção de demonstrar uma verdade científica: apenas usei um adágio popular.

    Obrigado pela resposta, a frase que você me recomendou, abraço-a com muito prazer. Sei que o Bom Pastor não são os pastores das denominações, mas sim o Senhor Jesus Cristo, aquele que pregamos nos corações das pessoas.

    Continuo acompanhado o seu blog diariamente. Estão de parabéns, que o Senhor os abençoe.

    Visite o meu quando possível: igborges.blogspot.com. Estou fazendo algumas mudanças, logo estará funcionando normalmente.

    Em Cristo,

    ILGB

  5. Aiiiiiiiiiiiii Léo meu herói!kkkkkkkkkkkk. Respondeu bem ao nosso amado irmão Goulart. Sabe Léo,as vezes fico pensando que não é facil para as pessoas que recebem tais doutrinas enxergar a Verdade,pois o terrorismo religioso suplantado nos lombos deles é terrível. Ouvi uma certa vez o pastor(?)Adão de Campos da AD dizer em seu “testemunho” que ele viu no céu um anjo que guardava os cabelos das “irmãs” e detonava elas por cortarem e que elas não entrariam no céu por isso.Vê se pode?rsrsrs. E assim as doutrinas do inferno vem se alastrando igreja afora.Deus nos livre dessas babozeiras infernais que destroem a sã doutrina.A paz.

  6. Faço minhas as considerações feitas pelo leitor ILGB. E faço apenas uma colocação ao autor do artigo. Vc tem que respeitar as Igrejas que adotam a prática de usos e costumes dessas tais igrejas tradicionais, pois elas foram essenciais para uma formação sadia de crentes que a souberam adotá-las para si. Tempos atrás, se podiam distinguir um crente no Brasil…Hoje, é impossível…Deus não quer só o coração… A Sua Palavra é muito clara: O Senhor quer ALMA, CORPO E CORAÇÃO SANTIFICADOS. Separados… Não podemor prezar apenas pelo corpo, senão nos tornamos LEGALISTAS, e nem também o inverso…

  7. Levi Bronzeado,

    De todos os escandalos que Jesus provocaria aos nossos hermanos, creio que o maior deles seria o momento em que ele transformasse refrigereco em cerveja skol, rs… Aliás, acho que se a gente contextualizar isso, dá até um ensaio interessante! O que acha?

    Abraço,

    Leonardo.

  8. Anônimo,

    Um dia ainda vou descobrir porque é que todo anônimo é machão, escreve em caixa-alta e insulta o blogueiro. Quanto aos versículos citados, eles falam de santificação do corpo, mas quem te disse que santidade é usar saia comprida e não cortar o cabelo? Acorda, rapaz!

    Ainda é tempo…

    Leonardo.

  9. Olá Ed,

    Acho que eu e o Igor estamos vendo a coisa da mesma maneira, porém o modo como foi redigido o texto provocou essa reação. Ele, ao que entendi, concorda com tudo que foi dito, mas acrescentou que nem tudo são espinhos. Está correto: eu é que as vezes pereciso fazer força pra lembrar que existe um “lado bom” dentro do evangelicalismo, rs… Mas, no fim das contas: ainda bem que ninguém reclamou do título…

    Paz e bem.

  10. PARA PENSAR!

    Encontrei nas minhas andanças uma história bastante interessante que usarei como analogia para mostrar como as pessoas estão descrevendo a “igreja” nestes dias. Para quase toda a totalidade delas, elas, as igrejas, são todas iguais, pois na sua essência, buscam de alguma forma adorar a Deus. Alguns ainda usam a Bíblia para justificarem suas posições afirmando que o que importa é que Cristo seja conhecido. O texto de Filipenses 1:18 é empregado abertamente como argumento para não questionarem as distorções e as heresias pregadas nas igrejas de fachada.

    Conta-se que quatro homens cegos encontram um “elefante”. Já que aqueles homens nunca tinham encontrado um elefante, eles começam a apalpá-lo, buscando entender e descrever esse novo fenômeno. Um agarra a tromba e conclui, é uma cobra. Outro examina uma das pernas do elefante e descreve, é uma árvore. O outro descobre a cauda do elefante e anuncia, é uma corda. E o quarto homem cego, depois de descobrir a lateral do elefante, conclui que é, depois de tudo, uma parede. Alguém que assistia a tudo chegou para aquele grupo e alertou para o fato de estarem diante de um “elefante”, um animal muito perigoso por causa do seu temperamento e de sua força.

    Cada um, em sua cegueira, está descrevendo a mesma coisa, ainda que cada um tenha descrito a mesma coisa de maneiras radicalmente diferentes. Por não conseguirem enxergar, deduziram pela analogia do toque, que aquilo era o que efetivamente sentiam ao terem em suas mãos parte daquele animal. Até o perigo foi ignorado, sequer foi lembrado.

    De acordo com muitos, isso é semelhante às diferentes igrejas do mundo, todas estão pregando, aos seus olhos, a mesma coisa de maneiras radicalmente diferentes. Desta forma, conclui-se que nenhuma igreja individual tem o caminho da verdade, assim nem todas devem ser vistas como igualmente válidas na sua essência. A questão é que diante do poder de convencimento e das intenções de cada um, poucos estão disposto a abrirem os olhos e identificarem o “elefante religioso” que convivem com ele diariamente, mesmo diante do perigo eminente.

    Algumas questões precisam ser avaliadas diante do contexto em que a religião se encontra hoje, pois há uma mistura perigosa entre várias correntes religiosas causando um desconforto muito grande para o cristianismo. Muitas igrejas só sobrevivem porque suas hierarquias pregam e lutam por poder e privilégios, assim em grande parte do mundo contemporâneo a religião está morta, mas ainda projeta sombras em vários aspectos da vida privada e coletiva dominando pessoas com promessas vazias e sem embasamento espiritual. Enquanto as religiões modernas continuarem desejando serem instituições poderosas, elas serão um obstáculo para a paz e para o desenvolvimento de uma atitude genuinamente religiosa que verdadeiramente conduza o homem a Deus. A igreja afirma que defende seu poder e os aspectos econômicos dele para preservar sua capacidade de pregar o Evangelho

    A primeira é que há o objeto da questão, o elefante! Há “igrejas” também! O que os homens cegos estavam tentando descrever era, de fato, um elefante que estava diante deles, e nada mais. Da mesma forma, há verdadeiros questionamentos sobre as igrejas que precisam ser observados, há muita coisa parecendo, mas que no fundo nada tem a ver com o exercício da fé. Assim, nem todas as opiniões concernentes aos elefantes ou à natureza da igreja são igualmente verdadeiras. Existem muitos interesses escondidos atrás da religião que merecem ser questionados e enxergados do ponto de vista racional e teológico. Por mais que os cegos usassem suas convicções e até disputassem entre si, aquele animal jamais deixaria de ser o que ele efetivamente era.

    A segunda questão é que todos os quatro homens cegos estavam, de fato, errados. Vale lembrar que a cegueira deles não era uma opção, mas uma fatalidade, pois nasceram daquela forma; já na religião os cegos o são por conveniência ou por interesses e como há interesses escondidos por trás da religiosidade. O animal era um elefante e não uma parede, ou uma corda, ou uma árvore ou uma cobra. Suas opiniões não eram igualmente verdadeiras dentro de seus conceitos, eram iguais, mas verdadeiramente falsas. Na melhor das hipóteses, tal analogia do pluralismo religioso mostraria que boa parte das igrejas são falsas, são portas, cordas, árvore e até paredes fechadas. Não são verdadeiras. A cegueira vedava-lhes a oportunidade de conhecerem uma obra fenomenal da criação de Deus, um gigante da natureza. A cegueira espiritual também impede a pessoa de discernir entre o falso e o verdadeiro na vida cristã.

    A terceira, e mais importante, a analogia não leva em conta nenhum tipo de revelação especial, nenhuma visão ou profecia. Um quinto homem que percebeu a dificuldade daqueles deficientes entrou em cena, alguém que pôde ver e provar que era realmente um elefante, um animal e não o que aqueles homens tinham identificado, a analogia mudou por completo. Deixou de ser uma simples imaginação para ter fundamentos verdadeiros.

    O mundo moderno esqueceu que Jesus Cristo, único entre todos os líderes religiosos da história, afirmou ser esse “quinto homem”; a definitiva revelação de Deus. Ele veio para desmascarar as religiões e dar sentido à vida; veio derrubar conceitos vazios e inócuos; veio como verdade e não como uma alternativa para ela. Muitas pessoas que assistiram aos milagres de Jesus e ao ouviram ele falar, sentiram-se ofendidas por suas claras declarações sobre sua divindade, como na história acima ele veio mostrar que os cegos podem ver, os elefantes podem ser desmistificados; que a verdadeira religião é uma realidade insofismável que deve ser objeto da razão da expressão de fé do homem.

    Com o que você está identificando a sua fé? Que tipo de conceito você tem de igreja? Quais os parâmetros que o ajudam na sua fundamentação cristã? E as lideranças, como estão sendo vistas? Pense nisto, avalie suas ponderações e procure estabelecê-las sobre a ótica dos ensinos de Jesus e assim você será bem sucedido na sua vida espiritual neste mundo.

    A igreja teria, da forma como foi constituída por Deus, que invadir o mundo e não ser invadida por ele; teria que provocar transformações, não ser transformada de forma radical como está acontecendo; deveria ser exemplo de comportamento na sociedade, e não usada para fins escusos; teria que promover o avivamento e não movimentos do tipo “Marchas Para…” Ou fugimos da aparência do mal, DA APARÊNCIA, ou nos atrelamos a ele e arcamos com as conseqüências de um cristianismo vazio, pobre, de formas mas, sem qualquer conteúdo. As pedras estão clamando e já não há como atendê-las nos seus clamores por causa da conivência e da convivência pacífica da igreja com as coisas do mundo hoje. O mundo muda sim, e o homem nas suas fraquezas acompanha tais mudanças, mas o “Evangelho é o mesmo, ontem, hoje e o será eternamente”.

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms1casa@hotmail.com

  11. Dá pra perceber a tensão entre igrejas xiitas e igrejas hedonistas. Os hedonistas(o maratonista e o ex-bigodudo)incentivando os cristãos à prática de parafilias sexuais(sodomia,felação…)e permitindo o membro ter quantas esposas quiser,desde que seja uma de cada vez,afinal é melhor ele dentro da igreja dando o dízimo para a igreja,do que no mundo dando o dízimo pro capeta; o humanismo é a palavra de ordem!!!
    Já os xiitas,idólatras do rigor ascético, estão proibindo até tomar coca-cola,vivendo seu misticismo exarcebado à revelia da Palavra.O legalismo é a palavra de ordem!!!
    Sinceramente, não sei qual é mais nocivo.
    ????????????

  12. Eu sou assembleiana, e compartilho da sua opinião, pois quando me converti, quase fui assassinada por esses xiitas…
    e tenho visto muitos serem mortos por eles… infelizmente.
    Graças a Deus, eu sobrevivi…
    cheguei a frequentar uma igreja mais liberal por um ano, onde acabei por me batizar… mas logo busquei uma Assembleia onde houvesse verdadeiramente o Amor… onde eles vissem cada pessoa como um membro da família de Cristo, um salvo em potencial, e encontrei.
    Entendo que a minha santidade não se encontra na saia, nos cabelos, na falta de higiene pessoal… mas no meu coração, no como eu lido com meu irmão…
    não adianta uma saia enoorme, um cabelo imenso e mal cuidado, se a boca despeja fel, fala da irmã, do cantor… se o irmão que vive de paletó tem inveja do evangelista, fala mal do pastor, não dá testemunho, bate na esposa… e na igreja eles são santos…
    Ser santo, é mais que aparência, é ter a consciência limpa ao deitar no travesseiro, de que falou de Cristo aos sedentos, saber que é conhecido como cristão ( é pq tem crente 007, agente secreto…), que deu todo amor possível ao seu cônjuge, que ensinou seus filhos o caminho correto, que vai com eles à igreja, que participa da escola dominical, que cresce na graça e no conhecimento (pra não ser um crente manco, que só cresce de um lado), que ama seus irmãos, que tem a igreja como extensão da sua família, que se dedica na obra…
    isso independe da cor do cabelo e do futebol no fim de semana…

    Não devemos ser nem legalistas, nem fariseus, nem xiitas…
    devemos ser a igreja…
    sem mácula…
    que reflita não a túnica de Cristo,
    mas o Amor de Cristo!

    Fikle na paz|!

  13. Acho engraçado como vcs que se dizem "cristãos" gostam de se ofender,e estão tão preocupados com coisas que não edificam. os "crentes" diziam e alguns dizem que cabelo, calça etc…faz parte da vontade de Deus, e outros como e caro e farizeu blogueiro, passa uma imagem de abominação a quem tem tal costume, na verdade os dois tem que se converter, se arrependam que ainda há tempo,o evangelho é maior que tudo isso.

    abraço

  14. Caro anônimo,

    Em primeiro lugar, creio que homem (ou mulher) de Deus deve mostrar a cara. Além disso, o anonimato em tal caso é proibido pela nossa Constituição Federal. Por tanto, antes de mandar as pessoas se converterem, obedeça as leis do país e mostre a cara.

    Também acho que faltou ao irmão sensibilidade para entender o que foi transmitido. Acho insustentável e absurda a sua acusação de farisaísmo, até porque é justamente este farisaísmo na igreja – onde as almas valem menos que os "costumes" – que está sendo denunciado aqui.

    Creio que o irmão (se é que posso chamá-lo assim) faria um grande favor a si mesmo caso aprendesse algo deste texto, e também o comentário da Moninha, que representa milhares de pessoas que são jogadas no lixo pelas igrejas xiitas, por não passar no "controle de qualidade".

    E para seu governo, não tenho abominação pelas pessoas que praticam tais costumes; tenho aversão aos "costumes", sempre que estes visam suplantar a santificação operada pelo Espírito Santo em nossos corações. Tenho repulsa pela CONDUTA do "fariseu cego", que atravessa o mar para ganhar um prosélito e depois faz dele um filho do inferno duas vezes mais legalista. Contudo, amo a PESSOA praticante de tal ato, propagador dessa falsa doutrina, razão pela qual me esforço em denunciar, pois desejo – de todo meu coração – que eles se arrependam e passem da lei à maravilhosa graça de Deus.

    Sem mais para o momento, no amor de Cristo ( e com zelo de Deus pela sua igreja!)

    Leonardo.

  15. SAUDAÇOES A TODOS NO SENHOR JESUS;

    NAO HA NADA QUE ESTEJA ENCOBERTO QUE NAO HA DE SER REVELADO; ACHO QUE O SITE AQUI TEM A FINALIDADE DE MOSTRAR O QUE REALMENTE OCORRE NOS BASTIDORES DAS DEMAIS DENOMINAÇOES EVANGELICAS. BEM, INFELISMENTE SAO UMAS VERDADES QUE NAO QUERIA QUE FOSSEM, MAS SÁO. SOU ASSEMBLEIANO, TEM 14 ANOS QUE CONGREGO NA ASSEMBLIA; FUI MENINO, CRESCI E ESTOU CRESCENDO ATE CHEGAR A ESTATURA DE VARAO PERFEITO. ISTO NOS TORNA IDONEOS DIANTE DAS VARIAS QUE ESTAO EM PAUTA. O QUE FOI ESCRITO É UMA REALIDADE, LOGICO QUE NADA É GENERALIZADO, COM O TEMPO MUITA COISA VAI MUDANDO, AS PESSOAS PROCURAM CONHECER MAIS,E COM ISSO É INEVITAVEL OS CHOQUES. MAS SABEMOS QUE A VERDADE SEMPRE PREVALECERA. DOUTRINA APOSTOLICA CRISTA É IMUTAVEL, COSTUMES HUMAMOS, ESTES TENDEM A MUDAR DE ACORDO COM AS EPOCAS. DENTRO DE UMA IGREJA, VEMOS MUITAS COISAS QUE NOS LEVAM A QUESTIONAR. EXAMINAI TUDO E RETENDE O BEM.

  16. Caro Brad,

    Obrigado por manifestar a sua opinião. Você entendeu perfeitamente a natureza desta crítica: Não é uma generalização, mas o desvelar de uma verdade que para muitos está oculta. Muitos pastores e ovelhas legalistas são gente piedosa e cheia de boas intenções. Eles realmente creem que o que fazem é correto. Devemos orar por eles, e se tivermos oportunidade, conduzí-los ao caminho da graça (não a igreja do Caio, mas a Graça de Deus, rs…).

    Também sou membro da Assembléia de Deus, e apesar dos muitos exageros que vi nestes poucos anos de crente, sei que as coisas estão mudando por lá. Há muitas igrejas da AD sérias, onde o reteté é abominado e o verdadeiro pentecostes é experimentado por cristãos. Eu conheci muitas ADs assim, e creio que você também.

    No mais, fica a nossa oração e esforço sincero, para que a graça de Deus não seja ofuscada pelas praxes legalistas de pastores e ovelhas sem discernimento (e as vezes, sem misericórdia em seus corações)

    Abraço fraterno,

    Leonardo.

  17. Leo, só você mesmo sabe falar a palavra certa com anônimos, atalaias e carlos; rapaz que situação complicada; quantos discursos contraditórios e ao mesmo tempo tão parecidos entre si.

    Às vezes eu chego a pensar que o atalaia é o SM, o anônimo, um deles é o MF; o outro amônimo a gente já sabe quem é.

    Agora o Carlos eu acho que é uma mulher, a postura apelativa, rebelde e raivosa é feminina.

SUA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui